//
arquivos

Informação & Sociedade: Estudos

Esta categoria contém 151 posts

Curadoria digital: um novo patamar para preservação de dados digitais de pesquisa

SAYÃO, Luis Fernando; SALES, Luana Farias. Curadoria digital: um novo patamar para preservação de dados digitais de pesquisa. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.179-191, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/12224 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
Uma parte considerável dos resultados das atividades de pesquisa está sendo criada em formatos digitais. Embora de grande valor, esses dados estão sob o risco de serem perdidos pela obsolescência tecnológica e pela fragilidade inerente das mídias digitais. Dessa forma, a gestão de dados de pesquisa num ambiente distribuído e em rede se torna um desafio crescente para o mundo da pesquisa e para a ciência da informação. Como resposta a esse desafio surge o conceito de curadoria digital, que envolve a gestão de dados de pesquisa desde o seu planejamento, assegurando a sua preservação por longo prazo, descoberta, interpretação e reuso. Nessa direção, o presente estudo analisa brevemente a importância dos dados de pesquisa e a idéia de curadoria digital e seus impactos na formulação de novos documentos e na comunicação científica.

Palavras-chave: Curadoria Digital; Dados de Pesquisa; Preservação Digital; Novos Documentos; Comunicação Científica; eScience

Recursos Informacionais no Second Life: a Info Island

SILVA, Maíra Prado da; TOMÁEL, Maria Inês. Recursos Informacionais no Second Life: a Info Island. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.163-175, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10520 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
O Second Life (SL) é um espaço virtual que simula o mundo físico em ambiente 3D em vários aspectos: social, cultural, profissional e organizacional. A Info Island, maior ilha de bibliotecas no SL, dispõe de diversas informações, as quais permitem a integração de usuários que frequentam as ilhas. O objetivo deste estudo foi identificar e analisar: a) o perfil dos bibliotecários; b) os serviços e os produtos de informação; e d) os recursos informacionais disponíveis na ilha. A coleta de dados foi feita com os atendentes das bibliotecas da Info Island, para tanto, utilizou-se dois instrumentos: observação e questionários. Os resultados da pesquisa indicam que metade dos profissionais que atuam nas bibliotecas da ilha tem formação na área de Ciência da Informação. Os pesquisados ressaltaram que ofertam serviços e produtos de informação, entre eles estão orientações sobre o mundo virtual e a organização e condução de debates ao vivo. Alguns dos serviços e produtos ofertados na ilha são peculiares às atividades praticadas em bibliotecas físicas, especialmente nas públicas, como, por exemplo, encontro com o autor. A Info Island permite que pessoas de diversas partes do mundo, com interesses diferenciados, possam explorar os recursos informacionais, já que tem a mesma capacidade de atendimento existente em bibliotecas físicas.

Palavras-chave: Second Life, Info Island, Recursos de Informação

Projeto de serviços para Gestão Documental com uso de abordagem tecnológica SOA (Arquitetura Orientada a Serviços)

RIBEIRO, Claudio Jose Silva. Projeto de serviços para Gestão Documental com uso de abordagem tecnológica SOA (Arquitetura Orientada a Serviços). Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.152-162, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10262 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
A Gestão Documental das Organizações é uma temática que vem sendo tratada com prioridade, pois o volume de documentos e informações não estruturadas presentes nas instituições cresce vertiginosamente. Este relato apresenta uma proposta para adoção de serviços ligados à Gestão Documental, usando para isto o conceito de Arquitetura Orientada a Serviços (SOA) em conjunto com o uso de Arquitetura da Informação (AI). São apresentadas as ações que estão sendo desenvolvidas pela Dataprev, para estruturar o arcabouço tecnológico que sustentará as atividades para execução da Gestão Documental no âmbito da Previdência Social brasileira.

Palavras-chave: Gestão de Documentos, serviços, arquitetura, SOA, arquitetura da informação, Previdência Social

Pesquisa bibliográfica e web 2.0: percepção de estudantes de pós-graduaçao em ciência da informaçao

NEUBERT, Patricia da Silva; RODRIGUES, Rosângela Schwarz. Pesquisa bibliográfica e web 2.0: percepção de estudantes de pós-graduaçao em ciência da informaçao. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.143-154, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10021 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
As ferramentas para interação e comunicação social disponíveis na web favorecem a comunicação informal e a colaboração entre os membros da comunidade científica. Esta pesquisa analisa o uso de ferramentas colaborativas por alunos de pós-graduação em Ciência da Informação. Para cumprir os objetivos específicos: a) identificar o perfil dos alunos, b) descrever o uso de ferramentas colaborativas e c) verificar o uso de ferramentas colaborativas para a construção do referencial teórico da pesquisa. Recorreu-se ao questionário como instrumento de coleta de dados, cuja análise se deu por meio de estatística descritiva. Os resultados da pesquisa mostraram que, com exceção das ferramentas Web 2.0 voltadas exclusivamente para uso científico, o uso das demais ferramentas da Web 2.0 é irrelevante para a obtenção de bibliografia. Observa-se que dos 80% de respondentes que utilizam os portais de periódicos, quase a metade usa as plataformas para a comunidade científica e e-mail para obtenção de referências bibliografias. Contudo, uma larga faixa de respondentes informaram que não utilizam ferramentas Web 2.0 – blogs, microblogs, redes sociais e social bookmarks – para a organização de conteúdos de seu interesse acadêmico.

Palavras-chave: Pesquisa Bibliográfica; Pesquisa científica; Colaboração Científica; Ferramentas Colaborativas; Web 2.0.

Redes de mobilização social: as práticas informacionais do Greenpeace

MORIGI, Valdir José; KREBS, Luciana Monteiro. Redes de mobilização social: as práticas informacionais do Greenpeace. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.133-142, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/14386 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
Reflete sobre as práticas informacionais da organização não-governamental Greenpeace a partir da análise das informações veiculadas no seu site. Identifica as estratégias de comunicação utilizadas pela organização e as formas de mediação da informação ambiental, o seu papel na construção da sensibilização da consciência ambiental. A difusão das informações em rede é um fator importante no processo de construção de ações conscientes em relação à sustentabilidade e os cuidados com o meio ambiente. Conclui-se que a mediação das informações em rede auxilia as ações da ONG e o seu ativismo político, possibilitando a mobilização e a construção de redes sociais voltadas a questões ecológicas.

Palavras-chave: Práticas Informacionais. Greenpeace. Meio Ambiente. Redes Sociais

Arquitetura da Informação no Ambiente Digital: Avaliando as relações com o Direito da Propriedade Intelectual

DIAS, Guilherme Ataíde; VIDOTTI,  Silvana Aparecida Borsetti Gregório. Arquitetura da Informação no Ambiente Digital: Avaliando as relações com o Direito da Propriedade Intelectual. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.115-132, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/14131 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
Investiga as relações da Arquitetura da Informação em ambientes digitais com o Direito da Propriedade Intelectual. O trabalho justifica-se pela necessidade de uma melhor compreensão da dinâmicas que emergem a partir da interação entre as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação e o Direito da Propriedade Intelectual. Três áreas do conhecimento estão diretamente relacionadas com o estudo: Ciência da Informação, Direito e Ciência da Computação. A metodologia utilizada no processo investigativo está alinhada com a vertente qualitativa. Com relação aos procedimentos técnicos a mesma está classificada como bibliográfica ou de fontes secundárias. Indicamos como resultado da pesquisa a constatação de que a legislação brasileira corrente não oferece de forma adequada os mecanismos protetivos necessários para resguardar aos seus respectivos titulares os direitos da propriedade intelectual associados a um projeto de Arquitetura da Informação.

Palavras-chave: Direito da Propriedade Intelectual; Arquitetura da Informação; Tecnologia da Informação

Trajetória do Programa de Iniciação Científica da UFSC no período de 1990 a 2010

COSTA, Airton et al.. Trajetória do Programa de Iniciação Científica da UFSC no período de 1990 a 2010. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.103-111, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/12225 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
Analisa a eficiência do Programa de Iniciação Científica da Universidade Federal de Santa catarina (UFSC) e o desempenho do professor orientador no processo de formação de pesquisadores. A equipe de pesquisa foi formada por bolsistas e orientadores (PIBIC) nas áreas de Administração, Ciências Contábeis, Economia, Direito e Engenharia de Produção (cursos de: Engenharia de Produção Civil, Engenharia de Produção Mecânica e Engenharia de Produção Elétrica) no período de 1990 a 2010. Buscou-se na Plataforma Lattes do CNPq o currículo dos egressos para: identificar características da formação acadêmica e do progresso através da continuidade acadêmica dos egressos das bolsas de iniciação científica. Os resultados mostram quais os cursos com maior número de bolsistas e sinalizam que um número significativo de egressos continuaram a vida acadêmica (Mestrado, Doutorado, Pós-Doutorado). No que diz respeito ao desempenho dos orientadores de iniciação científica, cerca da metade dos docentes fizeram parte da preparação dos bolsistas para a Pós-Graduação, ou seja, orientaram alunos que hoje possuem titulação acadêmica(Mestre, Doutor).

Palavras-chave: Graduação – Formação de pesquisadores. CNPq – Programa de Iniciação científica. CNPq – Currículo Lattes. UFPB – Programa de Iniciação científica.

Conhecimento, informação e meios de transmissão cultural

MOSTAFA, Solange Puntel. Conhecimento, informação e meios de transmissão cultural. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.95-100, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/14993 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
A crítica ao fechamento da Ciência da Informação e da categoria Informação nos anos noventa ensejou contemplar o tema da Mediação cultural para abrigar o conhecimento artístico ou cultural e não apenas o conhecimento científico. Aproxima a noção de cultura-ação da noção do rizoma deleuziano para ser possível apresentar exemplos de exposições a um só tempo artísticas, científicas e filosóficas.

Palavras-chave: Ciência da Informação. Mediação cultural. Exposições artísticas

Informação, representação e produção de saberes sobre o crime – o Gabinete de Identificação e de Estatística do Rio de Janeiro (1903-1907)

THIESEN, Icléia; PATRASSO, André Luís de Almeida. Informação, representação e produção de saberes sobre o crime – o Gabinete de Identificação e de Estatística do Rio de Janeiro (1903-1907). Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.83-92, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13839 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
O século XIX produziu numerosos estudos e ações destinadas a combater o crime, dando origem à criminologia, um saber específico que engendrou a polícia judiciária, a fotografia identificatória, a bertilhonagem, a estatística criminal, a medicina e a literatura do crime. A construção de saberes sobre as “classes perigosas”, no Brasil, fez parte de um projeto político realizado por homens de Estado visando o controle social, onde a função de vigilância-correção foi assegurada por diversas instituições. No presente trabalho analisaremos a instituição que deu origem à sistematização da informação de natureza identificatória – o Gabinete de Identificação e de Estatística do Rio de Janeiro, hoje Instituto Felix Pacheco. A análise de conteúdo de documentos primários, como relatórios, fotografias, fichas sinaléticas, além da literatura produzida sobre o tema evidencia a existência de um sistema de informação criminal que se aprimorou, ao longo do tempo, para estender-se à identificação civil, no âmbito do que denominamos inteligência informacional.

Palavras-chave: Pré-história da Ciência da Informação; documento; inteligência informacional; Gabinete de Identificação e de Estatística.

Formação em biblioteconomia a distância: a implantação do modelo no brasil e as perspectivas para o mercado de trabalho do bibliotecário

RUSSO, Mariza; FONSECA, Marcus Vinicius de A.; BARBALHO, Celia Regina Simonetti. Formação em biblioteconomia a distância: a implantação do modelo no brasil e as perspectivas para o mercado de trabalho do bibliotecário. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.61-81, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/14387 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
A pesquisa focaliza a implantação, no Brasil, do curso de graduação em Biblioteconomia, na modalidade a distância, iniciativa da Universidade Aberta do Brasil (UAB), vinculada à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), contando com o Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB) como responsável pela elaboração da sua proposta pedagógica. A experiência de representantes da UAB, de instituições de ensino da área de Biblioteconomia, e de especialistas sobre Educação a Distância é utilizada para a análise da proposta pedagógica, para verificar suas expectativas em relação a essa iniciativa e ao impacto no mercado de trabalho dos bibliotecários. O método definido foi o do estudo de caso, apoiado pela pesquisa qualitativa, utilizando-se as seguintes técnicas: Entrevista em Profundidade e Grupo de Discussão Triangular. Os resultados comprovaram os impactos positivos que a implementação dessa experiência inovadora poderá causar: i) ampliação das oportunidades de trabalho para os formandos com a abertura de novos postos de ocupação – nas bibliotecas públicas e nas escolares e, ainda, nas bibliotecas dos Polos de Apoio Presencial, da UAB; ii) o aumento das chances de os brasileiros terem acesso ao ensino superior e, com isso, melhorarem suas condições de vida, podendo, então, contribuir para o crescimento econômico e social do Brasil.

Palavras-chave: Educação a Distância. Biblioteconomia – Educação a Distância. Ensino de Biblioteconomia – Inovação

Regime de informação: construção de um conceito

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria Nélida. Regime de informação: construção de um conceito. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.43-60, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/14376 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
O conceito de regime de informação poderia formar parte de uma família de palavras que tematizam as configurações contemporâneas de práticas, meios e recursos de informação, onde as tecnologias da linguagem, caracterizadas por sua transversalidade e expansão indefinida, encontram seu espaço de operacionalização. O regime de informação, como conceito analítico, remete as figuras contemporâneas do poder, mas colocando em questão os critérios prévios de definição e reconhecimento do que seja juntamente da ordem da política e da informação.

Palavras-chave: Regime de informação. Informação – Cadeia de produção. Informação – Infra-estrutura. Modo de informação – Padrões

A gestão dos espaços informacionais em ambientes de arquitetura da informação organizacional

PÉON ESPANTOSO, José Juan. A gestão dos espaços informacionais em ambientes de arquitetura da informação organizacional. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.33-39, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/9908 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
Apresenta considerações e características sobre a arquitetura da informação organizacional. Discute o gerenciamento dos espaços de informações digitais e sua importância para as organizações. Observa que a arquitetura da informação organizacional pode ser caracterizada como um conjunto de atividades integradas com a finalidade de prover o acesso eficiente à informação, estabelecendo um ambiente operacional com objetivos primários de: apresentar, recuperar e organizar a informação.

Palavras-chave: Arquitetura da Informação; Arquitetura da Informação Organizacional; Espaço de informação digital; Arquiteto da Informação.

A condição estruturante das tecnologias nas relações sociais: potencialidades na interlocução entre biblioteca e usuário

NEVES, Barbara Coelho; SANTOS, Raquel do Rosário; GOMES, Henriette Ferreira. A condição estruturante das tecnologias nas relações sociais: potencialidades na interlocução entre biblioteca e usuário. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.25-31, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10106 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
Aborda dois aspectos da tecnologia, visando conduzir o debate ao contexto de comunicação mais atual entre a biblioteca e o usuário, a sua condição estruturante das relações sociais e a sua contribuição para uma atuação interativa para a ampliação do processo de interlocução da biblioteca e seus usuários. Apresenta um breve histórico sobre a tecnologia, comparando sua característica de ferramenta e ao mesmo tempo seu atributo de dispositivo estruturador das relações sociais. Discute as tecnologias como estruturadoras das relações humanas, ressaltando as possibilidades de utilização da web social pelas bibliotecas.

Palavras-chave: Tecnologias – Comunicação. Web social – Comunicação. Bibliotecas – Uso das tecnologias. Bibliotecas – Web social

Usuários da informação sob a perspectiva fenomenológica: revisão de literatura e proposta de postura metodológica de pesquisa

GANDRA, Tatiane Krempser; DUARTE, Adriana Bogliolo Sirihal. Usuários da informação sob a perspectiva fenomenológica: revisão de literatura e proposta de postura metodológica de pesquisa. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.13-23, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10861 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
Apresenta possíveis contribuições da fenomenologia para a Ciência da Informação, especialmente os estudos de usuários da informação, reforçando o movimento de alargamento das fronteiras do campo, enquanto abordagem compreensiva que busca o desvelamento dos fenômenos na mente dos indivíduos. Aponta as contribuições que a fenomenologia pode oferecer aos estudos de comportamento informacional, com destaque para o modelo de distribuição social do conhecimento, de Alfred Schutz, que favorece a compreensão de interações sociais complexas, como as ocorridas nos processos de busca e uso da informação. Apresenta a metodologia de um estudo de usuários em andamento para mostrar como a adoção da fenomenologia enquanto postura metodológica pode contribuir para tais estudos. Conclui-se que há uma aproximação entre o chamado paradigma social da Ciência da Informação e a perspectiva fenomenológica, pois ambas partilham a visão de que a realidade é uma construção intersubjetiva.

Palavras-chave: Usuários da Informação. Fenomenologia; Comportamento informacional

Conteúdos temáticos como subsídios para indicação de colaboração na Ciência da Informação: PPGCI/UNESP e PPGCI/UFPB em evidência

DUARTE, Emeide Nóbrega. Conteúdos temáticos como subsídios para indicação de colaboração na Ciência da Informação: PPGCI/UNESP e PPGCI/UFPB em evidência. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.189-201, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13331 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
A colaboração científica oferece uma fonte de apoio para melhorar o resultado e maximizar o potencial do conhecimento científico e de sua produção. Quando mediada pelas redes em conexão humana, levam ao crescimento, ao compartilhamento, ao desenvolvimento e à inovação. Esta pesquisa busca identificar os docentes que são credenciados nas linhas de pesquisa “Ética, gestão e políticas de informação” (PPGCI/UFPB) e “Gestão, mediação e uso da informação” (PPGCI/UNESP), caracterizar a produção científica quanto aos temas e propor a formação de grupos por temas específicos de atuação dos docentes. As análises de conteúdo e de redes sociais possibilitaram identificar pesquisadores que atuam em temas comuns e propor uma relação social para colaboração. Caracteriza-se, quanto ao delineamento, como um estudo exploratório e descritivo, de natureza quantitativa e qualitativa do tipo documental. Os dados foram coletados nos currículos Lattes dos docentes referentes a 2005/2010. As propostas para a formação das redes interorganizacionais por temas específicos de atuação dos docentes foram apresentadas. Através da análise de redes, podem-se verificar as múltiplas conexões possíveis e suas reações em cadeia, que poderão acontecer entre os pesquisadores das linhas “Gestão, mediação e uso da informação” do PPGCI/UNESP e “Ética, gestão e políticas de informação” do PPGCI/UFPB.

Palavras-chave: Produção científica. Análise de redes sociais. Ciência da Informação.

Informação arqueológica de Ingá: preservação, acesso e uso a partir de um ambiente virtual

MACHADO, Liliane S. et al. Informação arqueológica de Ingá: preservação, acesso e uso a partir de um ambiente virtual. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.175-188, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13777 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
A preservação do patrimônio histórico está associada a um conjunto de ações que envolvem governo e sociedade. Por meio do uso das tecnologias da informação e comunicação tornou-se possível reconstruir, registrar, divulgar e informar sobre sítios arqueológicos espalhados pelo mundo. Neste contexto, a distância deixou de ser um aspecto impeditivo e sistemas computacionais conectados à rede mundial de computadores permitem estender o acesso a sítios arqueológicos para difundir conceitos de sustentabilidade, preservação e valor histórico, dentre outros. Neste artigo é apresentado um trabalho realizado com o sítio arqueológico Itacoatiaras do Ingá, localizado na cidade de Ingá, no estado da Paraíba, Brasil. A partir da coleta de informações, foi realizado um estudo para categorizar tais informações e compor um ambiente tridimensional multimídia voltado à visitação virtual. Para isto foi reunida uma equipe multidisciplinar para desenvolver um sítio virtual voltado à divulgação do sítio arqueológico Itacoatiaras do Ingá por meio de um cenário tridimensional composto por imagens, textos e entrevistas sobre o local, sua história e suas estórias.

Palavras-chave: Informação arqueológica. Sítio arqueológico. Sítio virtual. Itacoatiaras do Ingá. Patrimônio cultural.

A configuração do campo da Ciência da Informação: marcas de uma identidade

FREIRE, Gustavo Henrique de Araújo; SILVA, Jonathas Luiz Carvalho. A configuração do campo da Ciência da Informação: marcas de uma identidade. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.161-174, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13775 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Analisa a identidade da Ciência da Informação por meio de suas perspectivas epistemológicas, visando sua caracterização identitária. Utiliza três pressupostos que compõem discussões acerca do campo da Ciência da Informação: a noção de paradigma, a interdisciplinaridade e o objeto de estudo. Conclui que a noção de paradigma na Ciência da Informação está relacionada a uma polêmica teórica e epistemológica que tem se constituído de uma discussão necessária mas improfícua, pois pouco tem contribuído para o fortalecimento epistemológico desse campo científico. Infere, também, que existem três fortes tendências da Ciência da Informação como campo interdisciplinar: a primeira envolve a interdisciplinaridade com a Biblioteconomia, a Documentação e, extensivamente a Arquivologia e Museologia; a segunda aponta para uma interdisciplinaridade com as Ciências Cognitivas, Ciência da Computação, Administração e Comunicação; e a terceira envolve a interdisciplinaridade com a Lingüística, a Psicologia, Filosofia e a Sociologia. Finalmente, constata-se que o objeto de estudo da Ciência da Informação é constituído por um conjunto de fatores que variam de acordo com a realidade histórico-social.

Palavras-chave: Ciência da Informação – Paradigmas. Campo científico – Identidade. Interdisciplinaridade

Informação & Sociedade: Estudos – Memórias de um periódico científico

ALBUQUERQUE, Maria Elizabeth Baltar Carneiro de; DIAS, Guilherme Ataíde. Informação & Sociedade: Estudos – Memórias de um periódico científico. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.147-160, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13413 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Apresenta as memórias do periódico científico Informação & Sociedade: Estudos do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba, de 1991 a 2012 na versão impressa e na eletrônica.

Palavras-chave: Informação & Sociedade: Estudos. Memórias. Periódico Científico.

A inclusão digital dos agentes de limpeza urbana e dos agentes ambientais da coleta seletiva de lixo da cidade de João Pessoa/PB

PINHO NETO, Julio Afonso Sá de. A inclusão digital dos agentes de limpeza urbana e dos agentes ambientais da coleta seletiva de lixo da cidade de João Pessoa/PB. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.135-143, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13330 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Este projeto de extensão teve como objetivo desenvolver ações de inclusão digital e educação para a cidadania. Foi realizado um conjunto de atividades e serviços oferecidos aos agentes ambientais de limpeza urbana e agentes da coleta seletiva do lixo da cidade de João Pessoa (PB), tendo como fundamento maior inserir as ferramentas tecnológicas na realidade de quem aprende, concebendo o aprendizado como um processo que deve envolver, de forma proativa, todos os alunos. A intenção foi estimulá-los para a participação política e a mobilização coletiva, em busca de soluções para os seus problemas individuais, profissionais e comunitários. Todos os conteúdos foram selecionados visando abordar temáticas que dizem respeito à realidade social e cultural em que vive esse público-alvo alcançado pelo projeto, como a preservação do meio ambiente, o trabalho de caráter colaborativo e a aprendizagem para acessar os inúmeros recursos disponíveis aos cidadãos pelo Programa do Governo Eletrônico Brasileiro. Todo o planejamento dos trabalhos foi traçado por meio de reuniões e discussões realizadas pelo grupo gestor que, embasado em aportes teóricos da Ciência da Informação, estabeleceu a metodologia adequada e traçou as ações a serem implementadas, tendo sempre como princípio a inclusão digital concebida sob uma perspectiva cidadã, que visa a inclusão social. Esse foi, inclusive, o princípio que orientou todas as fases do projeto, do planejamento pedagógico à avaliação final.

Palavras-chave: Inclusão digital. Cidadania. Ciência da Informação. Inclusão social.

Novas fronteiras acadêmicas: cooperação entre Grupos de Pesquisa em Ciência da Informação no Brasil

FREIRE, Isa Maria; SANTOS, Placida Leolpdina Ventura Amorim da Costa. Novas fronteiras acadêmicas: cooperação entre Grupos de Pesquisa em Ciência da Informação no Brasil. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.123-133, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13409 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Apresenta o contexto do Projeto Rede de cooperação e aprendizagem na Ciência da Informação: PPGCI/UFPB e PPGCI/UNESP/Marília, no âmbito do Programa Nacional de Cooperação Acadêmica – Ação Novas Fronteiras (Procad-NF) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Descreve as modalidades de financiamento do Programa, constando de Missões de Estudos, Missões de Docência e Pesquisa e Estágio Pós-Doutoral no País. Destaca os Grupos e Linhas de Pesquisa envolvidos no Projeto e discute a abordagem teórica adotada e a rede conceitual que orienta as ações de ensino e pesquisa. Relata as atividades desenvolvidas nos dois primeiros anos do Projeto e discorre sobre atividades previstas e em andamento.

Palavras-chave: Cooperação Acadêmica. Capes – Programa de Cooperação Acadêmica. Ciência da Informação – Pós-Graduação. UFPB. UNESP/Marília.

Produção sobre necessidades de informação: em foco Informação & Sociedade: Estudos

RAMALHO, Francisca Arruda. Produção sobre necessidades de informação: em foco Informação & Sociedade: Estudos. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.101-120, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13679 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Pesquisa documental, cujo objetivo é de mapear e analisar a presença da temática necessidades de informação, no periódico Informação & Sociedade: estudos, entre os anos de 2002 e 2011. Identificou-se um total geral de 348 produções, das quais 26 são relacionadas à temática usuários da informação, e sete às necessidades de informação. Delimitada a produção do objeto de estudo, estabeleceram-se as variáveis que se classificaram em quatro categorias. A produção analisada, individual e/o em colaboração, é de autores brasileiros, procede de universidades e foca estudos cujos modelos metodológicos se pautam na abordagem alternativa dos estudos de usuários. A pesquisa proporcionou um aprofundamento sobre os estudos de necessidades de informação e sobre a revista Informação & Sociedade: estudos.

Palavras-chave: Necessidade de Informação. Estudo de usuários. Produção científica. Informação & Sociedade: Estudos.

A pesquisa qualitativa: origens, desenvolvimento e utilização nas dissertações do PPGCI/UFPB – 2008 a 2012

ALVES, Edvaldo Carvalho; AQUINO, Mirian de Albuquerque. A pesquisa qualitativa: origens, desenvolvimento e utilização nas dissertações do PPGCI/UFPB – 2008 a 2012. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.79-100, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13678 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Discute as especificidades da pesquisa qualitativa por meio da reconstrução de seu processo de desenvolvimento, em geral e, particularmente, no campo da Ciência da Informação. Explicita as contribuições deste tipo de pesquisa para um conhecimento mais aprofundado da realidade social, em especial, do fenômeno informacional e mapeia sua utilização nas dissertações defendidas no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação referente ao período de 2008 a 2012. Das 66 dissertações analisadas, verifica-se uma predominância da pesquisa de natureza qualitativa nas duas linhas de pesquisa do PPGCI/UFPB, com a utilização de variados métodos, técnicas e instrumentos de coleta e análise de dados característicos deste tipo de investigação, em especial, a entrevista, análise documental, análise de conteúdo, semiótica e observação direta.

Palavras-chave: Pesquisa Qualitativa. Ciência da Informação. Dissertações Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação.

O acesso a informações e a contribuição da arquitetura da informação, usabilidade e acessibilidade

SOUSA, Marckson Roberto Ferreira de. O acesso a informações e a contribuição da arquitetura da informação, usabilidade e acessibilidade. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.65-76, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13298 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Apresenta questões referentes à contribuição da integração dos princípios da Arquitetura da Informação, considerando os sistemas de organização, navegação, rotulação e busca, e, a Usabilidade e Acessibilidade no acesso a informações. Reflete sobre o acesso, sobretudo após a regulamentação da Lei Geral de Acesso a Informações no âmbito do Poder Executivo Federal, pelo Decreto nº 7.724/2012. Considera que as Tecnologias da Informação e Comunicação devem ser utilizadas para facilitar o acesso a todos os usuários, independente de suas limitações físicas ou cognitivas, embora possa se perceber possíveis barreiras, mesmo considerando-se as recomendações do governo brasileiro através dos padrões web em Governo Eletrônico.

Palavras-chave: Acesso à Informação. Arquitetura da Informação. Ambientes Informacionais Digitais. Usabilidade. Acessibilidade.

A institucionalização da Ciência da Informação no Brasil: elementos disciplinadores do campo científico

SOUZA, Edivanio Duarte de. A institucionalização da Ciência da Informação no Brasil: elementos disciplinadores do campo científico. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.49-64, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13297 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Apresenta, na perspectiva da Ciência da Informação no Brasil, as características resultantes do processo de transformação por que passou o desenvolvimento técnico e científico a partir dos anos de 1960. Reflete sobre os elementos que compõem os processos de implantação e institucionalização do campo científico dessa área, especificamente o quadro da pós-graduação e da pesquisa, as associações, os eventos e as publicações técnicos e científicos. Considera que esses elementos identificam parte do processo de institucionalização desse campo científico, na medida em que a compreensão deste exige outras reflexões que alcancem os aspectos teóricos e metodológicos, em um processo integrativo.

Palavras-chave: Campo científico. Ciência da Informação – Brasil. Ciência da Informação – Institucionalização.

Representação temática da informação e mapas cognitivos: interações possíveis

NEVES, Dulce Amélia de Brito. Representação temática da informação e mapas cognitivos: interações possíveis. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.39-47, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13300 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Abordagem teórico-conceitual que focaliza a representação temática da informação, como momento que reflete questões terminológicas e cognitivas, perpassa o dia a dia do profissional da indexação em suas atividades nas Unidades de Informação. Apresenta possibilidades de inter-relação entre o uso de mapas conceituais na pesquisa sobre estratégias mentais do indexador durante o processo de indexação. Amplia a possibilidade de uso de mapas conceituais em outros estudos com a finalidade e criar melhor interação entre a Unidade de Informação e aqueles que dela fazem parte.

Palavras-chave: Indexação. Mapa Cognitivo. Representação Temática da Informação. Ciência da Informação

Entradas recentes

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Bibliotecário Biblioterapia Catalogação Cientometria Classificação Competência informacional Competência informacional (“information literacy”) Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 289 outros seguidores