//
arquivos

Em Questão

Esta categoria contém 109 posts

Impregnações tecnoestéticas na vida cotidiana: inconsciente óptico, filosofia da caixa preta, artealização e "everyware"

CAETANO, Kati. Impregnações tecnoestéticas na vida cotidiana: inconsciente óptico, filosofia da caixa preta, artealização e “everyware”. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 247-264, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/26873>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

O propósito do artigo é rediscutir a relação entre discurso, sociedade e tecnologia, tendo como mote a ideia da “filosofia da caixa preta”, e expandindo-a para a configuração atual da chamada sociedade computadorizada. Busca refletir sobre posições teóricas que vêm postulando a disseminação de uma cultura do virtual às formas de vida, e apregoando a contaminação dilatada de uma práxis, em princípio afeita a determinado tipo de dispositivo, sobre o princípio da vida em sua totalidade. Em suma, trata de modos de discursivizar o mundo e de se discursivizar no mundo em face das potencialidades tecnológicas. O enfoque é o de uma estética que deriva desse contexto, com base em duas manifestações empíricas exemplares da cultura digital: 1) o da apresentação da notícia por meio de formas prevalecentes no entretenimento virtual, especificamente nos chamados “newsgames”, mediante o argumento da eficácia de seus resultados para o engajamento do cidadão e 2) a da cultura da base de dados, como afirmação de um paradigma estatuído em princípio explicativo/organizador de valores, e de um regime comunicacional movido pelo afã de novidade e compulsiva interação.

Palavras-chave: Imagens técnicas. Sociedade computadorizada. Estética base de dados. Newsgames. Web – internet e
sociedade.

Anúncios

Da porta para dentro: Nan Goldin, Cia de Foto e as poéticas da intimidade na fotografia contemporânea

REIS FILHO, Osmar Gonçalves dos; VASCONCELOS, Larissa Souza. Da porta para dentro: Nan Goldin, Cia de Foto e as poéticas da intimidade na fotografia contemporânea. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 229-245, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/26862>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

O texto a seguir se propõe a fazer uma breve análise dos trabalhos “The Ballad of Sexual Dependency”, da fotógrafa americana Nan Goldin, e “Caixa de Sapato”, do coletivo brasileiro Cia de Foto. De que forma esses artistas utilizam a fotografia para se apropriar do cotidiano e quais implicações estéticas e políticas provêm dessas apropriações? A pesquisa visa contribuir com as recentes discussões sobre a relação entre as subjetividades e a fotografia contemporânea. 

Palavras-chave: Fotografia. Intimidade. Subjetividade.

As Delinqüências do Imperador: os percursos urbanos do jogador Adriano em tempos de “pacificação” do Rio de Janeiro

MENDONÇA, Kleber. As Delinqüências do Imperador: os percursos urbanos do jogador Adriano em tempos de “pacificação” do Rio de Janeiro. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 2013-228, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/26854>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

A partir de textos publicados pelos jornais O Globo e Extra que têm como personagem o jogador de futebol Adriano, o presente artigo se dedica a mapear a relação entre discursos jornalísticos sobre a cidade, a percepção da violência nesses espaços por seus habitantes e as possibilidades de emergência de percursos-outros neste cenário. Trata-se de uma proposta de olhar analítico que permita pensar o papel dos discursos midiáticos sobre as várias formas como os sujeitos constroem suas apreensões simbólicas acerca da cidade. Para tanto, o trabalho recorre, entre outras, às perspectivas teóricas propostas por Jeudy (2005), Sarlo (2009) e Certeau (1990) – acerca das relações entre discurso e espacialidade – e evidencia de que forma a confusa e polêmica trajetória do jogador de futebol Adriano em aglomerados de exclusão (HAESBAERT, 2004) do Rio de Janeiro revela, também, o papel simbólico que os veículos analisados desempenham neste momento.

Palavras-chave: Cidade. Violência urbana. Jornalismo impresso. Comunicação e discurso. Pacificação.

Práticas comunicacionais: difusão no Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul nos diferentes meios de comunicação online

PORTELLA, Viviane Portella de; PEREZ, Carlos Blaya. Práticas comunicacionais: difusão no Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul nos diferentes meios de comunicação online. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 197-212, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22930>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

O Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul tem por missão preservar a memória do Estado com ações voltadas à gestão documental e a cultura. Para isto é fundamental que a sociedade tenha ciência dos acervos custodiados e dos serviços prestados. Desta forma após pesquisa sobre formas de difusão optou-se pelo uso de ferramentas de comunicação online de uso gratuito, com foco em blog e Twitter. Assim foi elaborado um projeto de difusão, o qual contempla a metodologia de criação e administração das ferramentas de comunicação online. O uso destas ferramentas como estratégia de difusão do APERS representa a inserção da instituição em um novo espaço de comunicação, o qual possibilita a fidelização dos usuários e, também, funciona como um atrativo para novos públicos.

Palavras-chave: Arquivo Público. Difusão. Ferramentas de comunicação online. Blog. Twitter.

Bibliotecas Comunitárias em Florianópolis – SC: o olhar de seus agentes

MADELLA, Rosangela; SOUZA, Francisco das Chagas de. Bibliotecas Comunitárias em Florianópolis – SC: o olhar de seus agentes. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 171-195, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/24324>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Este artigo expõe parte dos resultados de um estudo cujo objetivo principal foi analisar as representações sociais que diversas pessoas envolvidas na organização e gestão das bibliotecas comunitárias expressam sobre sua atuação nesse tipo de organização. Elaborado como dissertação de mestrado o estudo abordou a relevância da participação desse tipo de biblioteca no funcionamento da sociedade, a partir do pensamento dos que nelas atuam. Foram analisadas as manifestações de agentes atuantes em quatro bibliotecas comunitárias sediadas em Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina, no sul do Brasil: Biblioteca Barca dos Livros, situada no bairro Lagoa da Conceição; Biblioteca Livre do Campeche (BILICA), localizada no bairro Campeche; Biblioteca Comunitária da Fundação Vidal Ramos, localizada no centro da cidade e Biblioteca Comunitária da Barra da Lagoa, com sede no bairro Barra da Lagoa. Na análise do corpus constituído pelos discursos coletados, foi identificada referência à falta de políticas públicas.

Palavras-chave: Biblioteca comunitária. Leitura. Representações sociais.

Biblioteca escolar e interculturalidade: rede social em países lusófonos Portal Biblon

FURTADO, Cassia; OLIVEIRA, Lídia. Biblioteca escolar e interculturalidade: rede social em países lusófonos Portal Biblon. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 155-169, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/23936/19798>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Este artigo visa apresentar a Plataforma Biblon, constituída no âmbito da pesquisa Rede Social de Leitores-Escritores Juniores, do Programa Doutoral em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais, da Universidade de Aveiro e Universidade do Porto. O objetivo da investigação consiste na formação de rede social, em torno da literatura infanto-juvenil, na comunidade lusófona, tendo como instrumento a referida plataforma.  A fase empírica, do estudo de caso, está sendo realizada nas escolas do 1º ciclo, da educação básica, do Agrupamento de Escolas de Aveiro, em Portugal. Espera-se contribuir na disseminação e preservação da língua e da literatura, na criação, articulação e circulação de bens culturais na comunidade escolar de língua portuguesa. Assim, o Portal Biblon estará fomentando a interculturalidade de pessoas que usam a língua portuguesa, como sua língua nata ou como sua segunda língua, pois, mesmo que geograficamente dispersas, tem em comum, além da língua, o repertório histórico e a raiz cultural.

Palavras-chave: Biblioteca escolar. Rede social. Biblon. Interculturalidade.Leitura.

Aspectos da avaliação da competência informacional em instituições de ensino superior

MATA, Marta Leandro da. Aspectos da avaliação da competência informacional em instituições de ensino superior. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 141-154, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22081/19795>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

A sociedade da informação traz consigo novos dilemas para a educação, principalmente em relação à formação que vem oferecendo aos estudantes. As instituições de ensino superior enfrentam o desafio de preparar indivíduos com capacidade de raciocínio crítico, bem como de desenvolver processos ligados à competência informacional.  Para a implementação de programas desta natureza torna-se necessário estabelecer processos, como o planejamento, apoio administrativo e financeiro, recursos informacionais e humano e, principalmente, a avaliação. Desta forma, este artigo busca sistematizar teoricamente a avaliação, seus métodos, e indica alguns instrumentos, contribuindo para fortalecer as práticas de implementação de programas de competência informacional nas instituições de ensino superior. Considera-se que por meio da avaliação seja possível verificar: se o programa foi bem sucedido, se os objetivos estabelecidos foram alcançados, se houve a aquisição de competências informacionais pelos estudantes, o desempenho dos instrutores e demais membros envolvidos e as implicações para a instituição.

Palavras-chave: Competência informacional. Avaliação. Programas instrucionais. Ensino Superior. Métodos e instrumentos.

A Noção de documento digital: uma abordagem terminológica

SIQUEIRA, Jessica Câmara. A Noção de documento digital: uma abordagem terminológica. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 125-140, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/24172/19793>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

A noção de documento, até início do século XX, esteve principalmente associada ao material em que eram fixados os registros de informação. Contudo, após esse período, ocorreu uma mudança de perspectiva no modo de se enxergar o documento, a Redocumentarização, que enfatizou a função do documento como elemento chave para a mediação cultural. Todavia, além desse viés sociocultural, surge nesse contexto de mudanças sociais e tecnológicas, a noção de documento digital. Tal conceito, apesar de sua difusão trouxe alguns equívocos terminológicos, como o fato de ser superestimado em detrimento ao “documento tradicional”, ou até considerado como sinônimo de documento hipertextual. Considerando tais equívocos e com o intuito de compreender a natureza do documento digital foi feita uma análise terminológica de sua definição. Para isso foram utilizados dois procedimentos metodológicos: primeiramente a revisão bibliográfica, com intuito de retomar o contexto de origem e surgimento do documento digital; e depois a pesquisa aplicada, utilizando-se as técnicas da análise terminológica, com uso de fichas terminográficas e mapas conceituais. Por fim, foi possível constatar, que apesar da natureza dinâmica e fluída do documento digital, ele é apenas uma modalidade da noção de documento, que no contexto digital não se fragiliza, ao contrário se ratifica.

Palavras-chave: Documento. Documento digital. Redocumentarização.Terminologia.

A Responsabilidade social na formação do bibliotecário brasileiro

MORAES, Marielle Barros de; LUCAS, Elaine de Oliveira. A Responsabilidade social na formação do bibliotecário brasileiro. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 109-124, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/24107/19763>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Evidencia a importância de pesquisas em torno dos currículos escolares, com o objetivo de compreender os saberes e as práticas contempladas nos mesmos. O texto toma como eixo analítico as temáticas da organização e mediação da informação presentes nos textos concernentes à formação de bibliotecários no Brasil. Portanto, analisa os documentos do Ministério da Educação (MEC) e da Associação Brasileira de Ensino em Ciência da Informação (ABECIN), referentes aos novos modelos formativos de bibliotecários, tentando visualizar se, em seu conteúdo, estão contempladas questões referentes à responsabilidade social. Os resultados afirmam que estão sendo cada vez mais importantes que os conteúdos relativos à ética e à responsabilidade social estejam contemplados nas mais diversas disciplinas de formação do bibliotecário, mas não uma responsabilidade social que é praticada pela maioria dos empresários, mas sim voltada para os usuários.

Palavras-chave: Formação de bibliotecários. Mediação da informação. Organização da Informação. Responsabilidade
social.

Para uma abordagem virtuosa do Jornalismo

CHRISTOFOLETTI, Rogério. Para uma abordagem virtuosa do Jornalismo. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 93-107, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/25855/19762>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

As últimas décadas têm favorecido o crescimento do interesse e dos estudos sobre a ética jornalística. No Brasil e em outras praças, as abordagens deste tema têm sido na maioria das vezes por um caráter deontológico ou utilitarista. Neste artigo, chamamos a atenção para uma perspectiva que privilegie as virtudes como pontos de partida para os debates acerca das condutas dos profissionais. Uma ética das virtudes remete a Aristóteles e aos estoicos, mas vem sendo retomada por autores mais contemporâneos, como Macintyre e Comte-Sponville, entre outros. No jornalismo, esta abordagem não é definitiva ou totalizante, mas contribui para uma compreensão mais ampla da discussão, chamando inclusive a atenção para recomendações éticas úteis, práticas e atuais.

Palavras-chave: Virtudes. Ética. Jornalismo. Deontologia. Comunicação.

O “Segundo olho” do repórter: o papel dos motoristas na produção da notícia

MORETZSOHN, Sylvia Debossan. O “Segundo olho” do repórter: o papel dos motoristas na produção da notícia. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 77-91, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/26804>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Este artigo traz à luz a importância do trabalho de uma categoria profissional que sempre ficou na sombra e está agora em vias de extinção, na era da internet: o motorista de reportagem. Procura demonstrar a relevância de sua atuação na produção da notícia, tanto na sua tarefa mais elementar ao volante como no próprio processo de apuração e em várias outras formas de colaboração. Assim, busca oferecer elementos para enriquecer a história do jornalismo no Brasil e expõe, ainda que brevemente, as transformações na produção da notícia, com a adoção da tecnologia digital e a progressiva redução da reportagem de rua.

Palavras-chave: Motorista de reportagem. Produção da notícia. História do jornalismo.

A Constituição e consolidação da Revista da Editora do Brasil S/A – EBSA (1946 – 1960): periódico educacional “pioneiro” no gênero

BRAGHINI, Katya Mitsuko Zuquim. A Constituição e consolidação da Revista da Editora do Brasil S/A – EBSA (1946 – 1960): periódico educacional “pioneiro” no gênero. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 63-76, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/26843>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

O artigo apresentará o surgimento e a consolidação da Revista da Editora do Brasil S/A (EBSA), periódico criado pela Editora do Brasil, a fim de demarcar a idéia de “relacionamento direto” entre a empresa e os profissionais do ensino médio.  Verificou-se que, da parte dos editores, o sucesso do periódico foi resultado da descoberta de um veio de mercado “inovador”: prestar serviço direto aos professores. Um exemplo disso era o encaminhamento de seus processos de certificação e atribuição de aulas junto aos órgãos federais etc. Este artigo é um recorte de uma pesquisa de doutorado e para ele foram usadas as seguintes fontes: o conteúdo da Revista EBSA; os documentos sobre a Editora, encontrados na Junta Comercial de São Paulo e as atas de reuniões dos editores que, por sua vez, foram localizados no Diário Oficial de São Paulo.

Palavras-chave: Editora do Brasil. Revista EBSA. Periódico educacional. História editorial.

Memória e identidade: um estudo preliminar sobre os usos e apropriações do passado nos documentários da TV OVO

MOMBELLI, Neli Fabiane; TOMAIM, Cássia dos Santos. Memória e identidade: um estudo preliminar sobre os usos e apropriações do passado nos documentários da TV OVO. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 45-61, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/26843>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Esse artigo tem como objeto de pesquisa os documentários do projeto Por Onde Passa a Memória da Cidade da TV OVO, que retratam o passado de duas ruas de Santa Maria/RS. A partir dos filmes, tecemos um marco teórico sobre memória e identidade e por meio do conceito de “lugar de memória” de Pierre Nora buscamos compreender como as referidas produções não-ficcionais se apropriam do passado da cidade, num movimento de ressignificação. Ao reconhecermos que os documentários integram um projeto de memória para Santa Maria, sendo a TV OVO uma mídia comunitária, percebemos que eles enquadram a memória de acordo com a historiografia oficial, trazendo testemunhos da elite, numa narrativa linear e expositiva, reproduzindo um discurso hegemônico sobre o passado da cidade.

Palavras-chave:   Memória. Identidade. Documentário. TV OVO.

Entre Comunicação e História: o indiciarismo como metodologia para pesquisas históricas sobre a imprensa

LENE, Hérica; SELIDONHA, Francisca. Entre Comunicação e História: o indiciarismo como metodologia para pesquisas históricas sobre a imprensa. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 31-44, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/25800>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Este artigo tem como objetivo abordar o indiciarismo como metodologia para as pesquisas de História dos Meios de Comunicação ou das Mídias, entendendo ambos como parte de um campo mais amplo: História da Comunicação. Nesse sentido, seguimos a caracterização feita por Ana Paula Goulart Ribeiro e Micael Herschmann (2008) sobre o campo de estudos da Comunicação em termos de metodologia e pesquisa. Como exemplo de aplicação do método científico de estudos indiciários nesse campo, analisamos a obra “História Cultural da Imprensa Brasil – 1800-1900” (2010), de autoria da pesquisadora Marialva Barbosa. O indiciarismo foi criado pelo historiador italiano Carlo Ginzburg com base na obra “Mitos, emblemas e sinais” (2009), na qual ele apresenta o paradigma do saber indiciário, inspirado em Sigmund Freud, Sherlock Holmes, o crítico de arte Morelli e muitos outros.

Palavras-chave:  História da Comunicação. História dos meios de comunicação. Mídias. Jornalismo. Imprensa. Indiciarismo

Museus Portugueses de 1974 à atualidade: da resolução de problemas funcionais à comunidade

DUARTE, Alice. Museus Portugueses de 1974 à atualidade: da resolução de problemas funcionais à comunidade. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 15-30, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/27118/19688>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Começo por sistematizar um conjunto de informações relativas ao panorama museológico português tendo como marco de partida 1974 e de chegada a actualidade. De forma necessariamente esquemática, procuro destacar as diferentes fases de consolidação e desenvolvimento dos próprios museus e dos seus organismos tutelares e respectivo enquadramento legal. Os anos de 1990 apresentam-se como anos do boom dos museus, nomeadamente, dos museus locais e de tutela autárquica. A análise prossegue notando como certas dinâmicas inicialmente presentes – como os ideias de mobilização e um sentido forte de comunidade – desaparecem e os esforços se orientam mais para a resolução de problemas funcionais dos museus. Termino apelando à necessidade de reconceptualização da noção de património com o auxílio da qual mais eficazmente o museu poderá cumprir as suas funções sociais.

Palavras-chave: Museus locais. Rede Portuguesa de Museus. Portugal. Noção de património.

O patrimônio como processo: uma idéia que supera a oposição material-imaterial

SOUZA, Willian Eduardo Righini de; CRIPPA, Giulia. O patrimônio como processo: uma idéia que supera a oposição material-imaterial. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 237-251, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/17609/14306>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

Pretende analisar a divisão dos patrimônios culturais em materiais e imateriais. A partir de revisão de literatura e resoluções oficiais apresentam-se os discursos e condições que produziram esta categorização historicamente. Em seguida, sustenta-se que todo bem cultural possui ambas as características, demonstrando que tal oposição é apenas circunstancial e não se sustenta na relação da sociedade com os seus produtos culturais. Assim sendo, o artigo contribui para uma reflexão sobre os estudos patrimoniais e as abordagens produzidas por diferentes disciplinas, entre elas a Ciência da Informação.

Palavras-chave: Patrimônio cultural. Materialidade. Imaterialidade.

Sobre imagens: tecnologias invisíveis e a transparência do espetáculo

SILVA, Wagner Souza e. Sobre imagens: tecnologias invisíveis e a transparência do espetáculo. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 225-236, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22132/14315>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

O objetivo do artigo é propor uma reflexão a respeito das imagens nos meios de comunicação contemporâneos. Como ponto de partida, tem-se o modelo interpretativo de Gianni Vattimo para a presença dos mass media na sociedade pós-moderna. Sua postura otimista desenvolvida em a Sociedade transparente será contraposta à postura pessimista de Guy Debord em a Sociedade do espetáculo, uma teoria que ainda mantém considerável influência nos estudos dos meios. Sugere-se que a produção imagética contemporânea e a diversificação da experiência estética do sujeito determinam um cenário em que a imagem adquire aspectos muito mais conscientizadores do que alienadores. Observa-se também a influência dos dispositivos híbridos que trazem cada vez mais lógicas operacionais simplificadas, tornando-se tecnologias invisíveis que garantem a fruição estética promovida pelas imagens.

Palavras-chave: Imagem. Comunicação. Tecnologia. Pós-modernidade.

Uma reflexão sobre a construção de identidades e a comunicação no contexto das organizações em rede

GOMES, Victor Márcio Laus Reis. Uma reflexão sobre a construção de identidades e a comunicação no contexto das organizações em rede. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 209-224, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/21608/14308>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

Este artigo é desenvolvido a partir de uma reflexão teórica sobre a divisão do trabalho na sociedade em rede, a construção de identidades e a comunicação organizacional. O objetivo é identificar possíveis abordagens para o estudo da construção de identidades no contexto das organizações em rede e sua relação com a comunicação organizacional, mais especificamente a comunicação interna. No ambiente de descontinuidades das organizações em rede, as interações e a comunicação assumem um papel central para a compreensão da construção das identidades. Com isso, a noção da identificação, e não a de identidades baseadas na continuidade das histórias de vida, parece a mais adequada para compreensão desse fenômeno.

Palavras-chave: Organizações em rede. Identidade. Comunicação organizacional.

O objeto museal em diferentes contextos e mídias

PORTO, Renata Maria Abrantes Baracho; BARBOSA, Cátia Rodrigues. O objeto museal em diferentes contextos e mídias. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 195-208, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22142/14316>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

O objetivo deste artigo é estudar o papel do objeto museal e sua relação com a memória, o imaginário na construção da comunicação e apropriação da informação em diferentes contextos e mídias. Argumentamos que a construção da comunicação e apropriação da informação em diferentes contextos e mídias, no que tange o objeto museal requer a organização de estratégias comunicacionais capazes não só de gerenciar e disponibilizar a informação em diferentes suportes, mas, sobretudo, de estabelecer relações entre áreas do conhecimento vinculadas à realidade virtual, espaços virtuais, banco de dados, sistemas de informação, computação gráfica e processamento digital de imagens, no sentido de disponibilizar estratégias museográficas e recontextualizar o objeto museal.  Interessa-nos mostrar como, no âmbito da comunicação do objeto musealizado, o planejamento das estratégias de apropriação da informação no contexto da mídia web depende tanto do trabalho coordenado entre os profissionais de áreas da computação, quanto da habilidade dos profissionais da museologia em contornar diferenças, discordâncias sobre o papel do objeto museal e sua relação com a memória nos processos de criação cultural. De modo a revelar como as imagens dos espaços e dos objetos museais difundidas pelos museus virtuais, pelas redes sociais podem minimizar tais discordâncias conferindo crédito à comunicação do objeto museal em ambientes virtuais.

Palavras-chave: Museu virtual. Objeto museal. Memória. Informação. Sistemas de informação. Recuperação de informação.

Redes Sociais Integradas e difusão de informações: compreendendo a circulação da informação em social games

REBS, Rebeca Recuero; ZAGO, Gabriela da Silva. Redes Sociais Integradas e difusão de informações: compreendendo a circulação da informação em social games. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 179-193, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/21910/14311>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

O trabalho busca apresentar uma reflexão de como a rede social dos social games é constituída a partir de uma discussão referente aos mecanismos de difusão de informações do jogo. Para isso, realizou-se uma observação participante e a aplicação de um questionário respondido por jogadores de social games do Facebook visando entender como as informações sobre o jogo são disseminadas no próprio jogo e na rede social que dá suporte ao social game. Ao observar esses fluxos de informações, percebemos que há uma rede social integrada (do jogo) à uma rede social maior (no caso, do site do Facebook). Em ambas as redes verificamos certas afetações com a dinâmica peculiar de cada uma. Além de constatar que a rede do jogo acaba se beneficiando do acesso fácil a ferramentas de interação, na medida em que os jogadores podem usar a rede principal para obter benefícios para a rede integrada, observamos que o mecanismo de difusão de informações dos social games parece configurar novos valores também na própria rede maior do Facebook.

Palavras-chave: Redes sociais. Difusão de informações. Social games. Redes sociais integradas

Museu, Memória e Poder

ANDREONI, Renata. Museu, Memória e Poder. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 1677-1796, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22251/14319>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

Este trabalho pretende desenvolver uma apreciação referente às imbricações entre Museu, Poder e Memória dentro da esfera empresarial.  Objetiva-se compreender como a prática memorialística é utilizada na construção de um discurso pela busca de uma aura histórica legitimadora. No contexto daHipermodernidade (Lipovetsky,2004), para problematizar a reflexão sobre os museus empresariais, destacaremos o posicionamento de Baudrillard em relação aos processos de simulação e branqueamento de um passado sem máculas.

Palavras-chave: Museu. Poder. Hipermodernidade. Memória.

Guardião de imagens: “memórias fotográficas” e a relação de pertencimento de um pioneiro com Londrina

BONI, Paulo César; HOFFMANN, Maria Luisa. Guardião de imagens: “memórias fotográficas” e a relação de pertencimento de um pioneiro com Londrina. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 147-164, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/21811/14309>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

A partir de lembranças individuais de um pioneiro da cidade de Londrina, Omeletino Benatto, este estudo visa contribuir com a discussão sobre memória, identidade e pertencimento. Para tanto, foram selecionadas três imagens da época da colonização descritas textual e oralmente pelo pioneiro, sob a ideia da fotografia como “gatilho detonador da memória” e com o apoio da técnica da história oral. Essas imagens e descrições apontam para uma relação de pertencimento do entrevistado com o lugar, onde ele identifica-se, orienta-se e habita. Para a análise são abordados os conceitos de lugar, de Augé (1994), topofilia, de Tuan (1980) e considerações de autores como Schutz, Lynch, Kossoy e Le Goff, sobre história, fotografia, cidade e memória.

Palavras-chave: Memória Documental – Londrina (PR). Comunicação visual. Fotografia. Fonte de Pesquisa. Gatilho da memória. Lugar de pertencimento.

A memória em construção: a ditadura militar nos documentários contemporâneos

GUTFREIND, Cristiane Freitas; RECH, Nathalia Silveira. A memória em construção: a ditadura militar nos documentários contemporâneos. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 133-146, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22056/14312>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

Esse artigo discorre sobre o processo de formação da memória sobre a ditadura militar brasileira, em especial, através dos documentários produzidos em nossa contemporaneidade. Para isso, analisamos especificamente duas obras cinematográficas desse formato (Vlado – 30 anos depois e Hércules 56) para ilustrar a discussão sobre testemunho e o uso do realismo como estratégia estética.

Palavras-chave: Memória. Realismo. Testemunho. Documentário brasileiro. Ditadura militar.

Memória do cotidiano: registro da Comunidade Santa Clara na Web

FARIAS, Maria Giovanna Guedes; FREIRE, Isa Maria. Memória do cotidiano: registro da Comunidade Santa Clara na Web. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 117-131, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/23675/14322>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

Este artigo tem por objetivo comunicar os resultados de pesquisa desenvolvida durante mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação na Universidade Federal da Paraíba, para intervir no processo de exclusão informacional vivido pela Comunidade Santa Clara (CSC) em João Pessoa, Paraíba. A intervenção ocorreu para registrar, organizar e divulgar a memória das “fontes de informação” (sujeitos da pesquisa) constituídas por pessoas da Comunidade na Web. Para isso, foi implementada uma ação de informação para criar a interface virtual “Blog da Comunidade Santa Clara” visando disseminar o tesouro de conhecimentos das pessoas depositárias da memória social e do saber popular da Santa Clara. A inclusão deste tesouro no ciberespaço, bem como o empoderamento da Comunidade na competência intelectual para uso da tecnologia digital de comunicação da informação, pode propiciar a valorização da identidade cultural dos moradores da CSC e o exercício da cidadania.

Palavras-chave: Memória. Web. Inclusão. Comunidade. Tecnologias

A memória na era da reconexão e do esquecimento

CUNHA, Mágda Rodrigues da. A memória na era da reconexão e do esquecimento. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 101-115, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22062/14313Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

As investigações sobre a memória tornam-se mais complexas em um cenário onde as conexões entre os sujeitos e as informações em circulação existem em escala abundante. Mais do que uma dimensão linear, onde existem passado, presente e futuro e cada um deles permanece no seu lugar, a memória transforma-se agora em uma multiplicidade de perspectivas. Neste texto, o objetivo é analisar os paradoxos que envolvem a memória múltipla, coletiva, e que não mais pode ser considerada a memória de um tempo passado. Horizontes históricos acumulados, por intermédio de registros digitais ou redes sociais, invadem a vida dos indivíduos que, sendo também narradores, abastecem esta larga rede. O elevado grau de complexidade desta construção desordenada é, ao mesmo tempo, a investigação sobre o esquecimento.

Palavras-chave: Memória. Comunicação. Esquecimento. Conexão.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos