//
arquivos

LIINC em Revista

Esta categoria contém 106 posts

Condição de trabalho de técnicos e pesquisadores nos institutos públicos de pesquisa: o caso do IPT.

ANDRADE, Thales Novaes de; SILVA, Lucas Rodrigo da; CEPÊDA, Vera Alves. Condição de trabalho de técnicos e pesquisadores nos institutos públicos de pesquisa: o caso do IPT. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.165-182, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/468/370 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Este texto pretende discutir como a produção tecnológica vem sofrendo efeitos das transformações internacionais em termos de reorganização institucional dos centros de pesquisa. Técnicos e cientistas tiveram suas atividades a partir de novos formatos organizacionais que se estabelecem atualmente. A globalização e a internacionalização do campo científico representam tendências que têm afetado fortemente a constituição dos grupos sociais que conduzem a prática tecnológica em âmbito mundial. Hoje é possível detectar processos globais de articulação de empresas, laboratórios e instituições públicas de pesquisa criando uma ciência e uma tecnologia ao mesmo tempo desenraizadas e assimétricas. As questões colocadas para os países em desenvolvimento são como a internacionalização da pesquisa científica está impactando nas instituições nacionais e como as elites científicas nacionais se comportam frente aos novos parâmetros de financiamento da Pesquisas Tecnológicas. O intuito deste texto é verificar como essas tendências estão impactando na produção científica e tecnológica dos Institutos Públicos de Pesquisa. Para elucidar essas questões parte-se para um estudo de caso sobre o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) que é ligado à USP e vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo.

Palavras-chave: Ciência e Tecnologia. Pesquisa científica. Pesquisadores. IPT.

Anúncios

Possibilidades e desafios quanto à aplicação de planos híbridos de ensino em universidades públicas brasileiras.

FREITAS, Christina Soares de. Possibilidades e desafios quanto à aplicação de planos híbridos de ensino em universidades públicas brasileiras. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.237-257, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/473/369 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Em 2010, teve início projeto acadêmico com o objetivo de adotar, em algumas disciplinas de uma universidade pública brasileira, planos híbridos de ensino. Nesses planos, foram incorporadas novas práticas utilizando recursos tecnológico-informacionais. O artigo apresenta os resultados de pesquisa, realizada após a adoção do plano híbrido, com os objetivos centrais de identificar as percepções docentes e discentes sobre a experiência realizada e de verificar as habilidades individuais que viabilizam – ou não – a adoção das novas práticas. A pesquisa utilizou instrumentos quantitativos (questionários) e qualitativos (entrevistas semi-estruturadas) para a coleta de dados. Apesar da constatação de vários fatores positivos à hibridização, como a aceitação das novas práticas por um grande número de docentes e discentes, foram observadas consideráveis limitações relativas às condições materiais e à cultura organizacional existentes, dificultando a adoção ampliada das práticas inovadoras propostas.

Palavras-chave: Hibridização. Práticas de ensino. Tecnologias da informação e comunicação. Percepções. Capital tecnológico-informacional.

Plataformas tecnológicas e a pesquisa em biomedicina – caracterização de uso local de dispositivos globais.

TEIXEIRA,  Márcia de Oliveira; MACHADO, Carlos José Saldanha; FILIPECKI, Ana Tereza P.; LANDI, Ana Carolina. Plataformas tecnológicas e a pesquisa em biomedicina – caracterização de uso local de dispositivos globais.  LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.222-236, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/472/368 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

A pesquisa em biomedicina distingue-se pela emergência de uma lógica fabril em seu processo de produção de conhecimento científico, justificada pela constituição de um ambiente propício à aceleração da inovação industrial. Esse processo redundou na adoção, por instituições de pesquisa, de estratégias de gestão do mundo fabril. A política de C&T nacional estimula novas formas de gestão nas instituições de pesquisa, visando ao aumento da produtividade e ao desenvolvimento de áreas com maior potencial econômico. Entre outros dispositivos, as plataformas de equipamentos figuram sistematicamente nas ações de fomento a pesquisa. Entretanto, há pouco conhecimento sistematizado sobre o uso e a dinâmica local das plataformas. Partindo do estudo da experiência de uma instituição pública de pesquisa, procuramos caracterizar o modelo de plataformas que emergiu do processo de re-construção local.

Palavras-chaves: Plataformas tecnológicas. Biomedicina. Gestão. Instituições públicas. Equipamentos.

Nanotecnologia aplicada aos alimentos e biocombustíveis: interações sociotécnicas e impactos sociais.

SILVA, Tania Elias Magno da; PREMEBIDA, Adriano; CALAZANS, Diego. Nanotecnologia aplicada aos alimentos e biocombustíveis: interações sociotécnicas e impactos sociais. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.207-221, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/471/367 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

A presente comunicação tem por base os resultados preliminares da discussão no campo da sociologia feitas para a pesquisa “Nanotecnologias aplicadas aos alimentos e aos biocombustíveis: reconhecendo os elementos essenciais para o desenvolvimento de indicadores de riscos e de marcos regulatórios que resguardem a saúde e o meio ambiente” (Edital o4/CII – 2008 – Nanobiotecnologia – CAPES). Parte-se da premissa de que ao analisar as diferentes dimensões da vida social afetadas pelas nanotecnologias, é preciso refletir sobre os novos valores sociais que decorrem deste avanço tecnológico e das inúmeras possibilidades que são apresentadas à sociedade como decorrentes desta chamada “nova revolução” científica. Os desafios no campo das ciências sociais, em especial no campo da sociologia da ciência e tecnologia, aumentarão proporcionalmente na medida em que conhecimentos científicos e tecnológicos de áreas de fronteira aceleram sua entrada no mundo da vida através de inovações tecnológicas e organizacionais. As novas configurações sociais decorrentes de um mundo em mudança constante, marcado pela liquidez, como afirma Bauman (2001), são cada vez mais prementes. Este processo tem efeitos sobre as estruturas psicossociais dos indivíduos, pressionando a capacidade explicativa das teorias e ferramentas conceituais tradicionais das ciências sociais.

Palavras-chave: Sociologia. Nanotecnologia. Ciências Sociais. Transumanismo.

Inclusão digital de jovens na microrregião de Viçosa/Minas Gerais: dimensões políticas e subjetivas.

ALVES, Daniela Alves de. Inclusão digital de jovens na microrregião de Viçosa/Minas Gerais: dimensões políticas e subjetivas. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.195-206, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/470/366 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

O presente artigo apresenta resultados de um diagnóstico das implicações das políticas públicas de inclusão digital nas escolas de ensino médio da microrregião de Viçosa. Analisamos a amplitude e os efeitos destas políticas para os jovens da referida região, explorando qualitativamente a dimensão da inclusão, especialmente através da análise dos usos da tecnologia por parte dos jovens considerados incluídos. Constatamos que a inserção dos jovens em políticas de inclusão digital através da escola é limitada e a internet tem sido usada pelos jovens entrevistados predominantemente como espaço de sociabilidade e de pesquisas escolares. O acesso à internet apresenta inúmeras desigualdades.

Palavras-chave: Inclusão digital. Internet. Rede sociotécnica. Jovens. Políticas públicas.

Da probabilidade à racionalidade: um estudo sobre o risco nos processos de avaliação da conformidade.

MARTINS, Maria Luiza Costa; BELCHIOR, Janaina Goulart. Da probabilidade à racionalidade: um estudo sobre o risco nos processos de avaliação da conformidade. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.183-194, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/469/365 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

O trabalho discute a questão do risco no âmbito do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade. Valendo-se da evolução do conceito de risco ao longo da história, estuda o processo de análise de risco nas decisões relacionadas à regulamentação de produtos e qual o embasamento que esta análise deve ter de modo a fugir de uma dedução meramente pautada em cálculos probabilísticos, para buscar uma racionalidade social que atenda plenamente aos anseios de todos os indivíduos. Para tanto, destaca a atuação do Inmetro como gerenciador de riscos, analisando as estratégias que usa para estimar os riscos.

Palavras-chave: Gerenciamento de risco. Avaliação da conformidade. Racionalidade social. Regulamentação. Inmetro.

Da probabilidade à racionalidade: um estudo sobre o risco nos processos de avaliação da conformidade.

MARTINS, Maria Luiza Costa; BELCHIOR, Janaina Goulart. Da probabilidade à racionalidade: um estudo sobre o risco nos processos de avaliação da conformidade. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.183-194, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/469/365 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

O trabalho discute a questão do risco no âmbito do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade. Valendo-se da evolução do conceito de risco ao longo da história, estuda o processo de análise de risco nas decisões relacionadas à regulamentação de produtos e qual o embasamento que esta análise deve ter de modo a fugir de uma dedução meramente pautada em cálculos probabilísticos, para buscar uma racionalidade social que atenda plenamente aos anseios de todos os indivíduos. Para tanto, destaca a atuação do Inmetro como gerenciador de riscos, analisando as estratégias que usa para estimar os riscos.

Palavras-chave: Gerenciamento de risco. Avaliação da conformidade.Racionalidade social. Regulamentação. Inmetro.

A virada deliberativa nos estudos sociais da ciência e tecnologia e seus reflexos para novos regimes de inovação.

FONSECA, Paulo. A virada deliberativa nos estudos sociais da ciência e tecnologia e seus reflexos para novos regimes de inovação. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.151-164, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/467/362 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

A partir da constatação de uma virada deliberativa nos Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia (ESCT) são identificados reflexos dentro dos estudos e práticas de Inovação. Propõem-se duas categorias de participação pública: uma primeira, oriunda dos ESCT, cujo enfoque está nos produtores de tecnologia e uma segunda, cuja centralidade se encontra nos próprios usuários das inovações. Ainda que divergentes sobre arranjos institucionais e propósitos, são estruturas conceituais complementares que podem ser particularmente utilizadas para a elaboração de políticas para o desenvolvimento de tecnologias e inovações sociais.

Palavras-chave: Democracia. Participação. Avaliação de tecnologias. Inovação. Tecnologias sociais.

As dinâmicas do conhecimento na cooperação internacional para o meio ambiente.

COSTA, Maria Conceição da; GAYARD, Nicole, Aguilar. As dinâmicas do conhecimento na cooperação internacional para o meio ambiente. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.141-150, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/466/361 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

O artigo discute alguns elementos centrais presentes na cooperação internacional para o meio ambiente, como o papel desempenhado pela ciência na legitimação das soluções propostas para os problemas ambientais globais e a dualidade de interesses entre financiadores e recebedores da ajuda. Para embasar a análise, apresenta-se um projeto de cooperação ambiental desenvolvido no Brasil e financiado com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF): o ônibus brasileiro a hidrogênio. A análise proposta pretende situar este projeto no âmbito das assimetrias científicas entre Norte e Sul, a partir de um entendimento de que estas assimetrias desempenham um papel político fundamental nas negociações internacionais para o meio ambiente.

Palavras-chave: Cooperação internacional. Meio ambiente. Ciência e tecnologia. Assimetrias Norte-Sul.

O papel dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) nas universidade brasileiras.

CASTRO, Biancca Scarpeline de; SOUZA, Gustavo Costa de. O papel dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) nas universidade brasileiras. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.125-140, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/465/360 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

O objetivo da pesquisa é verificar qual é o papel dos Núcleos de Inovação tecnológica (NITs) dentro das quatro Universidades que mais depositam patentes atualmente no país. Buscaremos verificar se seu trabalho vem apenas responder uma exigência legal ou se podem ser consideradas agências estratégicas que ampliam o papel das universidades, transformando-as em atores fundamentais para a inovação tecnológica no país.

Palavras-chave: Inovação tecnológica. Patentes. Universidades.

Ativos intangíveis e desenvolvimento econômico: a questão marcaria.

SILVA, Anderson Moraes de Castro e; SANT’ANNA, Cristina Nunes de. Ativos intangíveis e desenvolvimento econômico: a questão marcaria. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.109-124, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/464/359 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), além de outras atribuições inerentes ao campo da propriedade intelectual, é o órgão encarregado de confeccionar o registro de marcas no território brasileiro. Em seu sistema de gestão, a diretoria de marcas do instituto utiliza-se do SINPI, um banco de dados no qual se encontram registradas as tramitações processuais relativas ao exame dos pedidos de registro de marca. Neste estudo, de caráter exploratório, testamos a possibilidade de usar os dados armazenados no SINPI para se pensar aspectos do desenvolvimento econômico brasileiro.

Palavras- chave: INPI. Marcas. Ativos intangíveis. Desenvolvimento econômico.

Políticas de inclusão digital no Brasil: a experiência da formação dos monitores dos telecentros GESAC.

LEAL, Sayonara; BRANT, Sandra. Políticas de inclusão digital no Brasil: a experiência da formação dos monitores dos telecentros GESAC. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.88-108, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/463/358 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Este trabalho tem como objetivo avaliar a formação dos monitores de pontos GESAC dentro dos propósitos do projeto de inclusão digital do Ministério das Comunicações, com ênfase na dimensão sócio-cognitiva da formação durante o período do treinamento, assim como os impactos desse programa instrucional nas comunidades locais atendidas pelos telecentros do GESAC. Serão analisadas as bases para a consolidação de uma política de Ciência e Tecnologia, que inclua o cidadão na chamada sociedade informacional, a partir não somente do acesso aos recursos materiais, mas também à formação para estimular a capacidade cognitiva do cidadão usuário do ponto GESAC em lidar com novas ferramentas e linguagens próprias às TIC. As técnicas utilizadas são: análise documental, questionários, entrevistas semi-estruturadas e grupos focais.

Palavras-chave: TIC. Inclusão digital. Política pública. Pontos GESAC.

A importância do conhecimento e da C&T para a consolidação das instituições e da democracia.

LANIADO, Ruthy Nadia; SANTOS, Rubenilda Sodré dos. A importância do conhecimento e da C&T para a consolidação das instituições e da democracia. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.68-87, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/477/357  >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Por entender haver uma estreita relação entre conhecimento e cultura é possível dizer que a ciência e a técnica não estão acima das sociedades nacionais e de suas especificidades culturais, mesmo que a globalização produza, sempre mais, espaços mundiais e transnacionais providos de fatores e valores comuns, que formam parte do conhecimento. A relação entre comunidades nacionais e conhecimento expressa os desejos e as estratégias de povos e países em conduzir o seu próprio desenvolvimento e ocupar uma posição de reconhecimento e poder. Para isso, além das iniciativas nacionais, os países buscam promover a democracia e o desenvolvimento conjugando interesses e competências capazes de integrar diferentes nacionalidades para a produção de conhecimento e ciência e ampliar os espaços territoriais por onde eles se estendem. Isso ocorre em várias escalas – do local ao nacional, do sub-regional ao transnacional, sempre que possível. Expertise, comunidades de conhecimento e agentes públicos e privados traçam os caminhos do desenvolvimento do conhecimento. Por meio de veios culturais e histórias políticas distintas, eles enfrentam conflitos e tensões em instâncias nacionais ou supranacionais, mas que, ainda assim, permitem uma ação coletiva apoiada em negociação, consenso e cooperação. Entender as possibilidades de cooperação relativas ao fomento do conhecimento em um mundo globalizado – mas também recortado por blocos regionais politicamente organizados – constitui o objetivo deste trabalho. A cooperação em tela é entre países do Mercosul.

Palavras-chave: Mercosul. C&T. Desenvolvimento institucional. Democracia.

Realidade em disputa: a proposição da prática alimentar da multimistura.

MARQUES, Ivan da Costa. Realidade em disputa: a proposição da prática alimentar da multimistura. NEVES, Fabrício Monteiro; LIMA, João Vicente Costa. As mudanças climáticas e a transformação das agendas de pesquisa. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.251-267, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/474/356  >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

A história da proposição da prática alimentar da multimistura está fortemente marcada pelo seu (des)encontro com os conhecimentos científicos, especialmente com os conhecimentos científicos sobre a nutrição. O embate entre os nutricionistas e os defensores da multimistura vem sendo travado principalmente a partir do começo da década de 1990, quando a multimistura chegou a adquirir os contornos de um programa governamental para a alimentação infantil no Brasil. Ofereço três histórias desse (des)encontro. Cada uma dessas histórias habita o universo sócio-político-econômico-cognitivo da nutrição infantil com entidades que se apresentam como de naturezas diferentes em disputa pela realidade da alimentação infantil no Brasil.

Palavras-chaves: Multimistura. Ciência. Política. Nutrição. História.

As mudanças climáticas e a transformação das agendas de pesquisa.

NEVES, Fabrício Monteiro; LIMA, João Vicente Costa. As mudanças climáticas e a transformação das agendas de pesquisa. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.268-282, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/475/355  >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Este trabalho pretende discutir a formação de agendas científicas globais e a relação deste processo com a definição da posição dos países no sistema internacional de ciência e tecnologia (SICT). A circulação de conhecimento tecnocientífico pelo globo se acentuou nas últimas décadas. Cada vez mais emerge um sistema integrado com fluxos mais intensos de informação e que, de acordo com alguns autores, estaria sem um centro hegemônico de produção, ou “centrais de cálculo”. No entanto, argumenta-se aqui que uma nova hegemonia tem-se formado por meio da distinção de uma nova agenda tecnocientífica global. Esta agenda se instala em função da controvérsia das mudanças climáticas, que exigirá, neste século, uma corrida pela produção de um novo paradigma tecnológico, “produtivo”, mas “sustentável”. Esta é a nova fronteira do conhecimento científico e tecnológico, que reconfigura os padrões de centro e periferia no sistema internacional de ciência e tecnologia.

Palavras-chave: Sociologia da ciência. Centro/periferia. Sistema científico e tecnológico.

Participação da sociedade civil na IV Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

PEREIRA, Guilherme Reis; ESCADA, Paulo Augusto Sobral. Participação da sociedade civil na IV Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.52-67, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/462/337  >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Este artigo tem por objetivo analisar a participação da sociedade civil no processo de elaboração e implementação da Política de Ciência,Tecnologia e Inovação (CTI) no Brasil tendo em vista uma estratégia de desenvolvimento sustentável. O artigo apresenta o argumento que a realização das Conferências de CTI tem permitido uma ampliação da percepção da importância da CTI para o desenvolvimento do país e facilitado a participação de novos atores da sociedade civil nas discussões em torno das tecnologias sociais. Desse modo, tem contribuído para o tratamento da questão social na agenda da PCTI. Contudo, as Conferências de CTI têm seguido mais o modelo tradicional de alfabetização científica dos cidadãos do que criado uma abertura para colher opiniões e demandas dos participantes para a definição da política.

Palavras-chave: Política de CTI. Participação. Sociedade civil. Desenvolvimento.

Construção, usos sociais e busca de legitimidade das tecnologias da geoinformação do INPE.

ESCADA, Paulo Augusto Sobral; PEREIRA, Guilherme Reis. Construção, usos sociais e busca de legitimidade das tecnologias da geoinformação do INPE. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.34-51, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/461/336  >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Este artigo analisa a experiência de um grupo de cientistas e especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) que buscou consolidar e legitimar, ao longo de duas décadas, um modo próprio de produção de conhecimento científico e tecnológico. Mudanças de paradigma da Política de C&T, nos anos 1990, retiraram o apoio governamental de seus desenvolvimentos, obrigando-os a mudar suas ações estratégicas para que permitisse manter e preservar o modelo endógeno e autônomo de produção do conhecimento. O artigo trabalha com a perspectiva de Pierre Bourdieu (2001), aplicada ao campo científico, e a noção de “translação” de Bruno Latour (2000). A abordagem sociológica contempla e naturaliza os jogos de interesses e disputas no interior do campo científico, bem como destaca o processo de legitimação científica e social do conhecimento. O artigo tem como objetivo principal oferecer uma contribuição aos processos de discussão do modelo das políticas de CTI, principalmente na definição dos conhecimentos a serem produzidos e absorvidos pelo processo de desenvolvimento econômico e social do país. O artigo destaca a necessidade de se ampliar e aprofundar mecanismos democráticos, adotando maior inclusão e transparência nas disputas do campo científico e das políticas de C&T, condições básicas para alcançar um consenso geral que permita emergir um desenvolvimento desejado e planejado por boa parte da sociedade.

Palavras-chave: Sociologia do Conhecimento. Produção de conhecimento. Legitimação. Democracia e desenvolvimento.

Por dentro dos “reservatórios de ideias”: uma agenda de pesquisa para os think tanks brasileiros.

RIGOLIN, Camila Carneiro Dias; HAYASHI, Maria Cristina P. Innocentini. Por dentro dos “reservatórios de ideias”: uma agenda de pesquisa para os think tanks brasileiros. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.20-33, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/460/335 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Este trabalho explora a relação entre conhecimento e decisão política ou entre expertise e desenho de políticas públicas, apresentando uma proposta teórico-metodológica para a caracterização de think tanks no Brasil, instituições que operam na fronteira entre o mundo acadêmico e a esfera governamental. Trata-se de um lócus privilegiado de fazer política, em que a disputa pelo poder se dá no campo das ideias. Investigar estas instituições permite analisar como o conhecimento especializado influencia a decisão política e identificar os processos através dos quais os experts adquirem statusfrente à sociedade. A proposta apoia-se na articulação de conceitos oriundos de dois campos de conhecimento: a Sociologia do Conhecimento e a Teoria Política, que fornecem os referenciais adequados para a investigação de fenômenos relativos à ascendência do conhecimento especializado na formulação, implementação e avaliação de políticas públicas.

Palavras-chave:  Think tanks. Expertise. Planejamento. Políticas públicas.

A universidade brasileira e a inserção da semi-periferia no sistema econômico mundial.

OLIVEIRA, Renato; GUERRINI, Daniel. A universidade brasileira e a inserção da semi-periferia no sistema econômico mundial. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.11-19, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/459/334> Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Discutir-se-a o papel da Universidade no contexto do capitalismo semi-periférico brasileiro, cujas empresas buscam inserir-se competitivamente nos elos intermediários das cadeias de valor do capitalismo mundial. Embora, no plano imediato, isso dê legitimidade ao modo de produção capitalista no país, o horizonte limitado de aquisição de lucros impele, no médio prazo, à intensificação da exploração do trabalho e dos recursos naturais. A produção de conhecimento científico visando à inovação tecnológica poderia abrir uma alternativa em relação às estratégias de instrumentalização do trabalho e da natureza. Entretanto, no caso brasileiro, percebemos três tendências contrárias nas universidades: 1) A apropriação da ciência como parte do processo de sofisticação cultural dos grupos que a produzem; 2) O ancoramento daqueles que produzem ciência nas estruturas administrativas do Estado; 3) Uma valorização acrítica da cultura das classes populares. Analisando as tendências observadas, discutimos as possibilidades de desenvolvimento que a universidade pode trazer à sociedade se assumir seu papel de instituição moderna.

Palavras-chave: Semi-periferia. Universidade. Inovação tecnológica.

Ciência, tecnologia e inovação social.

BAUMGARTEN, Maíra; MACIEL, Maria Lucia; SOBRAL, Fernanda. Ciência, tecnologia e inovação social. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.1-10, março. 2012.

Resumo: Não há

Palavras-chave: Não há.

Autoria, propriedade e compartilhamento de bens imateriais no capitalismo cognitivo

MARTINS, Beatriz Cintra. Autoria, propriedade e compartilhamento de bens imateriais no capitalismo cognitivo. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.7, n.2, p.358-374, out. 2011. Disponível em: < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/423/319 >. Acesso em: 16 mar. 2012.

Resumo:
Uma das principais disputas político-econômicas na atualidade diz respeito às formas de circulação dos bens imateriais através das redes de comunicação. Neste artigo, como contribuição ao debate, trazemos o que consideramos ser a questão de fundo neste embate, qual seja, a do deslocamento da noção de autoria na contemporaneidade. Em primeiro lugar, iremos refletir sobre a historicidade deste conceito apresentando sua variação em diferentes épocas e contextos culturais. Num segundo momento, analisaremos a dinâmica do capitalismo cognitivo e suas implicações nesse cenário. Por último, recorremos ao conceito de commons como um possível definidor do que está em jogo neste conflito.
Palavras-chave: Autoria. Capitalismo cognitivo. Commons. Propriedade intelectual. Bens imateriais

Le révélateur Wikileaks, Vers une wikipolitique 2.0?

BOUTANG,  Yann Moulier. Le révélateur Wikileaks, Vers une wikipolitique 2.0?. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.7, n.2, p.653–663, out. 2011. Disponível em: < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/429/313 >. Acesso em: 16 mar. 2012.

Resumo: ?
Palavras-chave: ?

 

Divulgação e apropriação do conhecimento científico: o caso da Educação Física

SILVA, Ana Márcia; LAZZAROTTI FILHO, Ari; SILVA,  Ana Paula Salles da. Divulgação e apropriação do conhecimento científico: o caso da Educação Física. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.7, n.2, p.720–732, out. 2011. Disponível em: < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/443/309 >. Acesso em: 16 mar. 2012.

Resumo:
Este ensaio aborda o processo de socialização do conhecimento discutindo as relações e os desdobramentos implícitos na escolha do termo divulgação em âmbito científico nacional e internacional. Num segundo momento, apresenta algumas implicações deste processo para a produção e apropriação do conhecimento, discutindo, na sequencia, a incorporação das novas tecnologias de informação e comunicação no campo específico da Educação Física. Por fim, argumenta pela importância para os pesquisadores da divulgação do conhecimento ao grande público, à sociedade, para a constituição de uma nova cultura.
Palavras-chave: Divulgação científica. Educação física. Acesso livre. Arquivos abertos. Tecnologias de informação e comunicação.

 

Exercício e tutela dos direitos: proposta à construção do processo coletivo pós-moderno

PILATI, José Isaac. Exercício e tutela dos direitos: proposta à construção do processo coletivo pós-moderno. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.7, n.2, p.701-719, out. 2011. Disponível em: < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/431/310 >. Acesso em: 16 mar. 2012.

Resumo:
Procura-se dar novo enfoque ao exercício e à tutela dos direitos, revendo as categorias da Modernidade (representativa) e projetando o resgate do coletivo num paradigma pós-moderno (participativo). Utiliza-se como ponto de partida, em termos metodológicos, o modelo romano clássico de processo e democracia direta. E, nessa linha, procurando contribuir ao desenvolvimento da república participativa pós-moderna prevista da CRFB/1988, identificam-se os processos: legislativo, administrativo e judicial participativos, e faz-se distinção, no prisma de exercício e tutela, entre interesses difusos (coletivo impróprio) e interesse coletivo propriamente dito.
Palavras-chave: Exercício dos direitos. Tutela coletiva. Processo participativo. República participativa.

Direito e identidade das comunidade tradicionais – do direito do autor ao direito à cultura

COLAÇO, Thais Luzia; SPAREMBERGER,  Raquel Fabiana Lopes. Direito e identidade das comunidade tradicionais – do direito do autor ao direito à cultura. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.7, n.2, p.681–700, out. 2011. Disponível em: < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/430/318 >. Acesso em: 16 mar. 2012.

Resumo:
Este artigo trata da necessidade de reconhecimento da identidade de grupos culturalmente diferenciados, as chamadas comunidades tradicionais ou locais no Brasil. Define comunidades tradicionais-locais, a sua relação com o ambiente e a necessidade da proteção do seu conhecimento, para compreensão do passado e garantia de futuro. Enfatiza também a questão da emancipação e da necessidade de se garantir a igualdade (na diferença) para se alcançar a cidadania em tempos de mudanças e de incertezas no que concerne a proteção do seu patrimônio cultural e ambiental. Procura, nesse sentido, demonstrar o paradoxo entre o direito do autor ou direito autoral e a realidade das comunidades locais e seus sítios simbólicos em busca da defesa de seu universo local, de sua cultura frente ao processo de globalização.
Palavras-chave: Direito; comunidades; tradicional; igualdade.

 

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos