//
você está lendo...
Perspectivas em Gestão & Conhecimento

Processo de pensamento da teoria das restrições: uma abordagem para compreensão, aprendizagem e ação sobre problemas complexos

LACERDA, Daniel Pacheco; RODRIGUES, Luis Henrique; CORCINI, Secundino Henrique. Processo de pensamento da teoria das restrições: uma abordagem para compreensão, aprendizagem e ação sobre problemas complexos. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 1, n. 2, p. 59-76, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/pgc/article/view/9571/6838>. Acesso em: 2 ago. 2012.

Resumo

Pesquisas, trabalhos científicos e acadêmicos têm se debruçado sobre a problemática da compreensão, da aprendizagem e da ação em relação aos problemas organizacionais. As diferenças de percepções em relação aos problemas ou situações da organização podem, por vezes, bloquear a superação das dificuldades. Essas diferenças podem possuir causas, como: visão de mundo dos colaboradores, pressupostos, emoções, entre outras razões. Portanto, é necessário um instrumento ou metodologia que sirva como fio condutor para as discussões. Quando orientadas as discussões podem gerar uma compreensão compartilhada do problema, aprendizagem coletiva e, possivelmente, uma maior efetividade na superação das dificuldades. Nesse sentido esse paper procura apresentar o Processo de Pensamento da Teoria das Restrições como elemento condutor das discussões organizacionais. Para isso, o artigo se sustenta na revisão da literatura pertinente ao assunto onde procura explicitar os elementos centrais. Ao final, discutem-se limitações e potencialidades desse ferramental contribuindo dessa forma para ampliar as perspectivas para a condução do processo de reflexão e aprendizagem nas organizações.

Palavras-chave: Análise de Problemas. Teoria das Restrições. Organizações.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: