//
arquivos

Mediação da informação

Esta tag está associada a 25 posts

Intermediação da informação e preservação da memória digital

RABELLO, Rodrigo; CASTRO, Virgínia Ferreira da Silva. Intermediação da informação e preservação da memória digital. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 22-35, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2113/1789>. Acesso em: 31 dez. 2015.

Resumo
O presente texto propõe elementos para uma reflexão acerca de demandas institucionais que, diante do contexto perturbador de excessos de produção e reprodução de conteúdos em meio digital, ainda trazem para si a responsabilidade de preservação da memória. A dimensão fluida que as novas mídias têm apresentado diante da facilidade de gravar ou perder dados num instante tem despertado para a relevância de se pensar ou valorizar novos espaços orientados por políticas públicas direcionadas à preservação da memória digital. Nesse contexto, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) será analisado segundo seu papel de instituição intermediadora de informação, que lida diretamente com memórias institucionais diversas e que atua com a promoção da preservação digital.

Palavras-chave: Intermediação de informação. Memória. Preservação digital. Ibict.

Anúncios

O papel da biblioteca universitária como mediadora da informação para construção de conhecimento coletivo

SANTOS, Raquel do Rosário; GOMES, Henriette Ferreira; DUARTE, Emeide Nóbrega. O papel da biblioteca universitária como mediadora da informação para construção de conhecimento coletivo. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, abr. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/abr14/Art_04.htm>. Acesso em: 16 jun. 2014.

Resumo
A biblioteca universitária necessita reavaliar constantemente suas atividades, de modo a cumprir seu papel de auxiliar o sujeito a suprir suas necessidades de informação. Apresenta-se como um ambiente propício para a construção e trocas de saberes, quando pratica um exercício constante de interlocução com o meio no qual está inserida, fomentando a interação entre os sujeitos e potencializando suas atividades de mediação da informação. Nessa perspectiva, objetiva-se com este artigo de aporte teórico, delinear o papel da Biblioteca universitária como mediadora da informação para construção de conhecimento coletivo. Para que os sujeitos, usuários, se desenvolvam e expandam seus conhecimentos é necessário que ocorra uma interação com outros sujeitos, os bibliotecários, mas essa interação deve ser promovida pelos ambientes que propiciem a mediação ao acesso às informações, a fim de suprir as necessidades informacionais dos usuários, beneficiando a troca de informações, a discussão e a construção coletiva de conhecimento. Como papel primordial da biblioteca universitária é ascendente a intensificação, utilização e a exploração mais ativa dos seus espaços virtuais, nos quais, os sujeitos, além de acessarem conteúdos, também possam produzir e disponibilizar suas informações, o que poderá ressignificar as práticas dos bibliotecários e contribuir com o próprio processo de inclusão social e digital dos usuários.

Palavras-chave: Biblioteca universitária; Mediação da informação; Redes sociais – Biblioteca universitária; Comunicação – Bibliotecas universitárias.

Mediação da informação para agentes sociodigitais: o salto

NEVES, Bárbara Coelho. Mediação da informação para agentes sociodigitais: o salto. Ciência da Informação, Brasília, v. 40, n. 3, p. 413-424, set./dez. 2011. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/view/1954/1438>. Acesso em: 11 out. 2013.

Resumo
Os conceitos de mediação da informação e competência informacional são retomados neste artigo de revisão, como elementos potencializadores do salto qualitativo de sujeitos quando submetidos a atividades no computador e na internet. Destaca-se a importância da discussão da mediação da informação e da competência informacional no aspecto da inclusão sociodigital. Busca-se atingir dois objetivos específicos: a) considerar, de acordo com aspectos da competência informacional, as potencialidades de um mediador humano em ponto de inclusão digital; b) descrever as competências individuais esperadas por esse mediador. Considera-se que o mediador de inclusão digital, assim como nas bibliotecas, é o agente que potencializa os saltos dos usuários no trato com a informação acessada nesses ambientes digitais.

Palavras-chave: Mediação da informação. Competência informacional. Inclusão sociodigital. Mediação humana. Letramento Informacional.

Biblioterapia com Crianças com Câncer

BERNARDINO, Maria Cleide Rodrigues; ELLIOTT, Ariluci Goes; ROLIM NETO, Modesto Leite. Biblioterapia com Crianças com Câncer. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 3, p. 198-210, set./dez., 2012. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/10992/pdf>. Acesso em: 13 jul., 2013.

Resumo
Introdução: Relato de experiência do projeto de extensão “Biblioterapia com crianças com  câncer, a leitura como atividade lúdica”, realizado pelo Curso de Biblioteconomia, da  Universidade Federal do Ceará – UFC / Campus Cariri.
Objetivo: Humanizar o tratamento das crianças hospitalizadas, realizando a leitura de histórias com propósitos terapêuticos.
Metodologia: Leitura em grupo e individual, a contação de histórias, dramatização e oficinas de desenho.
Resultados: A biblioterapia conduz à pacificação das emoções, a desfocalização do problema de saúde enfrentado, reforçado pelas qualidades estéticas oferecidas pela literatura. A leitura apazigua as emoções resultantes da doença e conduzem a estados de espíritos suscetíveis ao tratamento.
Conclusões: Os cursos de graduação em Biblioteconomia estão percebendo nesta área o incentivo a novos processos de aprendizagens e competências, através dos indicadores saúde-doença na complementaridade necessária para trazer a tona à humanização e a ética, em meio às circunstâncias vivenciadas no ambiente hospitalar.

Palavras-Chave: Biblioterapia. Leitura – função terapêutica. Biblioterapia – câncer.

Palavras-chave: possibilidades de mediação da informação

TONELLO, Izângela Maria Sansone; LUNARDELLI, Rosane Alvares; ALMEIDA JUNIOR, Oswaldo Francisco de. Palavras-chave: possibilidades de mediação da informação. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n. 2, p. 21-34, ago. 2012. Disponível em: <ttp://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/4524>. Acesso em: 31 maio 2013.

Resumo:
A expressiva quantidade e variedade de informações que são veiculadas em diferentes suportes e meios e a diversidade de usuários que buscam acessá-las, constituem-se atualmente foco de interesse e preocupação da área da Ciência da Informação. Dentro desse contexto, destacam-se as palavras-chave como mediadoras entre a informação registrada e de quem dela necessita. Caracterizada como parte do processo da mediação implícita, as palavras-chave são representações do conteúdo temático do documento elaboradas por profissionais especializados. Nessa perspectiva o texto em pauta busca evidenciar a estreita relação entre a mediação da informação e a elaboração e/ou indicação de palavras-chave que representem o mais fidedignamente possível o conteúdo do documento.

Palavras-chave: Mediação da informação; Análise documentária; Palavras-chave.

Biblioterapia na Ciência da Informação: Comunicação e Mediação

GUEDES, Mariana Giubertti; BAPTISTA, Sofia Galvão. Biblioterapia na Ciência da Informação: Comunicação e Mediação. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianopólis, v.18, n.36, p.231-253, jan./abr.. 2013. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2013v18n36p231 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
O artigo apresenta uma reflexão crítica sobre a Biblioterapia como objeto de estudo da Ciência da Informação (CI), tendo nesta perspectiva, avaliação das características intrínsecas da Biblioterapia dentro da fundamentação da CI, destacando aspectos cognitivos, sociais e interdisciplinares. Pela aplicação variada, a Biblioterapia tem várias definições indicadas no artigo, sendo analisado seu processo no ponto de vista de diversos autores. Analisam-se princípios da Ciência da Informação e do processo comunicacional para a comparação com a Biblioterapia. Neste contexto, destaca-se a atuação biblioterapêutica como uma forma de comunicação e mediação da informação, sendo avaliado o processo comunicacional (seleção, leitura e interpretação de textos com indivíduos) e o profissional mediador (biblioterapêuta).

Palavras-chave: Biblioterapia; Mediação da Informação; Comunicação da Informação; Mudança cognitiva; Bibliotecário

A competência em informação e o bibliotecário mediador da leitura em Biblioteca Pública

CAVALCANTE, Lidia Eugenia; RASTELI, Alessandro. A competência em informação e o bibliotecário mediador da leitura em Biblioteca Pública. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianopólis, v.18, n.36, p.157-180, jan./abr.. 2013. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2013v18n36p157 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
A competência em informação (information literacy) está no núcleo do aprendizado ao longo da vida. Seu conceito veicula-se à necessidade de se exercer o domínio sobre o sempre crescente universo informacional, abrangendo-se em três dimensões: conhecimento, habilidades e atitudes. Como mediadores de leitura, os bibliotecários devem buscar o aprendizado contínuo e a melhoria de suas qualificações e competências, envolvendo-se e colaborando com a crescente demanda evidenciada nos diversos segmentos da sociedade, a exemplo da escola e da biblioteca pública. Na função de agente socializador da informação, o bibliotecário contribuirá no processo de aprendizagem dos indivíduos através das mais diversas formas de leituras e suportes, como também em suas práticas, ajudando o leitor a atingir nível elevado de complexidade no processo de leitura/escrita e na produção de sentidos. Refletir o papel do bibliotecário como agente educacional e a biblioteca pública enquanto equipamento multicultural, pluralista e aprendente, tornam-se a base dessa transformação, demonstrando que a biblioteca pública não é lugar de estoques estanques, mas sim, espaços de possibilidades de transformação, esse, portanto, é do que trata esse estudo.

Palavras-chave: Competência em Informação; Leitura; Mediação de Leitura; Biblioteca Pública.

Conhecimento, informação e meios de transmissão cultural

MOSTAFA, Solange Puntel. Conhecimento, informação e meios de transmissão cultural. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.95-100, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/14993 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
A crítica ao fechamento da Ciência da Informação e da categoria Informação nos anos noventa ensejou contemplar o tema da Mediação cultural para abrigar o conhecimento artístico ou cultural e não apenas o conhecimento científico. Aproxima a noção de cultura-ação da noção do rizoma deleuziano para ser possível apresentar exemplos de exposições a um só tempo artísticas, científicas e filosóficas.

Palavras-chave: Ciência da Informação. Mediação cultural. Exposições artísticas

A Responsabilidade social na formação do bibliotecário brasileiro

MORAES, Marielle Barros de; LUCAS, Elaine de Oliveira. A Responsabilidade social na formação do bibliotecário brasileiro. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 109-124, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/24107/19763>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Evidencia a importância de pesquisas em torno dos currículos escolares, com o objetivo de compreender os saberes e as práticas contempladas nos mesmos. O texto toma como eixo analítico as temáticas da organização e mediação da informação presentes nos textos concernentes à formação de bibliotecários no Brasil. Portanto, analisa os documentos do Ministério da Educação (MEC) e da Associação Brasileira de Ensino em Ciência da Informação (ABECIN), referentes aos novos modelos formativos de bibliotecários, tentando visualizar se, em seu conteúdo, estão contempladas questões referentes à responsabilidade social. Os resultados afirmam que estão sendo cada vez mais importantes que os conteúdos relativos à ética e à responsabilidade social estejam contemplados nas mais diversas disciplinas de formação do bibliotecário, mas não uma responsabilidade social que é praticada pela maioria dos empresários, mas sim voltada para os usuários.

Palavras-chave: Formação de bibliotecários. Mediação da informação. Organização da Informação. Responsabilidade
social.

A mediação da informação através da comunidade virtual Anobii: um estudo de caso

CRIPPA, Giulia; CARVALHO, Larissa Akabochi de. A mediação da informação através da comunidade virtual Anobii: um estudo de caso. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianopólis, v.17, n.35, p.97-120, set./dez. 2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17n35p97 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
O desenvolvimento da tecnologia modificou as relações com o acesso ao conhecimento. As comunidades virtuais, possíveis de existir graças às plataformas tecnológicas, modificaram as formas de circulação e apropriação da informação, inclusive aquela relativa aos livros e à leitura. Nesse sentido, procura-se analisar as práticas de leitura e de mediação da informação através do estudo em uma comunidade virtual para leitores, o site http://www.anobii.com. Como método de pesquisa, utiliza-se a “netnografia” para avaliar a funcionalidade do site e a relação que os leitores estabelecem com as suas páginas, explorando o entrelaçamento que se constitui entre o suporte tecnológico, o qual permite formas específicas de “interação” na produção da informação sobre livros, e os perfis de leitura. Evidencia-se, assim, a importância do Anobii enquanto mediador da informação, tendo como base os princípios da Estética da Recepção.

Palavras-chave: Leitura. Tecnologia. Mediação da Informação. Comunidades Virtuais. Anobii.

La biblioteca pública como mediadora en la construcción de la ciudadanía

GIRALDO, Yicel; BETANCUR, Gloria Elena Román. La biblioteca pública como mediadora en la construcción de la ciudadanía. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 211-230, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/19475/12496>.  Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo

El artículo enfatiza en la mediación de la biblioteca pública en la construcción de la ciudadanía. Con este propósito, recurre a su consideración como ambiente educativo que promueve el encuentro de los/as ciudadanos/as. Inicialmente, describe la situación social en la cual tiene lugar el problema de la investigación y que tiene que ver con la manera cómo las personas han transformado sus representaciones acerca de la biblioteca pública, de la mano de las intervenciones sociales y estatales que se vienen generando en las grandes ciudades colombianas. A continuación, expone los elementos metodológicos más importantes del trabajo. Seguidamente, muestra los principales hallazgos en la indagación sobre las representaciones que tienen los niños y las niñas sobre la biblioteca pública. Para terminar, presenta una propuesta interpretativa acerca de los núcleos de sentido de la biblioteca pública como institución social, ambiente educativo y escenario de socialización política. Al final presenta un listado de referencias bibliográficas.

Palavras-chave: Biblioteca pública. Ambiente educativo. Representaciones sociales. Ciudadanía.

A Cidade-Cinema expressionista: uma análise das distopias urbanas produzidas pelo Cinema nas sete primeiras décadas do século XX

BARROS, José D’Assunção. A Cidade-Cinema expressionista: uma análise das distopias urbanas produzidas pelo Cinema nas sete primeiras décadas do século XX. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 161-177, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/18174/12485>.  Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo

Vocabulário utilizado, as cidades idealizadas pelo Cinema a partir de produções fílmicas específicas. A ênfase recai sobre as cidades imaginárias produzidas pelas distopias futuristas encaminhadas pelo Cinema, examinando elementos de sua arquitetura, espacialidade, organização social, e buscando perceber a sua articulação com o roteiro do filme. A hipótese de trabalho apresentada é a de que as cidades imaginárias sempre expressam, de alguma forma, os medos, angústias, anseios, esperanças ou demandas da sociedade que as produziu. Neste sentido, operacionaliza-se aqui a postura metodológica que considera o real e o imaginário não como dimensões separáveis, mas complementares e constituintes de uma unidade complexa. O exemplo central examinado é o do filme Metrópolis, de Fritz Lang, realização máxima das distopias futuristas expressionistas.

Palavras-chave: Cinema. Cidade. Futuro. Imaginário. Distopia.

Mediações artísticas e informacionais no contexto urbano: algumas reflexões e paradoxos

ALMEIDA, Marco Antônio de; CRIPPA, Giulia. Mediações artísticas e informacionais no contexto urbano: algumas reflexões e paradoxos. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 127-142, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/18852/12492>.  Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo

O trabalho traz aportes para discutir a natureza da mediação artística e patrimonial no espaço urbano, considerando seus aspectos informacionais e comunicacionais. Algumas manifestações culturais em cidades de diversos portes são utilizadas para fornecer elementos e hipóteses que marcam sua diferença em relação aos espaços institucionais tradicionais. Destaca-se a necessidade de se buscar novas referências e parâmetros que levem em conta, de maneira positiva, o papel ativo e os repertórios dos usuários. O texto encerra refletindo brevemente acerca de políticas culturais que respeitem essas especificidades, e nos novos desafios envolvidos em pensar mediações apropriadas para este fim.

Palavras-chave: Mediação. Informação. Arte. Cidade. Culturas híbridas.

A construção subliminar do “atraso” no noticiário de El Universal sobre a reforma constitucional venezuelana de 2007

MENDES, Gláucia da Silva. A construção subliminar do “atraso” no noticiário de El Universal sobre a reforma constitucional venezuelana de 2007. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 111-126, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/18816/12489>.  Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo

O presente trabalho analisa a representação construída pelo jornal venezuelano El Universal sobre o projeto de reforma constitucional proposto por Hugo Chávez em 2007. Parte-se da hipótese de que o noticiário reproduz o discurso do “atraso” associado pela ideologia liberal a modelos anti-liberais que vicejaram na América Latina em outros momentos históricos. Para verificá-la, empreende-se uma análise calcada nos fundamentos da escola francesa de análise do discurso. O estudo evidencia que as marcas discursivas majoritárias na cobertura associam à reforma os principais argumentos da ideologia liberal na crítica a modelos anti-liberais. Conclui-se que, ao reverberar esses sentidos, El Universal reproduz, de forma subliminar, o discurso do “atraso”.

Palavras-chave: Jornalismo. Construção da realidade. Ideologia liberal. Governo Hugo Chávez.

La representación mediática del conflicto político: un estudio sobre la cobertura informativa del enfrentamiento entre “gobierno y campo” en 2008

ANDRÉS ZUNINO, Esteban. La representación mediática del conflicto político: un estudio sobre la cobertura informativa del enfrentamiento entre “gobierno y campo” en 2008. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 93-109, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/18979/12493>.  Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo

Este trabajo se propone analizar la cobertura mediática del diario Clarín sobre la implementación de la Resolución 125/08 de retenciones móviles a las exportaciones agrícolas. Esta medida fue el detonante de un conflicto de características inéditas entre los sectores más poderosos del agro y el gobierno de la Republica Argentina. A partir del Análisis de Contenido se procura describir el grado de relevancia otorgado al caso en el medio, la valoración predominante del tratamiento noticioso y los atributos con los que fueron presentados los temas en el período comprendido entre el 11 de marzo de 2008, momento del anuncio de la Resolución 125, hasta el 17 del mismo año, día de su derogación en el Senado de la Nación. La base conceptual del trabajo empírico de este proyecto será la teoría de la Agenda Setting.

Palavras-chave: Conflicto. Campo. Gobierno. Medios. Agenda.

Disseminação da informação em empresas de capital aberto e os processos de mediação da informação

LOPES, Elaine Cristina; VALENTIM, Marta Lígia Pomim; ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. Disseminação da informação em empresas de capital aberto e os processos de mediação da informação. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 79-92, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/18827/12490>.  Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo

Governança corporativa pode ser entendida como o conjunto de mecanismos de gestão, que através de controles internos e externos visam reduzir a distância entre acionistas minoritários e o poder de controle da empresa. Nesse contexto, a gestão da informação, a mediação da informação e a disseminação da informação se fazem necessárias, visto que o estabelecimento da boa comunicação, rápida e clara, a fim de estabelecer um clima de confiança na relação da empresa com a sociedade, credores, colaboradores e, especialmente, investidores é extremamente importante. No Brasil, o modelo criado pela Bolsa de Valores de São Paulo chamado de ‘Novo Mercado’, traz em seu escopo regras de conduta adicionais às exigidas pela legislação brasileira e possui como base a equidade no tratamento entre partes, a transparência na disseminação de informações e responsabilidade na prestação de contas. Este artigo apresenta algumas considerações acerca do modelo de gestão da informação, os padrões adicionais de disseminação de informações, bem como o processo de mediação da informação relacionado à governança corporativa nesse ambiente empresarial.

Palavras-chave: Disseminação da informação. Mediação da informação. Processos de mediação. Gestão da informação. Governança corporativa.

Juscelino Kubitschek: o mito na minissérie JK

MILDER, Camilla Rodrigues; CASALI, Caroline. Juscelino Kubitschek: o mito na minissérie JK. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 49-64, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/16580/12481>.  Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo

A pesquisa tem como objetivo investigar a construção da imagem do ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira na minissérie global JK. A hipótese inicial consistia na idéia de que a emissora construiu Juscelino Kubitschek como mito na minissérie e, para investigá-la, optou-se pela análise sob a ótica das figuras de expressão do mito propostas por Roland Barthes. Também foram estudadas biografias e revistas veiculadas na época do mandato de Juscelino, tais como O Cruzeiro e Manchete, para traçar uma comparação entre os fatos históricos que marcaram a trajetória de JK e a forma como o discurso midiático trabalhou estes fatos. Os resultados demonstram que a minissérie global legitimou um mito que vinha sendo midiaticamente construído desde seu mandato presidencial.

Palavras-chave: Juscelino Kubitschek. Mito midiático. Televisão. Minissérie.

Processo de transformação das políticas de informação no estado informacional

PINHEIRO, Marta Macedo Kerr. Processo de transformação das políticas de informação no estado informacional. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 113-126, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/30/60>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

A crescente complexidade do mundo exige, mais que em outras eras, o estabelecimento de políticas de informação. Estas representam verdadeiro desafio para países, governos e organizações pela aceleração do tempo e dos fluxos de informação e de comunicação, sobretudo na mudança dos Estados de burocráticos a informacionais. Este artigo busca verificar as mudanças nos processos de construção da política de informação a partir do movimento da sociedade da informação e a conseqüente mudança no papel do Estado. Seu objetivo é compreender como a apresentação do documento de uma política de informação pode vir a afetar as formas de mediação para o uso pertinente da informação. Os conceitos de mediação, tradução e Estado informacional foram os pilares teóricos escolhidos. A definição de uma política de informação, seus campos de aplicação e a forma de compartilhamento com a população não parece clara nem adequada, necessitando que as ciências da informação atuem como mediadoras no processo de construção do documento desta política.

Palavras-chave: Política de informação. Estado informacional. Mediação da informação. Tradução do documento.

Tendências de pesquisa sobre mediação, circulação e apropriação da informação no Brasil: estudo em periódicos e anais dos ENANCIB (2008-2009)

GOMES, Henriette Ferreira. Tendências de pesquisa sobre mediação, circulação e apropriação da informação no Brasil: estudo em periódicos e anais dos ENANCIB (2008-2009). Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 85-99, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/28/58>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Estudo cientométrico sobre as tendências de pesquisa no Brasil acerca da mediação, circulação e apropriação da informação, a partir de amostra constituída pelas produções científicas de 2008 e 2009 constantes dos anais do Encontro Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação (Enancib) e de cinco dos mais importantes periódicos científicos brasileiros do campo da Ciência da Informação (CI): Ciência da Informação; Perspectivas em Ciência da Informação; Informação & Sociedade: Estudos; Datagramazero e Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação (2008-2010). Os resultados indicam crescimento do número de pesquisas sobre mediação humana, cultural e tecnológica; geração, produção, comunicação e apropriação da informação; busca, acesso e uso da informação; linguagens, produção simbólica e memória; leitura; necessidades e comportamento informacional, competência em informação; redes e fluxos de informação e inclusão digital. Identificam-se, ainda, zonas de interseção entre alguns temas de pesquisa abordados no Grupo de Trabalho 3 (GT3) e em outros GT da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação e Biblioteconomia (Ancib), o que sugere a importância de uma avaliação do escopo temático dos GT, contribuindo para o dimensionamento epistemológico da CI no Brasil.

Palavras-chave: Mediação da informação. Circulação da informação. Apropriação da informação. Ciência da Informação – Brasil.

Redes sociais, mediação e apropriação de informações: situando campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação

MARTELETO, Regina Maria. Redes sociais, mediação e apropriação de informações: situando campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 27-46, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/26/56>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Informação e redes sociais são conceitos transversais que encontram abrigo de passagem em diferentes domínios de conhecimento, mídias, campos sociais ou comunidades profissionais. O intercâmbio, o fluxo, o uso e a apropriação de informações dependem, por sua vez, da capacidade de indivíduos, grupos e organizações de se associarem para o aprendizado, o compartilhamento, a mobilização e a ação coletiva em redes sociais. Este artigo pretende, primeiramente, delinear os arcabouços teóricos e metodológicos do conceito de redes sociais para em seguida, e sem pretensão de exaustão, recuperar os caminhos dos estudos das redes sociais associados aos fenômenos da informação no Brasil, demarcando temas, objetos e conceitos. Por fim, ressalta-se o valor do emprego da teoria e da metodologia de redes sociais, de maneira a configurar “zonas de mediações” nos processos de produção, comunicação e apropriação de informações em espaços concretos ou virtuais.

Palavras-chave: Redes sociais. Mediação e apropriação de informações. Campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação.

Mediação tecnológica da informação no parlamento: estudo de uma assembléia legislativa no contexto brasileiro

DALBOSCO, Vagner; VIEIRA, Angel Freddy Godoy. Mediação tecnológica da informação no parlamento: estudo de uma assembléia legislativa no contexto brasileiro. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v.21, n.3, p.119-130, set./dez. 2011. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10332 >. Acesso em: 26 jul. 2012.

Resumo:
Este artigo sintetiza os resultados da pesquisa que analisou o fluxo de informação no ambiente interno da Assembléia Legislativa de Santa Catarina, com foco no uso de Tecnologias de Informação e Comunicação – TIC para a mediação informacional. O estudo de caráter quantitativo e qualitativo constatou que a instituição carece de uma política integrada e estratégica no sentido de promover a mediação tecnológica da informação em seu ambiente interno, fato este que contribui para a fragmentação de informações e dificuldades quanto à sua recuperação e uso por parte do usuário. Como conseqüência, há uma significativa recorrência dos usuários a recursos informais para suprir suas necessidades de informação, além do uso significativo de fontes e canais humanos e impressos. Conclui-se que a Assembléia Legislativa de Santa Catarina tem um longo caminho a percorrer para alcançar uma gestão mais transparente, participativa e eficaz no que diz respeito à mediação tecnológica da informação inerente aos parlamentos eletrônicos deste início de século XXI.

Palavras-chave: Mediação da informação; Fluxo de informação; Tecnologia da Informação e Comunicação; Parlamento eletrônico.

Em busca da pedagogia da emancipação na educação para a competência em informação sustentável

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. Em busca da pedagogia da emancipação na educação para a competência em informação sustentável. Rev. Dig. Bibl. Ci. Inf., Campinas, v. 9, n. 1, p. 166-183, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://polaris.bc.unicamp.br/seer/ojs/index.php/sbu_rci/article/view/502>.

Resumo
O projeto de pesquisa Competências Info-Midiáticas no Ensino Superior (CIMES), ainda em andamento, permite neste momento apresentar apenas alguns resultados parciais. Tomando por base o campo de estudos internacionalmente reconhecido como IML (Information and Media Literacy), o projeto CIMES tem por objetivo implantar um Sistema Educacional Interativo de Promoção da Competência Info-Midiática dos Estudantes de Ensino Superior das universidades públicas brasileiras. Considerando a magnitude do projeto, várias frentes de trabalho têm sido desenvolvidas, traduzidas em sub-projetos a serem implementados paulatinamente, com a colaboração de diferentes agentes. Um destes sub-projetos está relacionado à conceituação da educação para a competência info-midiática e a definição dos processos de ensino-aprendizagem-avaliação. O objetivo deste artigo não é descrever o projeto e sim propor uma reflexão a respeito das diferentes concepções pedagógicas possíveis a serem utilizadas nos processos de educação para a competência em informação. Com base na revisão teórica feita até o momento, resultados parciais revelam que há distintas concepções e apropriações da pedagogia da competência em informação, determinando diferentes tipos e níveis de ação e intervenção no processo de ensino-aprendizagem-avaliação, e respectivos resultados. A pedagogia da competência em informação, em seu nível mais elevado, conduz à emancipação do estudante como usuário e produtor de informação. Definida como fenômeno dialético, a pedagogia da emancipação constrói-se ininterruptamente mediante um diálogo recursivo entre o ser humano e a realidade, entre sujeito e sociedade, entre meio e mensagem. A proposta é avançar na discussão sobre o modelo pedagógico a ser adotado e, a partir dele, considerar o design do processo educacional como um todo.

Palavras-chave: Competência em informação; Pedagogia da emancipação; Mediação pedagógica; Abordagem freireana; Ação comunicativa.

A informação artística

PIROLO, Ana Claudia Inacio da Silva. A informação artística. Rev. Dig. Bibl. Ci. Inf., Campinas, v. 9, n. 1, p. 1-35, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://polaris.bc.unicamp.br/seer/ojs/index.php/sbu_rci/article/view/464>.

Resumo
Estudo da arte sob a ótica da Ciência da Informação com o objetivo de identificar a função da informação na formação do público para arte e sua contribuição na democratização da arte. Para isso empreendeu-se uma pesquisa bibliográfica com o objetivo de analisar a associação da Arte e da Ciência da Informação. Realizou-se um estudo empírico sobre o comportamento do público em relação a usabilidade da informação sobre a arte para interpretar a obra estética. Com isso expande-se a compreensão das condições de recepção da obra estética quando mediada pela informação.

Palavras-chave: Informação. Arte. Mediação. Sistemas de informação. Formação de público. Consumo.

A internet, a mediação e a desintermediação da informação

SILVA, Edna Lúcia da; LOPES, Marili Isensee. A internet, a mediação e a desintermediação da informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, abr. 2011. Disponível em: http://www.dgz.org.br/abr11/Art_04.htm. Acesso em: 13 abr. 2011.

Resumo
Reflexão sobre o papel assumido pelas tecnologias da informação (TICs) na sociedade contemporânea. A internet, em especial, diminuiu distâncias e permitiu o transporte de informações de uma maneira instantânea, reconfigurando a noção de espaço geográfico, criando um novo espaço virtual, que supera as fronteiras do mundo físico. A Internet, entre outros aspectos, libertou os usuários da informação de sua dependência de intermediários, eliminando barreiras e proporcionando oportunidades para o acesso direto aos produtos de informação em qualquer hora ou local e de forma independente. Esse fenômeno gerado pela autonomia dos usuários na busca de informação tem sido rotulado de desintermediação da informação. Assim, acredita-se que com o avanço e a incorporação das TICs, especificamente da Internet, nas atividades das unidades de informação, em especial das bibliotecas universitárias, ocorreu um deslocamento de objetivos dessas instituições, pois passaram a visualizar a sua atuação e o fluxo de suas atividades com base em novo paradigma, o paradigma de acesso à informação, em substituição ao paradigma de posse da informação. Neste sentido, discute-se as mudanças proporcionadas pelas TICs nas atividades exercidas pelos bibliotecários, especificamente no processo de busca da informação, bem como no papel da biblioteca como mediadora da informação em função do uso das redes eletrônicas pelas comunidades científicas.

Palavras-chave: Desintermediação da informação; Bibliotecas universitárias; Internet; Busca da informação; Comunidade cientifica.

A mediação da informação pelas bibliotecas universitárias: um mapeamento sobre o uso dos dispositivos de comunicação na web

GOMES, Henriette Ferreira; PRUDÊNCIO, Deise Sueira; CONCEIÇÃO, Adriana Vasconcelos da. A mediação da informação pelas bibliotecas universitárias: um mapeamento sobre o uso dos dispositivos de comunicação na web. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 20, n. 3, p. 145-156, set./dez. 2010. Disponível em: <http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/9047>. Acesso em: 15 fev. 2011.

Resumo
Estudo descritivo sobre a mediação desenvolvida pelas bibliotecas das universidades públicas brasileiras através de seus sites e do uso dos dispositivos da web social para comunicação direta com seus usuários. Os resultados apresentados correspondem à etapa do levantamento (survey) exaustivo que subsidia uma pesquisa acerca da “Mediação para leitura e escrita nas atividades das bibliotecas das universidades públicas brasileiras”, que tem o objetivo de identificar as experiências realizadas por esse tipo de biblioteca, seus limites e potencialidades no apoio às práticas de leitura e produção escrita. Com a conclusão do levantamento censitário, observou-se a fraca utilização dos dispositivos da web pelas bibliotecas das IES públicas para o desenvolvimento de ações de mediação, embora boa parte desse universo já disponha de sites para acesso e uso da informação pelos usuários.

Palavras-chave: Biblioteca universitária – Mediação da Informação. Biblioteca universitária – Leitura. Biblioteca universitária – Escrita. Biblioteca universitária – Utilização da web.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos