//
arquivos

Aplicações de informação

Esta tag está associada a 31 posts

Cultura, Globalização, Informação e Rede

RODRIGUES, Miguel Tadeu; REZENDE, Heloisa Guimarães Vidigal. Cultura, Globalização, Informação e Rede. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: < http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2334/1545&gt;. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
Este artigo aborda a noção de cultura, informação e rede presentes no processo de globalização com enfoque antropológico. Aborda conceitos e questionamentos de vários teóricos do século XX e primeira década do XXI. A cultura é entendida como sistema de códigos inserida num conjunto de mecanismos de controle, planos, receitas, regras e instruções que direcionam os comportamentos avaliados na ótica das relações sociais. A informação é percebida como elemento constituinte das dimensões sociais e culturais. A articulação das novas tecnologias em redes de relacionamentos participa de construções identitárias. Discute influência da globalização na formação de gostos e preferências.

Palavras-chave: Cultura. Herança cultural. Interação social. Informação e comunicação. Cultura global. Redes globais de comunicação.

Comportamento informacional na Web 2.0: caracterização dos estudantes de Biblioteconomia da UFRN

CARVALHO, Andréa Vasconcelos; PEREIRA, Edinete do Nascimento; CÂMARA, Rafael Silva da; ANDRADE, Rayssa Lara Oliveira de. Comportamento informacional na Web 2.0: caracterização dos estudantes de Biblioteconomia da UFRN. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2095/1297&gt;. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Analisa o comportamento informacional dos estudantes do curso de graduação em Biblioteconomia da UFRN em relação aos recursos da Web 2.0 por serem usuários reais ou potenciais e pela especificidade de estarem se formando para atuar como profissionais da informação, o que implica na necessidade de lidar com esses fenômenos com uma perspectiva profissional. Objetiva conhecer a familiaridade dos alunos de graduação em Biblioteconomia com a Web 2.0; identificar os recursos de informação da Web 2.0 mais utilizados; os usos que
os estudantes de Biblioteconomia fazem dos recursos e as expectativas dos estudantes em relação ao seu uso como ferramenta de trabalho. Esta análise é relevante porque esta nova fase da Web representa um conjunto de novas possibilidades e de novos comportamentos e valores relacionados ao acesso, uso, compartilhamento e produção de informação. Como procedimento metodológico de coleta de dados foi aplicado um questionário a noventa e nove alunos dos quatro períodos vigentes no semestre letivo. Com os resultados obtidos, espera-se que a pesquisa contribua para compreender como parte dos estudantes de graduação da UFRN se comportam em relação à Web 2.0, o que oferece subsídios importantes para ações educativas baseadas nestes recursos, bem como na interação professor aluno, aluno-aluno, favorecendo o processo ensino aprendizagem.

Palavras-chave: Web 2.0. Comportamento informacional. Estudantes de Biblioteconomia.

Arquivo Público do Piauí: características de um patrimônio da informação

SILVA, Gregório Jefferson da; CARVALHO, Germênia Alves; ARRAES FILHO, Manoel Ricardo. Arquivo Público do Piauí: características de um patrimônio da informação. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, out. 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2001/1278 >. Acesso em 01 dez. 2014.

Resumo
O arquivo é um meio de acesso à informação que utiliza métodos peculiares para conservação dos documentos. Tendo em vista o papel sociocultural que os arquivos exercem na sociedade, o artigo tem o propósito de analisar detalhadamente o Arquivo Público do Piauí, enquanto instituição que trabalha com fontes documentais oriundas do Poder Executivo, Legislativo e Judiciário do estado. Assim, por se tratar de um arquivo, a ênfase ao seu papel histórico é fundamental e relevante, além disso, destaca-se a importância da instituição que proporciona acesso a fontes de informação para usuários que buscam conhecer os fatos ligados à história e ao cidadão piauiense. A metodologia utilizada é qualitativa e, concomitantemente, com pesquisas de campo e bibliográficas. Desse modo, ao discorrer acerca de arquivo, o embasamento teórico baseia-se em autores que versam sobre a temática, a exemplo de Schellenberg (1955), de Bellotto (2008), dentre outros, como forma de se compreender a função do arquivo e a labutação do arquivista. Explana-se, com minúcia, o modo que o arquivo deve ser estruturado e como se emprega a divisão dos documentos denominados, por meio do uso, de corrente, de intermediário e de permanente. Por fim, discute-se acerca do perfil do Arquivo Público do Piauí e das suas características de patrimônio da informação.

Palavras-chave: Arquivo. Informação. Preservação do conhecimento.

Normatividade, tecnicidade e/ou cientificidade da Biblioteconomia

CARVALHO SILVA, Jonathas Luiz. Normatividade, tecnicidade e/ou cientificidade da Biblioteconomia. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 5-17, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1783/1707>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
Este trabalho apresenta como problema uma questão que pode ser discutida a partir da seguinte pergunta: como ocorre o processo de construção da normatividade, da tecnicidade e/ou da cientificidade da Biblioteconomia? Discute também a construção de uma normatividade, tecnicidade e/ou cientificidade da Biblioteconomia, contemplando perspectivas em relação à organização e ao tratamento da informação, fontes, recursos e serviços de informação, práticas profissionais e estudos centrados nos usuários. O trabalho ainda analisa o conceito de norma e de técnica no âmbito da ciência e da pesquisa aplicada à Biblioteconomia, buscando refletir sobre a relevância da Ciência da Informação para os construtos normativos e científicos da Biblioteconomia. A metodologia é composta de uma pesquisa exploratória com delineamento bibliográfico. Conclui-se que a Biblioteconomia tem uma conotação essencialmente técnico-normativa, mas também uma concepção científica a partir das contribuições da Ciência da Informação no âmbito dos estudos de usuários, tecnologias e outros elementos, assim como de outras áreas do conhecimento de cunho social e tecnológico.

Palavras-chave: Biblioteconomia. Cientificidade. Normatividade. Tecnicidade.

Reflexões sobre a função social do documento aplicadas à documentação jurídica

TORRES, Simone; ALMEIDA, Mauricio B. Reflexões sobre a função social do documento aplicadas à documentação jurídica. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, abr. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/abr14/Art_01.htm>. Acesso em: 4 jun. 2014.

Resumo
Documentos tem desempenhado um importante papel no âmbito das atividades humanas desde a antiguidade. O uso ordinário do termo “documento” mascara a complexidade em definir o que é um documento, bem como sua importância no âmbito da sociedade. De fato, documentos tem como função básica o registro de informações, mas através de certos tipos de documentos é possível criar obrigações ou direitos, evitar problemas legais, induzir ou mesmo exigir a adoção de procedimentos. Documentos, nesse sentido, são portadores de uma variedade de poderes, éticos e legais, que lhes conferem local de destaque no cenário das atividades humanas. Este artigo se propõe a fazer reflexões sobre as contribuições da Filosofia da Linguagem para a compreensão da função social exercida pelos documentos, com destaque para os documentos jurídicos. Apresenta-se uma visão geral da Filosofia da Linguagem, enfocando a teoria dos atos da fala e sua extensão denominada teoria dos atos dos documentos. Revisitam-se conceitos de documentação jurídica e de categorias documentais de forma a caracterizar o documento jurídico como um tipo de documento que, além de sua função básica de registro, é capaz de gerar uma infinidade de efeitos sociais.

Palavras-chave: Documento; Documento legal; Filosofia da Linguagem; Teoria dos atos da fala; Teoria dos atos dos documentos; Efeitos sociais.

Ferramentas Scup e Many Eyes na Identificação de Oportunidades para o Front End da Inovação

FERNANDES, Roberto Fabiano; TEZA, Teza Pierry; MIGUEZ, Viviane Brandão; DANDOLINI, Gertrudes Aparecida; SOUZA, João Artur de; ABREU, Aline França De. Ferramentas Scup e Many Eyes na Identificação de Oportunidades para o Front End da Inovação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 14, n. 5, out. 2013. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/out13/Art_01.htm>. Acesso em: 28 dez. 2013.

Resumo
As informações disponíveis em base dados e nas redes sociais apresentam-se em constante crescimento e devido a isso vem fazendo com que o ser humano tenha dificuldade em interpretar os dados. Além da grande quantidade dos dados, a complexidade existente na forma de apresenta-los não proporcionada atração e diferenciação no entendimento das informações. Isso pode ser melhorado com o emprego de técnicas de visualização da informações que possibilita a criação de imagens simples, de modo a fornecer maior insight para as pessoas que interpretam estes dados, identificando neles indicadores que possam gerar vantagens competitivas para as organizações. Dentre as diversas ferramentas gráficas, destacam-se a ferramenta Scup e o framework Prefuse. Esse último proporcionou o desenvolvimento de várias ferramentas visualização, dentre estas o site Many Eyes, que além de tirar vantagem de todos os recursos do framework Prefuse, agrega a vantagem de ser um ambiente único de colaboração baseada na web. Com base nestes aspectos, este artigo sugere uma forma de utilização de cada uma das duas ferramentas de visualização de informação para identificação de oportunidades em base de dados para o front end da inovação, objetivando assim, fornecer indicadores que proporcionem vantagens competitivas às organizações.

Palavras-chave: Front end da inovação; Identificação de oportunidades; Visualização da informação; Scup; Framework prefuse; Many eyes.

Projeto de layout de biblioteca assistido por ferramenta de software para criação de arranjo físico em 3D: estudo aplicado à biblioteca da faculdade iDEZ

SEGUNDO, Sanderli José da Silva; ARAÚJO, Wagner Junqueira de Araújo; LOPES, Wendy-Anna Albuquerque. Projeto de layout de biblioteca assistido por ferramenta de software para criação de arranjo físico em 3D: estudo aplicado à biblioteca da faculdade iDEZ. Informação & Informação, Londrina, v. 18, n. 1, p. 184-205, jan./abr. 2013. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/10115/pdf>. Acesso em: 21 dez. 2013.

Resumo: 
Introdução: Projetar uma biblioteca consiste em concentrar esforços para criar ou aprimorar atividades que estejam de acordo com a função e objetivos da mesma e da instituição a qual está subordinada. Regularmente os responsáveis por diferentes tipos de bibliotecas se deparam com o problema de gestão do seu espaço físico. O estudo do layout proporciona experimentar novas formas e permite modificações de ambientação com o intuito de buscar os requisitos citados. Contudo fazer isso em um ambiente real, nem sempre é possível, nestes casos uma ferramenta que permita ao bibliotecário projetar, promover alterações e visualizar os resultados em formatos 3D é de grande auxilio.
Objetivo: Estudar o arranjo físico de bibliotecas sob a ótica de OS&M usando ferramentas
3D.
Metodologia: Apresenta um estudo de caso na biblioteca da Faculdade iDEZ, localizada em João Pessoa – PB, onde foi aplicado os princípios da disciplina de Organização, Sistemas e Métodos (OS&M) para arranjo físico (layout) utilizando uma ferramenta de software livre para auxiliar projetos em terceira dimensão.
Resultados: São indicadas e discutidas as motivações que levam um profissional de informação a ter que gerenciar seu espaço físico e as barreiras encontradas. O resultado obtido na avaliação indicou o Sweet Home 3D como ferramenta com melhor pontuação.
Conclusões: A proposta de projeto resultante do estudo de caso, facilitou a visualização das mudanças, sendo aceita e implementada pelos gestores da biblioteca.

Palavras-chave: Tecnologia da informação e comunicação. Projeto de biblioteca. Software
livre. Arranjo físico. Layout 3D.

Acessibilidade e inclusão informacional

SOUZA, Mônica Sena de; COSTA, Maria de Fátima Oliveira; TABOSA, Hamilton Rodrigues; ARARIPE, Fátima Maria Alencar. Acessibilidade e inclusão informacional. Informação & Informação, Londrina, v. 18, n. 1, p. 1-16, jan./abr. 2013. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/12173/pdf>. Acesso em: 21 dez. 2013.
Resumo:
Introdução: Aborda a atuação do profissional da informação no atendimento das demandas informacionais de pessoas com deficiência na sociedade da informação. O bibliotecário é de fundamental importância para a efetivação e sucesso na inclusão informacional das pessoas com deficiência, considerando-se, ainda, a permanente educação continuada para sua qualificação profissional.
Objetivo: Refletir sobre a atuação do bibliotecário no atendimento aos usuários com deficiência, ressaltando as necessidades de melhoria em unidades de informação, identificadas na literatura científica, no que diz respeito à acessibilidade.
Metodologia: Realizou-se uma pesquisa bibliográfica, com base na revisão de literatura em livros e artigos científicos, destacando como principais autores: Almeida (2000), Mazzoni (2001) e Sassaki (1997, 2002, 2005).
Resultados: A falta de acesso informacional por parte das pessoas com deficiência dificulta a sua participação social e política, consequentemente, reduz a sua condição de cidadania.
Conclusões: Ao bibliotecário cabe procurar educação continuada, um maior envolvimento nos eventos da área e a procura constante por capacitação profissional, o que refletirá sobre o melhor atendimento das necessidades de informação dos usuários com deficiências.

Palavras-chave: Acessibilidade informacional. Pessoas com deficiência – atendimento. Bibliotecário – atuação.

A Comunicação Organizacional em Unidades de Informação

DUARTE, Elizabeth Andrade; BRAGA, Rogério Manoel de Oliveira. A Comunicação Organizacional em Unidades de Informação. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 3, p. 181-197, set./dez., 2012. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/11337/pdf_1>. Acesso em: 13 jul., 2013.

Resumo
Introdução: A Comunicação Organizacional envolve não apenas o conhecimento, o estudo de grupos de interesse, planejamento, mas também políticas de comunicação – por meio de uso de instrumentos comunicacionais variados. Nessa mesma linha, vários autores possuem a preocupação constante em definir e caracterizar a comunicação organizacional e o seu campo de abrangência, evidenciando a necessidade de lhe atribuir um lugar de destaque nas organizações. Nesse contexto, esse estudo foca em unidades de informação que, atualmente, carecem de estudos sobre a comunicação organizacional.
Objetivos: Analisar o papel da Comunicação Organizacional dentro das unidades de informação no âmbito da gestão e da tomada de decisão.
Metodologia: Estudo teórico.
Resultados: O resultado do estudo mostra possíveis ações para alcance de uma comunicação organizacional eficiente nestas organizações, tais ações envolvem: a troca de informações entre os colaboradores, o papel do bibliotecário em propiciar ênfase na comunicação, bem como ressalta a importância do processo de comunicação externo, devendo este ser bem estabelecido, de modo que venha a acompanhar as mudanças ambientais, as novas exigências globais e os novos usuários da informação na era contemporânea.
Conclusão: O processo de comunicação deve ser aperfeiçoado nas unidades de informação, com a aplicação de novas práticas.

Palavras-chave: Comunicação Organizacional. Unidades de Informação.Tomada de Decisão/Gestão.

A presença das narrativas míticas de ancestralidade africana como elementos de informação e preservação da memória

AQUINO, Mirian Albuquerque; PEREIRA, Cleyciane Cássia Moreira. A presença das narrativas míticas de ancestralidade africana como elementos de informação e preservação da memória. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n. 2, p. 110-135, ago. 2012. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/4824>. Acesso em: 31 maio 2013.

Resumo:
A característica interdisciplinar da Ciência da Informação possibilita desenvolvermos estudos nessa direção. Nesse sentido, apresenta-se a proposta de trabalho de pesquisa, em andamento, análise dos mitos da tradição africana como elementos de informação e preservação na memória da Comunidade Quilombola Alcantarense de Itamatatiua, na Linha de pesquisa “Memória, Organização, Acesso e Uso da Informação”, do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da UFPB. Constituída pelos objetivos específicos de identificar, verificar como se dá a preservação e compreender os mitos presentes nessa Comunidade, e como possibilidade de contribuir também para a continuidade de estudos e pesquisas que retratem a história e memória negra. À luz da Teoria do Imaginário de Gilbert Durant adotamos a mitoanálise que permite a análise dos mitos concomitante com a metodologia qualitativa de abordagem etnográfica com o propósito de descrever, densamente, os dados da pesquisa recolhidos por meio de entrevista semi-estruturada, observação direta e ficha de identificação. Para isso, destacamos a priori conceitos de informação, memória e preservação abordados na CI; a seguir, definições sobre memória; apresentamos também uma viagem concisa pela trajetória dos mitos e pela Teoria durandiana. Além de uma sucinta explanação sobre a história dos negros no Maranhão e uma descrição referente à Comunidade. A pesquisa encontra-se na fase de aprofundamento teórico e análise dos dados coletados, em que é possível identificarmos até o caminhar das análises deuses afros como Ogum nas falas dos personagens contribuintes a nossa pesquisa.

Palavras-chave: Mitos africanos; Identidade cultural; Memória; Teoria durandiana; Comunidade de Itamatatiua; Ciência da Informação.

A informação no rádio como estímulo a produção do conhecimento no ouvinte

SILVA, Thiers Gomes da; ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. A informação no rádio como estímulo a produção do conhecimento no ouvinte. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, abr. 2013. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/abr13/Art_03.htm>. Acesso em: 22 maio 2013.

Resumo
A informação está centralizada sobre o controle oligopolista dos grandes conglomerados de mídia. Devido aos oligopólios das fontes e agências, se pode verificar, analisando os programas para a transmissão de informação, de diferentes emissoras, que há um mínimo de diferenciação mantida apenas para as fontes de informação de caráter local. A proposta do artigo apresenta conceitos e informações evidenciando que os programas radiofônicos, estando em consenso com as mediações no processo de comunicação para a transmissão da informação, podem servir de estímulo para a geração do conhecimento.

Palavras-chave: mediação; informação; conhecimento; rádio.

O cordel como fonte de informação: a vivacidade dos folhetos de cordéis no Rio Grande do Norte

GAUDÊNCIA, Sale Mário; BORBA, Maria do Socorro de Azevedo. O cordel como fonte de informação: a vivacidade dos folhetos de cordéis no Rio Grande do Norte. Biblionline, João Pessoa, v. 6, n. 1, p. 82-92, jan./jun. 2010. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/biblio/article/view/4905/3710>. Acesso em: 18 fev. 2013.

Resumo
Apresenta uma caracterização geral da literatura popular (até 2005) objetivando analisar o nível de importância que vem sendo dada à literatura de cordel como fonte informacional no Rio Grande do Norte. Enfoca sua trajetória da Europa até o Brasil, levando em conta seu
fortalecimento no nordeste brasileiro. Descreve o cordel a partir de um cenário que trata das décadas de ouro (1920-1950) do cordel e sua forma de classificar, de sua influência nas belas artes e do cordel no atual cenário potiguar. Mostra o que seja fonte de informação e a partir dessa ótica, o cordel como fonte de informação e o papel bibliotecário neste processo. Discorre sobre os procedimentos metodológicos trabalhados através uma discussão em torno da pesquisa, seu universo, seus atores, instrumentos (pesquisa bibliográfica, eletrônica e realização de entrevista focalizada) e seus procedimentos. Trabalha a análise dos dados a partir da relação cordel e cordelista e cordel e biblioteca. Com os dados, pôde-se fazer uma análise qualitativa dos resultados e identificar a atual situação do cordel no estado potiguar. Conclui apontando um parecer, as perspectivas e faz recomendações para a literatura de cordel no RN.

Palavras-chave: Literatura de Cordel. Fonte de Informação. Cultura Popular.

Orçamento participativo: uma abordagem na perspectiva da Ciência da Informação

LOPES, Alex de Araujo; FREIRE, Isa Maria. Orçamento participativo: uma abordagem na perspectiva da Ciência da Informação. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 19-31, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/17633/12483>.  Acesso em: 20 dez. 2012.

Resumo

Esta pesquisa postula apresentar um artefato tecnológico compatível que considere as diversidades ao mesmo tempo como produto fomentador de ações entre agentes e cujo tear será a interlocuções entre aqueles que transitam pelo objeto informação, gestão e participação efetiva, na perspectiva de uma inteligência coletiva projetando uma educação popular gestado pelo instrumento orçamento participativo no município de João Pessoa/PB. Os artefatos tecnológicos atuais se mostram capazes de fomentar as mediações necessárias para que as comunidades possam participar das prioridades dos seus ambientes, espaços e culturas cujo centro é a transferência e acessos de informações produzidas de forma simples e coerente. A metodologia da pesquisa-ação utilizada neste trabalho é importante como elemento de intervenção numa realidade a qual a exclusão social é ascendente e a participação do sujeito na construção do seu mundo é quase inexistente. Prevalecer à Responsabilidade Social compreendida no campo da Ciência da Informação cujo delinear é potencializar o acesso às comunidades marginais através de suas relações e entrelaços, desenvolvendo estruturas e mediando caminhos, se mostra vital para atingir o objetivo pretendido.

Palavras-chave: Orçamento participativo. Inclusão social. Políticas públicas. Ciência da Informação.

Metodologia para o monitoramento da difusão de inovação em canais de comunicação científica

MARCHIORI, Patricia Zeni; APPEL, Andre Luiz; BETTONI, Eduardo Michellotti; TSUNODA, Denise Fukumi. Metodologia para o monitoramento da difusão de inovação em canais de comunicação científica. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 2, p. 77-102, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/13463/pdf&gt;. Acesso em 29 dez. 2012.

Resumo
Introdução: Ao se considerar que produtos e serviços de informação são objetos de interesse para ações inovadoras, alguns elementos da Teoria da Difusão da Informação são explorados no contexto dos canais de comunicação científica enquanto espaços de investigação da Ciência da Informação.
Objetivo: Propõe-se uma metodologia de monitoramento da difusão da inovação em canais de comunicação científica e suas respectivas condições de adoção.
Procedimentos metodológicos: Explora-se a Teoria da Difusão da Inovação e o modelo conceitual dela derivado. Descreve-se a metodologia proposta em suas fases qualitativa e quantitativa e discutem-se os resultados de teste de aplicação em um recorte de comunicações apresentadas em edições de eventos internacionais e nacionais relativos ao Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas/Open Jornal System. Principais resultados: Aplicada aos corpora do ambiente de teste, a metodologia proposta resultou na criação de vinte e nove categorias relacionadas às condições de adoção da inovação e como fontes de dados para a geração de gráficos provenientes das manipulações de três matrizes de correlação no software UCINET 6.434. Analisaram-se os gráficos obtidos no Netdraw com base em escalonamento multidimensional (multidimensional scaling – MDS) e em frequências absolutas.
Conclusões: validou-se a metodologia no ambiente teste. No âmbito da Ciência da Informação, a metodologia contribui para o monitoramento de inovação em produtos/serviços de informação e oferece uma abordagem diferenciada e complementar aos estudos bibliométricos e infométricos. Estimula-se a realização de testes adicionais em outros canais de comunicação assim como em outros tipos de produtos ou serviços.

Palavras-chave: Teoria da difusão da inovação. Canais de comunicação científica. Monitoramento da inovação – Metodologia. Inovação – condição de adoção. Visualização da informação.

Un modelo y un método para la transformación de la biblioteca escolar en centro de recursos de enseñanza y aprendizaje

MARZAL, Miguel Ángel; DÍAZ, María José; CALZADA, Javier. Un modelo y un método para la transformación de la biblioteca escolar en centro de recursos de enseñanza y aprendizaje. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 3, p. 165-178, set./dez., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=34&gt>. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumen
El propósito de este trabajo es presentar un modelo y un método para la transformación de la biblioteca escolar en Centro de Recursos para la Enseñanza y el Aprendizaje que permita avanzar en la cultura bibliotecaria y la integración curricular de la alfabetización informacional en los centros públicos de enseñanza secundaria de la Comunidad de Madrid. Dichos modelo y método se proponen a partir de un estudio de la realidad y expectativas de la comunidad educativa madrileña, para el cual se realizaron encuestas a directores, profesores, responsables de bibliotecas y alumnos de 10 Institutos de Educación Secundaria. Los resultados del estudio sugieren la necesidad de un modelo de Centro de Recursos para la Enseñanza y el Aprendizaje integrado en la actividad escolar a cargo de un bibliotecario escolar cualificado y a tiempo completo, capaz de colaborar con los docentes en el desarrollo del currículo así como con otras bibliotecas. Para su implementación se propone un método de evaluación basado en indicadores relativos a aspectos clave de su actuación, así como una serie de aplicaciones prácticas del Centro de Recursos para la Enseñanza y el Aprendizaje en el ámbito escolar. Se concluye, finalmente, que el Centro de Recursos para la Enseñanza y el Aprendizaje así definido puede contribuir a potenciar la inclusión digital de los escolares.

Palabras-clave: Alfabetización en información. Biblioteca escolar. Centro de recursos para la enseñanza y el aprendizaje. Indicadores educativos.

O reflexo da inteligência coletiva nas organizações

PASSOS, Ketry Gorete Farias dos; SILVA, Edna Lúcia da. O reflexo da inteligência coletiva nas organizações. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 127-136, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt>. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumo

As novas tecnologias de informação e comunicação possibilitaram o compartilhamento das informações de maneira rápida e eficaz. Da mesma forma, as organizações têm se apropriado das novas tecnologias para comunicar e disseminar informações. Este artigo tem por objetivo apresentar reflexões sobre como a Web 2.0 pode empoderar as organizações na sociedade em rede. Para isso, utilizou-se de uma revisão de literatura de caráter exploratório na qual foram abordados conceitos como inteligência coletiva, importância da sociedade em redes para as organizações, Web 2.0 e Empresa 2.0. Concluiu-se que as organizações estão se conscientizando cada vez mais do potencial da Web 2.0, não somente para divulgar produtos, mas também como um espaço para a troca de conhecimento, aprimoramento de serviços, bem como para solução de problemas. Assim as empresas que atuam em redes conseguem superar melhor suas limitações com auxílio de seus colaboradores e clientes por meio da inteligência coletiva.

Palavras-chave: Empresa 2.0. Inteligência coletiva. Sociedade em rede. Web 2.0.

Política de Governo Eletrônico em Moçambique: um olhar na perspetiva de uma cultura de informação

DIAS, Adelio; PINHEIRO, Marta Macedo Kerr. Política de Governo Eletrônico em Moçambique: um olhar na perspetiva de uma cultura de informação. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 1, p. 60-77, jan. /jun. 2012. Disponível em: Acesso em: 20 out. 2012.

Resumo
Introdução: Reflexão à possibilidade do uso da cultura de informação na política de governo
eletrônico em Moçambique, considerando a situação sociocultural do país.
Objetivo: Discutir a pertinência do conceito de cultura de informação na formulação e
implementação da política de governo eletrônico em Moçambique, enquanto subdomínio da
política de informação.
Metodologia: Revisão de literatura.
Resultados: No panorama moçambicano não há explicitação da informação governamental que
norteia os seus programas e ações, particularmente o projeto de governo eletrônico, e existe certa fragilidade de recursos e estruturas de informação, reiterada pela ausência da inclusão, nas
políticas públicas de informação, dos aspectos inerentes às realidades socioculturais de
Moçambique.
Conclusões: A cultura de informação constitui um dos fatores preponderantes para o sucesso da
implementação da política de governo eletrônico, bem como a facilitação da apreensão por parte
dos cidadãos, devendo, nesse sentido, direcionar a construção de políticas de informação.

Palavras-chave: Cultura de Informação. Governo Eletrônico. Moçambique.

Revista Bravo!: análise de um periódico não científico como fonte de informação na área literária

PAGGI, Laís Cristina; CORREA, Elisa Delfini. Revista Bravo!: análise de um periódico não científico como fonte de informação na área literária. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 17, n. 1, p. 9-26, jan./jul., 2012. Disponível em: <http://revista.acbsc.org.br/index.php/racb/article/view/796/pdf_68>. Acesso em: 19 set. 2012.

Resumo
Na pesquisa apresentada objetivou-se analisar a qualidade e credibilidade da Revista Bravo!, Um periódico não-cientifico, como fonte de informação na área literária. Utilizou-se para a consecução do objetivo, a metodologia de avaliação de  fontes de informação presentes na literatura em Biblioteconomia e Ciência de Informação. Procurou-se avaliar o site de acordo com os seguintes critérios que compõem a metodologia de avaliação de fonte de informação eletrônica: Informação de identificação, consistência das informações, confiabilidade das informações, adequação da fonte, características da navegação, facilidade de uso, layout da fonte, restrições percebidas e suporte ao usuário. No tocante à avaliação especifica da seção de literatura do site foram utilizados os critérios autoridade, pertinência e atualização dos links oferecidos na seção, presentes na metodologia utilizada. Como resultados verificou-se que, embora periódico estudado possua pontos em seu formato a serem melhorados, pode ser considerado uma fonte de informação de qualidade com credibilidade na área literária, devido à autoridade dos criadores intelectuais da seção, que estudam e vivenciam a prática literária e estão habilitados a discorrer sobre os assuntos propostos.

Palavras-chave: Fontes de informação. Análise de fontes de informação. Periódico não-científico. Revista Bravo!

Orçamento participativo: uma abordagem na perspectiva da Ciência da Informação

LOPES, Alex de Araujo; FREIRE, Isa Maria. Orçamento participativo: uma abordagem na perspectiva da Ciência da Informação. TransInformação, Campinas, n. 24, v. 1, p. 19-25, jan. /abr., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=30>. Acesso em: 23 maio 2012.

Resumo

Este trabalho objetiva destacar a importância do orçamento participativo como fonte de inclusão social na sociedade intensiva de informação, em conjunto com os postulados da Ciência da Informação. O modelo participativo de gestão do orçamento participativo apresenta sinais de possibilidades de construção de um método provedor de democracia, e, nesse processo, a informação torna-se insumo inestimável. Nesse contexto, a Ciência da Informação surge como uma teia de formulações com laços concomitantes para que o acesso, a disseminação, o registro e a organização das informações produzidas sejam transformadas em realidades, sugerindo, ademais, proposições de ordem educativa para a cidadania. No atual momento de transição histórica e cultural da sociedade brasileira, comunidades e pessoas excluídas econômica e socialmente têm a possibilidade de participar do processo de gestão democrática mediante o orçamento participativo. Esses núcleos de compartilhamento de informações, conhecimentos e saberes tendem a contribuir para criar alternativas de transformação do espaço social, de modo a promover a inclusão dos grupos sociais menos favorecidos no acesso à informação.

Palavras-chave: Ciência da Informação. Inclusão social. Orçamento participativo. Políticas públicas.

Projeto colaborativo em ambientes digitais de atividades de aprendizagem e avaliação para aquisição de competências em informação e documentação

AGUSTIN LACRUZ, Maria Del Carmen; DIAZ, Raquel Gomes; FUJITA, Mariângela Spotti Lopes. Projeto colaborativo em ambientes digitais de atividades de aprendizagem e avaliação para aquisição de competências em informação e documentação. TransInformação, Campinas, n. 23, v. 2, p. 89-94, maio/ago. 2011. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=28>. Acesso em: 29 jan. 2012.

Resumo
A busca de projeção internacional e a necessidade de formar redes formais ou informais de cooperação acadêmica são algumas das características mais comuns da formação atual, oferecidas por várias universidades. Cientes dessa dificuldade, assim como da conveniência da criação de sinergias docentes e do enriquecimento das redes de colaboração acadêmica entre as universidades, é apresentada no contexto de ensino de Informação e Documentação, uma experiência de colaboração interuniversitária para o projeto conjunto de atividades de aprendizagem e avaliação por competências, desenvolvido por docentes das Universidades Públicas de Zaragoza e Salamanca (Espanha) e da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (São Paulo, Brasil). A experiência é desenvolvida por meio de modelos de registros que facilitem a estruturação de atividades de aprendizagem que visam à aquisição de competências comuns. Cada atividade proposta e desenvolvida é registrada em uma planilha que reúne a informação, organizada em diversos campos como: descrição, competências, objetivos, resultados de aprendizagem previstos, ferramentas, recursos e materiais necessários, critérios de avaliação, entre outros aspectos, de maneira que o aluno possa ver o que deve fazer, como fazer e qual a utilidade. Essa forma de conceber as atividades de aprendizagem baseadas em competências é possível, em ambientes acadêmicos geograficamente tão distantes, pelo uso das Tecnologias de Informação e Comunicação, que permitem tanto a colaboração à distância entre os professores quanto o acesso aos materiais oferecidos nas plataformas de cada uma das universidades.

Palavras-chave: Aprendizagem baseada em competências. Espaço europeu de educação superior. Projeto de atividades de aprendizagem. Tecnologia de informação e comunicação.

Narrativas para a gestão de mudanças: um estudo de caso na indústria vidreira

Valério, BRUSAMOLIN, Narrativas para a gestão de mudanças: um estudo de caso na indústria vidreira. TransInformação, Campinas, n. 23, v. 1, p. 15-28, jan./abr. 2011. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=27>. Acesso em: 23 jan. 2012.

Resumo
Este artigo propõe um modelo para análise do emprego de narrativas na gestão de mudanças, descrevendo os passos a serem seguidos e listando os padrões de histórias que podem auxiliar na gestão das transformações necessárias. O modelo é aplicado no estudo de caso da criação de uma empresa, a Viton Equipamentos para a Indústria Vidreira, do Grupo Wheaton Brasil, coletando as narrativas do gestor, classificando-as e analisando-as à luz do modelo proposto. Conclui-se que gerentes e outros contadores de histórias atuam como mediadores da informação, narrando histórias que transmitem a informação certa no momento oportuno, com efeitos transformadores positivos para a organização, produzindo mudanças cognitivas necessárias, transmitindo valores, cultura e auxiliando na percepção da realidade.

Palavras-chave: Aprendizagem organizacional. Gestão do conhecimento. Gestão de mudanças. Narrativas organizacionais.

A formação pedagógica do arquivista no Século XXI: o aprendizado do Hipertexto

SILVA NETO, Carlos Eugênio; LIMA, Janecely Silveira de; MACIEL, João Wandemberg Gonçalves. A formação pedagógica do arquivista no Século XXI: o aprendizado do Hipertexto. Revista Biblos. Rio Grande, v. 24, n. 2, p. 119-134, 2010. Disponível em: <http://www.seer.furg.br/ojs/index.php/biblos/article/view/1901/1031>. Acesso em: 24 jul. 2011.

Resumo
O momento atual tem provocado o surgimento de uma série de mudanças nas esferas sociais, econômicas, culturais e políticas globalizadas, em um processo irreversível e cada vez mais veloz. Uma das causas dessas transformações está relacionada às tecnologias digitais da informação e da comunicação (TDICs). As tecnologias digitais, aplicadas à educação, podem desempenhar um papel fundamental na inovação das funções dos futuros profissionais da Arquivologia e na criação de novas formas de pesquisa. Nesse sentido, o presente texto discute a importância do hipertexto na formação  pedagógica dos alunos de Arquivologia, pois acredita-se que, com a utilização desse instrumento de aprendizagem, o alunado tornar-se-á ativamente participante do processo de acesso e de uso de informações e da construção de conhecimentos. Contextualiza-se o papel da Pedagogia em colaboração com os agentes informacionais  – os professores  – no que se refere à seleção precisa das informações contidas em páginas hipertextuais. O  corpus é formado por relatos, aplicação de questionário e observações feitas em sala de aula com os sujeitos da pesquisa – uma parcela de alunos do curso de bacharelado em  Arquivologia da UEPB. Nas considerações finais, alvitram-se recomendações que  podem  contribuir para futuras pesquisas sobre a importância do hipertexto no processo de  construção acadêmica de futuros profissionais da informação.
Palavras-chave: Hipertexto. Ação pedagógica. TDIC. Arquivologia

Políticas públicas de fomento à leitura e relação estética literária: uma abordagem interdisciplinas de projeto de Belo Horizonte e Campinas

VASCONCELOS, Alex Bretas; VALLE, Ana Luiza Rocha do. Políticas públicas de fomento à leitura e relação estética literária: uma abordagem interdisciplinas de projeto de Belo Horizonte e Campinas. Cultura em Recorte: Revista Eletrônica de Museologia e Ação Cultural, Campinas, v.2, n.1, p. 22-53, jan./jun. 2010. Disponível em: < http://www.culturaemrecorte.org/ojs-2.3.1-2/index.php/CEREMAC/article/view/8/13 > Acesso em 20 jul., 2010

Resumo:
Atentos às margens da sociedade dois projetos oferecem a usuários de ônibus caminhos para o centro, não só dos conhecimentos, mas de experiências novas. Surge para muitos um primeiro contato real com o livro e, no caso da literatura, possibilidades de trânsito pelo mundo artístico e de vivência da fruição e da relação estética. Sem precisarem deslocarse do trajeto conhecido, são transportados a outras esferas em que há algo que é novo e subitamente lhes pertence: a arte. Propõe-se aqui uma análise interdisciplinar em torno de dois casos concretos de política pública: o projeto Leitura para Todos, cujo formato seminal é de Belo Horizonte, MG, e o Leitura, a Melhor Viagem, sediado em Campinas, SP. A abordagem é oportuna porque o quadro de carências relativo ao estímulo do hábito de leitura, ainda a via principal de acesso ao conhecimento e à disseminação da rica literatura brasileira, é grave.
Palavras-chave: Leitura. Política pública. Literatura. Ação Cultural.

Informação em Saúde: potencialidades e limitações


TARGINO, Maria das Graças. Informação em Saúde: potencialidades e limitações. Informação & Informação, Londrina, v. 14, n.1, p. 52-81, 2009. Disponível em: < http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/1845/2891 >. Acesso em: 28 out., 2009.

Resumo
Objetiva-se discutir a informação em saúde como elemento fundamental no processo de tomada de decisões no âmago das políticas públicas, visando elevar a qualidade de vida das nações. Para isto, a priori, discorre-se sobre os sistemas de informação em saúde. A partir daí, ressalta-se o processo de comunicação científica, incluindo a divulgação de resultados, com ênfase para as potencialidades e limitações da informação em saúde. Finalmente, apresentam-se sugestões, sobretudo, com vistas à popularização dessas informações.
Palavras-chave: Informação em saúde; Divulgação científica.

Pesquisadores de Informação em saúde e competência informacional: relato de experiência

PETINARI, Valdinéa Sonia; OLIVEIRA, Vanda de Fátima Fulgêncio de; EVANGELISTA, Rosana; PEREIRA, Sandra Lúcia. Pesquisadores de Informação em saúde e competência informacional: relato de experiência. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 7, n. 1, p. 198-207, jul./dez. 2009. Disponível em: <http://polaris.bc.unicamp.br/seer/ojs/include/getdoc.php?id=704&article=188&mode=pdf> Acesso em: 6 ago. 2009.

Resumo
Objetivo: Relatar uma experiência de atuação em Unidade Informacional inserida em um Hospital Universitário, que visa disponibilizar informações, em quaisquer suportes, com foco centrado nas necessidades informacionais voltada para os profissionais da área de saúde. Resultado: Existe uma demanda de acesso rápido a informação e orientação dos profissionais da área de saúde por profissionais da área de informação. Conclusão: Ao relatar esta experiência de atuação em uma Unidade Informacional inserida em Hospital Universitário, pode-se entender que a sua existência propicia o rápido acesso a informação e que há demanda.

Palavras-chave: Competência informacional; Profissional da informação; Bibliotecas e unidades de informação em saúde.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos