//
arquivos

Revista Informação & Universidade

Esta categoria contém 7 posts

Atribuindo qualidade à biblioteca de teses e dissertações da UERJ: parceria entre docentes, discentes, bibliotecários e a coordenação da pós-graduação


DIB, Simone Faury; SILVA, Neusa Cardim da. Atribuindo qualidade à biblioteca de teses e dissertações da UERJ: parceria entre docentes, discentes, bibliotecários e a coordenação da pós-graduação. Revista Informação & Universidade, v.1, n.0, jul./dez., 2009. Disponível em: < http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/2009/09/qualidade-biblioteca-digital-teses-dissertacoes-uerj/ >. Acesso em: 07 set. 2009

Resumo

Aborta a implantação da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UERJ (BDTD/UERJ) – inaugurada em 2006 – e os desdobramentos decorrentes desse processo. Aborda, especificamente, a experiência da Biblioteca B do Centro Biomédico (CB/B), que atende às áreas de Enfermagem e Odontologia da Universidade, na alimentação da BDTD. Relata como ocorreu a parceria com as coordenações dos cursos de pós-graduação stricto-sensu das áreas citadas, com o propósito de padronizar as dissertações e teses e incluí-las na BDTD. Discorre sobre o estabelecimento de procedimentos e a definição do fluxograma das atividades a serem realizadas por todos os envolvidos nesse processo, desde a padronização da apresentação do trabalho até a sua disponibilização na BDTD.

Palavras-chave: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações; Procedimentos; Fluxograma

Não Publicar e não perecer


BARROS, Moreno. Não Publicar e não perecer. Revista Informação & Universidade, v.1, n.0, jul./dez., 2009. Disponível em: < http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/2009/07/moreno-barros-nao-publicar-e-nao-perecer/ >. Acesso em: 07 set. 2009

Resumo:
Tecnologias web e a dinâmica das redes sociais online são capazes de reverter a máxima do “publicar ou perecer” tradicional, no sensu strictu de que não seria mais obrigatoriamente necessário tornar público idéias em periódicos qualis para ser considerado autoritativo dentro de uma determinada comunidade científico-profissional. Neste ensaio advoga-se novas metodologias de validação qualitativa do conhecimento, ao mesmo tempo em que evita-se comparações equivocadas entre a publicação independente e a publicação tradicional acadêmica. Por fim, critica-se algumas dinâmicas de consolidação da autoridade.

Palavras-chave: Comunicação científica, Revisão por pares, Autoridade, Redes sociais, Mídias sociais.

Bibliotecas universitárias brasileiras e a implantação de repositórios institucionais.


CARVALHO, Maria Carmen Romcy de. Bibliotecas universitárias brasileiras e a implantação de repositórios institucionais. Revista Informação & Universidade, v.1, n.0, jul./dez., 2009. Disponível em: < http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/2009/06/implantacao-de-repositorios/ >. Acesso em: 07 set. 2009

Resumo:

Apresenta os resultados de um estudo exploratório conduzido, em 2008, no Brasil, com o objetivo de identificar nas iniciativas de repositórios institucionais em universidades públicas e particulares, qual o papel da biblioteca universitária neste contexto e como elas estão tratando as questões-chave relativas à liderança, depositante, conteúdo, sistema e financiamento dos seus repositórios. O estudo identificou 20 repositórios institucionais , a maioria em estágio inicial de funcionamento e com pequena quantidade de itens. As bibliotecas universitárias lideram o processo dentro de suas instituições e buscam compartilhar, interna e externamente, os projetos de implantação. Os resultados relativos às demais questões-chave estão coerentes aos estudos similares conduzidos nos Estados Unidos e Canadá. Finalmente, aponta para a importância de se implementar, em âmbito nacional, ações indutoras e integradoras dos diferentes serviços de acesso aberto no Brasil, como forma de acelerar o desenvolvimento e evitar a duplicação de esforços das bibliotecas universitárias na construção de repositórios institucionais.

Palavras-chave: Repositórios Institucionais – Brasil; Acesso aberto; Bibliotecas Universitárias – serviços

Qualidade em serviços: uma proposta para avaliação de serviços das bibliotecas universitárias federais brasileiras


AMBONI, Narcisa de Fátima. Qualidade em serviços: uma proposta para avaliação de serviços das bibliotecas universitárias federais brasileiras. Revista Informação & Universidade, v.1, n.0, jul./dez., 2009. Disponível em: < http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/2009/07/avaliacao-biblioteca/ >. Acesso em: 07 set. 2009

Resumo:

Busca estabelecer proposta para orientar e subsidiar a avaliação da qualidade dos serviços prestados pelas bibliotecas universitárias federais brasileiras a partir da experiência junto à Biblioteca da UFSC e dos fundamentos teóricos e práticos considerados neste estudo. Analisa as dimensões internas e externas dos serviços. Baseado na observação local, na análise documental e na pesquisa bibliográfica, trata as informações coletadas de forma qualitativa. As dimensões internas estabelecidas são as lideranças, propósitos, processos, pessoal, tecnologia, acervo, instalações físicas, orçamento e finanças. As dimensões externas são as pertinentes ao ambiente direto: usuários, fornecedores, concorrentes e grupos regulamentadores e as do ambiente indireto denominadas de dimensões tecnológicas, legais, políticas, econômicas, sociais e demográficas.

Palavras-chave: Bibliotecas universitárias- Brasil. Prestação de serviços. Qualidade; avaliação.

Necessidades de formação contínua dos gestores de bibliotecas universitárias no Brasil


BELLUZZO, Regina Célia Baptista; DUTRA, Sigrid Karen Weiss; FERES, Glória Georges; MELLO, Paula Maria Abrantes Cotta de. Necessidades de formação contínua dos gestores de bibliotecas universitárias no Brasil. Revista Informação & Universidade, v.1, n.0, jul./dez., 2009. Disponível em: < http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/2009/07/formacao-continua/ >. Acesso em: 07 set. 2009

Resumo:

Apresenta o resultado de workshop realizado pela Comissão Brasileira de Bibliotecas Universitárias (CBBU/FEBAB) durante o Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias – SNBU, o Simpósio de Diretores de Bibliotecas da América Latina e do Caribe. Em 2008, aproveitou-se a presença de número representativo do universo de gestores dessas bibliotecas para realizar um Workshop – Revendo Valores e Desenhando Cenários – com atividades em grupos em etapas metodológicas: a) solicitação de informações individualmente, com apoio de roteiro pré-estabelecido, a fim de que fossem identificadas as novas posturas e competências profissionais exigidas para os gestores na área; b) elaboração de um cenário da Biblioteca Universitária no contexto da Sociedade do Conhecimento; e, c) apresentação de indicadores para uma visão de futuro para as Bibliotecas Universitárias Brasileiras. Os resultados obtidos apresentaram pontos frágeis e lacunas dos gestores e identificam as necessidades de atualização desses profissionais, servindo como subsídio para a CBBU/FEBAB no estabelecimento de um programa de formação continuada voltado à introdução de novos modelos de gestão nas Bibliotecas Universitárias Brasileiras.

Palavras-chave: Bibliotecas universitárias. Formação continuada.

Programa de incentivo ao hábito da leitura entre jovens leitores: uma atividade de extensão universitária


COSTA, Márcia Valéria da Silva de Brito. Programa de incentivo ao hábito da leitura entre jovens leitores: uma atividade de extensão universitária. Revista Informação & Universidade, v.1, n.0, jul./dez., 2009. Disponível em: <http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/2009/07/incentivo-leitura/ >. Acesso em: 07 set. 2009

Resumo:

Mostra o trabalho diferenciado do Programa de incentivo à leitura no espaço da biblioteca pública da UNIRIO de acordo com a faixa etária e os interesses dos jovens usuários (entre 04 a 18 anos). A questão da leitura é trabalhada buscando a forma prazerosa do ato de ler e por isto utilizam-se as diversas formas de comunicação, linguagens e formatos existentes na sociedade atual. Entre as várias atividades executadas destaca-se o trabalho das oficinas de jogos dramáticos. O programa cria uma parceria entre a Universidade e as escolas públicas do Ensino Pré-escolar e Fundamental da região do entorno da universidade beneficiando em torno de dois mil alunos externos. Diante do leque de ações e possibilidades pedagógicas que congregam ensino, pesquisa e extensão o programa tem desempenhado um importante papel nas atividades de incentivo ao hábito de leitura na universidade.

Palavras-chave: Leitura. Praticas leitoras. Bibliotecas Infanto-juvenil. Letramento

A formação da biblioteca do Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NUPEM/UFRJ)


PELLEGRINO, Ana Lúcia da Cunha Dias; MARTINS, Lucia Helena Arraes. A formação da biblioteca do Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NUPEM/UFRJ). Revista Informação & Universidade, v.1, n.0, jul./dez., 2009. Disponível em: < http://www.siglinux.nce.ufrj.br/~gtbib/site/2009/06/biblioteca-nupem/ >. Acesso em: 07 set. 2009

Resumo:

Relata a experiência da implantação da Biblioteca do Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé da UFRJ (NUPEM). Descreve os projetos de extensão desenvolvidos pela Biblioteca do NUPEM com a comunidade de Macaé, bem como: Projeto Integração NUPEM/UFRJ e Comunidade Escolar de Macaé: inclusão sócio-ambiental que atende a comunidade escolar (alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental) e tem por objetivo formar crianças conscientes e preservadoras do meio ambiente, Projeto Pergaminho destinado aos alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental e tem por finalidade exercitar e melhorar a caligrafia dos alunos, Projeto Jurubatiba uma sala de aula especial, que conta com a participação de 25 idosos do Asilo Recanto dos Idosos de Macaé/RJ. Todos os Projetos promovidos pela biblioteca buscam integração da comunidade local com o Núcleo, promovendo a inclusão social de pessoas que não possuem acesso à informação.

Palavras-chave: Planejamento de bibliotecas. Inclusão social.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos