//
arquivos

DataGramaZero

Esta categoria contém 229 posts

A Instantaneidade da Informação

ARAÚJO, Wagner Junqueira de; PINHO, Júlio Afonso Sá de; CÓRDULA, Flavio Ribeiro. A Instantaneidade da Informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 5, out. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago15/Art_01.htm>. Acesso em: 18 out. 2015.

Resumo
Este artigo reflete como as tecnologias da informação e comunicações influenciam na forma e na velocidade da disseminação de informação para a sociedade. O advento da Internet é o grande responsável por muitas das mudanças no que tange à comunicação e ao fluxo de informação que passou a integrá-la diária, instantânea e quase incessantemente. Discorre sobre o volume e a velocidade da produção de informação e questiona a qualidade desta. A evolução das tecnologias da informação permite abordagens que podem considerá-las ora vantajosas, ora desvantajosas. Não obstante, apesar das infinitas possibilidades que a Internet e os demais meios de comunicação oferecem aos seus usuários e a suposta democratização e liberdade no uso da informação dela advinda, este artigo aborda temas que discorrem sobre a existência ou não de uma sociedade mais informada e inteligente. Por fim, verifica-se que o acesso à informação existe, contudo a qualidade deste e principalmente da informação acessada é que são fatores reais que norteiam a evolução da sociedade.

Palavras-chave: Instantaneidade da Informação; Internet; Tecnologia da Informação; Disseminação da Informação.

Anúncios

Interdomínios na literatura periódica científica da Ciência da Informação

BUFREM, Leilah Santiago; FREITAS, Juliana Lazzarotto. Interdomínios na literatura periódica científica da Ciência da Informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, ago. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago15/Art_02.htm>. Acesso em: 18 out 2015.

Resumo
Discute as possibilidades metodológicas para o desenvolvimento de pesquisas interdisciplinares e para a delimitação de objetos de estudo que integram diferentes domínios de conhecimento. Parte de fundamentos teóricos sobre as possibilidades concretas de configuração de interdomínios de pesquisa na literatura periódica científica da Ciência da Informação. Concebe o conceito de interdomínio científico para o campo como um processo relacional, representado em um espaço comum entre dois ou mais domínios ou campos do conhecimento. Ilustra-o empiricamente com a análise de um corpus da produção científica de Ciência da Informação relacionado à Sociologia, especificamente no que concerne aos objetos de estudo enfocados nesta literatura. Percebe que as relações dessa conjugação revelam questões específicas da existência de interdomínios, ora oriundos de domínios já institucionalizados como disciplinas ou campos, ora em vias de se institucionalizarem como tais, que, no entanto, se relacionam umas às outras, como a provar a concretização das relações entre domínios, objeto deste estudo.

Palavras-chave: Interdomínio; Sociologia; Ciência da Informação; Metapesquisa; Análise de produção científica; Relações interdomínios.

Aportes teóricos da gestão da informação para inovação

PASSOS, Ketry Gorete Farias dos; VIANNA, William Barbosa. Aportes teóricos da gestão da informação para inovação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 5, out. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago15/Art_03.htm>. Acesso em: 18 out. 2015.

Resumo
unformação tem sido considerada um elemento chave para competitividade das organizações, discute-se a importância da gestão da informação para a promoção da inovação. Acredita-se que os processos envolvidos na gestão da informação podem propiciar o desenvolvimento de inovações. A proposta deste estudo consistiu em apresentar alguns processos de gestão da informação que podem auxiliar no desenvolvimento de inovações. Apresenta-se a discussão da relação da informação e sua relação com a inovação. No que se refere a caracterização do estudo trata-se de um estudo de caráter teórico e exploratório. Pode-se considerar que o desempenho inovador de uma organização é diretamente proporcional à sua capacidade de obter informação, processá-la e disponibilizá-la de forma rápida e segura. Nas considerações finais, sugere-se uma agenda de pesquisa que permita prosseguir no aprofundamento das questões tratadas no artigo.

Palavras-chave: Gestão da informação. Gestão da inovação. Inovação. Ciência da Informação.

Curadoria digital para as artes no contexto da realidade informacional

ORTH, Gabriela Previdello Ferreira; FRANCELIN, Marivalde Moacir. Curadoria digital para as artes no contexto da realidade informacional. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, out. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago15/Art_04.htm>. Acesso em: 18 out. 2015.

Resumo
Este artigo apresenta, inicialmente, uma abordagem analítico-sintética dos conceitos informação, informação fortemente semântica e realidade informacional. A partir da análise desses conceitos, discute suas principais características na fronteira com a abordagem teórica e metodológica para a pesquisa em curadoria digital para as artes. O argumento proposto parte da hipótese de um empreendimento de curadoria digital a partir da contribuição do campo da Organização do Conhecimento. Verifica essa contribuição na possibilidade de aplicação e alinhamento de sistemas no tratamento da informação e na modelagem de dados nas artes digitais. É uma pesquisa exploratória, com base em revisão de literatura. Conclui que a Curadoria Digital pode se beneficiar dos níveis de abstração, do realismo informacional, na tentativa de atuar em sistemas complexos.

Palavras-chave: artes; curadoria digital; filosofia da informação; realidade informacional; níveis de abstração; organização do conhecimento.

Da altmetria à análise de citações: uma análise da revista Datagramazero

ARAÚJO, Ronaldo Ferreira de. Da altmetria à análise de citações: uma análise da revista Datagramazero. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/fev15/Art_01.htm>. Acesso em: 31 maio 2015.

Resumo
O artigo reflete sobre os impactos e possíveis relações entre dados altmétricos e citações e contribui com a discussão tendo como análise empírica a Revista DataGramaZero. Os dados altmétricos foram levantados por meio de parametrizações de APIs (Facebook e Twitter); e para a coleta das citações recorreu-se ao Publish or Perish com dados do Google.Scholar. O universo de 441 artigos forneceu para a análise 1.164 dados altmétricos e 1.932 citações. Identificou-se que 47,85% dos artigos receberam 1 ou mais menções e que 36,73% deles obtiveram 1 ou mais citações. Artigos antigos possuem maior índice de citações e artigos recentes possuem mais dados altmétricos. Não se pode afirmar haver uma relação direta e proporcional entre as métricas, mas foi verificado que os artigos com dados altmétricos concentram 61,34% do total das citações recebidas.

Palavras-chave: Altmetria; Citação; Comunicação Científica; Revista DataGramaZero.

Alinhamento estratégico nas organizações: a informação como elemento integrador de propósito, processos e pessoas

ANDRADE, Antonio Rodrigues de; BARRETO, Aldo de Albuquerque. Alinhamento estratégico nas organizações:
a informação como elemento integrador de propósito, processos e pessoas. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://dgz.org.br/fev15/Art_02.htm>. Acesso em: 16 jun. 2015.

Resumo
Não há gestão possível sem informação e ao lado de funções tradicionais, a empresa deve incorporar a função informacional. Como uma função de caráter transversal, não se limita somente ao ambiente interno da organização. Percorre órgão a órgão de uma forma transversal, para ligando-os entre si e ao ambiente externo. Para que o gerenciamento da informação seja eficaz, eficiente e efetivo no cumprimento de seu objetivo deve se saber com clareza o que é a informação para a empresa, quem a possui, como é conservada, quem é o responsável pelo gerenciamento, como controlar e utilizar a informação. Assim, esta pesquisa tem por objetivo avaliar a informação e seus fluxos como elementos integradores do propósito, do processo e das pessoas em organizações receptoras, processadoras e disseminadoras de informação no município do Rio de Janeiro. Ela insere-se no contexto gestão da informação no aspecto em que a informação e seus fluxos colaboram com os vários componentes do processo de alinhamento estratégico da organização. A metodologia utilizada teve um caráter qualitativo e de pesquisa exploratória e descritiva. Valeu-se de pesquisa de campo na forma de entrevistas estruturadas com profissionais da gestão das organizações pesquisadas. Através das entrevistas, buscou-se conhecer as organizações pesquisadas em relação à integração entre propósito, processos e pessoas. A análise dos dados foi interpretativa, buscando avaliar as informações relatadas com as abordagens teóricas destacadas na primeira parte do trabalho. Constatou-se que as organizações pesquisadas, de maneira geral, não utilizam a informação em sua gestão com a mesma qualidade que captam e disseminam as informações objeto de seus objetivos organizacionais.

Palavras-chave: alinhamento estratégico ; propósito; processo; pessoas.

A preservação da informação em relação ao patrimônio cultural na atualidade

RIBEIRO, Célia Pereira; PIRES, Erik André de Nazaré. A preservação da informação em relação ao patrimônio cultural na atualidade. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://dgz.org.br/fev15/Art_03.htm>. Acesso em: 17 jun. 2015.

Resumo
Aborda a preservação da informação no tocante ao patrimônio cultural, mostrando quais são os elementos constituintes na contemporaneidade que estão presentes quando se fala em preservação informacional. O estudo tem o fito de mostrar aspectos que norteiam a preservação da informação e dão suporte para se realizar essa atividade com aparato tecnológico na contemporaneidade. Fundamenta-se no transcurso do desenvolvimento, quanto a sua natureza por meio da pesquisa bibliográfica e no seu objetivo pela pesquisa exploratória. Por fim, entende-se que preservar compete em atividade que necessita de destreza e proficiência, e hoje as tecnologias vem a facilitar esse procedimento fundamental para salvaguardar as tipologias informacionais, independente do suporte que estão armazenadas.

Palavras-chave: Documentação. Preservação. Disseminação.

O uso de obras de referência no letramento de estudantes da educação básica

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias; AZEVEDO, Isabel Cristina Michelan de. O uso de obras de referência no letramento de estudantes da educação básica. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://dgz.org.br/fev15/Art_04.htm>. Acesso em: 18 jun. 2015.

Resumo
O presente artigo retoma o conceito de obra de referência para indicar, entre outras, quatro obras que possibilitam realizar um trabalho sistemático e formativo desde a educação básica. A análise das características de cada uma, considerando as modalidades impressas e on-line, permite identificar condições favoráveis para a organização de um trabalho voltado para o desenvolvimento do letramento e do letramento informacional que requer condições para o exercício de capacidades de linguagem e de ação por parte dos alunos. Para tanto, é importante compreender que as aprendizagens devem considerar os conhecimentos e as experiências que os alunos trazem para a aula (herança cultural), que estimulem a participação ativa de cada um e que possibilitem a aplicação de conteúdos procedimentais em diferentes perspectivas educacionais.

Palavras-chave: Obras de referência. Enciclopédia. Dicionário. Letramento. Letramento informacional.

Informação sobre Conceitos e Indicadores de Inovação

CAPUANO, Ethel Airton. Informação sobre Conceitos e Indicadores de Inovação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/fev15/Art_05.htm>. Acesso em: 5 jul. 2015.

Resumo
Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa na literatura com objetivo de avaliação de fontes de informação sobre os conceitos e indicadores que definem o fenômeno da “inovação”, que tem se tornado uma preocupação central de governos dos países desenvolvidos e em desenvolvimento no mundo como saída para a crise econômica desencadeada com o “estouro da bolha” imobiliária nos Estados Unidos em 2008. Informação sobre inovação tem se tornado, nesse cenário, um valor público, concluindo-se que a Ciência da Informação reúne um arsenal de metodologias de análise de conteúdos fundamental para o avanço do conhecimento dos governos e da sociedade sobre inovação, proporcionando o principal insumo para estudos quantitativos e qualitativos acerca de suas causas e efeitos na economia.

Palavras-Chave: Informação sobre inovação. Conceitos de Inovação. Contextos de inovação. Epistemologia da inovação. Estatísticas sobre inovação. Indicadores de inovação.

Epistemologia, Tecnologia, Paradigma: as origens da Ciência da Informação

MENDONÇA, Ercília. Epistemologia, Tecnologia, Paradigma: as origens da Ciência da Informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, out. 2014. Disponível em: http://www.dgz.org.br/dez14/Art_01.htm. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
P artigo expõe uma velha inquietação e como tal, busca resposta para sua compreensão. A ideia deste artigo partiu de dois pontos, a discordância quanto à declaração de Capurro em seu artigo Epistemologia e Ciência da Informação de que a Ciência da Informação tem raízes na Biblioteconomia clássica por conta da transmissão da mensagem; e na citação pouco consubstanciada de Shannon na ciência da informação brasileira. Para tanto estudamos o artigo de Capurro e a Teoria Matemática da Comunicação,ç de Shannon. Pretendemos com este artigo, trazer algum esclarecimento para a origem da CI e dar a Shannon seu lugar de direito nos estudos da CI, dado sua origem tecnológica. Pretendemos também, trazer autores importantes citados por Capurro, que não são habitualmente introduzidos e citados de forma pertinente. É sobre esta problemática que vamos dissertar, sem a menor pretensão de verdades, mas de buscar compreensão dessas questões nos estudos teóricos da ciência da informação no Brasil.

Palavras chave: Ciência da Informação; Tecnologia; Epistemologia; Paradigma.

Conocimiento y comunicación en el pensamiento Pierre Bourdieu

URBIZAGÁSTEGUI ALVARADO, Rúben. Conocimiento y comunicación en el pensamiento Pierre Bourdieu. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, dez. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/dez14/Art_02.htm>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumen
Estudia el conocimiento reflexivo propuesto por Bourdieu, así como la comunicación de ese conocimiento. Explica el proceso de comunicación entre un autor de documentos y un lector de esos documentos basado en la posesión o no posesión de capital cultural por parte del agente, la posición que ocupa en un determinado campo y su hábitus internalizado y formalizado por el sistema educativo.

Palabras clave: Comunicación, Hábitus, Capital cultural, Campo

Dados, Informação e Conhecimento: elementos de análise conceitual

SEMIDÃO, Rafael Aparecido Moron. Dados, Informação e Conhecimento: elementos de análise conceitual. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 14, n. 4, ago. 2013. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/dez14/Art_03.htm>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
Tomando em consideração alguns aspectos da formação disciplinar da Ciência da Informação segundo a narrativa norte-americana, se identifica e interpreta algumas constantes estruturais delineadoras da dinâmica epistemológica da disciplina em termos de formação discursiva, teoria e conceitos. Busca-se, em um primeiro momento, delinear uma hipótese da dinâmica epistemológica da Ciência da Informação, identificando-a a uma formação discursiva sobre informação e conhecimento constituída pela convergência de núcleos teóricos tematizados, visando com isso, em um segundo passo, tomar a dinâmica epistemológica da Ciência da Informação (hipoteticamente interpretada) como quadro de referência para a análise conceitual quanto às questões de origem teórica dos conceitos junto a seus contextos de uso. Propõe-se, para tanto, uma reflexão sobre os meandros conceituais na Ciência da Informação a partir das noções de dados, informação e conhecimento e tendo em conta a relação lógica entre epistemologia, teoria e conceito. A hipótese operatória sobre a dinâmica epistemológica foi interpretada como sendo possuidora dos seguintes qualificativos: retórica, aporética (abordagem por problemas), funcional e sob uma forma paradigmática de ordem cognitiva. E a origem teórica de usos dos conceitos de dados, informação e conhecimento apresentou indícios de pertencerem à esfera das Ciências Cognitivas.

Palavras-chave: Dados; Informação; Conhecimento; Ciência da Informação; Teoria; Análise Conceitual.

A ciência nas guerras: o Journal des Sçavans como emergência discursiva na epistemologia de Ludwik Fleck

VIEIRA, Letícia Alves; MOURA, Maria Aparecida. A ciência nas guerras: o Journal des Sçavans como emergência discursiva na epistemologia de Ludwik Fleck. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, out. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/dez14/Art_04.htm>. Acesso em: 31 dez. 2014.

Resumo
Mapeia e analisa o conceito ciência nos artigos publicados no periódico Journal des Sçavans, no recorte temporal que compreende os períodos de guerra, entre os anos de 1914 a 1918 e 1939 a 1945. Analisa os textos publicados utilizando a análise do período sintático, conforme proposto por Santos et al. (2013) e utilizou-se a análise de conteúdo (AC) e a análise de discurso (AD), pautadas na epistemologia de Fleck através de suas categorias: estilo de pensamento e coletivo de pensamento.Infere-se que durante o período analisado, as referências à ciência no Journal des Sçavans buscavam a institucionalização. O esforço empreendido pelos editores do periódico no referido período, recorreram à inclusão de trabalhos realizados no escopo da botânica, da religião, e também da literatura, fundamentando assim, áreas que anteriormente não eram consideradas científicas em um contexto em que somente a matemática, a física e a filosofia tinham esse destaque.

Palavras-chave: análise de discurso; discurso científico; Ludwick Fleck; Primeira Guerra Mundial; Segunda Guerra Mundial.

Em busca do significado da desinformação

PINHEIRO, Marta Macedo Kerr; BRITO, Vladimir de Paula. Em busca do significado da desinformação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 6, out. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/dez14/Art_05.htm>. Acesso em: 31 dez. 2014.

Resumo
O conceito de desinformação tem sido recorrente na literatura da área de Ciência da Informação, bem como no restante mídia de maneira mais ampla. A princípio somos levados a concluir que esta temática dispensa maiores debates, pois o senso comum apresenta aparente conformidade quanto ao sentido desta citada palavra. Todavia, ao contrário da visão predominante, diversas são as interpretações correntes, em que prima a ausência de um consenso na definição comum do termo, bem como quanto as contradições existentes quanto a este. Sob esta lógica, o presente texto busca indicar a necessidade de se aprofundar o debate sobre o conceito de desinformação, bem como suas múltiplas interpretações a partir da literatura corrente. Identifica o emprego do conceito de desinformação como ruído ou ausência de informação, como instrumento de alienação coletiva e dominação, e como meio de logro, ou engano arquitetado para alguém. Mais do que um debate de cunho semantico, a incompreensão do que seja desinformação apresenta consequências para indivíduos ou sistemas no tocante a adequada interpretação da própria informação.

Palavras Chave: Desinformação; decepção; disinformation; misinformation; ausência informacional; ruído informacional .

A “linguagem” e os fundamentos da ciência da informação no Brasil: entre o desafio metodológico da pesquisa documental e os estudos epistemológico-históricos

SALDANHA, Gustavo Silva; CERVO, Priscila de Souza Figueira. A “linguagem” e os fundamentos da ciência da informação no Brasil: entre o desafio metodológico da pesquisa documental e os estudos epistemológico-históricos. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, out. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/out14/Art_01.htm>. Acesso em: 29 dez. 2014.

Resumo
Parte dos resultados do projeto “Trilhar o Trivium: a Filosofia da Ciência da Informação na tradição filosófica da linguagem”, este estudo, de caráter metateórico e metametodológico, procura reconhecer o papel da linguagem, a partir dos saberes da lógica, da retórica e da gramática, na fundamentação do domínio informacional. O foco desta etapa está na compreensão das relações entre linguagem e pensamento informacional no Brasil. Neste passo, a pesquisa teve como procedimento central o estudo documental (e a reflexão sobre o modo de construção de tal modelo de pesquisa, quando articulado com a discussão de uma epistemologia histórica), focado na identificação, comparação e análise e discussão de matrizes curriculares, ementas e programas das disciplinas dos cursos de pós-graduação. A abordagem metodológica ampla conta com a articulação entre o estudo documental e reflexão epistemológico-histórica. Os principais resultados apontam para a dificuldade de uma análise epistemológico-histórica do campo a partir das fontes documentais em construção nos Programas de Pós-Graduação em Ciência da Informação no Brasil e para as primeiras reflexões da presença, da identificação, do papel e da relevância da “linguagem” dentro dos estudos informacionais.

Palavras-chave: Epistemologia da Ciência da Informação; Linguagem; Retórica; Lógica; Gramática.

Análise dos métodos de representação em obras de arte

OLIVEIRA, Rafael Alves de; PINHO, Fabio Assis. O uso da análise da informação nos processos de indexação para o contexto do cordel. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, out. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/out14/Art_02.htm>. Acesso em: 29 dez. 2014.

Resumo
Trata-se de uma pesquisa que delimita sua abordagem à questão dos documentos imagéticos, apresentando as suas possíveis manifestações e as características que os diferenciam dos documentos textuais, oferecendo subsídios teóricos para o processo de análise. Nesse sentido, apresenta as metodologias propostas por Rodrigues e Manini, buscando obter subsídios para a análise de obras de arte, destacando o fato de que ambas possuem como foco de estudo as imagens fotográficas. Dessa forma, através de uma pesquisa exploratória, por meio de observação sistemática, propõe-se a uma análise da aplicabilidade de metodologias desenvolvidas para fotografias em obras de arte. Assim, aplica as metodologias nas pinturas de Cândido Portinari contidas no acervo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, buscando observar até que ponto as metodologias atendem as demandas das obras de arte, considerando que o objetivo inicial de ambas seja a análise de fotografias. Verifica-se, por fim, que os métodos conseguem abarcar parte dos elementos identificados nas pinturas, embora aponte indícios da necessidade de adequação e criação de novos campos, para que sejam plenamente compatíveis com as demandas das obras de arte.

Palavras-chave: Representação da Informação; Indexação de Imagens; Métodos de Representação; Documentos Imagéticos; Obras de Arte; Pintura .

O uso da análise da informação nos processos de indexação para o contexto do cordel

MAIA, Manuela Eugênio; ALBUQUERQUE, Maria Elizabeth Baltar Carneiro de. O uso da análise da informação nos processos de indexação para o contexto do cordel. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, out. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/out14/Art_03.htm>. Acesso em: 29 dez. 2014.

Resumo
Numa sociedade envolvida por informação, a sua organização com vistas à recuperação é essencial. Para tanto, procedimentos que envolvem o seu tratamento são necessários no sentido de tornar as informações confiáveis e acessíveis de forma rápida. Cada vez mais, brota nas relações sociais, nos mais diversos aspectos, a ideia de que é preciso obter informação em menor custo e tempo. Nessa direção, essa lógica segue o padrão dos usuários da Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida, em específico, no tocante a busca pelos cordéis, destacada coleção com mais de 17.729 exemplares, uma das maiores do mundo. Assim, o objetivo desse artigo é identificar na análise da informação, procedimento que envolve o tratamento informacional, a sua contribuição nas práticas de indexação para acervos de cordel. Tal análise visa a garantir a qualidade técnica no que concerne à descrição temática, aspecto invariavelmente substancial na recuperação da informação. Como metodologia, baseou-se na prática da indexação de 1.400 cordéis e nas leituras de textos que envolvem a análise da informação. Apresentando os seus procedimentos, percebe-se sua relevância como parte inerente ao processo de indexação e, por conseguinte, auxiliando nas questões de recuperação. Conclui-se que a prática da análise da informação mostrou-se tão útil quanto eficaz no processo de representação da informação, em especial, na extração ou na atribuição dos termos de que tratam os cordéis.

Palavras-chave: Análise da informação; Cordel. Indexação; Tratamento da informação.

Um olhar para a arquitetura da informação no ciberespaço

PAIVA, Rodrigo de Oliveira. Um olhar para a arquitetura da informação no ciberespaço. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, out. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/out14/Art_05.htm>. Acesso em: 29 dez. 2014.

Resumo
Realiza uma abordagem conceitual do termo Arquitetura da Informação (A.I.) sob uma perspectiva interdisciplinar. O trabalho apresenta como objetivo esclarecer a temática em analise a fim de evidenciar quais as principais definições, características e funções atribuídas a este assunto inserido em ciências paralelas, tais como, a Ciência da Informação, a Ciência da Computação, a Educação, entre outras. O percurso metodológico adotado foi realizado através de uma pesquisa exploratória de caráter bibliográfico fundamentada em ideias de autores como, Rosenfeld e Morville (1998), Wurman (1991) e Lévy (1993), (1996) sem dispensar as contribuições teóricas de outros pensadores sobre o assunto abordado no trabalho. Finaliza percebendo que há muito a se entender sobre a prática da Arquitetura da Informação, desta forma esse estudo se propõe a iniciar um breve levantamento conceitual criando relações com assuntos correlatos, tais como, o ciberespaço, visto como o ambiente prático para o desenvolvimento das técnicas empregadas pela Arquitetura da Informação.

Palavras-chave: Arquitetura da Informação; Ciberespaço; Informação Digital; Interdisciplinaridade; Organização da Informação Digital; Internet – Planejamento Informacional.

A conexão entre estratégia e conhecimento na criação de vantagens competitivas sustentáveis

LOPES, Edson Gonçalves; FONTES FILHO, Joaquim Rubens; REZENDE, José Francisco de Carvalho. A conexão entre estratégia e conhecimento na criação de vantagens competitivas sustentáveis. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, out. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/out14/Art_04.htm>. Acesso em: 29 dez. 2014.

Resumo
AEste ensaio discute conexões entre estratégia e conhecimento, valendo-se dos excedentes cognitivos mobilizados nos contextos capacitantes. Os excedentes cognitivos permitiriam induzir flexibilidade, criar recursos intangíveis distintivos e gerar vantagens competitivas sustentáveis. Nosso argumento enfatiza que o reconhecimento e a decisão de criar, estruturar e institucionalizar os contextos capacitantes trazem impactos importantes na habilitação da organização para: atuar nas arenas competitivas; promover a dinâmica da criação do conhecimento; e apropriar e transformar o conhecimento em valor. A organização evidencia suas lacunas estratégicas ao comparar o que pode fazer na atualidade e o que deve fazer para atingir sua visão de futuro. Ao comparar o conhecimento atual com o conhecimento requerido para executar a intenção estratégica que a conduza à obtenção de vantagens competitivas, a organização identifica suas lacunas de conhecimento e busca estabelecer contextos capacitantes que proporcionem condições para suprir essas lacunas. Para orientar a aplicação de esforços e os conhecimentos a ser incorporados aos seus ativos, a organização prioriza e foca suas experiências de aprendizagem em torno de determinadas áreas estratégicas de conhecimento, de forma a construir ou complementar posições que lhe proporcionem vantagem competitiva atual ou futura. Nesse sentido, a organização busca contextos capacitantes que atuem como plataformas para os processos de criação do conhecimento. A eficiência da organização define os conhecimentos demandados e cria uma rigidez estratégica que limita o espaço para as contribuições decorrentes dos excedentes cognitivos que poderão não estar relacionados diretamente aos objetivos e metas estabelecidas no plano estratégico. Como condições de contorno devem ser observados: (i) que os excedentes cognitivos de seus integrantes podem ser identificados como raros, valiosos, não substituíveis, de difícil imitação e decorrentes de longos processos de desenvolvimento, logo, podem distinguir a organização das demais do setor; e (ii) que os contextos capacitantes podem atuar como locais propícios para a mobilização desses excedentes, mesmo não diretamente relacionados à estratégia em curso, mas que podem dar origens a recursos intangíveis distintivos e induzir a organização às estratégias mais flexíveis em busca de vantagens competitivas sustentáveis.

Palavras-chave: Estratégia; Conhecimento; Contextos capacitantes; Excedentes cognitivos; Vantagens competitivas sustentáveis.

A comunicação das organizações: planejamento e gestão pela lente da cultura e da complexidade

NOGUEIRA, Maria Francisca Magalhães; SILVA, Rose Mendes. A comunicação das organizações: planejamento e gestão pela lente da cultura e da complexidade. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, ago. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago14/Art_01.htm>. Acesso em: 1 out. 2014.

Resumo
As organizações são sistemas vivos e complexos. Cada instituição instaura seu mundo de significações por meio do que diz, do que é, do que quer e de como seleciona suas prioridades. Elas mostram, por meio de sua cultura, como veem seu passado e como desejam construir seu futuro. Diante desse mundo de significações, a gestão estratégica da comunicação necessita da obtenção de informações e de sua transformação em conhecimento no contexto da cultura da organização, que é singular. É preciso planejar e gerir a comunicação a partir de uma abordagem multidimensional, tendo em vista o cenário em que vivem as instituições, cada vez mais veloz, com a disseminação ampla de informações por meio de novos recursos tecnológicos. A questão que aqui se coloca é a de como planejar e administrar a comunicação neste contexto. Não se tem, neste artigo, resposta pronta e acabada, nem tampouco se apontam regras. O percurso empreendido foi o de se colocar diante da questão com uma atitude multidimensional e plural.

Palavras-chave: Organização; Comunicação; Planejamento de comunicação; Gestão de comunicação; Cultura; Complexidade.

As políticas do Programa de Apoio nos contextos históricos desenvolvimentista e neoliberal

GUGLIOTTA, Alexandre Carlos. As políticas do Programa de Apoio nos contextos históricos desenvolvimentista e neoliberal. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, ago. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago14/Art_02.htm>. Acesso em: 6 out. 2014.

Resumo
O objetivo do presente artigo é demonstrar a importância de inserir aos estudos da Ciência da Informação uma visão mais ampla do contexto histórico no qual se construíram políticas a favor da ciência e tecnologia. Tendo o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico Tecnológico como objeto de análise, procura-se demonstrar como a compreensão do cenário político-econômico-social é fundamental para o enriquecimento da Ciência da Informação. A valorização das políticas de ciência e tecnologia num cenário desenvolvimentista e sua recente inserção em políticas neoliberais representam marcos para se pensar a própria Ciência da Informação suas relações com o Estado e a iniciativa privada.

Palavras-chave: Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico Tecnológico. Intervenção Estatal. Neoliberalismo. Projetos Políticos. Ciência da Informação. Política de Informação.

Modelo Conceitual da Ciência da Informação baseado nas visões Americana e Europeia

PIMENTEL SOBRINHO, Alvaro Caetano. Modelo Conceitual da Ciência da Informação baseado nas visões Americana e Europeia. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, ago. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago14/Art_03.htm>. Acesso em: 7 out. 2014.

Resumo
Este estudo tem como premissa apresentar um modelo conceitual da Ciência da Informação, tendo como base uma análise comparativa da evolução da Ciência da Informação nos Estados Unidos, confrontada com a do Leste Europeu. Além disso, ainda que superficialmente, tornar possível notar a tendência social dos estudiosos de cada região e, consequentemente, as contribuições das pesquisas. Pode-se ainda confirmar se a visão da ciência, pelo lado americano, possui um direcionamento tecnicista bem como se o olhar europeu está mais voltado para um posicionamento social. Além disso, o artigo pretende revelar, através de um modelo conceitual baseado nos autores das regiões, os relacionamentos básicos, mínimos e necessários, o processo de interligação, fornecimento, manutenção e consumo da informação.

Palavras chave: modelo conceitual, informação, análise comparativa.

Ética informacional: uma abordagem no contexto da inteligência coletiva

BEMBEM, Angela Halen Claro; SANTOS, Plácida Leopoldina da Costa. Ética informacional: uma abordagem no contexto da inteligência coletiva
por Bembem e Santos. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, ago. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago14/Art_04.htm>. Acesso em: 8 out. 2014.

Resumo
Apesar de se compreender a sociedade atual como a sociedade da informação, pouco se discute os aspectos fundamentais relacionados a sua abrangência e perspectivas em que ela pode ser compreendida. A predominância das tecnologias da informação e comunicação na contemporaneidade requer que áreas como a Ciência da Informação repensem questões como a ética da informação em ambientes informacionais digitais, os quais podem ser construídos sob a perspectiva da inteligência coletiva. Assim, tomando como base a Filosofia da Informação, serão analisadas as propostas da ética da inteligência coletiva, da ética intercultural da informação, e da ética universal da informação, a fim de se compreender as aproximações e distanciamentos entre elas. Para tanto, optou-se como procedimento metodológico pela análise exploratória descritiva. Apesar das particularidades apresentadas por cada abordagem ética, observou-se que o padrão existente entre elas é o fenômeno da informação.

Palavras-chave: Inteligência coletiva; Filosofia da Informação; Ética informacional.

Política de Informação Científica e Tecnológica no Brasil

SILVA, Edilene Maria; GARCIA, Joana Coeli Ribeiro. Política de Informação Científica e Tecnológica no Brasil. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, ago. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago14/Art_05.htm>. Acesso em: 8 out. 2014.

Resumo
A política que trata da informação em ciência e tecnologia brasileira tem passado por períodos permeados de avanços e retrocessos que demarcam a organização e sistematização do referido setor: reconhecimento da informação como fator estratégico e criação dos organismos para sistematizar o setor de informação científica e tecnológica (1951-1970); construção, entendida como reformulação das atribuições dos organismos (1971-1980); coordenação de planos e programas governamentais e setoriais (1981-1990); desregulamentação de atividades relacionadas à disponibilização da informação na internet (1991-2000); e finalmente a consolidação do uso da internet e o movimento de acesso livre a informação (2001-2010). Objetiva-se, pela revisão de literatura e levantamento documental, descrever tais etapas, interpretando-as e explicando-as a luz dos acontecimentos primordiais que contribuíram para a política de informação científica e tecnológica. Conclui-se que as ações governamentais para o setor de informação científica e tecnológica são marcadas pela descontinuidade, modismo e dispersão, refletindo a prática brasileira de formulação e implementação de políticas públicas, por décadas. Atualmente discute-se a política de informação digital, mas persistem questões ulteriores que não foram devidamente resolvidas e ainda merecem atenção.

Palavras-chave: Política de Informação científica e tecnológica; Informação científica e tecnológica; Programas governamentais de informação; Planos de informação no Brasil; Programas governamentais de ciência e tecnologia; Política pública de informação.

A aventura de perceber significados

BARRETO, Aldo de Albuquerque. A aventura de perceber significados. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, jun. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/jun14/Art_01.htm>. Acesso em: 21 jul. 2014.

Resumo:* Uma explosão de conteúdos aconteceu quando o volume de informação impressa disponibilizada no pós-guerra de 1945 mudou o regime de informação existente para uma nova configuração de: recursos humanos, acervamento, processamento e recuperação dos documentos estocados para atender a um novo fluxo da oferta e demanda. O fluxo da informação entre os estoques e os receptores permeiam critérios da tecnologia que almeja possibilitar o maior e melhor acesso ao acervo disponível e o critério do repasse intencional intervém para intentar uma interiorização adequada. Hoje com a condição online os estoques e os fluxos de informação, renomeados, de acordo com o gosto do momento, para “Big Data” são multidirecionados e levam condições virtuais em seu desatamento, quando o tempo se aproxima de zero, a velocidade se acerca do infinito e os espaços são de vivência pela não presença. A crescente produção de informação precisa ser reunida e armazenada de forma eficiente, e eficaz na distribuição. A chegada de uma sociedade eletrônica de informação modificou a delimitação de tempo e espaço dos conteúdos em relação aos receptores.

Palavras-chave: Tempo de acesso; Espaços de informação; Comunicação de conteúdos online; Big data, A nova escrita.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos