//
arquivos

Transinformação

Esta categoria contém 80 posts

Tecnologias de dados abertos para interligar bibliotecas, arquivos e museus: um caso machadiano

SANTOS NETO, Antonio Laurindo dos et al. Tecnologias de dados abertos para interligar bibliotecas, arquivos e museus: um caso machadiano. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 81-87, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1790/1706>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
O artigo propõe um caso fictício para ilustrar o uso das tecnologias de Dados Abertos Interligados como mecanismos para tornar interoperáveis informações em acervos de bibliotecas, arquivos e museus, utilizando como exemplo as informações sobre o escritor Machado de Assis e sua obra. Utilizou-se como método o estudo de um caso restrito e ilustrativo, não exaustivo. Aplicaram-se diferentes vocabulários para interligação dos dados e para sua representação, utilizando os princípios do Linked Data; sugere-se que os profissionais da informação usufruam dessa potencialidade e busquem novas aplicações para ampliar a interoperabilidade dos dados disponíveis na Web.

 
Palavras-chave: Dados abertos interligados. Machado de Assis. Ontologias. Resource Description Framework. Web semântica.

Características de repositório educacional aberto para usuários de língua brasileira de sinais

SILVA, Romario Antunes da; RODRIGUES, Rosângela Schwarz. Características de repositório educacional aberto para usuários de língua brasileira de sinais. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 65-79, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1789/1705>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
O objetivo desse artigo é identificar as características que um repositório educacional aberto deve apresentar para atender as necessidade de informação dos alunos surdos e ouvintes do curso Letras Libras na modalidade a distância da Universidade Federal de Santa Catarina. Os objetivos específicos foram: a) descrever o perfil dos alunos surdos e ouvintes; b) examinar o uso das tecnologias da informação por esses alunos; e c) identificar os documentos que um repositório deve apresentar para atender as necessidades de informação desses alunos. A pesquisa é exploratória, descritiva e qualitativo-quantitativa, e a análise foi realizada com estatística descritiva e análise de conteúdo. Conclui-se que os alunos utilizam o e-mail, as listas de discussão, o Messenger,ferramentas para compartilhamento de vídeos e os sites para surdos. Os alunos consideram muito importantes os processadores de texto, Messenger, Movie Maker, Media Player e planilhas para cálculo. Os alunos surdos consideram como documentos mais relevantes as videoaulas, dicionários e apostilas, e os alunos ouvintes, as videoaulas, os livros e as apostilas. O tipo de conteúdo requisitado são notícias sobre surdos, língua brasileira de sinais, tradução, tecnologia, linguística, aprendizagem do português, interpretação médico-jurídica e cultura surda. Os suportes requisitados para acesso à informação são os dicionários, vídeos, livros digitais e artigos. Os alunos preferem acessar as informações no repositório por meio de língua de sinais, legendas e em português.

 
Palavras-chave: Acesso livre. Língua brasileira de sinais. Repositório educacional. Surdo.

 

Un sistema de indicadores para el seguimiento y evaluación de la gestión sostenible del patrimonio cultural

COLL-SERRANO, Vicente; BLASCO-BLASCO, Olga; CARRASCO-ARROYO, Salvador; VILA-LLADOSA, Luis. Un sistema de indicadores para el seguimiento y evaluación de la gestión sostenible del patrimonio cultural. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 55-63, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1788/1704>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
En este trabajo se describe el procedimiento general seguido en la construcción de un sistema de indicadores para la monitorización y evaluación de la Estrategia de Cultura y Desarrollo de la cooperación española. Tomando como marco de referencia la Gestión Sostenible del Patrimonio Cultural, en el estudio presentado se abordan cuestiones relativas al: 1) processo de evaluación de un catálogo de indicadores por parte de un panel de especialistas por medio de la técnica Delphi, 2) la definición y cálculo de um índice de operatividad relativo, 3) el proceso de selección de indicadores y, por último, 4) de qué forma éstos fueron asignados para formar parte de la dimensión básica o de la dimensión estratégica en que se estructura el sistema.

 
Palavras-chave: Delphi. Estrategia de cultura y desarrollo. Patrimonio cultural. Política pública. Seguimiento y evaluación. Sistema de indicadores.

 

Incentivo à cultura: experiências brasileiras de políticas públicas – interesses da área da Ciência da Informação

HOLANDA, Adriana Buarque de; OLIVEIRA, Maria Cristina Guimarães; OLIVEIRA, Simone Rosa de. Incentivo à cultura: experiências brasileiras de políticas públicas – interesses da área da Ciência da Informação. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 47-53, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1787/1703>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
O artigo objetiva apontar duas experiências de políticas públicas sociais voltadas à questão da informação. A primeira trata de uma ação legislativa do Estado que enfoca o livro e a biblioteca, e a segunda é uma iniciativa da sociedade civil organizada que objetiva minimizar o analfabetismo funcional. Com o intuito de contextualizar o interesse da Ciência da Informação como Ciência Social Aplicada, apresenta-se tal disciplina com os atributos de estimular e orientar ações políticas em prol da distribuição do acesso à informação de forma mais igualitária junto à sociedade.

 
Palavras-chave: Ciência da Informação. Cultura. Políticas públicas.

As dobras semióticas do ciberespaço: da web visível à invisível

MONTEIRO, Silvana Drumond; FIDENCIO, Marcos Vinicius. As dobras semióticas do ciberespaço: da web visível à invisível. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 35-46, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1786/1702>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
Após a instituição do ciberespaço, na década de 1990, a Web tornou-se o seu principal constructo e vem dobrando e desdobrando- se em vários sentidos: Web Invisível, Web Visível, Web Semântica, Web Pragmática, Web Social ou 2.0, entre outras. Em relação à Web Invisível, de acordo com os autores que escrevem sobre o tema, existe a inquietante questão: que nome dar a esse (des)território? Web Invisível, Profunda, Oculta, Escura? A partir da compreensão do conceito de dobra, criado por Leibniz e ressignificado por Deleuze, que explica os agenciamentos maquínicos e a visão pragmática dos aspectos técnicos e materiais das semióticas, fez-se uma prospecção conceitual da Web Invisível e de alguns mecanismos de busca que fazem a dobra com essa Web no ciberespaço. Para além da literatura, descobriu-se uma Web verdadeiramente escura, a DarkWeb, paralela e underground utilizada para o bem e para o mal, como previsível da espécie humana.

Palavras-chave: Ciberespaço. Dobra semiótica. Web invisível. Web visível.

Considerações sobre a esfera pública: redes sociais na internet e participação política

MEDEIROS, Jackson da Silva. Considerações sobre a esfera pública: redes sociais na internet e participação política. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 27-33, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1785/1701>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
Este trabalho aborda a questão da esfera pública proposta por Habermas a partir das redes sociais na Internet e o processo de participação política proporcionado por essa forma de comunicação e informação. Faz um traçado sobre a questão, que envolve a esfera pública e opinião pública, tratando as redes sociais na Internet como um espaço de intercâmbio entre atores. Por fim, busca mostrar que as redes sociais na Internet atuam como potencializadoras de uma participação política mais efetiva, e que isso deve ser explorado de forma mais ativa.

 
Palavras-chave: Esfera pública. Informação na web. Participação política. Redes sociais na internet.

Análise de referências utilizadas por pesquisadores na revista Gestão & Produção

ANDRADE, Fabiana Souza de; JUNG, Carlos Fernando. Análise de referências utilizadas por pesquisadores na revista Gestão & Produção. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 19-25, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1784/1700>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa descritiva, com abordagem quantitativa e estratégia documental, que teve a finalidade de efetuar uma análise das referências listadas nos artigos das publicações regulares da revista “Gestão & Produção” através da adaptação dos conceitos da bibliometria. Considerando o objetivo da pesquisa, executou-se a análise das listas de referências, especificando-se: 1) como sujeitos investigados os documentos referenciados nos artigos, 2) como variáveis os elementos determinísticos obtidos através da análise de referências e 3) como tipo de recurso a pesquisa bibliográfica. Com base nesses parâmetros, analisaram-se os documentos utilizados no embasamento teórico dos artigos através da identificação, do mapeamento e da apuração quantitativa: a) dos itens listados em cada trabalho; b) da vida média da literatura; c) do idioma; d) da frequência de uso das referências e; e) da frente de pesquisa. Como resultado, identificaram-se os principais aspectos das fontes de pesquisas que fundamentam os trabalhos em Engenharia de Produção e suas subáreas.
 

Palavras-chave: Análise bibliométrica. Análise quantitativa. Estudo métrico. Produção científica. Referências.

Normatividade, tecnicidade e/ou cientificidade da Biblioteconomia

CARVALHO SILVA, Jonathas Luiz. Normatividade, tecnicidade e/ou cientificidade da Biblioteconomia. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 5-17, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1783/1707>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
Este trabalho apresenta como problema uma questão que pode ser discutida a partir da seguinte pergunta: como ocorre o processo de construção da normatividade, da tecnicidade e/ou da cientificidade da Biblioteconomia? Discute também a construção de uma normatividade, tecnicidade e/ou cientificidade da Biblioteconomia, contemplando perspectivas em relação à organização e ao tratamento da informação, fontes, recursos e serviços de informação, práticas profissionais e estudos centrados nos usuários. O trabalho ainda analisa o conceito de norma e de técnica no âmbito da ciência e da pesquisa aplicada à Biblioteconomia, buscando refletir sobre a relevância da Ciência da Informação para os construtos normativos e científicos da Biblioteconomia. A metodologia é composta de uma pesquisa exploratória com delineamento bibliográfico. Conclui-se que a Biblioteconomia tem uma conotação essencialmente técnico-normativa, mas também uma concepção científica a partir das contribuições da Ciência da Informação no âmbito dos estudos de usuários, tecnologias e outros elementos, assim como de outras áreas do conhecimento de cunho social e tecnológico.

Palavras-chave: Biblioteconomia. Cientificidade. Normatividade. Tecnicidade.

Contribuição ao campo de usuários da informação: em busca dos paradoxos das práticas informacionais

PINTO, Virgínia Melo; ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Contribuição ao campo de usuários da informação: em busca dos paradoxos das práticas informacionais. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 3, p. 219-226, set./dez., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=34&gt>. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo 
Pretende-se debater as concepções teórico-metodológicas dos estudos de usuários da informação, criticamente, considerando a historicidade, a totalidade e as contradições da sociedade capitalista como constituidoras das práticas informacionais dos sujeitos. As atuais abordagens de estudos de usuários da informação, tradicionais e alternativas, mostram-se limitadas por não abarcarem a complexidade dos aspectos que formam os sujeitos e a sua constituição social. Desconsideram a dimensão histórico-social da ação humana, focando somente a ação individual. Entende-se que, para compreender as práticas informacionais dos sujeitos, é necessário situá-las historicamente, considerando-se que a subjetividade não está descolada da estrutura social. Para a construção de um método ou de uma forma de olhar crítica, sugere-se a adoção de categorias de análise desenvolvidas por Pierre Bourdieu. Apresentam-se as categorias habitus, campo social e capital simbólico para tentar compreender as práticas informacionais construídas no cruzamento entre as relações sociais baseadas na exploração de uma classe sobre outra (e de dominação de um grupo sobre outro) e compreender também a percepção subjetiva dos indivíduos.

Palavras-chave: Método. Práticas informacionais. Usuários da informação.

Sistemas memoriais como disseminadores de informação

GOUVEIA JÚNIOR, Mário; GALINDO, Marcos. Sistemas memoriais como disseminadores de informação. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 3, p. 207-217, set./dez., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=34&gt>. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
Propõe-se, neste artigo, uma revisão da literatura cara à Ciência da Informação sobre as noções de sistema anotadas por Bertalanffy e por Luhmann, como forma de respaldar o entendimento sobre a articulação necessária entre instituições de memória como sistemas memoriais destinados à disseminação de informação. O objetivo deste trabalho, portanto, é contemplar, por meio da análise de conteúdo, aquilo que os teóricos aqui evocados têm considerado, nos últimos anos, acerca das possibilidades conferidas pelas instituições de memória no sentido de, graças a uma atuação em conjunto, tornarem-se sistemas memoriais. Como resultados alcançados a partir das presentes discussões, considera-se que a noção de sistema aplicada às instituições memoriais, pensadas como Unidades de Informação, contribui para integrar tais lugares de memória em torno do bem comum, do desenvolvimento social, possibilitado pelo acesso à informação e às responsabilidades coletivas de nos apresentarmos como bons ancestrais. O procedimento metodológico aplicado foi o da análise de conteúdo.

Palavras-chave: Disseminação da informação. Informação. Memória. Sistemas memoriais.

Mapeamento de competências: ferramenta para a comunicação e a divulgação científica

TORRES, Adriana Aparecida Lemos; ZIVIANI, Fabrício; SILVA, Sandro Marcio da. Mapeamento de competências: ferramenta para a comunicação e a divulgação científica. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 3, p. 191-205, set./dez., 2012. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1202>. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
Este artigo tem como objetivo analisar a viabilidade do modelo de mapeamento de competências a partir da implementação de um catálogo de especialistas ou guia de fontes para divulgação, compartilhamento de conhecimentos e ampliação da visibilidade da universidade. A pesquisa quantitativa de natureza descritiva foi desenvolvida na Diretoria de Divulgação e Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais. Para coleta de dados, foram utilizados questionários distribuídos para 71 servidores e contratados, com retorno de 60 respondentes. Os resultados apontam que o mapeamento de competências poderá ser uma ferramenta de comunicação ao servir para consulta do setor de comunicação institucional, bem como de seus diversos públicos, como a comunidade acadêmica, a imprensa e a sociedade. Pode ainda ser considerado como instrumento de divulgação científica, por facilitar o acesso aos pesquisadores, aqueles que constroem o conhecimento e, ao mesmo tempo, estão entre os responsáveis pela popularização da ciência. A partir da identificação e do apontamento dos seus especialistas e de suas competências, o mapeamento de competências permite também o compartilhamento do conhecimento, a disponibilização das experiências, o intercâmbio de saberes e a construção de redes de colaboração entre especialistas.

Palavras-chave: Comunicação social. Divulgação científica. Gestão do conhecimento. Mapeamento de competência.

Desenvolvimento de coleções: origem dos fundamentos contemporâneos

WEITZEL, Simone da Rocha. Desenvolvimento de coleções: origem dos fundamentos contemporâneos. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 3, p. 179-190, set./dez., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=34&gt>. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
O artigo apresenta o resultado de uma pesquisa cujo objetivo foi identificar as correspondências entre os fundamentos da área hoje denominada de desenvolvimento de coleções e aqueles estabelecidos no século XIX, a fim de reconstruir os principais conceitos, métodos e práticas da área. Propõe um estudo exploratório para viabilizar essa correspondência a partir de oito obras escolhidas de autores europeus do século XIX, a maioria bibliófilos reconhecidos, a saber: Peignot (1823), Namur (1834), Hesse (1841), Rouveyre (1878), Richard (1883), Gräsel (1893), Petzholdt (1894) e Maire (1896). Essas obras serão analisadas a partir de três categorias contemporâneas da área: desenvolvimento de coleções, seleção e aquisição, por meio do método de revisão de literatura. Conclui-se, por fim, que o fenômeno da explosão da informação afeta o processo de desenvolvimento de coleções como um todo desde o século XVIII. Os autores do século XIX selecionados para o estudo apresentaram várias soluções – as quais fortaleceram o que hoje é denominado de abordagem baseada no acesso à informação – para lidar com a complexidade gerada pelo fenômeno da explosão da informação.

Palavras-chave: Aquisição. Desenvolvimento de coleções. Seleção.

Un modelo y un método para la transformación de la biblioteca escolar en centro de recursos de enseñanza y aprendizaje

MARZAL, Miguel Ángel; DÍAZ, María José; CALZADA, Javier. Un modelo y un método para la transformación de la biblioteca escolar en centro de recursos de enseñanza y aprendizaje. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 3, p. 165-178, set./dez., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=34&gt>. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumen
El propósito de este trabajo es presentar un modelo y un método para la transformación de la biblioteca escolar en Centro de Recursos para la Enseñanza y el Aprendizaje que permita avanzar en la cultura bibliotecaria y la integración curricular de la alfabetización informacional en los centros públicos de enseñanza secundaria de la Comunidad de Madrid. Dichos modelo y método se proponen a partir de un estudio de la realidad y expectativas de la comunidad educativa madrileña, para el cual se realizaron encuestas a directores, profesores, responsables de bibliotecas y alumnos de 10 Institutos de Educación Secundaria. Los resultados del estudio sugieren la necesidad de un modelo de Centro de Recursos para la Enseñanza y el Aprendizaje integrado en la actividad escolar a cargo de un bibliotecario escolar cualificado y a tiempo completo, capaz de colaborar con los docentes en el desarrollo del currículo así como con otras bibliotecas. Para su implementación se propone un método de evaluación basado en indicadores relativos a aspectos clave de su actuación, así como una serie de aplicaciones prácticas del Centro de Recursos para la Enseñanza y el Aprendizaje en el ámbito escolar. Se concluye, finalmente, que el Centro de Recursos para la Enseñanza y el Aprendizaje así definido puede contribuir a potenciar la inclusión digital de los escolares.

Palabras-clave: Alfabetización en información. Biblioteca escolar. Centro de recursos para la enseñanza y el aprendizaje. Indicadores educativos.

Cenografia no teatro e nos espaços expositivos: uma abordagem além da representação

ROSSINI, Elcio. Cenografia no teatro e nos espaços expositivos: uma abordagem além da representação. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 3, p. 157-164, set./dez., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=34&gt;. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
A cenografia tem um papel importante no contexto contemporâneo dos museus, no entanto, sobre ela, recaem alguns equívocos e preconceitos ligados à ideia ultrapassada que limita cenografia à representação, à simulação e à teatralidade. Atualmente, os museus investem, cada vez mais, em espaços flexíveis que possam ser modificados e adaptados a cada novo projeto curatorial. A cenografia de exposições é um recurso que se constrói no espaço para oferecer ao visitante uma experiência sensível do conteúdo escolhido por meio da cor, dos percursos e das imagens. Este artigo analisa a cenografia em sua dimensão histórica, apresentando um panorama de sua evolução no teatro e sua aplicação contemporânea na Museologia.

Palavras-chave: Cenografia. Expografia. Museologia. Museus.

Sistemas de recuperação da informação: uma discussão a partir de parâmetros enunciativos

ARAUJO, Vera Maria Araujo Pigozzi de. Sistemas de recuperação da informação: uma discussão a partir de parâmetros enunciativos. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 137-143, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt>. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumo
A temática deste artigo são os Sistemas de Recuperação da Informação na interface com a teoria da enunciação. O objetivo é discutir a relação que se estabelece entre os sistemas de informação e os usuários. Com o propósito de identificar como se dá essa relação, examinam-se os modelos de comunicação documentária vistos em revisão de literatura, e identificam-se os parâmetros sob os quais são construídos. Por questionar a validade desses modelos, analisam-se as características dessa relação. Identifica-se, no aparelho formal da enunciação formulado por Benveniste, a possibilidade de se contemplarem as peculiaridades que a caracterizam, considerando os seguintes parâmetros: categorias de pessoa (eu-tu), espaço (aqui) e tempo (agora). Conclui com uma proposta alternativa aos modelos apresentados, considerando bibliotecários, usuários e sistemas como interlocutores, e sugerindo ser uma relação de interação e não de comunicação. Esta proposta é fundamentada nas noções de subjetividade, intersubjetividade, categorias de pessoa, de espaço e de tempo.

Palavras-chave: Aparelho formal da enunciação. Comunicação documentária. Sistemas de recuperação da informação. Teoria da enunciação.

O reflexo da inteligência coletiva nas organizações

PASSOS, Ketry Gorete Farias dos; SILVA, Edna Lúcia da. O reflexo da inteligência coletiva nas organizações. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 127-136, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt>. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumo

As novas tecnologias de informação e comunicação possibilitaram o compartilhamento das informações de maneira rápida e eficaz. Da mesma forma, as organizações têm se apropriado das novas tecnologias para comunicar e disseminar informações. Este artigo tem por objetivo apresentar reflexões sobre como a Web 2.0 pode empoderar as organizações na sociedade em rede. Para isso, utilizou-se de uma revisão de literatura de caráter exploratório na qual foram abordados conceitos como inteligência coletiva, importância da sociedade em redes para as organizações, Web 2.0 e Empresa 2.0. Concluiu-se que as organizações estão se conscientizando cada vez mais do potencial da Web 2.0, não somente para divulgar produtos, mas também como um espaço para a troca de conhecimento, aprimoramento de serviços, bem como para solução de problemas. Assim as empresas que atuam em redes conseguem superar melhor suas limitações com auxílio de seus colaboradores e clientes por meio da inteligência coletiva.

Palavras-chave: Empresa 2.0. Inteligência coletiva. Sociedade em rede. Web 2.0.

Mudança de paradigma e sua ruptura: um estudo de caso na Museologia e a pluralidade paradigmática da Ciência da Informação

GOUVEIA JUNIOR, Mário; SANTOS; Raimundo Nonato Macedo dos. Mudança de paradigma e sua ruptura: um estudo de caso na Museologia e a pluralidade paradigmática da Ciência da Informação. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 117-126, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt>. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumo
Este artigo traça um breve histórico da Ciência da Informação, anotando alguns conceitos ainda em discussão em um campo de estudos dito incipiente em virtude da ausência de paradigmas capazes de atender às inquietações de seus pesquisadores de modo satisfatório. Nesse contexto, busca-se abordar em que medida a configuração de uma crise pode comprometer um modelo de pensamento ao ponto de suscitar um novo paradigma. Analisa-se o conceito de mudança de paradigma em relação à Museologia e à Ciência da Informação, a partir de um breve estudo de caso, por meio do qual se obterá um maior entendimento acerca das negociações que se evidenciam quando se trata de questões inerentes à pesquisa científica e à comunidade acadêmica.

Palavras-chave: Informação. Mudança de paradigma. Museologia.

PuertoTex: un software de minería textual para la creación de resúmenes automáticos en el dominio de ingeniería de puertos y costas basado en ontologías

LEIVA-MEDEROS, Amed; DOMÍNGUEZ-VELASCO, Sandor; SENSO, Jose Antonio. PuertoTex: un software de minería textual para la creación de resúmenes automáticos en el dominio de ingeniería de puertos y costas basado en ontologías. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 103-115, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt>. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumen
El objeto de este trabajo es elaborar y evaluar los resultados de la implementación de un software basado en ontologías, capaz de generar resúmenes automáticos en el campo de la Ingeniería de Puertos y Costas. Para el desarrollo de la herramienta se emplean diversas técnicas emanadas del análisis de discurso así como técnicas cognitivas, que permiten generar reglas para el tratamiento de los textos. También se apela a la construcción de una ontología que facilite los procesos de etiquetado a partir de las potencialidades de Resource Description Framework y Extensible Makup Language. Se construye un conjunto de agentes que actúa sobre la ontología, de la cual se declaran sus principales elementos. Como producto generado se presenta Puertotex, un software para la construcción de resúmenes automáticos basado en ontologías. La evaluación de los resúmenes generados refleja la calidad del sistema, que tiene como única limitación su capacidad para trabajar con el dominio objeto de investigación.

Palabras-clave: Autómatas. Desambiguación de textos científicos. Minería de texto. Ontologías. Resumen automático.

A reference ontology for digital scientific journals applied to systematic literature review processes

GHISI, Fernando Benedet; FACHIN, Gleisy Regina Bóries; SANTOS, Marcos Henrique dos; SELL, Denilson; RADOS, Gregório Jean Varvakis. A reference ontology for digital scientific journals applied to systematic literature review processes. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 91-101, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt>. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumo 
O presente artigo apresenta possíveis abordagens para o uso de uma ontologia de referência para periódicos científicos digitais, apoiando os processos de levantamento bibliográfico em revisão sistemática da literatura. Destacam-se os benefícios da utilização de serviços especializados por meio de processamentos em “batch” ou “on-the-fly” de informações provenientes de diferentes repositórios, como bases de dados reconhecidas e indexadas e portais ou sítios específicos. Conclui-se que a utilização de ontologia de referência possibilita a criação de serviços que asseguram maior interoperabilidade entre diferentes repositórios, permitindo a recuperação da informação de forma mais abrangente e precisa, através da padronização dos conceitos relacionados aos pontos de acesso de periódicos científicos.

Palavras-chave: Recuperação de informação. Periódicos. Ontologia de referência. Revisão sistemática da literatura.

A representação descritiva no contexto da web semântica

CATARINO, Maria Elisabete; SOUZA, Terezinha Batista de. A representação descritiva no contexto da web semântica. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 77-90, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt;. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumo
Este artigo contém o resultado de uma pesquisa bibliográfica, cujo objetivo foi verificar como as práticas da representação descritiva estão relacionadas com a proposta de organização dos recursos da Web no contexto da Web Semântica. A pesquisa foi desenvolvida a partir de duas temáticas: uma que abarcou os conceitos referentes à Web Semântica, com o objetivo de compreender os procedimentos e as tecnologias a eles relacionados; outra que focou a representação descritiva, com o intuito de entender como a práxis da catalogação poderá auxiliar na inserção dos dados bibliográficos no contexto da Web Semântica, bem como averiguar ações que estão sendo realizadas nesse sentido. O levantamento foi feito nos idiomas português e inglês, em periódicos e livros das áreas de Ciência da Informação, Internet e Web, bem como em documentos disponíveis no site do Word Wide Web Consortium. O texto discorre sobre a Web Semântica e os conceitos básicos a ela relacionados: dados lincados, vocabulários, busca, inferência e aplicações verticais. Destaca o Resource Description Framework como modelo de descrição de recursos, que é o fundamento da Web Semântica. Com base na análise dos textos, nos exemplos apontados de ações que estão sendo desenvolvidas por algumas instituições, tais como Library of Congress, Dublin Core Metadata Initiative e Joint Steering Committee, e tendo como foco os objetivos acima explicitados, pôde-se inferir que as práticas da representação descritiva estão relacionadas com a Web Semântica na medida em que poderão ser aplicadas para tornar os dados bibliográficos em dados lincados da Web.

Palavras-chave: Dublin Core. Metadados. Representação descritiva. FRBR. RDA. RDF. Web semântica.

Building knowledge from the margins: information, knowledge and social movements

SÁEZ, Víctor Manuel Marí. Building knowledge from the margins: information, knowledge and social movements. TransInformação, Campinas, n. 24, v. 1, p. 61-64, jan. /abr., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=30>. Acesso em: 23 maio 2012.

Resumo
A teoria social que vem sendo construída na América Latina nos últimos vinte anos propõe uma alternativa aos critérios tradicionais de demarcação das ciências. Frente à tendência dominante, que tende a subsumir o conhecimento num processo intensivo de mercantilização, abre-se passo um enfoque alternativo do conhecimento, orientado neste caso à emancipação social. Neste processo, os movimentos sociais altermundialistas são um dos atores sociais que protagonizam os novos modos de construção de saberes. Eles trabalham partindo de uma nova relação entre os processos sociais de mudança, a construção do conhecimento e o sentido da comunicação. Neste contexto, a comunicação e a informação deixam de ser instrumentos para a regulação e o controle do comportamento social. As tensões procedentes do mercado e os modelos comunicativos dominantes herdados do passado pressionam em direção contrária às pesquisas preocupadas em construir conhecimento e comunicação partindo das margens. Os novos enfoques emergentes tendem a fortalecer as relações bidirecionais entre comunicação e transformação social.

Palavras-chave: Comunicação alternativa. Movimentos sociais altermundialistas. Construção de conhecimento. Transformação social.

Evaluación de sitios web de postgrados biomédicos en España

OLVERA-LOBO, María-Dolores; AGUILAR-SOTO, María; RUIZ-DE-OSMA, Elvira. Evaluación de sitios web de postgrados biomédicos en España. TransInformação, Campinas, n. 24, v. 1, p. 47-60, jan. /abr., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=30>. Acesso em: 23 maio 2012.

Resumo
El objeto de este trabajo es la creación de una herramienta para la evaluación de la calidad de la información contenida en los sitios web de Postgrado de ámbito biosanitario en las universidades españolas. Se ha diseñado y desarrollado una hoja de evaluación (checklist) que ha sido validada y aplicada a los 131 sitios web de Postgrado con Mención de Calidad de tema biosanitario de las universidades españolas. Se han analizado las valoraciones obtenidas por los sitios web y se han aplicado técnicas de clustering y de análisis de componentes principales. Los datos recogidos por la checklist permiten establecer un ranking según la calidad de la información de los sitios web. Además, se observa la existencia de tres grandes grupos de sitios web según sus características y prestaciones. La aplicación de las herramientas diseñadas indica que los sitios web alcanzan valores aceptables, si bien presentan algunos defectos comunes. No obstante, se constata la existencia de varios niveles de calidad de los mismos.

Palavras-chave: Enseñanzas de postgrado. Evaluación de sitios web. Universidades españolas.

A gestão da informação como proposta de inclusão em uma biblioteca especializada

NEVES, Barbara Coelho; PADILHA, Maria Célia Nery. A gestão da informação como proposta de inclusão em uma biblioteca especializada. TransInformação, Campinas, n. 24, v. 1, p. 39-46, jan. /abr., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=30>. Acesso em: 23 maio 2012.

Resumo
Esta comunicação apresenta o relato de experiência da implementação do Núcleo de Gestão da Informação e Inteligência administrado pela Biblioteca da Defensoria Pública do Estado da Bahia. O Núcleo tem o propósito de corroborar com o estoque informacional, baseando-se na captação do conhecimento tácito dos defensores públicos da Defensoria Pública do Estado da Bahia. Ambiciona-se a inclusão social e a preservação da memória dos direitos humanos empregada nas atividades defensoriais desenvolvidas. O maior benefício da criação do Núcleo de Gestão da Informação e Inteligência é proporcionar a disponibilidade de informação adquirida pelos defensores, de maneira estruturada, a todas as pessoas interessadas nos temas defensoriais apreendidos através de vivências jurídicas, congressos, cursos de capacitação, seminários, workshops, dentre outros. O Núcleo de Gestão da Informação e Inteligência da Biblioteca da Defensoria Pública do Estado da Bahia constitui importante meio para conectar eficientemente “aqueles que sabem” àqueles que “necessitam saber” e converter conhecimento pessoal em memória da organização. Para tanto, a proposta desenvolve a coleta, o armazenamento, gerenciamento e disseminação do conhecimento com uma metodologia baseada em modelos de gestão da informação e gestão do conhecimento, com o auxílio de adolescentes “menores aprendizes” em cumprimento de medida socioeducativa da Fundação Cidade Mãe.

Palavras-chave: Biblioteca especializada. Gestão da informação. Gestão do conhecimento. Inclusão social.

 

A apropriação social da Internet pelo bibliotecário catarinense: o retrato de uma década

CORRÊA, Elisa Cristina Delfini. A apropriação social da Internet pelo bibliotecário catarinense: o retrato de uma década. TransInformação, Campinas, n. 24, v. 1, p. 27-37, jan. /abr., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=30>. Acesso em: 23 maio 2012.

Resumo
Este trabalho analisa páginas web de Unidades de Informação catarinenses a fim de conhecer a interação do bibliotecário com a Internet, por meio de sua participação na criação e na manutenção das páginas web de diferentes instituições em Santa Catarina. Pretende reavaliar o cenário catarinense uma década após pesquisa semelhante realizada pela autora em 1999. Foram elencadas dezesseis instituições, distribuídas nas seguintes categorias: industrial, empresarial, agropecuária, ciência e tecnologia, meio ambiente e universidades. Através da descrição do conteúdo da página, buscou-se identificar a menção do bibliotecário como responsável pela criação e/ou manutenção da página (de forma direta na própria página web ou indireta através da análise dos produtos e serviços oferecidos). Constatou-se que apenas duas instituições mencionam participação direta do bibliotecário na equipe responsável pelas páginas. Esses resultados reforçam os obtidos há dez anos: outros profissionais tem-se ocupado em criar as páginas web das Unidades de Informação na Internet, sendo ainda muito tímidos os sinais de apropriação social da rede
como campo de trabalho A participação do bibliotecário, quando existente, não representa um avanço na apropriação da Internet nem como ferramenta nem como campo de trabalho em Santa Catarina, o que não contribui para uma maior visibilidade de sua atuação no ciberespaço.

Palavras-chave: Bibliotecário. Internet. Profissional da informação. Unidades de informação.

Orçamento participativo: uma abordagem na perspectiva da Ciência da Informação

LOPES, Alex de Araujo; FREIRE, Isa Maria. Orçamento participativo: uma abordagem na perspectiva da Ciência da Informação. TransInformação, Campinas, n. 24, v. 1, p. 19-25, jan. /abr., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=30>. Acesso em: 23 maio 2012.

Resumo

Este trabalho objetiva destacar a importância do orçamento participativo como fonte de inclusão social na sociedade intensiva de informação, em conjunto com os postulados da Ciência da Informação. O modelo participativo de gestão do orçamento participativo apresenta sinais de possibilidades de construção de um método provedor de democracia, e, nesse processo, a informação torna-se insumo inestimável. Nesse contexto, a Ciência da Informação surge como uma teia de formulações com laços concomitantes para que o acesso, a disseminação, o registro e a organização das informações produzidas sejam transformadas em realidades, sugerindo, ademais, proposições de ordem educativa para a cidadania. No atual momento de transição histórica e cultural da sociedade brasileira, comunidades e pessoas excluídas econômica e socialmente têm a possibilidade de participar do processo de gestão democrática mediante o orçamento participativo. Esses núcleos de compartilhamento de informações, conhecimentos e saberes tendem a contribuir para criar alternativas de transformação do espaço social, de modo a promover a inclusão dos grupos sociais menos favorecidos no acesso à informação.

Palavras-chave: Ciência da Informação. Inclusão social. Orçamento participativo. Políticas públicas.

Entradas recentes

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Bibliotecário Biblioterapia Catalogação Cientometria Classificação Competência informacional Competência informacional (“information literacy”) Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 312 outros seguidores