//
arquivos

Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação

Esta categoria contém 21 posts

Antropologia da informação na saúde pública: do global ao local em Minas Gerais, Brasil

NOVATO-SILVA, José Wanderley. Antropologia da informação na saúde pública: do global ao local em Minas Gerais, Brasil. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 185-200, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/37/68>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Este trabalho investiga as relações entre a cultura organizacional das secretarias municipais de saúde do Estado de Minas Gerais, Brasil – na perspectiva dos gestores e funcionários – e o modo como esses agentes lidam com a informação em saúde proveniente de várias fontes. A cultura organizacional foi entendida como um modo compartilhado de trabalho que inclui atitudes constituintes de um comportamento informacional, e valores e princípios com significados específicos frente ao trabalho, conformando uma cultura informacional. Essa cultura foi analisada considerando alguns de seus condicionantes externos – os níveis local, regional, nacional e global da cultura. A metodologia incluiu análise quantitativa, feita sobre uma amostra dos municípios mineiros; e análise qualitativa, feita em três municípios intencionalmente escolhidos. Os resultados mostraram aspectos diversos com relação ao modo como as secretarias tratam as informações em saúde – em consonância com aspectos da cultura estadual e nacional, que oscila entre modernidade e atraso. O estudo foi denominado antropológico por ter utilizado, em sua análise, conceitos oriundos desse campo do conhecimento, extraindo daí inferências “situadas”, mas passíveis de comparação e generalizações pela triangulação de dados obtidos pela multirreferencialidade do trabalho, que compreendeu também a complexa transdisciplinaridade da informação em saúde – política, técnica, social, cultural e econômica.

Palavras-chave: Antropologia da informação. Cultura. Saúde pública.

Aproximações teórico-conceitual entre as categorias de Ranganathan, o discurso retórico e a narrativa literária

COSTA, Luzia Sigoli Fernandes. Aproximações teórico-conceitual entre as categorias de Ranganathan, o discurso retórico e a narrativa literária. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 169-184, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/36/67>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Tomando-se como base a Teoria de Ranganathan, explora-se aproximação teórico-conceitual entre as categorias essenciais e os elementos que compõem a estrutura do discurso retórico e as categorias da narrativa literária. Essa opção foi feita, diante da potencialidade que os enunciados literários suscitam em contribuir para um processo de ampliação conceitual das categorias ranganathianas. Nessa aproximação, estabeleceu-se um alinhamento teórico-conceitual capaz de verificar a possibilidade de efetiva contribuição de aspectos da Teoria Literária para a formulação de procedimentos metodológicos de análise de conteúdo e elaboração de sínteses ou resumos, no âmbito da Ciência da Informação. Dentre os resultados obtidos estão a conscientização dos desafios teóricos frente à diversidade documental e a natureza da informação, a pertinência da contribuição da Teoria Literária aos procedimentos metodológicos para a análise de conteúdo de imagens. O estudo apontou, ainda, que as imagens de cartazes e similares são de grande importância como documento, não só artístico, mas também como testemunho da memória histórico-sociocultural.

Palavras-chave: Ciência da Informação. Organização da informação. Análise de conteúdo. Teoria de Ranganathan. Teoria da narrativa. Discurso retórico.

Representação e descrição de recursos informacionais: aspectos estruturantes no delineamento de ambientes informacionais digitais

SANTOS, Plácida Leopoldina Ventura Amorim da Costa; CASTRO, Fabiano Ferreira de. Representação e descrição de recursos informacionais: aspectos estruturantes no delineamento de ambientes informacionais digitais. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 11-26, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/35/66>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

A relevância tanto da web quanto das bibliotecas digitais para os diversos ramos da ciência tem impulsionado pesquisadores e comunidades científicas a buscar soluções de integração, intercâmbio e entendimento semântico sobre os conteúdos que nelas circulam. Neste contexto, a proposição da pesquisa é verificar, na literatura científica, a aplicabilidade e a funcionalidade das tecnologias e dos instrumentos disponíveis como padrões de representação e descrição de conteúdo e forma, no âmbito das bibliotecas digitais. O objetivo é identificar e caracterizar o uso e a aplicação do MarcOnt como ferramenta para construção de formas de representação da informação para bibliotecas digitais, na atualidade, destacando-o como instrumento para descrição dos aspectos semânticos dos conteúdos digitais nestas ambiências. Como metodologia, caracteriza-se por ser uma pesquisa de análise exploratória e descritiva, com o qual é possível obter subsídios para maior e mais detalhado entendimento e compreensão do MarcOnt e das tecnologias abarcadas no âmbito das bibliotecas digitais para construção da web semântica. Como resultado, procurou-se demonstrar a aplicação da ferramenta MarcOnt num ambiente informacional específico, a Biblioteca Digital Semântica JeromeDL, para analisar, nos fundamentos da catalogação descritiva, as formas de representação dos recursos informacionais. Assim, o padrão de descrição bibliográfica semântica MarcOnt oferece a possibilidade de melhoria na performance de interoperabilidade, não somente entre padrões de metadados, mas também entre sistemas e ambientes informacionais digitais.

Palavras-chave: MarcOnt. MARC21. Web semântica. Bibliotecas digitais. Representação da informação. Catalogação automatizada. Padrões de metadados. Informação e tecnologia

A “cosmopédia” da CAPES: contexto de uso do portal de periódicos

COSTA, Luciana Ferreira da; RAMALHO, Francisca Arruda . A “cosmopédia” da CAPES: contexto de uso do portal de periódicos. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 138-154, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/34/74>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Descreve o contexto geral de uso do Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a partir da promoção do acesso ao Portal de Periódicos através da Biblioteca Central desta universidade. Define os portais de informação enquanto “cosmopédias”. Apresenta a funcionalidade do Portal de Periódicos analisado. Constata problemas de acesso ao Portal de Periódicos na Universidade Federal da Paraíba decorrentes da gestão institucional. Conclui com recomendações institucionais para melhoria do acesso ao Portal de Periódicos que podem ser consideradas e aportadas em similares contextos de uso do mesmo.

Palavras-chave: Acesso à informação. Uso da informação. Periódicos eletrônicos. Portal de Periódicos da CAPES. Biblioteca Central – Universidade Federal da Paraíba.

Atuação do bibliotecário em ambientes não tradicionais: o campo da saúde

BERAQUET, Vera Silvia Marão; CIOL, Renata. Atuação do bibliotecário em ambientes não tradicionais: o campo da saúde. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 127-137, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/31/76>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Objetivo: destacar a atuação profissional na área da saúde e a potencialidade da tendência aos serviços de Biblioteconomia Clínica. Método: revisão de literatura em periódicos de Biblioteconomia, anais do do Encontro Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (Enancib) e entrevista com bibliotecária de hospital universitário. Resultados: os bibliotecários brasileiros na saúde ainda atuam no setor acadêmico e os poucos encontrados na área clínica fundamentam suas atividades na prática, sem atitude científica. Fora das bibliotecas médicas, poderiam agir como verdadeira ponte entre informação e usuário em hospitais públicos, hospitais de ensino, consultorias em projetos, revisão e orientação de trabalhos científicos, localizando recursos para permitir aos clínicos, respostas para melhor decisão clínica. Bibliotecários atuantes em hospitais ainda não se denominam bibliotecários clínicos, mas já é possível antever a perspectiva de atuação desse profissional rumo à Biblioteconomia Clínica por conta de algumas iniciativas práticas e de discussões em eventos da área de informação. Na questão prática, bibliotecária de um hospital universitário brasileiro vem trabalhando junto ao Setor de Ortopedia na identificação das necessidades informacionais de médicos, docentes e residentes, na elaboração, orientação, redação e submissão de projetos de pesquisa e de artigos científicos, na capacitação em bases de dados. Constitui atividade em ambiente não tradicional que exige, principalmente, conhecimento de técnicas de recuperação da informação e do fluxo da pesquisa clínica. Conclusão: A Biblioteconomia tem que sair da biblioteca e das demais “caixas” onde é exercida e ir, de uma vez por todas, para onde está seu cliente. Este bibliotecário que está sendo vislumbrado no Brasil, mesmo não sendo ainda um bibliotecário clínico, está construindo e abrindo caminhos.

Palavras-chave: Biblioteconomia Clínica. Educação bibliotecária. Ambiente de trabalho.

Processo de transformação das políticas de informação no estado informacional

PINHEIRO, Marta Macedo Kerr. Processo de transformação das políticas de informação no estado informacional. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 113-126, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/30/60>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

A crescente complexidade do mundo exige, mais que em outras eras, o estabelecimento de políticas de informação. Estas representam verdadeiro desafio para países, governos e organizações pela aceleração do tempo e dos fluxos de informação e de comunicação, sobretudo na mudança dos Estados de burocráticos a informacionais. Este artigo busca verificar as mudanças nos processos de construção da política de informação a partir do movimento da sociedade da informação e a conseqüente mudança no papel do Estado. Seu objetivo é compreender como a apresentação do documento de uma política de informação pode vir a afetar as formas de mediação para o uso pertinente da informação. Os conceitos de mediação, tradução e Estado informacional foram os pilares teóricos escolhidos. A definição de uma política de informação, seus campos de aplicação e a forma de compartilhamento com a população não parece clara nem adequada, necessitando que as ciências da informação atuem como mediadoras no processo de construção do documento desta política.

Palavras-chave: Política de informação. Estado informacional. Mediação da informação. Tradução do documento.

Comportamento decisório e comunicação: da informação ao conhecimento

FADEL, Bárbara; GARCIA, Regis. Comportamento decisório e comunicação: da informação ao conhecimento. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 100-112, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/29/59>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

O processo decisório se insere entre os mais importantes aspectos da vida do indivíduo e das organizações e constitui a mais representativa forma de expressão do uso das informações. É neste contexto que a pesquisa objetiva apresentar aspectos deste processo, no sentido de demonstrar que o comportamento decisório é um dos elementos motivadores do processo de criação de conhecimento. É pela comunicação dos conhecimentos adquiridos em processos anteriores, expressados na forma de informação, que se possibilita o subsídio a novas decisões e, conseqüentemente, a criação de novos conhecimentos. A pesquisa revisa os principais elementos da teoria comportamental da decisão. Identifica a preponderância dos elementos comportamentais, influência da cultura organizacional e a não linearidade de percepção do indivíduo em relação à informação, o que permite a conclusão de que o foco centrado no usuário é fundamental para a Ciência da Informação ao pretender discutir as questões sobre a disponibilização e o uso das informações. Demonstra, finalmente, que estudos que busquem discutir a gestão do conhecimento necessitam incorporar aspectos das teorias da decisão e da comunicação como aportes interdisciplinares.

Palavras-chave: Comportamento decisório. Comunicação. Informação. Conhecimento. Gestão do Conhecimento.

Tendências de pesquisa sobre mediação, circulação e apropriação da informação no Brasil: estudo em periódicos e anais dos ENANCIB (2008-2009)

GOMES, Henriette Ferreira. Tendências de pesquisa sobre mediação, circulação e apropriação da informação no Brasil: estudo em periódicos e anais dos ENANCIB (2008-2009). Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 85-99, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/28/58>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Estudo cientométrico sobre as tendências de pesquisa no Brasil acerca da mediação, circulação e apropriação da informação, a partir de amostra constituída pelas produções científicas de 2008 e 2009 constantes dos anais do Encontro Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (Enancib) e de cinco dos mais importantes periódicos científicos brasileiros do campo da Ciência da Informação (CI): Ciência da Informação; Perspectivas em Ciência da Informação; Informação & Sociedade: Estudos; Datagramazero e Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação (2008-2010). Os resultados indicam crescimento do número de pesquisas sobre mediação humana, cultural e tecnológica; geração, produção, comunicação e apropriação da informação; busca, acesso e uso da informação; linguagens, produção simbólica e memória; leitura; necessidades e comportamento informacional, competência em informação; redes e fluxos de informação e inclusão digital. Identificam-se, ainda, zonas de interseção entre alguns temas de pesquisa abordados no Grupo de Trabalho 3 (GT3) e em outros GT da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação e Biblioteconomia (Ancib), o que sugere a importância de uma avaliação do escopo temático dos GT, contribuindo para o dimensionamento epistemológico da CI no Brasil.

Palavras-chave: Mediação da informação. Circulação da informação. Apropriação da informação. Ciência da Informação – Brasil.

Organização e representação do conhecimento na ciência da informação: revisão da literatura

ALVARENGA, Lídia; SILVA, Daniela Lucas da. Organização e representação do conhecimento na ciência da informação: revisão da literatura. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 47-84, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/viewArticle/27>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Trata-se de artigo de revisão de literatura científica do subcampo da Ciência da Informação denominado Organização e Representação do Conhecimento (OCR) com o objetivo de apresentar panorama da pesquisa brasileira na área. Foi elaborado a partir de trabalhos apresentados na nona e décima edições (2008 e 2009) do Encontro Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (Enancib). Apresenta considerações sobre as revisões de literatura, sua produção e importância no processo de comunicação científica e produção do conhecimento. Seu pressuposto metodológico é de que análises bibliométricas podem ser usadas como método coadjuvante na elaboração de artigos de revisão, paralelamente à análise de conteúdo. No caso específico do presente artigo a análise bibliométrica foi considerada cienciométrica. Quanto à caracterização dos trabalhos em geral foram analisados 53 trabalhos, considerando-se as variáveis: assuntos, co-autoria e entidades de vinculação de autores. A análise de citações teve como material o mesmo universo de trabalhos que juntos apresentam 990 citações, tendo sido consideradas as variáveis: assuntos, tipos de fontes, datas, idiomas, entidades de origem dos autores. Quanto à análise de conteúdo foram analisados os 30 trabalhos oriundos de pesquisas de doutorado e grupos de pesquisa. A parte cienciométrica do trabalho teve como suporte uma base de dados em Microsoft Access, especialmente construída, baseada no modelo entidade-relacionamento. Os resultados indicam avanços e inovações na área, tais como: novas soluções para a comunicação científica, que podem contribuir para o desenvolvimento de outros artigos de revisão; ferramentas que recuperam automaticamente plantas detentoras de determinados ícones; reflexões que contribuem para maior e melhor consistência terminológica da área de OCR; resgate e aprofundamento de teorias.

Palavras-chave: Bibliometria. Cienciometria. Artigo de revisão. Frente de pesquisa. Ciência da Informação – Brasil.

Redes sociais, mediação e apropriação de informações: situando campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação

MARTELETO, Regina Maria. Redes sociais, mediação e apropriação de informações: situando campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 27-46, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/26/56>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Informação e redes sociais são conceitos transversais que encontram abrigo de passagem em diferentes domínios de conhecimento, mídias, campos sociais ou comunidades profissionais. O intercâmbio, o fluxo, o uso e a apropriação de informações dependem, por sua vez, da capacidade de indivíduos, grupos e organizações de se associarem para o aprendizado, o compartilhamento, a mobilização e a ação coletiva em redes sociais. Este artigo pretende, primeiramente, delinear os arcabouços teóricos e metodológicos do conceito de redes sociais para em seguida, e sem pretensão de exaustão, recuperar os caminhos dos estudos das redes sociais associados aos fenômenos da informação no Brasil, demarcando temas, objetos e conceitos. Por fim, ressalta-se o valor do emprego da teoria e da metodologia de redes sociais, de maneira a configurar “zonas de mediações” nos processos de produção, comunicação e apropriação de informações em espaços concretos ou virtuais.

Palavras-chave: Redes sociais. Mediação e apropriação de informações. Campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação.

Palavras, palavras deslocadas para um significado

BARRETO, Aldo de Albuquerque. Palavras, palavras deslocadas para um significado. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 11-26, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/25/55>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

O artigo revisa e estuda a estrutura do texto escrito e sua análise morfológica com a finalidade de, operando de maneira automatizada, extrair informações tanto para a elaboração como para a representação do significado de documentos. Fornece subsídios técnicos e teóricos para construção de uma configuração para análise das palavras numa narrativa, sua freqüência e sua relação com o significado. Representa, teoricamente, reflexão para apreciação da manifestação do fenômeno da informação, aqui entendido, como a sensibilidade na percepção do conteúdo semântico das estruturas de informação pelos sentidos e pela consciência.

Palavras-chave: Indicadores de significação. Freqüência de palavras. Análise computacional do português. Relevância por análise morfológica. Indicadores de relevância. Indicadores da nuance do texto.

A reinvenção contemporânea da Informação: entre o material e imaterial

GONZÁLEZ DE GOMES, Maria Nélida. A reinvenção contemporânea da Informação: entre o material e imaterial. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/19/41 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
As atuais reflexões, uma indagação inicial acerca do lócus ontológico da informação, tratam das abordagens fisicalista e mentalista em Ciência da Informação, o “desvio” documentalista da questão e a construção de novas relações entre a ontologia, a informação e a digitalização generalizada.
Palavras-chave: Informação; Abordagem fisicalista em Ciência da Informação; Abordagem mentalista em Ciência da Informação; Ontologia; Digitalização generalizada.

Olhar sobre os 20 anos da Associação Nacional de Pesquisa em Pós-Graduação em Ciência da Informação (ANCIB)

BARRETTO, Aldo de Albuquerque. Olhar sobre os 20 anos da Associação Nacional de Pesquisa em Pós-Graduação em Ciência da Informação (ANCIB). Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/13/35 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
A história e os objetivos da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (ANCIB) mostram como uma sociedade científica que congrega especialistas e pesquisadores de um ramo do conhecimento têm problemas para seu estabelecimento e funcionamento. A Associação quer que seus membros pesquisem e divulguem os resultados de seus estudos para difundir uma reflexão do que foi, de como é a área no presente e sua projeção para o futuro. A ANCIB realiza durante sua história uma socialização do conhecimento em informação, suas práticas e sua teoria. Rápida pincelada no contexto remoto é essencial para o entendimento do processo na totalidade. O trabalho de iniciar e manter uma associação científica é difícil, pois pretende, com a ajuda de todos os pares, a democratização do campo. A ANCIB teve e tem dificuldades para realizar tal processo. Não nasceu na espontaneidade de seus membros e foi iniciada como irmã mais nova de área de conhecimento que talvez não a desejasse. É esta a história contada.
Palavras-chave: Historiografia; Ciência da Informação; Biblioteconomia; Socialização da ciência; Indução científica; Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação e Biblioteconomia; ANCIB.

30 anos da Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba

SILVA, Terezinha Elisabeth. 30 anos da Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/14/36 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
Apresenta a trajetória de 30 anos da Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba. Relata histórico desde a criação do Curso de Mestrado em Biblioteconomia, no final da década de 70, passando por vários períodos de existência do Curso, até a formalização da proposta à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), que resultou no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) no ano de 2006, implantado em 2007. Evidencia a atual situação do Programa em busca de consolidação na área da Ciência da Informação no Brasil.
Palavras-chave: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação; Universidade Federal da Paraíba.

Grupos de pesquisa em Ciência da Informação no Brasil

OLIVEIRA, Marlene de. Grupos de pesquisa em Ciência da Informação no Brasil. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/15/37 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
Resultados de pesquisa financiada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico para estudar os grupos de pesquisa em Ciência da Informação (CI), cadastrados no Diretório dos Grupos de Pesquisa dessa agência. Os procedimentos metodológicos envolveram coleta de dados junto às bases do Diretório de Grupos de pesquisa e à base de currículos da plataforma Lattes do CNPq. Recorreu-se, também, às bases do sistema de acompanhamento da pós-graduação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Selecionaram-se três grandes categorias de análise: grupos de pesquisa; perfil do pesquisador; produção científica. Identificaram-se 103 grupos de pesquisa na base de dados referente ao ano 2004, analisados e distribuídos por região geográfica, perfil do pesquisador, temáticas estudadas e canais de comunicação utilizados. Os grupos de pesquisa na área não estão bem distribuídos. Há concentração no Sudeste e Sul do País. Os componentes dos grupos são integrados por doutores, mestres e bolsistas de iniciação científica. Os perfis dos pesquisadores concentram-se em bibliotecários com pós-graduação em CI. Há participação de graduados em outras áreas mas com pós-graduação em CI. Os temas mais pesquisados foram tecnologia da informação, organização do conhecimento, questões sociais e indústria da informação.
Palavras-chave: Pesquisa em Ciência da Informação; Grupos de pesquisa; Ciência da Informação.

Tendências da Pesquisa em organização do Conhecimento

GOMES, Hagar Espanha. Tendências da Pesquisa em organização do Conhecimento. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/16/38 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
Organização do conhecimento é uma área que procura estabelecer suas bases teóricas, incluindo as diversas abordagens epistemológicas com suas implicações na elaboração de sistemas de organização do conhecimento, em que releva o papel da classificação. As pesquisas atuais apontam para as dificuldades daqueles sistemas face à multidisciplinaridade dos temas de pesquisa e às questões de classificação dos registros, seja em meio convencional, seja em meio digital. Sendo ela mesma uma área multidisciplinar, busca em outras áreas apoio para a organização dos sistemas. A introdução do computador na recuperação da informação renova o interesse pela estruturação da notação das tabelas de classificação como meio de recuperação em substituição a descritores. As pesquisas para agilizar a recuperação têm levado os pesquisadores da computação a desenvolver ontologias, as quais têm pontos de ligação com a Biblioteconomia / Ciência da Informação (BCI) no que respeita às questões semânticas. Maior cooperação entre as duas áreas é necessária, face à preocupação semântica requerida para a representação do conhecimento em meio digital, área em que a BCI tem estudos e experiências.
Palavras-chave: Organização do conhecimento; Classificação; Taxonomia; Representação do conhecimento

Mediação da informação e múltiplas linguagens

ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. Mediação da informação e múltiplas linguagens. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/17/39 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
O projeto de pesquisa Mediação da Informação e Múltiplas Linguagens, ainda não concluído, possibilita, no momento, a veiculação de resultados parciais. Entre eles, destacam-se a própria conceituação de mediação da informação – mesmo que de forma embrionária –; a distinção entre mediação implícita e explícita – oriunda da concepção de que a mediação da informação envolve e determina todo o fazer do profissional da informação –; a presença, no conceito, da concepção de interferência e de apropriação; a idéia de mediação pré-questão e pós-questão; a concepção de informação como efêmera, dependente do sujeito – embora interferindo sobre ele –, fluida e causadora de inquietações e de dúvidas; com base nessa concepção de informação, o trabalho do profissional da informação tem como essência uma quase-informação ou, como passamos a denominá-la, proto-informação; e a proposta de direcionarmos nossas discussões sobre a mediação da informação como objeto da área da Ciência da Informação.
Palavras-chave: Mediação da informação; Informação; Leitura informacional; Interferência.

A informação nossa de cada dia na decisão

MORENO, Nádina Aparecida. A informação nossa de cada dia na decisão. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/18/40 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
O sucesso ou fracasso de uma organização quer seja de caráter público ou privado, está diretamente relacionado com a eficácia de seu processo de tomada de decisão. Esse processo decisório, na grande maioria das vezes em ambientes muito turbulentos, baseia-se essencialmente em informações que o decisor deve selecionar para suas ações efetivas junto à organização. A informação se constitui assim em recurso vital e imprescindível como subsídio ao processo de tomada de decisão. No entanto, o volume de informações, hoje, no mundo, cresce numa progressão geométrica a cada segundo, dificultando ainda mais sua busca e seleção. Quem tem o maior volume de informações, ainda que relevantes, não garante decisão correta, pois em última instância a decisão depende do decisor, que tem características comportamentais (aspectos cognitivos, intuição) que irão influenciar bastante na forma de decisão. Este artigo apresenta considerações acerca do processo decisório e como a matéria-prima informação está presente no contexto da decisão.
Palavras-chave: Informação; Decisão; Tomada de decisão; Informação para tomada de decisão.

Reflexões sobre o Grupo de Trabalho (GT-6) do Encontro Nacional em Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB) – Informação, Educação e Trabalho

CRIVELLARI, Helena Maria Tarchi; CUNHA, Mirian Vieira da. Reflexões sobre o Grupo de Trabalho (GT-6) do Encontro Nacional em Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB)  – Informação, Educação e Trabalho. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/20/42 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
O artigo apresenta os resultados de análise documental desenvolvida a partir dos anais do Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB), no período de 2003 a 2008. Para a análise deste conjunto de estudos, observou-se a particular contribuição da sociologia das profissões, bem como da sociologia e economia do trabalho, visando contextualizá-lo em face das constantes transformações do mundo contemporâneo. Estas manifestações trazem implicações práticas e teóricas fundamentais, sobre uma realidade em permanente e constante mudança, da qual é exemplar a crise econômica atual. O enfrentamento desta condição de renovadas incertezas demanda transformações nos modos de exercício do trabalho informacional e, conseqüentemente, na formação profissional daqueles que o exercem, conforme se observa por meio dos trabalhos apresentados no Grupo de Trabalho (GT-6) alusivo à informação, educação e trabalho.
Palavras-chave: Informação; Trabalho; Sociologia das Profissões; Sociologia do Trabalho; Economia do Trabalho.

Bibliometria, Cientometria, Infometria: conceitos e aplicações

SANTOS, Raimundo Nonato Macedo dos; KOBASHI, Nair Yumiko. Bibliometria, Cientometria, Infometria: conceitos e aplicações. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: < http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/21/43 > Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
Análise da constituição e institucionalização da bibliometria, da cientometria e da infometria. O estudo teve como objetivos principais identificar os conceitos-chave dessas disciplinas, suas semelhanças e diferenças, suas potencialidades e limites e as tendências contemporâneas da pesquisa. De natureza exploratória, o estudo se apoiou em literatura clássica e recente da área. Observou-se que, num primeiro momento, com o nome de bibliometria, os estudos procuravam quantificar os produtos da atividade científica (livros, artigos e revistas) para fins de gestão de bibliotecas e bases de dados; a cientometria, por sua vez, se constituiu como modelo que se preocupa com a interpretação dos dados quantitativos, à luz das teorias construídas no âmbito das ciências humanas e sociais (CHS). Seu objetivo principal é fornecer insumos para o planejamento e a avaliação de políticas científicas. A infometria, modelo mais recente, se apropria dos métodos bibliométricos e cientométricos para apreender os aspectos cognitivos da atividade científica. Nesse sentido, tem como preocupação central conhecer o estado-da-arte dos diferentes domínios do conhecimento. Observou-se, também, interesse crescente por técnicas de visualização da informação, com a finalidade de elaborar mapas que possam representar adequadamente os aspectos quantitativos e cognitivos da ciência. Conclui-se que os estudos métricos da informação se aproximam, desde Price, das CHS em busca de teorias e modelos que sustentem a interpretação dos dados quantitativos. Nesse sentido, os estudos métricos da informação, em sua configuração contemporânea, se configuram como campo interdisciplinar que se fertiliza entrecruzando as teorias e os métodos de quantificação com as teorias sociais.
Palavras-chave: Estudos métricos da informação; Bibliometria; Cientometria; Infometria.

Uma arquitetura genérica para sistemas de biblioteca digital como pretexto para a criação de uma agenda de pesquisa

SAYÃO, Luís Fernando. Uma arquitetura genérica para sistemas de biblioteca digital como pretexto para a criação de uma agenda de pesquisa. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, jan.-dez, 2009. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/viewArticle/22> Acesso em: 09 out., 2009

Resumo
As bibliotecas digitais são sistemas bastante complexos que integram um conjunto de serviços voltados para a captura, a catalogação, o armazenamento, a busca, a recuperação, a preservação e a gestão da informação digital. Cada uma das diferentes concepções de biblioteca digital adota um modelo e uma arquitetura diferente. O presente trabalho discute os conceitos e os princípios básicos envolvidos nos projetos e na arquitetura de sistemas de bibliotecas digitais, ao mesmo tempo em que propõe uma arquitetura genérica para esses sistemas. A partir dessa arquitetura extrai-se uma lista de temas de pesquisa para a área. Esses temas têm como objetivo cobrir as principais questões da área de bibliotecas digitais.
Palavras-chave: Arquitetura de bibliotecas digitais; Agenda de pesquisa; Serviços e funções.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos