//
arquivos

Biblioteca Escolar em Revista

Esta categoria contém 27 posts

Por que eu não vou à biblioteca?: discursos, representações e sentimentos desvelados por sujeitos escolares através de desenhos

ANDRADE, Lucas Veras de. Por que eu não vou à biblioteca?: discursos, representações e sentimentos desvelados por sujeitos escolares através de desenhos. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 2, p. 72-93, 2015. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/325/pdf >. Acesso em: 29 jul. 2015.

Resumo
Pretendemos com esta investigação apresentar o desenho como um recurso subjetivo, onde a criança projeta de modo espontâneo suas experiências. A partir destas produções, analisamos discursos e representações como fatores que motivam um grupo de crianças a minimizarem o interesse em frequentar a biblioteca da instituição escolar em que estão vinculados. O estudo compreendeu como lócus uma escola de ensino fundamental da rede municipal de Teresina (PI), tendo como participantes um grupo de estudantes que foram selecionados segundo critérios, posteriormente, descritos. Assim, a coleta de dados considerou grafismos (desenhos), tendo como procedimento complementar a entrevista. Logo, os resultados demonstram vários aspectos que na visão dos discentes diminuem o seu interesse em relação ao espaço em discussão. Desse modo, esperamos que os resultados redirecionem o significado deste ambiente na instituição de análise e contribua para aprimorar o alcance das ações educacionais.

Palavras-chave: Desenhos Infantis. Biblioteca Escolar. Alunos – Ensino Fundamental.

Histórico das bibliotecas escolares no Estado do Paraná

LIMA, Leda Maria Araújo; SILVA, Rovilson José. Histórico das bibliotecas escolares no Estado do Paraná. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 2, p. 53-71, 2015. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/332/pdf >. Acesso em: 29 jul. 2015.

Resumo
O presente artigo tem por objetivo apresentar o histórico das bibliotecas escolares no Estado do Paraná, sua evolução desde o século XVII ao século XXI. É uma pesquisa de cunho bibliográfico, alicerçada na investigação, identificação, leitura e análise de escritas, documentos, leis e decretos, que ocorreram ao longo do tempo neste Estado. A pesquisa buscou descrever e analisar o processo de surgimento das bibliotecas escolares dentro do sistema de ensino e a estruturação de bibliotecas nesses espaços, evolução, conquistas e avanços. Esta Instituição, embora atualmente esteja garantida em lei, ainda requer reflexões mais profundas e amadurecimento. Pretende-se com este trabalho apresentar a historiografia e suscitar discussões e contribuições para futuros estudos acerca dessa temática.

Palavras-chave: Biblioteca Escolar no Paraná. Historiografia. Ensino no Paraná.

O audiovisual como fonte de informação na escola: desafios para a media literacy

CERIGATTO, Mariana Pícaro; CASARIN, Helen de Castro Silva. O audiovisual como fonte de informação na escola: desafios para a media literacy. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 2, p. 31-52, 2015. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/351/pdf >. Acesso em: 29 jul. 2015.

Resumo
O objetivo deste artigo é explanar sobre as produções audiovisuais como fontes de informação e pesquisa nas bibliotecas escolares e recurso didático nas escolas. O texto discorre sobre a leitura audiovisual procedente tanto de mídias já conhecidas, como as mais tradicionais, e também discute brevemente fenômenos atuais que ocorrem com o audiovisual na internet. Ainda apresenta conceitos-chaves para o trabalho com a media literacy e a competência midiática, que dão bases para a leitura crítica de textos audiovisuais midiáticos. Discute-se também a necessidade de abandonar a visão de que as mídias audiovisuais estão corrompendo as mídias impressas, e que a televisão e o cinema, assim como a internet, são uma ameaça para o ambiente escolar. Fala-se da importância de reformular o papel da biblioteca, que precisa admitir outros meios de acesso à informação e agregá-los de forma mais consistente em seu ambiente. Espera-se, com este trabalho, que o professor possa ir além do uso ilustrativo da imagem e do audiovisual, que geralmente é o mais recorrente em sala de aula quando se utilizam esses meios.

Palavras-chave: Media literacy. Competência midiática. Leitura audiovisual. Fontes de informação.

A contribuição da biblioteca escolar na formação de leitores enfocando o desenvolvimento individual e organizacional

SILVA, Elaine da. A contribuição da biblioteca escolar na formação de leitores enfocando o desenvolvimento individual e organizacional. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 2, p. 15-30, 2015. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/350/pdf >. Acesso em: 29 jul. 2015.

Resumo
Discute a importância da leitura e da formação de leitores para o desenvolvimento da sociedade, considerando que a leitura é elemento essencial na formação de cidadãos competentes em informação, capazes de posicionar-se com autonomia e criticidade diante de situações e perspectivas sociais. Nesse contexto analisa o papel das bibliotecas escolares posto que, muitas vezes, caracterizam a primeira instituição voltada à leitura a que muitos têm ou deveriam ter contato no início da formação escolar.

Palavras-chave: Formação de leitores. Biblioteca escolar. Leitura como elemento para o desenvolvimento social. Políticas públicas para o livro, leitura e biblioteca. Alfabetismo funcional.

A biblioteca escolar como espaço diferenciado: a perspectiva da cultura escolar

FÉLIX, Andreza Ferreira; SIRIHAL DUARTE, Adriana Bogliolo. A biblioteca escolar como espaço diferenciado: a perspectiva da cultura escolar. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 2, p. 1-14, 2015. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/341/pdf >. Acesso em: 29 jul. 2015.

Resumo
Este artigo é resultado de pesquisa conduzida no Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais – PGCI-UFMG. A pesquisa trata das práticas educativas desenvolvidas em bibliotecas escolares da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte relacionando-as à cultura escolar. É apresentado o conceito de bibliotecas efetivas enquanto espaços que ofertam condições de acesso ao acervo bibliográfico mas que também se constituem como espaços de aprendizagem. A pesquisa teve como objetivo principal discutir qual a natureza da cultura escolar que favorece bibliotecas efetivas. Esta questão norteou o percurso da pesquisa buscando diagnosticar e analisar práticas educativas em bibliotecas escolares e sua relação a cultura escolar abarcando elementos como: como o ambiente e no qual são produzidas e os sujeitos que as produzem. A amostra foi composta de três escolas da região metropolitana de Belo Horizonte na qual participaram diretores, bibliotecários e dois professores em cada instituição. Os dados coletados foram transcritos e categorizados para análise qualitativa, de vertente intepretativa. Os resultados da pesquisa apontam para aspectos conceituais do termo cultura escolar e analisa as práticas do sujeitos como foco para entender como a biblioteca se constitui enquanto um espaço diferente da sala de aula, tais práticas e relações figuram como objeto principal deste artigo. Evidencia como esta disposição contribui positivamente para que a biblioteca exerça seu papel educativo. Conclui que a cultura escolar é uma importante dimensão de análise para compreensão da função educativa da biblioteca.

Palavras-chave: Bibliotecas escolares. Biblioteca efetiva. Cultura escolar. Espaço diferenciado. Papel educativo.

Nos meandros das políticas públicas: a biblioteca escolar em (dis)curso

FERRAREZI, Ludmila; SOUSA, Lucília Maria Abrahão e. Nos meandros das políticas públicas: a biblioteca escolar em (dis)curso. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 1, p. 73-88, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/342/pdf >. Acesso em: 03 out. 2014.

Resumo:
O objetivo deste artigo é investigar como as bibliotecas escolares são discursivizadas no âmbito das políticas públicas brasileiras que (supostamente) as tem como foco, chamando a atenção para a falta e o equívoco que perpassam o discurso bem como tais iniciativas. Nós buscamos também analisar, a partir da perspectiva da Análise do Discurso de linha francesa, a lei nº 12244/2010 (que visa à universalização das bibliotecas em todas as instituições de ensino do país), de modo a investigar como a memória discursiva sustenta a retomada de alguns dos sentidos já-ditos sobre essa instituição, os quais foram constituídos por meio de relações de força que permitem a sua naturalização e, também, se os discursos que circulam nesse documento apontam para uma mudança na maneira como a biblioteca foi enunciada até então, possibilitando a emergência de novas posições discursivas, outros sentidos que carregam a promessa de novas possibilidades para as bibliotecas escolares.

Palavras-chave: Biblioteca Escolar; Políticas públicas; Discurso; Lei n. 12.244/2010.

As bibliotecas infantis e os bibliotecários: afinando competências

FUSATTO, Melissa Pedroso; SILVA, Márcia Regina. As bibliotecas infantis e os bibliotecários: afinando competências. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 1, p. 51-72, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/340/pdf >. Acesso em: 03 out. 2014.

Resumo:
Este trabalho buscou identificar o perfil do bibliotecário que atua em bibliotecas infantis no que se refere à formação do leitor. Para alcançar este objetivo foram levantadas as atividades direcionadas ao público infantil, disponíveis em sites de 19 bibliotecas brasileiras e norte-americanas. Além disso, foram realizadas entrevistas com cinco profissionais que atuam e/ou atuaram no desenvolvimento de ações voltadas ao público infantil. O resultado do levantamento de dados e das entrevistas foi comparado à literatura científica da área, tornando possível a construção de um quadro contendo qualidades consideradas imprescindíveis para atuação do bibliotecário no processo de formação do leitor. A análise das atividades executadas em bibliotecas brasileiras e norte-americanas permitiu também uma percepção sobre o foco das ações desenvolvidas nos dois países: enquanto nos Estados Unidos da América as bibliotecas desenvolvem atividades voltadas à formação educacional das crianças, ou seja, ao apoio à escola. No Brasil o foco dessas ações é a formação cultural e as atividades que ainda buscam consolidar o papel da Biblioteca na sociedade.

Palavras-chave: Biblioteca infantil. Formação do Leitor. Bibliotecário. Competências.

Biblioteca escolar como uma questão de direitos humanos

SILVA, José Fernando Modesto da; SIQUEIRA, Ivan. Biblioteca escolar como uma questão de direitos humanos. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 1, p. 38-50, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/326/pdf >. Acesso em: 03 out. 2014.

Resumo:
Este texto problematiza os fundamentos da biblioteca escolar e o seu papel social no contexto da sociedade no século XXI, tendo por base a compreensão de que a biblioteca escolar pode ser um eficaz instrumento pedagógico e informacional na educação de crianças e jovens, podendo proporcionar importantes subsídios para o desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem de educadores e alunos. Dada a sua relevância e possibilidades de atuação na formação educacional e na promoção dos valores democráticos correntes, sugere-se que a biblioteca escolar seja vista como um tópico de relevo dos “Direitos Humanos”. Nas considerações finais sugere-se às entidades de representação profissional a proposição de documento contemplando a inserção da “biblioteca escolar” como espaço de promoção e desenvolvimento dos direitos humanos de crianças, adolescentes e jovens, em consonância com os preceitos da legislação internacional e nacional sobre direitos das crianças e adolescentes.

Palavras-chave: Biblioteca Escolar. Direitos Humanos. Educação. Criança. Adolescente.

Uma intervenção pedagógica no contexto de uma biblioteca escolar: delineando caminhos para transformar um ambiente estático em espaço dinâmico

ANDRADE, Lucas Veras de; MACHADO, Michel de Oliveira. Uma intervenção pedagógica no contexto de uma biblioteca escolar: delineando caminhos para transformar um ambiente estático em espaço dinâmico. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n.1, p. 19-37, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/327/pdf >. Acesso em: 03 out. 2014.

Resumo:
Relata-se uma intervenção no contexto de uma biblioteca escolar de uma escola municipal de Teresina (PI) que teve o intuito de torná-la um espaço de ação ativa. No percurso interventivo, a análise teve como parâmetros os aspectos: arquitetônicos que no decorrer do processo foi denominado de organizacional, biblioteconômicos e pedagógico. Destes apenas o primeiro se mostrou satisfatório para o desenvolvimento de atividades fins do ambiente do qual discutimos. O segundo pela ausência de um profissional no espaço apresentou fragilidade na recuperação da informação devido à inexistência de um sistema de classificação e sinalização. O pedagógico a nosso ver é o que mais inviabilizava o desenvolvimento de atividades, uma vez que a biblioteca nesse sentido não se configurava articulada com o projeto educacional da instituição em análise. Com a intervenção os aspectos mencionados foram reconfigurados e ações nesse sentido foram sugeridas, no entanto não estaremos certo dos resultados, pois para consolidar estes a escola precisa concretizar as ações pensadas e descritas no relato. A dúvida restará, no entanto, demos o passo inicial delineando estratégias para ressignificar um ambiente estático como demonstrado no diagnóstico, tranformando-o em um espaço atrativo para as crianças a partir da classificação em cores e uma nova reconfiguração espacial do ambiente. Dessa forma, esperamos que o processo interventivo contribua para a melhoria educacional da escola na medida em que possibilitamos condições mínimas para a formação de leitores.

Palavras-chave: Biblioteca Escolar. Escola Professora Alda Rodrigues Neiva. Classificação em Cores. Atividades Pedagógicas em Bibliotecas Escolares.

Análise da rede de interação entre os pesquisadoes de Biblioteca Escolar

ARAÚJO, Webert Júnio; MATIAS, Veríssimo Amaral; BAILO, Eliezer Brandão. Análise da rede de interação entre os pesquisadoes de Biblioteca Escolar. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 3, n. 1, p. 1-18, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/282/pdf >. Acesso em: 03 out. 2014.

Resumo:
O presente trabalho aborda a Teoria dos Grafos, com o objetivo de analisar as redes de interação entre os pesquisadores do tema biblioteca escolar, utilizando as bases de dados referências na área de Ciência da Informação no Brasil e fazendo um recorte de 2000 a 2013. Procura identificar os autores que possuem mais interações com outros pesquisadores na publicação de artigos sobre biblioteca escolar com a aplicação dos métodos da Análise de Redes Sociais (ARS).

Palavras-chave: Redes sociais. Análise de Redes Sociais. Teoria dos Grafos. Biblioteca Escolar.

A biblioteca escolar e as mediações com a geração polegar

VIGNOLI, Richele Grenge; BORTOLIN, Sueli. A biblioteca escolar e as mediações com a geração polegar. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 2, p. 45-59, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/303/pdf >. Acesso em: 14 mar. 2014.

Resumo
A mediação da informação e da literatura que acontecem com a Geração Polegar mostra-se com uma temática inovadora para discussão no contexto da biblioteca da escola. Diante disso, o objetivo do artigo é demonstrar as nuances da mediação da informação sob a ótica das TIC com as crianças e jovens da Geração Polegar. Como estudo bibliográfico, apontamos principalmente que existem diversas possibilidades atrativas com base na tecnologia para mediar a informação para essa Geração. Esperamos colaborar com a literatura da área e instigar novas pesquisas que aproximem bibliotecários de bibliotecas escolares e seus usuários cada vez mais ávidos por tecnologia, informação e literatura.

Palavras-chave: Geração polegar; Biblioteca escolar; Mediação da informação; Mediação da literatura.

Práticas educativas bibliotecárias de formação do leitor

MOREIRA, Juliana Alves; DUARTE, Adriana Bogliolo Sirihal. Práticas educativas bibliotecárias de formação do leitor. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 2, p. 27-44, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/280/pdf >. Acesso em: 14 mar. 2014.

Resumo
Apresenta resultado de levantamento, feito na base de Literatura Brasileira em Biblioteca Escolar – LIBES do Grupo de Estudos em Biblioteca Escolar – GEBE da ECI/UFMG, sobre as práticas de promoção de leitura empreendidas nas bibliotecas escolares, especificamente, por bibliotecários, profissionais estes muito recentemente incluídos no contexto escolar e que convivem com a necessidade de mediar informação e leitura. Apresenta e analisa: período das publicações, autoria, a localidade dos autores e os veículos de publicação utilizados. Constata diferentes acepções de conceitos, terminologias e objetivos do trabalho com a leitura, refletidos, por exemplo, na inconsistência terminológica entre promover o hábito ou o gosto pela leitura. A partir do suporte oferecido por este mapeamento sobre como as práticas de promoção de leitura foram concebidas e realizadas ao longo do tempo, reflete sobre a importância do papel do bibliotecário como mediador na promoção da leitura e propõe a expressão “práticas educativas bibliotecárias de formação de leitor”, sendo essas práticas entendidas como definidoras e estruturantes de uma atuação profissional que congrega necessariamente dimensões político-pedagógicas.

Palavras-chave: Leitura. Formação do Leitor. Bibliotecário. Práticas Educativas.

Biblioteca escolar como espaço de reinvenções curriculares

SILVA, Eduardo Valadares da; MORAES, Fabiano de Oliveira. Biblioteca escolar como espaço de reinvenções curriculares. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 2, p. 17-26, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/304/pdf >. Acesso em: 14 mar. 2014.

Resumo
O presente trabalho apresenta reflexões acerca da biblioteca escolar concebida sob uma perspectiva de espaço de reinvenções curriculares utilizando Michel de Certeau como o principal referencial teórico norteador das reflexões aqui apresentadas. Para estabelecer uma aproximação com um caso prático, optamos por considerar a Rede de Bibliotecas Escolares da Prefeitura Municipal de Vitória no Espírito Santo, por se tratar de uma Rede que conta com um bibliotecário atuando em cada uma de suas unidades de Ensino Fundamental a partir do ano de 2006, mas que ainda assim enfrenta alguns desafios que são ligados principalmente ao reconhecimento da biblioteca como um espaçotempo de constituição do currículo escolar e ao processo de construção de uma identidade do bibliotecário como um sujeito educador, ainda que biblioteca e bibliotecários não sejam oficialmente considerados nas Diretrizes Curriculares que norteiam o Ensino Fundamental neste Município. Nesse contexto apresentamos uma análise de movimentos cotidianos que acontecem buscando fugir das relações de poder por vezes já preconcebidas à biblioteca escolar criando suas próprias maneiras de constituição do currículo nesse espaço levando em consideração a singularidade dos sujeitos e a compreensão da prática a partir do envolvimento cotidiano.

Palavras-chave: Biblioteca educadora. Biblioteca escolar. Cotidiano. Currículo.

História e cultura afro-brasileira: um olhar sobre a Lei 10639/2003 nas bibliotecas escolares

SILVA, Ana Claudia Emídio da; BERNARDINO, Maria Cleide Rodrigues; SILVA, Joselina da. História e cultura afro-brasileira: um olhar sobre a Lei 10639/2003 nas bibliotecas escolares. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 2, p. 1-16, 2014. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/306/pdf >. Acesso em: 14 mar. 2014.

Resumo
A proposta desse artigo vislumbra analisar as ações desenvolvidas pelas bibliotecas escolares das Escolas Estaduais de Juazeiro do Norte, Ceará, no que se refere à aplicação da Lei 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que acrescentou e alterou respectivamente os artigos 26A e o 79B da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). O primeiro refere-se à obrigatoriedade de todas as instituições de ensino fundamental e médio, públicas e privadas, incluírem, em seu currículo o ensino da “História e Cultura Afro-Brasileira, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinentes à História do Brasil”. O segundo artigo inclui no calendário escolar, vinte de novembro, como ‘Dia Nacional da Consciência Negra’. Trata-se de uma pesquisa etnográfica de natureza qualitativa com delineamento bibliográfico, observação sistemática e entrevista. A pesquisa foi ambientada em bibliotecas das três maiores escolas estaduais, da cidade. Buscamos fazer um levantamento do acervo relativo à lei 10639/03. Procuramos também analisar a utilização daquele material, pelos docentes e discentes das instituições visitadas e contribuir com o reconhecimento da importância da biblioteca escolar como instrumento social e pedagógico, além de refletir sobre procedimentos de avaliação de seus serviços no processo de ensino. Neste sentido, perceber a biblioteca como mediadora da informação. Esta pesquisa foi desenvolvida no âmbito do Núcleo Brasileiro, Latino Americano e Caribenho de Estudos em Relações Raciais, Gênero e Movimentos Sociais – N’BLAC, da Universidade Federal do Cariri (UFCA).

Palavras-chave: Biblioteca Escolar. Lei 10639/03. Centro de Multimeios.

Os livros entre as cores e a conscientização de professores para o uso da biblioteca escolar

ANDRADE, Lucas Veras de; COSTA, Ana Caroline Viana; DAMASCENO, Gisele Sousa Lobão; LIMA, Isaias Geovane; SILVA, Iva de Carvalho da; CARDOSO, Patrícia Viana; OLIVEIRA, Renata Chaves de; TORRES, Theolina Beserra; SILVA, Willian Lamartins Amorim da. Os livros entre as cores e a conscientização de professores para o uso da biblioteca escolar. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 1, p. 69-88, 2013. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/195/pdf >. Acesso em: 06 ago. 2013.

Resumo
O presente trabalho tem por objetivo relatar as atividades desenvolvidas durante o Estágio Supervisionado do curso de Especialização em Supervisão Educacional da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), para promover a utilização da biblioteca escolar de uma unidade educacional da rede estadual no município de Teresina (PI). Em um diagnóstico constatou-se que a biblioteca da escola não efetiva as suas finalidades e objetivos. A motivação para tal, segundo os discursos proferidos pela gestora e supervisora decorre da ausência de um profissional no espaço da biblioteca escolar. Nosso projeto interventivo foi desenvolvido com o intuito de desmitificar esta concepção a partir da conscientização dos docentes e de toda a equipe pedagógica da escola a partir de atividades que permitisse uma reflexão sobre a importância deste espaço e principalmente a partir da organização mediante a classificação em cores que possibilita organização e usabilidade do acervo de forma prática, sem necessariamente ter uma pessoa para viabilizar o empréstimo das obras.

Palavras-chave: Classificação em Cores. Biblioteca Escolar. Atividades no contexto da biblioteca Escolar.

A atividade de “indicação de leitura” realizada no IFSP: promoção de práticas de incentivo à leitura

SANTOS, Cintia Almeida da Silva; SANTOS, Marcel Pereira. A atividade de “indicação de leitura” realizada no IFSP: promoção de práticas de incentivo à leitura. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 1, p. 55-68, 2013. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/184/pdf >. Acesso em: 06 ago. 2013.

Resumo
A promoção de práticas de incentivo à leitura é frequentemente realizada pelos bibliotecários e demais profissionais da informação na tentativa de apresentar aos usuários das bibliotecas e demais unidades de informação a leitura como um evento social, prazeroso e não obrigatório, que pode permear diversas vertentes do mundo real ao mundo imaginário. O ato da leitura nada custa ao leitor ao mesmo tempo em que o enriquece e o engrandece à medida que propicia a construção de novos conhecimentos. Este artigo abarca a importância da realização das práticas de incentivo à leitura na contribuição da formação do aluno leitor e também apresenta o relato de uma simples experiência pensada, organizada e realizada pela Biblioteca do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – Campus Araraquara chamada “Indicação de Leitura” esta atividade objetiva apresentar aos usuários da biblioteca o fantástico mundo literário ali disponível. A atividade que é realizada mensalmente gerou um aumento significativo no empréstimo das obras literárias indicadas para leitura, fator que demonstrou a participação e o envolvimento dos usuários da biblioteca com esta atividade.

Palavras-chave: Biblioteca Escolar. Práticas de Incentivo à Leitura. Instituto Federal de São Paulo.

Bibliotecário escolar: um mediador de leitura

BICHERI, Ana Lúcia Antunes de Oliveira; ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco. Bibliotecário escolar: um mediador de leitura. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 1, p. 41-54, 2013. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/257/pdf >. Acesso em: 06 ago. 2013.

Resumo
Discorre sobre a biblioteca e o bibliotecário escolar. Apresenta a biblioteca escolar como um espaço propício ao desenvolvimento de atividades promotoras de leitura. Elenca o perfil e as características do bibliotecário escolar, destacando a importância de seu envolvimento com a comunidade escolar; sua necessária educação continuada e imprescindível atuação como bibliotecário-leitor na formação de leitores.

Palavras-chave: Biblioteca escolar. Bibliotecário escolar. Formação de leitores.

Avaliação da biblioteca escolar para o desenvolvimento de competências informacionais: a experiência da biblioteca do Instituto Federal da Bahia – Campus Camaçari

SILVA, Andréia Santos Ribeiro; NEVES, Dulce Amélia Brito; GOMES, Maria Yêda F. S. de Filgueiras. Avaliação da biblioteca escolar para o desenvolvimento de competências informacionais: a experiência da biblioteca do Instituto Federal da Bahia – Campus Camaçari. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 1, p. 20-40, 2013. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/228/pdf >. Acesso em: 06 ago. 2013.

Resumo
Trata a biblioteca escolar como espaço de conhecimento, mediado pela figura do professor e do bibliotecário. O objetivo do estudo é investigar o perfil da comunidade acadêmica do Instituto Federal da Bahia – Campus Camaçari e quais as suas necessidades de informações com vistas para o desenvolvimento de competências informacionais. Apresenta a abordagem alternativa para o estudo de usuários que se preocupa com a necessidade e o uso da informação. Aborda que a biblioteca escolar deverá atender a demanda da educação para o novo milênio, desenvolvendo nos alunos as competências relacionadas às dimensões de habilidades (saber-fazer); atitudes (saber-agir); e conhecimento (saber), tornando-se sujeitos autônomos. Para isso, traz o modelo de processo de busca da informação de Kuhlthau necessário a todos os indivíduos na sociedade da Informação. A metodologia utilizada foi a de estudo de usuários com a aplicação de questionários eletrônicos, percebeu-se a necessidade de pesquisas futuras com usuários através da aplicação do protocolo verbal que diante da subjetividade nas respostas, torna-se mais próximo da validade. Conclui que a biblioteca escolar está deixando de ser um espaço estático e silencioso para torna-se um espaço de pesquisa e questionamentos.

Palavras-chave: Estudo de usuários. Biblioteca escolar. Competência em Informação. Protocolo Verbal.

Formação do bibliotecário escolar: estudo sobre o curso de biblioteconomia e ciência da informação da UFSCAR

ANDRADE, Tiago Fernandes. Formação do bibliotecário escolar: estudo sobre o curso de biblioteconomia e ciência da informação da UFSCAR. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 2, n. 1, p. 1-19, 2013. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/260/pdf >. Acesso em: 06 ago. 2013.

Resumo
A educação do Século XXI apresenta novas perspectivas de aprendizado para alunos, professores e familiares dentro do ambiente escolar, mudanças no ritmo de aprendizado, na busca por tornar o aluno autônomo, participativo e consciente de sua responsabilidade no processo educacional é um dos desafios da escola neste século. Preparar este aluno para ser um cidadão crítico, ativo diante dos desafios de sua vida e da comunidade a qual convive, vivencia, socializa e modifica, também é tarefa para essa ‘nova escola’. Para solidificação dessa educação é preciso a utilização de diversos ambientes escolares, entre eles a biblioteca escolar que se apresenta como parte integrante do processo educacional e o trabalho em conjunto com o professor neste ambiente dará o aluno a literácia informacional, a autonomia na leitura e escrita. Ao profissional bibliotecário cabe sua atuação pedagógica dentro desse novo espaço que se modificou junto com os processos de aprendizagem e a necessidade de nova formulação das escolas de Biblioteconomia, para garantir que o processo, integração do educando e educador se concretize e o bibliotecário cumpra seu papel de informar educando. A metodologia de pesquisa do trabalho procurou conhecer a realidade das bibliotecas escolares e da grade curricular do curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da UFSCar, para identificar se o mesmo está preparado para atuar na área de educação básica. Os resultados apresentam que mudanças devem ser realizadas para aproximar a prática pedagógica do profissional bibliotecário.

Palavras-chave: Biblioteca escolar. Bibliotecário escolar. Formação profissional. Escolas de Biblioteconomia.

Leitura e escrita, direito e necessidade

BELUCHE, Renato. Leitura e escrita, direito e necessidade. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 1, n. 2, p. 63-66, 2012. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/130/pdf >. Acesso em: 29 jul. 2013.

O uso dos multimeios no processo de ensino-aprendizagem da Escola General Rodrigo Otavio – EMGRO

SILVA, Valdilene Leobino Moura; SILVA, Márcio Bezerra da; BRITO, Rosa Zuleide Lima. O uso dos multimeios no processo de ensino-aprendizagem da Escola General Rodrigo Otavio – EMGRO. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 1, n. 2, p. 45-62, 2012. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/126/pdf >. Acesso em 29 jul. 2013.

Resumo
Apresenta, a partir da nossa observação, o uso dos Multimeios, também chamados de Recursos Audiovisuais, na Escola Municipal General Rodrigo Otavio (EMGRO). Adota como fundamentação teórica a Biblioteca Escolar e Multimeios, elencando definições e categorizações. Aborda a Biblioteca Maria Ruth de Souza do EMGRO e seu acervo de Multimeios com o objetivo, a partir de um percurso metodológico constituído das técnicas bibliográfica, descritiva e observação, apresentar o uso dos Multimeios pelos funcionários da EMGRO. Demonstra, como resultado de pesquisa, o interesse dos alunos pelos Multimeios; a falta de bibliotecários; além da falta de investimento, ações de planejamento e divulgação dos Multimeios. Conclui-se da necessidade da adoção de ações de uso dos Multimeios aos funcionários da Escola no processo de ensino-aprendizagem, destacando os professores, bem como da realização de novos estudos para acompanhar e comprovar se as ações propostas foram realmente aplicadas, e de que forma estas contribuíram no processo educativo da Instituição. Enfim, em todas as Instituições de Ensino, pesquisas como essa devem ser realizadas, já que a Biblioteca proporciona a extensão da sala de aula.

Palavras-chave: Multimeios. Recursos Audiovisuais. Biblioteca. Biblioteca Escolar.

Organização da informação em bibliotecas escolares: contribuições para a competência informacional infantil

AGUIAR, Niliane Cunha de. Organização da informação em bibliotecas escolares: contribuições para a competência informacional infantil. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 1, n. 2, p. 31-44, 2012. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/viewFile/111/pdf >. Acesso em 29 jul. 2013.

Resumo
A autonomia indispensável para a construção da competência da informacional infantil encontra na Biblioteca Escolar um lócus privilegiado desde que os recursos informacionais disponíveis estejam devidamente sistematizados e organizados. Sobretudo, é preciso utilizar na Biblioteca escolar, um sistema de organização da informação e uma terminologia condizente com o estágio de desenvolvimento dos seus usuários para promover constantemente o interesse pela leitura de forma lúdica e atrativa. Assim sendo, serão favorecidas a assimilação dos conteúdos e a formação da consciência crítica desde a infância.

Palavras-chave: Organização da informação. Biblioteca escolar. Competência informacional infantil.

A mediação da informação como prática pedagógica no contexto da biblioteca escolar: algumas considerações

SILVA, Jonatas Luiz Carvalho; SILVA, Andreia Santos Ribeiro. A mediação da informação como prática pedagógica no contexto da biblioteca escolar: algumas considerações. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 1, n. 2, 2012. p. 1-29. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/view/128&gt;. Acesso em 29 jul. 2013.

Resumo
Apresenta como objetivo investigar as perspectivas de aplicação da mediação da informação no âmbito da biblioteca escolar contemplando a realidade pedagógica, organizacional e dos serviços desenvolvidos, a partir da mediação implícita e explícita apresentada por Almeida Júnior (2009). Partindo dessas percepções o presente estudo estabelece perspectivas de mediação da informação na biblioteca escolar, objetivando contemplar a realidade pedagógica da mediação a luz de teóricos como Piaget (1978), Vygotsky (1998) e Freire (1978), organizacional com Vergueiro (1989) e dos serviços desenvolvidos nas bibliotecas escolares com Figueiredo (1996). Evidencia que a mediação da informação contribui para a biblioteca escolar como uma atribuição pedagógica e também em outros aspectos convergentes e/ou divergentes. Conclui que a mediação da informação na biblioteca escolar é um importante instrumento para a prática pedagógica, tanto no contexto implícito (sinalização, formação e desenvolvimento do acervo e organização/representação da informação), quanto no contexto explícito (mediação para leitura, pesquisa e serviços de referência, informação utilitária, além do uso das tecnologias digitais).

Palavras-chave: Mediação da informação. Biblioteca escolar. Mediação explícita. Mediação implícita.

Crônicas de uma biblioteca escolar

PEDROSO, Roseli Venancio. Crônicas de uma biblioteca escolar. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 1, n. 1, p. 61-73, 2012. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/view/105&gt;. Acesso em 29 jul. 2013.

Educação básica, biblioteca e espírito científico: circunstâncias e oportunidades

GARCEZ, Eliane Fioravante. Educação básica, biblioteca e espírito científico: circunstâncias e oportunidades. Biblioteca Escolar em Revista, Ribeirão Preto, v. 1, n. 1, p. 42-60, 2012. Disponível em: <http://revistas.ffclrp.usp.br/BEREV/article/view/103&gt;. Acesso em 29 jul. 2013.

Resumo
Discorre sobre a escola e os reflexos das mudanças sociais nela e a partir dela. Aborda a questão da re-produção do conhecimento e sua repercussão no social. Sucintamente, apresenta dados sobre a avaliação do ensino brasileiro através do Censo Escolar de 2010 e do Relatório Pisa/OECD de 2009, estreitando a relação entre a Política Nacional de Educação e as perspectivas de desenvolvimento do país. Trata sobre a questão da pesquisa científica, a partir do seu nascedouro, a escola de Educação Básica. A prática de trabalhos-cópia tem revelado sério problema nesse ensino, que repercute nos demais níveis educacionais. Vislumbra a possibilidade de uma reorganização curricular onde o aluno tenha oportunidade de exercitar-se autor. Essa premissa atende as perspectivas da construção do conhecimento, do desenvolvimento da autonomia, e de se avançar em ciência e em tecnologia. Garantir recursos, pessoas qualificadas e um currículo que ilumine o caminho transcorrido pelo aluno durante as etapas da pesquisa escolar são entendidos como prioritários na construção do espírito científico a partir da Educação Básica. Aborda a necessidade da ampliação de número de escolas com bibliotecas e laboratórios de ciências (química, física, biologia e matemática), e de profissionais qualificados para melhor orientar os alunos no uso desses recursos na escola.

Palavras-chave: Educação básica. Desenvolvimento científico. Pesquisa escolar. Biblioteca. Currículo.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos