//
arquivos

Eduardo

Eduardo tem escrito 374 posts para InfoBCI

Preservação digital: entre a memória e a história

RABELLO, Rodrigo; CASTRO, Virgínia Ferreira da Silva. Preservação digital: entre a memória e a história. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 9-21, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2119/1807>. Acesso em: 31 dez. 2015.

Resumo
A temática da preservação digital emerge da própria dominância do meio eletrônico e de sua transversalidade nas práticas cotidianas e em todas as dimensões da vida. Atualmente, e diferente das demais políticas de preservação da memória, a ênfase é colocada nas tecnologias de suporte e nas suas possiblidades de reprodução indiferenciada. Duas vertentes de preservação estão em debate, a que remete ao uso das tecnologias digitais para preservar e disseminar conteúdos originariamente contidos em suportes materiais, portanto tratados como documentos, e a segunda que se reporta
à profusa produção de informação digital elaborada em sistemas informatizados, em computadores pessoais ou dispositivos móveis, que será irrecuperável no futuro diante da própria obsolescência tecnológica dos meios em que a informação foi gerada. Nos dois enfoques, ressalta-se o papel das instituições públicas e privadas assegurando a preservação da memória em meios digitais, em um contexto de apropriação dispersa dos conteúdos localmente produzidos e de redefinição dos padrões, valores e ordenamentos socioculturais que no passado vinculavam memória e identidade. Observamos que os usos possíveis de informações depositadas em bases de dados de instituições de memória extrapolam as perspectivas de sua utilização restrita como documentos pertencentes ao passado, já que podem dar margem a novas interpretações e, por vezes, redirecionar processos no longo prazo.

Palavras-chave: Preservação digital. Memória. História. Tempo presente. Tecnologias digitais.

Intermediação da informação e preservação da memória digital

RABELLO, Rodrigo; CASTRO, Virgínia Ferreira da Silva. Intermediação da informação e preservação da memória digital. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 22-35, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2113/1789>. Acesso em: 31 dez. 2015.

Resumo
O presente texto propõe elementos para uma reflexão acerca de demandas institucionais que, diante do contexto perturbador de excessos de produção e reprodução de conteúdos em meio digital, ainda trazem para si a responsabilidade de preservação da memória. A dimensão fluida que as novas mídias têm apresentado diante da facilidade de gravar ou perder dados num instante tem despertado para a relevância de se pensar ou valorizar novos espaços orientados por políticas públicas direcionadas à preservação da memória digital. Nesse contexto, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) será analisado segundo seu papel de instituição intermediadora de informação, que lida diretamente com memórias institucionais diversas e que atua com a promoção da preservação digital.

Palavras-chave: Intermediação de informação. Memória. Preservação digital. Ibict.

O Dilemma do Pharmacon

GALINDO, Marcos. O Dilemma do Pharmacon. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 36-50, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2111/1790>. Acesso em: 31 dez. 2015.

Resumo
O texto explora problemas teóricos e metodológicos relativos à aplicação de estratégias de preservação digital. A análise tomou como base dados oriundos da investigação científica de âmbito nacional Preservação da memória digital: um panorama brasileiro, iniciativa que se propunha a desenvolver um mapa-diagnóstico das práticas
laborativas de preservação digital nos Repositórios Institucionais gerenciados por universidades e centros de pesquisa brasileiros. Em 2010, como uma extensão desta iniciativa foi aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o projeto de pesquisa Patrimônio Digital Ameaçado, que pretendia desenvolver um modelo teórico para análise do risco associado à gestão, manuseio e preservação de ativos digitais. O texto foca no estudo das metodologias de Análise de Risco e sua adaptação para a análise de estoques de informação em meio digital e promove uma discussão teórica sobre princípios epistemológicos que ajudaram a fundamentar a pesquisa.

Palvras-chave: Patrimônio Digital. Análise de risco. Gestão da Informação. Preservação Digital. Dilema do Pharmacon.

Políticas de preservação digital no Brasil: características e implementações

SILVA JUNIOR, Laerte Pereira da; MOTA, Valéria Gameleira da. Políticas de preservação digital no Brasil: características e implementações. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 51-64, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2123/1806>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
Uma política de preservação digital serve como orientação legal para a gestão da preservação e para o acesso permanente aos objetos digitais produzidos, selecionados e armazenados por suas respectivas empresas ou instituições, e visa à superação da obsolescência tecnológica tanto dos objetos como dos seus próprios suportes. Uma política dessa natureza é elaborada com base em resoluções, normas, atos administrativos, leis, modelos e padrões. Pode ser analisada sob o aspecto organizacional, legal e técnico. Além disso, pode estar inserida em um programa mais amplo de preservação, conforme caracterização atribuída pela Carta para a Preservação do Patrimônio Digital elaborada pela Biblioteca Nacional da Austrália e publicada pela Unesco em 2003. A carta serve de base conceitual para as principais iniciativas e projetos internacionais em preservação digital. No Brasil, poucas instituições e empresas estabeleceram alguma política de preservação digital. Dentre elas, apenas a Câmara dos Deputados e a Universidade Estadual de Campinas elaboraram uma política completa e publicaram-na em seus respectivos portais.

Palavras-chave: Preservação digital. Política de preservação digital. Aspectos da preservação digital.

 

O modelo de referência OAIS e a preservação digital distribuída

SOUZA, Arthur Heleno Lima Rodrigues de et al. O modelo de referência OAIS e a preservação digital distribuída. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 65-73, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2118/1792>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
Este trabalho apresenta o modelo de referência OAIS (Open Archival Information System) e sua relação com
a preservação digital distribuída. Para tanto, tomou-se por base dados obtidos mediante revisão de literatura
e utilizando o exemplo de ferramenta de preservação digital distribuída LOCKSS, em analogia aos preceitos
observados pelo OAIS. Conclui-se que a ferramenta contempla os requisitos principais descritos no modelo
de referência, e que a adoção da preservação de forma descentralizada pode ser vista como uma alternativa
viável para a preservação dos documentos técnico-científicos, patrimoniais e culturais.

Palavras-chave: Preservação Digital. Preservação Digital Distribuída. Open Archival Information System (OAIS). LOCKSS.

LOCKSS: ensuring access through time

REICH, Victoria Ann. LOCKSS: ensuring access through time. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 74-82, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2125/1793>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Abstract
Some experts portray digital preservation as very expensive and too complicated for communities to do for
themselves. They have a lot to gain by perpetrating this message and communities have a lot to lose by taking
them at their word. Communities want to ensure postcancellation access to content they have purchased; they
want to ensure that a copy of the intellectual assets (fee and open access) in which they have invested through
time resides in their own jurisdiction. The Stanford University LOCKSS Program (Lots Of Copies Keep Stuff
Safe) helps communities build and preserve their own digital collections, an essential step to ensuring access
over time.

Keywords
LOCKSS. Stanford University. Digital Preservation. Post Cancellation Access. Perpetual Access.

Cariniana: uma rede nacional de preservação digital

ARELLANO, Miguel Ángel Márdero. Cariniana: uma rede nacional de preservação digital. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 83-91, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2127/1794>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
A preservação do registro eletrônico dos resultados da ciência e do patrimônio histórico e cultural em documentos digitais adquire novas práticas dentro de um contexto de rede de computadores. A informação não está mais em um só local e a gestão desses acervos encontra novos desafios. O tratamento e a organização de bases de dados, repositórios e bibliotecas digitais precisam incorporar estratégias de preservação relacionadas com a sua dependência tecnológica: custos, políticas, acesso e critérios técnicos. A Rede de Serviços de Preservação Digital Cariniana, do Ibict, é uma alternativa para organizações que desejam colecionar, armazenar, preservar e oferecer acesso a seus acervos mais importantes em cópias digitais autorizadas no Brasil. Para promover esse arquivamento digital, o Ibict aderiu à Aliança LOCKSS, da Stanford University, porque ela está de acordo com as normas internacionais já aplicadas. Periódicos, livros, teses e dissertações eletrônicas são os alvos da primeira etapa do projeto, e a capacitação de profissionais dedicados ao registro de acervos em formato digital também foi incorporada ao conjunto de primeiras ações da rede. O presente trabalho apresenta o projeto da Rede Cariniana como um sistema de preservação digital baseado no modelo de rede distribuída, que acompanha e provê subsídios a outros projetos brasileiros que precisam preservar materiais autênticos e certificados por instituições reconhecidas.

Palavras-chave: Preservação digital distribuída. LOCKSS. Cariniana. Rede colaborativa. IBICT. Brasil.

Direito autoral e preservação digital: considerações pertinentes a periódicos científicos eletrônicos mantidos no sistema LOCKSS

DIAS, Guilherme Ataíde; SOUSA, Rosilene Paiva Marinho de; PAIVA, Maria José Rodrigues. Direito autoral e preservação digital: considerações pertinentes a periódicos científicos eletrônicos
mantidos no sistema LOCKSS. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.92-102, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2117/1795>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
O trabalho discute a questão da preservação de periódicos científicos eletrônicos no sistema Lots of Copies Keep Stuff Safre (LOCKSS) à luz da legislação brasileira dos direitos autorais. Propõe analisar se as cessões de direito patrimonial do autor, em periódicos científicos, contemplam a replicação de conteúdos no referido sistema, para que suas obras sejam preservadas digitalmente. A pesquisa caracteriza-se como uma investigação de cunho bibliográfico e exploratório. O universo da pesquisa é constituído por periódicos científicos eletrônicos de instituições que fazem uso do sistema LOCKSS através da Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital (Cariniana).

Palavras-chave: Propriedade Intelectual. Direitos do Autor. Preservação Digital. Periódicos Científicos Eletrônicos. LOCKSS.

Competências básicas para os gestores de preservação digital

BOERES, Sonia Araújo de Assis; CUNHA, Murilo Bastos da. Competências básicas para os gestores de preservação digital . Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.103-113, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2115/1796>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
O trabalho teve como objetivo identificar as competências profissionais de gestores para trabalhar com preservação
digital. Verificou-se na literatura técnica o papel do profissional da informação no que concerne à sua atuação
tecnológica, identificar as competências profissionais dos gestores de serviços de informação que trabalham na
área de preservação digital e, finalmente, identificar as competências tecnológicas dos gestores de serviços de
informação para trabalhar com preservação digital.

Palavras-chave: Biblioteca digital. Competência profissional. Gestão de biblioteca. Preservação digital. Profissional da informação.

Preservação de documentos arquivísticos digitais

SANTOS, Vanderlei Batista dos. Preservação de documentos arquivísticos digitais. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.114-126, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2110/1797>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
A preservação digital é um dos grandes problemas que precisam ser enfrentados pelos profissionais da informação. Não há dúvida que muitos registros documentais importantes se perderam, e muitos ainda se perderão enquanto as instituições estiverem aprendendo a implementar políticas e práticas de preservação que contemplem a transição da documentação em papel para a documentação digital. Felizmente, na atualidade, diversos estudos nacionais e internacionais sobre gestão e preservação de documentos digitais têm divulgado suas conclusões, oferecendo orientações mais claras aos profissionais que, por força de suas atribuições, lidam com a necessidade de gerenciar e preservar adequadamente documentos digitais como registro das ações realizadas pelas instituições às quais estão vinculados. Esses documentos arquivísticos possuem “características” específicas que os profissionais devem proteger no mundo digital, quais sejam: fixidez, organicidade, naturalidade, unicidade, autenticidade e imparcialidade. Este artigo discute os aspectos a serem observados para que a preservação digital contemple essas características no sentido de garantir, além da acessibilidade, a confiabilidade dos documentos arquivísticos digitais pelo tempo que se fizer necessário.

Palavras-chave: Arquivologia. Arquivística. Documento arquivístico digital. Preservação digital.

D4SiMem: uma proposta de modelo de digitalização para sistemas memoriais

ARAÚJO, Francisco de Assis Noberto Galdino de; PINTO, Manuel. D4SiMem: uma proposta de modelo de digitalização para sistemas memoriais. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.127-139, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2124/1798>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
Apresenta considerações acerca da digitalização como processo integrante da preservação da informação, variável indissociável da gestão da informação nas instituições de memória. Propõe um modelo de digitalização para sistemas memoriais (D4SiMem), sustentado pelo planejamento, captura, tratamento e preservação, contribuindo para a normalização dos processos e atividades a serem executados em nível local e cooperativo. Define os conceitos de Sistemas de Informação, Sistemas Tecnológicos de Informação e Sistema Memorial. Assim, ressalta a digitalização como um processo cuja finalidade é converter o documento físico numa unidade informacional em meio digital.
Para sua execução, aplicou o método quadripolar para observar o processo de digitalização realizado no acervo
memorial do Núcleo Temático da Seca e do Semiárido (NUT Seca, Universidade Federal do Rio Grande do Norte) e no Laboratório de Tecnologia da Informação (Liber, Universidade Federal de Pernambuco). Conclui destacando a própria implementação do modelo, fruto do reuso dinâmico da informação pelas Instituições de Memória que, através do trabalho colaborativo, ultrapassará os limites do território nacional, integrando redes memoriais em estruturação a nível internacional.

Palavras-chave: Digitalização. Preservação da Informação. Gestão da Informação. Instituições de Memória. D4SiMem.

Las auditorías, una metodología para planificar la preservación digital. Experiencias en España

TÉRMENS, Miquel. Las auditorías, una metodología para planificar la preservación digital. Experiencias en España. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.140-142, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2143/1799>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumen
Se presentan los resultados obtenidos en la aplicación de diversas metodologías de auditoría para comprobar el
estado de la preservación digital en distintas instituciones de España. Se concluye que las auditorías también se
pueden usar como herramienta de ayuda a la planificación de sistemas de preservación digital.

Palabras clave: Preservación digital. Auditoría. Repositorios confiables. Seguridad informática. ISO 27000. ISO 16363

A Instantaneidade da Informação

ARAÚJO, Wagner Junqueira de; PINHO, Júlio Afonso Sá de; CÓRDULA, Flavio Ribeiro. A Instantaneidade da Informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 5, out. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago15/Art_01.htm>. Acesso em: 18 out. 2015.

Resumo
Este artigo reflete como as tecnologias da informação e comunicações influenciam na forma e na velocidade da disseminação de informação para a sociedade. O advento da Internet é o grande responsável por muitas das mudanças no que tange à comunicação e ao fluxo de informação que passou a integrá-la diária, instantânea e quase incessantemente. Discorre sobre o volume e a velocidade da produção de informação e questiona a qualidade desta. A evolução das tecnologias da informação permite abordagens que podem considerá-las ora vantajosas, ora desvantajosas. Não obstante, apesar das infinitas possibilidades que a Internet e os demais meios de comunicação oferecem aos seus usuários e a suposta democratização e liberdade no uso da informação dela advinda, este artigo aborda temas que discorrem sobre a existência ou não de uma sociedade mais informada e inteligente. Por fim, verifica-se que o acesso à informação existe, contudo a qualidade deste e principalmente da informação acessada é que são fatores reais que norteiam a evolução da sociedade.

Palavras-chave: Instantaneidade da Informação; Internet; Tecnologia da Informação; Disseminação da Informação.

Interdomínios na literatura periódica científica da Ciência da Informação

BUFREM, Leilah Santiago; FREITAS, Juliana Lazzarotto. Interdomínios na literatura periódica científica da Ciência da Informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, ago. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago15/Art_02.htm>. Acesso em: 18 out 2015.

Resumo
Discute as possibilidades metodológicas para o desenvolvimento de pesquisas interdisciplinares e para a delimitação de objetos de estudo que integram diferentes domínios de conhecimento. Parte de fundamentos teóricos sobre as possibilidades concretas de configuração de interdomínios de pesquisa na literatura periódica científica da Ciência da Informação. Concebe o conceito de interdomínio científico para o campo como um processo relacional, representado em um espaço comum entre dois ou mais domínios ou campos do conhecimento. Ilustra-o empiricamente com a análise de um corpus da produção científica de Ciência da Informação relacionado à Sociologia, especificamente no que concerne aos objetos de estudo enfocados nesta literatura. Percebe que as relações dessa conjugação revelam questões específicas da existência de interdomínios, ora oriundos de domínios já institucionalizados como disciplinas ou campos, ora em vias de se institucionalizarem como tais, que, no entanto, se relacionam umas às outras, como a provar a concretização das relações entre domínios, objeto deste estudo.

Palavras-chave: Interdomínio; Sociologia; Ciência da Informação; Metapesquisa; Análise de produção científica; Relações interdomínios.

Aportes teóricos da gestão da informação para inovação

PASSOS, Ketry Gorete Farias dos; VIANNA, William Barbosa. Aportes teóricos da gestão da informação para inovação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 5, out. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago15/Art_03.htm>. Acesso em: 18 out. 2015.

Resumo
unformação tem sido considerada um elemento chave para competitividade das organizações, discute-se a importância da gestão da informação para a promoção da inovação. Acredita-se que os processos envolvidos na gestão da informação podem propiciar o desenvolvimento de inovações. A proposta deste estudo consistiu em apresentar alguns processos de gestão da informação que podem auxiliar no desenvolvimento de inovações. Apresenta-se a discussão da relação da informação e sua relação com a inovação. No que se refere a caracterização do estudo trata-se de um estudo de caráter teórico e exploratório. Pode-se considerar que o desempenho inovador de uma organização é diretamente proporcional à sua capacidade de obter informação, processá-la e disponibilizá-la de forma rápida e segura. Nas considerações finais, sugere-se uma agenda de pesquisa que permita prosseguir no aprofundamento das questões tratadas no artigo.

Palavras-chave: Gestão da informação. Gestão da inovação. Inovação. Ciência da Informação.

Curadoria digital para as artes no contexto da realidade informacional

ORTH, Gabriela Previdello Ferreira; FRANCELIN, Marivalde Moacir. Curadoria digital para as artes no contexto da realidade informacional. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, out. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago15/Art_04.htm>. Acesso em: 18 out. 2015.

Resumo
Este artigo apresenta, inicialmente, uma abordagem analítico-sintética dos conceitos informação, informação fortemente semântica e realidade informacional. A partir da análise desses conceitos, discute suas principais características na fronteira com a abordagem teórica e metodológica para a pesquisa em curadoria digital para as artes. O argumento proposto parte da hipótese de um empreendimento de curadoria digital a partir da contribuição do campo da Organização do Conhecimento. Verifica essa contribuição na possibilidade de aplicação e alinhamento de sistemas no tratamento da informação e na modelagem de dados nas artes digitais. É uma pesquisa exploratória, com base em revisão de literatura. Conclui que a Curadoria Digital pode se beneficiar dos níveis de abstração, do realismo informacional, na tentativa de atuar em sistemas complexos.

Palavras-chave: artes; curadoria digital; filosofia da informação; realidade informacional; níveis de abstração; organização do conhecimento.

Da altmetria à análise de citações: uma análise da revista Datagramazero

ARAÚJO, Ronaldo Ferreira de. Da altmetria à análise de citações: uma análise da revista Datagramazero. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/fev15/Art_01.htm>. Acesso em: 31 maio 2015.

Resumo
O artigo reflete sobre os impactos e possíveis relações entre dados altmétricos e citações e contribui com a discussão tendo como análise empírica a Revista DataGramaZero. Os dados altmétricos foram levantados por meio de parametrizações de APIs (Facebook e Twitter); e para a coleta das citações recorreu-se ao Publish or Perish com dados do Google.Scholar. O universo de 441 artigos forneceu para a análise 1.164 dados altmétricos e 1.932 citações. Identificou-se que 47,85% dos artigos receberam 1 ou mais menções e que 36,73% deles obtiveram 1 ou mais citações. Artigos antigos possuem maior índice de citações e artigos recentes possuem mais dados altmétricos. Não se pode afirmar haver uma relação direta e proporcional entre as métricas, mas foi verificado que os artigos com dados altmétricos concentram 61,34% do total das citações recebidas.

Palavras-chave: Altmetria; Citação; Comunicação Científica; Revista DataGramaZero.

Alinhamento estratégico nas organizações: a informação como elemento integrador de propósito, processos e pessoas

ANDRADE, Antonio Rodrigues de; BARRETO, Aldo de Albuquerque. Alinhamento estratégico nas organizações:
a informação como elemento integrador de propósito, processos e pessoas. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://dgz.org.br/fev15/Art_02.htm>. Acesso em: 16 jun. 2015.

Resumo
Não há gestão possível sem informação e ao lado de funções tradicionais, a empresa deve incorporar a função informacional. Como uma função de caráter transversal, não se limita somente ao ambiente interno da organização. Percorre órgão a órgão de uma forma transversal, para ligando-os entre si e ao ambiente externo. Para que o gerenciamento da informação seja eficaz, eficiente e efetivo no cumprimento de seu objetivo deve se saber com clareza o que é a informação para a empresa, quem a possui, como é conservada, quem é o responsável pelo gerenciamento, como controlar e utilizar a informação. Assim, esta pesquisa tem por objetivo avaliar a informação e seus fluxos como elementos integradores do propósito, do processo e das pessoas em organizações receptoras, processadoras e disseminadoras de informação no município do Rio de Janeiro. Ela insere-se no contexto gestão da informação no aspecto em que a informação e seus fluxos colaboram com os vários componentes do processo de alinhamento estratégico da organização. A metodologia utilizada teve um caráter qualitativo e de pesquisa exploratória e descritiva. Valeu-se de pesquisa de campo na forma de entrevistas estruturadas com profissionais da gestão das organizações pesquisadas. Através das entrevistas, buscou-se conhecer as organizações pesquisadas em relação à integração entre propósito, processos e pessoas. A análise dos dados foi interpretativa, buscando avaliar as informações relatadas com as abordagens teóricas destacadas na primeira parte do trabalho. Constatou-se que as organizações pesquisadas, de maneira geral, não utilizam a informação em sua gestão com a mesma qualidade que captam e disseminam as informações objeto de seus objetivos organizacionais.

Palavras-chave: alinhamento estratégico ; propósito; processo; pessoas.

A preservação da informação em relação ao patrimônio cultural na atualidade

RIBEIRO, Célia Pereira; PIRES, Erik André de Nazaré. A preservação da informação em relação ao patrimônio cultural na atualidade. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://dgz.org.br/fev15/Art_03.htm>. Acesso em: 17 jun. 2015.

Resumo
Aborda a preservação da informação no tocante ao patrimônio cultural, mostrando quais são os elementos constituintes na contemporaneidade que estão presentes quando se fala em preservação informacional. O estudo tem o fito de mostrar aspectos que norteiam a preservação da informação e dão suporte para se realizar essa atividade com aparato tecnológico na contemporaneidade. Fundamenta-se no transcurso do desenvolvimento, quanto a sua natureza por meio da pesquisa bibliográfica e no seu objetivo pela pesquisa exploratória. Por fim, entende-se que preservar compete em atividade que necessita de destreza e proficiência, e hoje as tecnologias vem a facilitar esse procedimento fundamental para salvaguardar as tipologias informacionais, independente do suporte que estão armazenadas.

Palavras-chave: Documentação. Preservação. Disseminação.

O uso de obras de referência no letramento de estudantes da educação básica

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias; AZEVEDO, Isabel Cristina Michelan de. O uso de obras de referência no letramento de estudantes da educação básica. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://dgz.org.br/fev15/Art_04.htm>. Acesso em: 18 jun. 2015.

Resumo
O presente artigo retoma o conceito de obra de referência para indicar, entre outras, quatro obras que possibilitam realizar um trabalho sistemático e formativo desde a educação básica. A análise das características de cada uma, considerando as modalidades impressas e on-line, permite identificar condições favoráveis para a organização de um trabalho voltado para o desenvolvimento do letramento e do letramento informacional que requer condições para o exercício de capacidades de linguagem e de ação por parte dos alunos. Para tanto, é importante compreender que as aprendizagens devem considerar os conhecimentos e as experiências que os alunos trazem para a aula (herança cultural), que estimulem a participação ativa de cada um e que possibilitem a aplicação de conteúdos procedimentais em diferentes perspectivas educacionais.

Palavras-chave: Obras de referência. Enciclopédia. Dicionário. Letramento. Letramento informacional.

Informação sobre Conceitos e Indicadores de Inovação

CAPUANO, Ethel Airton. Informação sobre Conceitos e Indicadores de Inovação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/fev15/Art_05.htm>. Acesso em: 5 jul. 2015.

Resumo
Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa na literatura com objetivo de avaliação de fontes de informação sobre os conceitos e indicadores que definem o fenômeno da “inovação”, que tem se tornado uma preocupação central de governos dos países desenvolvidos e em desenvolvimento no mundo como saída para a crise econômica desencadeada com o “estouro da bolha” imobiliária nos Estados Unidos em 2008. Informação sobre inovação tem se tornado, nesse cenário, um valor público, concluindo-se que a Ciência da Informação reúne um arsenal de metodologias de análise de conteúdos fundamental para o avanço do conhecimento dos governos e da sociedade sobre inovação, proporcionando o principal insumo para estudos quantitativos e qualitativos acerca de suas causas e efeitos na economia.

Palavras-Chave: Informação sobre inovação. Conceitos de Inovação. Contextos de inovação. Epistemologia da inovação. Estatísticas sobre inovação. Indicadores de inovação.

Epistemologia, Tecnologia, Paradigma: as origens da Ciência da Informação

MENDONÇA, Ercília. Epistemologia, Tecnologia, Paradigma: as origens da Ciência da Informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, out. 2014. Disponível em: http://www.dgz.org.br/dez14/Art_01.htm. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
P artigo expõe uma velha inquietação e como tal, busca resposta para sua compreensão. A ideia deste artigo partiu de dois pontos, a discordância quanto à declaração de Capurro em seu artigo Epistemologia e Ciência da Informação de que a Ciência da Informação tem raízes na Biblioteconomia clássica por conta da transmissão da mensagem; e na citação pouco consubstanciada de Shannon na ciência da informação brasileira. Para tanto estudamos o artigo de Capurro e a Teoria Matemática da Comunicação,ç de Shannon. Pretendemos com este artigo, trazer algum esclarecimento para a origem da CI e dar a Shannon seu lugar de direito nos estudos da CI, dado sua origem tecnológica. Pretendemos também, trazer autores importantes citados por Capurro, que não são habitualmente introduzidos e citados de forma pertinente. É sobre esta problemática que vamos dissertar, sem a menor pretensão de verdades, mas de buscar compreensão dessas questões nos estudos teóricos da ciência da informação no Brasil.

Palavras chave: Ciência da Informação; Tecnologia; Epistemologia; Paradigma.

Conocimiento y comunicación en el pensamiento Pierre Bourdieu

URBIZAGÁSTEGUI ALVARADO, Rúben. Conocimiento y comunicación en el pensamiento Pierre Bourdieu. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, dez. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/dez14/Art_02.htm>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumen
Estudia el conocimiento reflexivo propuesto por Bourdieu, así como la comunicación de ese conocimiento. Explica el proceso de comunicación entre un autor de documentos y un lector de esos documentos basado en la posesión o no posesión de capital cultural por parte del agente, la posición que ocupa en un determinado campo y su hábitus internalizado y formalizado por el sistema educativo.

Palabras clave: Comunicación, Hábitus, Capital cultural, Campo

Dados, Informação e Conhecimento: elementos de análise conceitual

SEMIDÃO, Rafael Aparecido Moron. Dados, Informação e Conhecimento: elementos de análise conceitual. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 14, n. 4, ago. 2013. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/dez14/Art_03.htm>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
Tomando em consideração alguns aspectos da formação disciplinar da Ciência da Informação segundo a narrativa norte-americana, se identifica e interpreta algumas constantes estruturais delineadoras da dinâmica epistemológica da disciplina em termos de formação discursiva, teoria e conceitos. Busca-se, em um primeiro momento, delinear uma hipótese da dinâmica epistemológica da Ciência da Informação, identificando-a a uma formação discursiva sobre informação e conhecimento constituída pela convergência de núcleos teóricos tematizados, visando com isso, em um segundo passo, tomar a dinâmica epistemológica da Ciência da Informação (hipoteticamente interpretada) como quadro de referência para a análise conceitual quanto às questões de origem teórica dos conceitos junto a seus contextos de uso. Propõe-se, para tanto, uma reflexão sobre os meandros conceituais na Ciência da Informação a partir das noções de dados, informação e conhecimento e tendo em conta a relação lógica entre epistemologia, teoria e conceito. A hipótese operatória sobre a dinâmica epistemológica foi interpretada como sendo possuidora dos seguintes qualificativos: retórica, aporética (abordagem por problemas), funcional e sob uma forma paradigmática de ordem cognitiva. E a origem teórica de usos dos conceitos de dados, informação e conhecimento apresentou indícios de pertencerem à esfera das Ciências Cognitivas.

Palavras-chave: Dados; Informação; Conhecimento; Ciência da Informação; Teoria; Análise Conceitual.

A ciência nas guerras: o Journal des Sçavans como emergência discursiva na epistemologia de Ludwik Fleck

VIEIRA, Letícia Alves; MOURA, Maria Aparecida. A ciência nas guerras: o Journal des Sçavans como emergência discursiva na epistemologia de Ludwik Fleck. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, out. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/dez14/Art_04.htm>. Acesso em: 31 dez. 2014.

Resumo
Mapeia e analisa o conceito ciência nos artigos publicados no periódico Journal des Sçavans, no recorte temporal que compreende os períodos de guerra, entre os anos de 1914 a 1918 e 1939 a 1945. Analisa os textos publicados utilizando a análise do período sintático, conforme proposto por Santos et al. (2013) e utilizou-se a análise de conteúdo (AC) e a análise de discurso (AD), pautadas na epistemologia de Fleck através de suas categorias: estilo de pensamento e coletivo de pensamento.Infere-se que durante o período analisado, as referências à ciência no Journal des Sçavans buscavam a institucionalização. O esforço empreendido pelos editores do periódico no referido período, recorreram à inclusão de trabalhos realizados no escopo da botânica, da religião, e também da literatura, fundamentando assim, áreas que anteriormente não eram consideradas científicas em um contexto em que somente a matemática, a física e a filosofia tinham esse destaque.

Palavras-chave: análise de discurso; discurso científico; Ludwick Fleck; Primeira Guerra Mundial; Segunda Guerra Mundial.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos