//
arquivos

Ontologia

Esta tag está associada a 38 posts

Tecnologias de dados abertos para interligar bibliotecas, arquivos e museus: um caso machadiano

SANTOS NETO, Antonio Laurindo dos et al. Tecnologias de dados abertos para interligar bibliotecas, arquivos e museus: um caso machadiano. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 81-87, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1790/1706>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
O artigo propõe um caso fictício para ilustrar o uso das tecnologias de Dados Abertos Interligados como mecanismos para tornar interoperáveis informações em acervos de bibliotecas, arquivos e museus, utilizando como exemplo as informações sobre o escritor Machado de Assis e sua obra. Utilizou-se como método o estudo de um caso restrito e ilustrativo, não exaustivo. Aplicaram-se diferentes vocabulários para interligação dos dados e para sua representação, utilizando os princípios do Linked Data; sugere-se que os profissionais da informação usufruam dessa potencialidade e busquem novas aplicações para ampliar a interoperabilidade dos dados disponíveis na Web.

 
Palavras-chave: Dados abertos interligados. Machado de Assis. Ontologias. Resource Description Framework. Web semântica.

Instrumentos de Representação do Conhecimento para práticas de Gestão do Conhecimento: taxonomias, tesauros e ontologias

BEM, Roberta Moraes; COELHO, Christianne Coelho de Souza Reinisch. Instrumentos de Representação do Conhecimento para práticas de Gestão do Conhecimento: taxonomias, tesauros e ontologias. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 1, p. 147-162, jan./jun. 2013. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/59106>. Acesso em: 04 ago. 2014.

Resumo:
Em virtude da diversidade de instrumentos e ferramentas para a representação do conhecimento existentes na literatura para apoio à Gestão do Conhecimento, fez-se uma revisão de literatura do tipo sistemática para verificar a existência e aplicabilidade desses recursos. De acordo com os critérios pré-estabelecidos da revisão foram localizados noventa trabalhos, respaldando a discussão que se seguiu a respeito da aplicabilidade dos instrumentos. Observaram-se aplicações com todos os instrumentos, porém uma predominância de estudos e abordagens no uso de ontologias, se comparado aos demais instrumentos de representação do conhecimento ─ taxonomias e tesauros. Todavia, independentemente do instrumento utilizado, percebe-se a importância do controle terminológico, além da preocupação com a escolha da ferramenta mais adequada. Pois não é possível compartilhar, reutilizar e disseminar conhecimentos com acepções diversas.

Palavras-chave: Gestão do Conhecimento; Instrumentos de Representação do Conhecimento; Tesauros; Taxonomias; Ontologias.

Em busca de uma semântica do digital, ou “as they may think”

MARCONDES, Carlos Henrique. Em busca de uma semântica do digital, ou “as they may think”. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n. 2, p. 35-73, ago. 2012. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/6103>. Acesso em: 31 maio 2013.

Resumo:
Discute as reais possibilidades de processamento “semântico” por parte dos computadores, conforme a proposta da Web Semântica (Berners-Lee, 2001). A partir desta proposta de agregar “semântica” aos conteúdos disponiblizados na Web de modo a potencializar seu processamento por programas “agentes inteligentes”, são analisadas questões como: o que é Semântica em diferentes acepções, a arquitetura e funcionamento interno dos computadores e sua real capacidade de processamento semântico de conteúdos. O objetivo é chegar ao conceito de uma possível “semântica” computacional, conseguir uma maior clareza quanto ao que se pode esperar, o que é possível e o que é ilusório ou metafórico, da proposta da Web Semântica e até onde esta poderá potencializar computadores para processamento “inteligente”.

Palavras-chave: Web Semântica; Semântica computacional; Ontologia; Inferência computacional; Ciências cognitivas; Ensino de Ciência da Informação.

Estudos brasileiros sobre ontologia na Ciência da Informação

SANTOS, Monick Trajano dos; CORREA, Renato Fernandes; SILVEIRA, Murilo Artur Araújo da. Estudos brasileiros sobre ontologia na Ciência da Informação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, fev. 2013. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/fev13/Art_05.htm>. Acesso em: 14 fev. 2013.

Resumo
Sistematiza e analisa a produção científica no Brasil sobre ontologia na área da Ciência da Informação, investigando as citações e o nível de aceitação das citações em artigos de periódicos científicos brasileiros em relação aos conceitos, os componentes e os usos de ontologias. A revisão bibliográfica parte do pressuposto de que as ontologias são instrumentos de representação do conhecimento na Ciência da Informação, entretanto são diversas as definições, as descrições estruturais e propostas de aplicação apresentadas na literatura. A metodologia consiste na coleta e análise de artigos de periódicos que abordem a temática ontologia, publicados entre os anos de 2000 a 2010 e indexados na Base de Dados Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação (Brapci). Faz uso de análise de conteúdo e de citação procurando evidenciar as categorias ou contextos de citação mais abordados, os trabalhos e autores mais citados, o nível de aceitação das citações dentro das categorias analisadas, bem como os trabalhos mais aceitos. Os resultados apontam maior empenho das pesquisas em consolidar a definição da ontologia e seu uso no contexto dos sistemas de informação documental do que discutir sua estrutura em termos de componentes. Os autores mais citados e trabalhos mais aceitos são na maioria estrangeiros, mas existem pesquisadores brasileiros entre os mais citados nas categorias de conceito e uso de ontologia.

Palavras-chave: Ontologias; Estudos de citação; Ciência da Informação; Brasil; Periódicos científicos; Representação do conhecimento.

Um roteiro para avaliação ontológica de modelos de sistemas de informação

OLIVEIRA, Viviane Nogueira Pinto de; ALMEIDA, Mauricio Barcellos. Um roteiro para avaliação ontológica de modelos de sistemas de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 16, n. 1, p. 165-184, jan./mar. 2011. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/983>. Acesso em: 30 jan. 2013.

Resumo
No âmbito dos sistemas de informação, uma ontologia pode ser usada tanto como um componente do sistema quanto como uma referência, ou seja, um padrão de comparação para avaliar a representatividade do modelo subjacente ao sistema. O presente artigo explora o segundo tipo de aplicação, discutindo o uso ontologias na criação de modelos conceituais. Apresentam-se
fundamentos do processo de criação de modelos para sistemas de informação e exemplos de ontologias utilizadas como referência. Propõe-se um roteiro para avaliação ontológica de modelos sob o ponto de vista da linguagem de modelagem e descreve-se um estudo de caso para testar a viabilidade da proposta. Espera-se contribuir para a pesquisa que envolve ontologias e modelagem conceitual, através de resultados empíricos.

Palavras-chave: Ontologias; Representação do conhecimento; Sistemas de informação; Modelos conceituais.

Um sistema autonômico baseado em ontologias e agentes inteligentes para uso em segurança da informação

AZEVEDO, Ryan Ribeiro de et al. Um sistema autonômico baseado em ontologias e agentes inteligentes para uso em segurança da informação. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianopólis, v.17, n.35, p.167-184, set./dez. 2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17n35p167 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Este artigo apresenta um sistema autonômico baseado em ontologias e agentes inteligentes para uso em Segurança da Informação, tendo como intuito resguardar a infraestrutura computacional e de tecnologia da informação protegidas de agentes maliciosos. Como suporte teórico para o desenvolvimento da pesquisa utilizou-se de conceitos da Ciência da Informação e Ciência da Computação. São apresentados resultados do uso do sistema proposto em ambiente simulado. Como estratégia de avaliação do sistema, foi realizada uma avaliação do uso do sistema em cenários simulados com intuito de verificar e analisar o potencial da ferramenta proposta e seu funcionamento autonômico nas atividades de segurança da informação. A avaliação consistiu da aplicação de ataques de negação de serviço (DoS – Denial of Service) e SYN Flooding. O AutoCore atingiu os objetivos desejados, os resultados apresentados demonstram que o AutoCore é uma ferramenta adequada para o tratamento e utilização da informação no que diz respeito à segurança da informação, possibilitando aos responsáveis pela Gestão de Riscos e Gestão de Segurança da Informação tomarem decisões estratégicas de alinhamento das Tecnologias de Informação e Comunicação e Segurança aos processos de negócios das organizações.

Palavras-chave: Representação do Conhecimento. Ontologias. Segurança da Informação. Tecnologia da Informação

Aquisição de conhecimento para construção de ontologias: uma proposta de roteiro metodológico aplicado ao contexto da hematologia

COELHO, Kátia Cardoso; ALMEIDA, Maurício Barcellos. Aquisição de conhecimento para construção de ontologias: uma proposta de roteiro metodológico aplicado ao contexto da hematologia. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianopólis, v.17, n.35, p.47-74, set./dez. 2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17n35p47 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Obter conhecimento especializado de um dado domínio do conhecimento é um desafio para diversos campos científicos. Em áreas correlatas às ciências da vida a terminologia é abrangente e complexa sujeita a diferentes interpretações para termos especializados. Esse tipo de problema, dentre outros relacionados, tem sido abordado há anos pela Ciência da Informação. O objetivo geral do presente trabalho é buscar alternativas para minimizar a distância entre o que o especialista tem a oferecer e aquilo que é de fato registrado como o que ele sabe. Para tal, foi proposto um roteiro para elicitação de conhecimento, para obtenção de conhecimento especializado sobre Mielopatia associada ao HTLV I. O universo empírico de dados corresponde à participação de pesquisadores do Grupo de Pesquisa em HTLV – GIPH, bem como a sua produção científica. Uma contribuição evidente da pesquisa é o roteiro metodológico descrito, que possibilitou a obtenção dos principais termos do domínio, candidatos à ontologia.

Palavras-chave: Aquisição de conhecimento. Expertise.  Conhecimento especializado. Terminologia biomédica. Construção de ontologias.

Ontologias: abordagens nas teses e dissertações das universidades públicas brasileiras

SOUZA JUNIOR, Mario Bastos de; CAFÉ, Lígia. Ontologias: abordagens nas teses e dissertações das universidades públicas brasileiras. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.2, p.81-98, maio/ago. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10054 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Diversas áreas do conhecimento vêm dando significativa atenção para a utilização de ontologias, como a Ciência da Computação, Ciência da Informação, Gestão do Conhecimento, entre outras. Esses estudos, entretanto, apresentam-se sob focos diferenciados e, muitas vezes, se encontram dispersos nos acervos brasileiros. É de suma importância, conhecer as várias abordagens adotadas sobre ontologias realizadas no Brasil. Este artigo é oriundo de uma pesquisa que teve como objetivo reunir, por meio de um levantamento de cunho analítico, os vários assuntos abordados em pesquisas de mestrado e doutorado sobre ontologias realizadas no Brasil. Para isso, foi adotado, no plano metodológico, o Método de Análise de Conteúdo de Laurence Bardin. A análise dos resultados proporcionou significativas contribuições para a compreensão do panorama das pesquisas desenvolvidas nas universidades públicas brasileiras sobre o tema. Constatou-se o predomínio da área de Ciência da Computação no estudo para desenvolvimento de ferramentas que se utilizam das ontologias e a importância da área de Ciência da Informação na realização de pesquisas de cunho teórico/metodológico, para a manutenção dos métodos de desenvolvimento.

Palavras-chave: Ontologia; Sistemas de Organização do Conhecimento; Web Semântica

Princípios metodológicos para a caracterização da dimensão pragmática de documentos no desenvolvimento de ontologias biomédicas

ALMEIDA, Mauricio Barcellos; CENDON, Beatriz Valadares; PINHEIRO, Marta Macedo Kerr. Princípios metodológicos para a caracterização da dimensão pragmática de documentos no desenvolvimento de ontologias biomédicas. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.1, p.105-117, jan./abr. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10361 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Desde que as sociedades se tornaram suficientemente complexas para se valer apenas da comunicação oral, os registros escritos tem desempenhado papel importante nas interações humanas. O uso ordinário do termo “documento” esconde a complexidade em definir o seu significado e sua abrangência. No âmbito da Ciência da Informação, o texto registrado em um documento é analisado quanto ao seu conteúdo para fins de recuperação da informação. Entretanto, não existe forma sistemática de caracterizar um documento de acordo com os efeitos sociais que este produz. Esse artigo é uma iniciativa nesse sentido e propõe princípios metodológicos para caracterizar a dimensão pragmática de documentos. São apresentados e discutidos casos de uso desses princípios na organização de documentos em ontologias no âmbito de projeto de biomedicina.

Palavras-chave: Documentos. Instituições sociais. Ontologias biomédicas – Desenvolvimento.

Ontologia de dependência tecnológica de documentos digitais: instrumento de apoio à preservação digital

YAMAOKA, Eloi Juniti; GAUTHIER, Fernando Ostuni. Ontologia de dependência tecnológica de documentos digitais: instrumento de apoio à preservação digital. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.17, n.esp. 2, p.211-226,  2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp2p211 >. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
Este artigo apresenta o uso da ontologia para modelar a dependência tecnológica de objetos digitais. Na computação e na ciência da informação, ontologia é um artefato que permite a modelagem de conhecimento em algum domínio e possibilitaespecificar um vocabulário para fazer asserções que podem ser utilizadas por software. Para a que possa ser compreensível por humanos, o documento digital exige o uso detecnologia. Essa dependência tecnológica requer um cuidadosoacompanhamentoda obsolescência dessas tecnologias utilizadas para a criação e visualização do documento digital. O ambiente tecnológico de uma organização que faz uso intensivo da tecnologia da informação e comunicação pode ser constituído de milhares de componentes inter-relacionados e a tarefa de verificar o impacto da desativação de determinada tecnologia é muito trabalhosa. Visando reduzir os efeitos desse problema, foi desenvolvida a ontologia DeTec, com o uso da Web OntologyLanguage (OWL). Para a modelagem foi utilizada a plataforma Protégé da Stanford University). A ontologia DeTecé constituída de oito classes principais que permite a identificação de quais tecnologias um objeto digital tem dependência. Essa funcionalidade possibilita evitar a desativação equivocada de uma tecnologia e a consequente perda dos objetos dela dependente.

Palavras-chave: Preservação Digital. Ontologia. Formatos de Arquivos. Dependência Tecnológica.

Ontologia: ambiguidade e precisão

SCHIESSL, Marcelo; BRÄSCHER, Marisa. Ontologia: ambiguidade e precisão. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.17, n.esp. 1, p.125-141,  2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp1p125 >. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
A ambiguidade é um grande obstáculo para a recuperação de informação. Tanto que ela é fonte de várias pesquisas na Ciência da Informação. As ontologias têm sido estudadas com foco na resolução de problemas oriundos de tais ambiguidades. Paradoxalmente, o termo “ontologia” é ambíguo e apresenta diferentes sentidos de acordo a comunidade que o utiliza. A Filosofia e a Ciência da Computação, talvez, possuam a maior divergência em relação ao significado do termo. A primeira possui séculos de tradição e autoridade incontestáveis. A segunda, bem mais recente, apresentou definições com sentido mais informal, porém pragmático. A Ciência da Informação busca ordenar acervos visando o equilíbrio entre usuário e informação e, para tal, se vale de abordagens filosóficas e computacionais. A Web Semântica demanda a automação do ciclo informacional e abre espaço para pesquisa em ontologias. Logo, é importante revisitar abordagens variadas de tal forma que elas forneçam noções úteis aos pesquisadores da área sem, contudo, abandonar o rigor filosófico, nem o pragmatismo característico da computação.

Palavras-chave: Ontologia. Representação da informação. Recuperação da informação. Web semântica. Ciência da informação.

PuertoTex: un software de minería textual para la creación de resúmenes automáticos en el dominio de ingeniería de puertos y costas basado en ontologías

LEIVA-MEDEROS, Amed; DOMÍNGUEZ-VELASCO, Sandor; SENSO, Jose Antonio. PuertoTex: un software de minería textual para la creación de resúmenes automáticos en el dominio de ingeniería de puertos y costas basado en ontologías. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 103-115, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt>. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumen
El objeto de este trabajo es elaborar y evaluar los resultados de la implementación de un software basado en ontologías, capaz de generar resúmenes automáticos en el campo de la Ingeniería de Puertos y Costas. Para el desarrollo de la herramienta se emplean diversas técnicas emanadas del análisis de discurso así como técnicas cognitivas, que permiten generar reglas para el tratamiento de los textos. También se apela a la construcción de una ontología que facilite los procesos de etiquetado a partir de las potencialidades de Resource Description Framework y Extensible Makup Language. Se construye un conjunto de agentes que actúa sobre la ontología, de la cual se declaran sus principales elementos. Como producto generado se presenta Puertotex, un software para la construcción de resúmenes automáticos basado en ontologías. La evaluación de los resúmenes generados refleja la calidad del sistema, que tiene como única limitación su capacidad para trabajar con el dominio objeto de investigación.

Palabras-clave: Autómatas. Desambiguación de textos científicos. Minería de texto. Ontologías. Resumen automático.

A reference ontology for digital scientific journals applied to systematic literature review processes

GHISI, Fernando Benedet; FACHIN, Gleisy Regina Bóries; SANTOS, Marcos Henrique dos; SELL, Denilson; RADOS, Gregório Jean Varvakis. A reference ontology for digital scientific journals applied to systematic literature review processes. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 2, p. 91-101, maio/ago., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=33&gt>. Acesso em: 25 dez. 2012.

Resumo 
O presente artigo apresenta possíveis abordagens para o uso de uma ontologia de referência para periódicos científicos digitais, apoiando os processos de levantamento bibliográfico em revisão sistemática da literatura. Destacam-se os benefícios da utilização de serviços especializados por meio de processamentos em “batch” ou “on-the-fly” de informações provenientes de diferentes repositórios, como bases de dados reconhecidas e indexadas e portais ou sítios específicos. Conclui-se que a utilização de ontologia de referência possibilita a criação de serviços que asseguram maior interoperabilidade entre diferentes repositórios, permitindo a recuperação da informação de forma mais abrangente e precisa, através da padronização dos conceitos relacionados aos pontos de acesso de periódicos científicos.

Palavras-chave: Recuperação de informação. Periódicos. Ontologia de referência. Revisão sistemática da literatura.

Ontologia para mapeamento da dependência tecnológica de objetos digitais no contexto da curadoria e preservação digital

YAMAOKA, Eloi Juniti. Ontologia para mapeamento da dependência tecnológica de objetos digitais no contexto da curadoria e preservação digital. AtoZ: novas práticas em informação e conhecimento, Curitiba, v. 1, n. 2, p. 65-78, jan./dez. 2011. Disponível em: <http://www.atoz.ufpr.br/index.php/atoz/article/view/23/82>. Acesso em: 24 nov. 2012.

Resumo
Introdução: As transformações tecnológicas que afetam a geração, tratamento e armazenagem de objetos digitais têm desafiado os profissionais quanto à dependência de hardware e de software para criar, consumir e monitorar o conteúdo de tais objetos, e garantir acesso a seus conteúdos. O trabalho apresenta os problemas decorrentes da mudança de paradigma da informação fixada em papel para o ambiente digital; os avanços alcançados nas teorias e técnicas de curadoria e preservação de objetos digitais; e a descrição de uma ontologia para sistematizar os conceitos basilares da dependência tecnológica de objetos digitais. Método: O estudo tem base bibliográfico documental apresentando conceitos e técnicas desenvolvidos no campo da curadoria e preservação digital. Descreve uma ontologia elaborada com o software Protégé. Resultados: Apresenta os conceitos de documento, documento digital, objeto digital, preservação e curadoria digital e propõe uma ontologia de apoio ao processo de mapeamento da tecnologia necessária para decodificar os objetos digitais em sinais inteligíveis a humanos. Conclusões: Uma adequada conceituação de documento digital e objeto digital permite a elaboração de soluções que visam a preservação digital. A ontologia proposta poderá apoiar as organizações no mapeamento dos riscos e das perdas que podem ocorrer numa substituição ou desativação de componentes tecnológicos em ambientes computacionais. Em trabalhos futuros a ontologia deverá ser aprimorada e validada, buscando-se investigar seu alinhamento a requisitos e padrões já especificados para a preservação digital.

Palavras-chave
Documentos digitais. Objetos digitais. Preservação digital. Curadoria digital. Ontologia.

Ontologias, categorias e interoperabilidade semântica

MOREIRA, Walter; LARA, Marilda Lopes Ginez de. Ontologias, categorias e interoperabilidade semântica. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 13, n. 4, set. 2012. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago12/F_I_art.htm>. Acesso em: 9 set. 2012.

Resumo
Explora a noção de interoperabilidade como um instrumento de cooperação, salientando a importância de promovê-las a partir de políticas de informação consistentes. Ressalta a dependência da interoperabilidade às variações da linguagem que respondem pelas diferenças socioculturais e associa sua concretização à construção de ontologias comuns como meio de viabilizar estruturas que possam ser integradas. Enfatiza a importância do uso de categorias para prover organização ao conjunto e facilitar o acesso, propondo respaldar o processo de categorização nas terminologias concretas de domínios e áreas de atividade, referências das comunidades discursivas ou dos discursos efetivamente realizados.

Palavras-chave: Interoperabilidade semântica; Ontologias; Categorias; Terminologia; Categorização.

Mejora de la interoperabilidad semántica para la reutilización de contenidos mediante sistemas de organización del conocimiento

MOREIRO GONZÁLEZ, José Antonio; SÁNCHEZ CUADRADO, Sonia; MORATO LARA, Jorge. Mejora de la interoperabilidad semántica para la reutilización de contenidos mediante sistemas de organización del conocimiento. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, v.17, n.33, p.46-58, jan./abr. 2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17n33p46 >. Acesso em: 26 jul. 2012.

Resumo:
Los Sistemas de Organización del Conocimiento son recursos diseñados para mejorar la interoperabilidad, gestión y recuperación del conocimiento. Conforme se incrementan los recursos web se evidencia la falta de sistemas de organización del conocimiento, con el consiguiente impacto en la interoperabilidad de recursos. Los sistemas de organización del conocimiento son por definición herramientas complicadas y costosas, tanto en su creación como en su gestión. La reutilización de estructuras organizativas similares es un elemento necesario en este contexto. Se analizan experiencias de reutilización de sistemas de organización del conocimiento y se señala como los nuevos estándares están incidiendo en este aspecto.

Palavras-chave: Sistemas de Organización del Conocimiento. Interoperabilidad Semántica. Taxonomías. Ontologías.

Interoperabilidade Semântica e Ontologia Semiótica: a construção e o compartilhamento de conceitos científicos em ambientes colaborativos online

MOURA, Maria Aparecida. Interoperabilidade Semântica e Ontologia Semiótica: a construção e o compartilhamento de conceitos científicos em ambientes colaborativos online. Informação & Informação, Londrina, v. 16, n. 2, p. 165-179, Ed. Esp., 2011. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/10392/9288>. Acesso em: 26 jul. 2012.

Resumo
A consolidação dos sistemas de informação cooperativos, intensificados pela Web 2.0 e a institucionalização progressiva do conceito de E-Science no contexto da pesquisa científica, aumentou significativamente a presença de pesquisadores no ambiente digital e criou novas dinâmicas de consolidação colaborativa de conceitos científicos. Neste trabalho, tomaram-se por referência as principais evidências da dinâmica de construção colaborativa de conceitos científicos presentes nos discursos e na comunicação científica contemporânea na WEB para produzir um experimento de interoperabilidade semântica por meio de uma ontologia semiótica. O corpus terminológico foi constituído a partir de uma amostra de blogs científicos mantidos por pesquisadores como estratégia para o registro e a divulgação dos resultados parciais de pesquisa, sites de colaboratórios internacionais e de centros internacionais que apoiam as práticas E- Science e as chamadas de trabalho em eventos científicos vinculados à colaboração, à inovação científica e à pesquisa em ambientes digitais no período de 2007 a 2010. Como resultado, consolidou-se uma ontologia semiótica composta pela estrutura semântica pactuada pelos pesquisadores em ambientes digitais demarcados pelo trabalho colaborativo e pelo compartilhamento conceitual em rede.

Palavras-chave: Interoperabilidade semântica. Ontologia semiótica. Redes de cooperação científica.

A Representação de Domínios de Conhecimento e uma Teoria de Representação: a ontologia de fundamentação

CAMPOS, Maria Luiza de Almeida; CAMPOS, Linair Maria; MEDEIROS, Jackson da Silva. A Representação de Domínios de Conhecimento e uma Teoria de Representação: a ontologia de fundamentação. Informação & Informação, Londrina, v. 16, n. 2, p. 140-164, Ed. Esp., 2011. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/10389/9287>. Acesso em: 26 jul. 2012.

Resumo
A necessidade de disponibilizar informação de forma não ambígua e eficaz tem motivado o uso crescente de ontologias, cujo formalismo possibilita maior precisão em modelos de representação da informação. Nesse cenário, as ontologias de fundamentação possuem papel de destaque, ao definirem formalmente conceitos independentes de domínio, e fornecem uma base teórica sólida para embasar a construção de vocabulários específicos de cada domínio. A compreensão das noções formalizadas nas ontologias de fundamentação de base filosófica deve ser apropriada pelo cientista da informação, de modo a capacitá-lo para atuar nesse novo cenário, no qual a representação da informação deve estar voltada não só para o entendimento humano, mas também para o seu tratamento computacional, com o uso de inferências. O objetivo deste trabalho é apresentar algumas dessas noções, contidas na ontologia de fundamentação UFO-A, e ilustrar com um exemplo o diferencial semântico de uma modelagem embasada por essa ontologia em contraste com o que poderia ser representado utilizando-se um tesauro.

Palavras-chave: Ontologia de fundamentação. Representação de conhecimento

 

Compromissos Ontológicos e Pragmáticos em Ontologias Informacionais: Convergências e Divergências

BAX, Marcello Peixoto; COELHO, Eduardo de Mattos Pinto. Compromissos Ontológicos e Pragmáticos em Ontologias Informacionais: Convergências e Divergências. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, jun. 2012. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/jun12/Art_05.htm>. Acesso em: 6 jul. 2012.

Resumo
Este artigo parte da noção do compromisso ontológico, tal como proposta por Quine, para discutir alguns aspectos controversos dos pressupostos teóricos utilizados na construção de ontologias informacionais. Conclui-se que, no contexto das ciências aplicadas, é comum o desenvolvimento de soluções que utilizam-se de construções teóricas inconciliáveis em teoria. Mostra-se, em contrapartida, que para a construção desse tipo de ontologias, compromissos de outras naturezas, além do compromisso ontológico, são necessários. Considerações finais revelam a convergência entre o conceito de ontologia tal como entendido em filosofia e em sistemas de informação.

Palavras-chave: Ontologias, Ontologias informacionais, Compromisso ontológico, Quine, Russell, Sellars, Teoria das descrições.

The Philosophical Approach to Information Seeking and Retrieval Called Hermeneus

BEPPLER, Fabiano Duarte; FONSECA, Frederico Torres; SANTOS, Roberto Carlos dos. The Philosophical Approach to Information Seeking and Retrieval Called Hermeneus. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 1, número especial, p. 44-59, out. 2011. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/pgc/article/view/9777/6071>. Acesso em: 11 dez. 2011.

Resumo

Information seekers always have a question in mind even when they do not know exactly what it is. How an information seeking and retrieval system can support users while they are still shaping their information needs? We resorted to the hermeneutic circle philosophical concept of Heidegger and Gadamer to provide the principles of such a system. In our implementation users are able to develop their ideas while browsing the information and the concepts that represent the information. We chose ontologies to implement this hermeneutic approach. Ontologies improve information retrieval systems regarding its retrieval and presentation of information, which make the task of finding information more effective, efficient, and interactive. We called our framework Hermeneus, which in Greek means the interpreter or translator. Hermeneus works as an intermediary that facilitates the user to move from the initial state of information need to the goal state of resolution. Our system intends to be the bridge between the user’s question and the answer to be found while she or he navigates in the ontology concepts and the instances of these concepts in a back and forth way.

Keywords: Information seeking. Ontology. Hermeneutic circle. Hermeneus.

Ontologias aplicada a padronização dos currículos de pesquisadores: mapeamento do conhecimento

SANTOS, Lívia Regina Nogueira dos; ALCIDES, Rosenilda; FREITAS, Maria do Carmo Duarte; SILVA, Helena de Fátima Nunes da. Ontologias aplicada a padronização dos currículos de pesquisadores: mapeamento do conhecimento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 12, n. 5, out. 2011. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/out11/Art_04.htm>. Acesso em: 6 nov. 2011.

Resumo
A presente pesquisa analisa a oferta e a demanda de informação registrada nos currículos de pesquisadores, presentes na plataforma Lattes, de uma determinada Instituição de Ensino Superior. O objetivo deste artigo é demonstrar a aplicação de ontologias como recurso à padronização de currículos que possibilite correlacionar o trabalho dos pesquisadores de um mesmo departamento ou grupo de pesquisa. A expectativa é propor uma metodologia para homogeneizar os currículos de uma equipe departamental.

Palavras-chave: Ontologia; Gestão do conhecimento; Gestão da informação; Valor da informação; Lattes; Padronização da informação.

Ontologia de aplicação no domínio de mortalidade: uma ferramenta de apoio para o preenchimento da declaração de óbitos

MENDONCA, Fabricio Martins; CARDOSO, Ana Maria Pereira; DRUMOND, Eliane. Ontologia de aplicação no domínio de mortalidade: uma ferramenta de apoio para o preenchimento da declaração de óbitos.
Ciência da Informação, v. 39, n. 3, p. 23-34. set./dez. 2010. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/view/1870/1376>. Acesso em: 4 set. 2011.

Resumo
Os dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) representam a principal fonte de informações sobre mortalidade no Brasil, embora apresentem com frequência alguma inconsistência. Um dos principais problemas na geração de dados confiáveis sobre mortalidade no Brasil decorre das dificuldades enfrentadas pelos médicos para o correto preenchimento da Declaração de Óbitos (DO), documento padrão de alimentação de dados para o SIM. O artigo apresenta uma ferramenta de apoio para o correto preenchimento da DO, representada por meio de uma ontologia de aplicação desenvolvida com a participação de profissionais de saúde especialistas no domínio de mortalidade. A ferramenta foi disponibilizada aos médicos da Secretaria Municipal de Saúde e Assistência de Belo Horizonte (SMSA-BH) por meio de um site contendo os termos definidos na ontologia e seus relacionamentos, dispostos numa estrutura taxonômica. A solução proposta tem como objetivo principal auxiliar os médicos em sua tarefa de registrar os óbitos ocorridos, a partir do preenchimento correto da DO.

Palavras-chave: Declaração de Óbitos. Registros de Mortalidade. Ontologia. Sistemas de Informação.

Uma Ontologia para Instrumentos da Gestão do Conhecimento e Agentes da Engenharia do Conhecimento

RAUTENBERG, Sandro; TODESCO, José Leomar; STEIL, Andrea Valéria. Uma Ontologia para Instrumentos da Gestão do Conhecimento e Agentes da Engenharia do Conhecimento. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v. 21, n. 1, p. 111-128, jan./abr. 2011. Disponível em: <http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/7172/5602>. Acesso em: 21 jun. 2011.

Resumo
baseada em seus métodos e ferramentas, a Engenharia do Conhecimento desenvolve modelos para apoiar os processos da Gestão do Conhecimento. Engenharia e Gestão do Conhecimento são áreas interdisciplinares e complementares, cuja convergência tem se acentuado nos últimos anos. Entretanto, devido à polissemia de conceitos interdisciplinares utilizados, a comunicação entre o engenheiro e o gestor do conhecimento é um ponto crítico a ser considerado. Como forma de contribuição para contribuir à comunicação, propõe-se uma ontologia de domínio da convergência de dois conceitos centrais da referida interdisciplinaridade: os Agentes Computacionais da Engenharia do Conhecimento; e os Instrumentos da Gestão do Conhecimento. O presente trabalho apresenta a ontologia desenvolvida, a qual foi verificada por especialistas gestores e engenheiros do conhecimento, sendo apontados como resultados: a) um conjunto de questões que norteiam o entendimento interdisciplinar de objetos de investigação da Engenharia e Gestão do Conhecimento; e b) uma forma de integração dos elementos de conhecimento inerentes à aplicação dos Agentes Computacionais da Engenharia do Conhecimento como soluções tecnológicas mais aderentes aos Instrumentos da Gestão do Conhecimento.

Palavras-chave: Ontologia. Agentes Computacionais da Engenharia do Conhecimento. Instrumentos da Gestão do Conhecimento. Gestão do Conhecimento. Engenharia do Conhecimento.

InfoArch: uma ontologia para modelar o domínio da Arquitetura da Informação para Web

SOUZA, Marckson Roberto Ferreira de; SILVA, Edilson Leite da; DIAS, Guilherme Ataíde; SILVA, Maria Amélia Teixeira da, FREITAS, Frederico Luiz Gonçalves de , AZEVEDO, Ryan Ribeiro de. InfoArch: uma ontologia para modelar o domínio da Arquitetura da Informação para Web. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 264-282, mar., 2011. Disponível em: < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/413/291  >. Acesso em: 16 jun. 2011

Resumo:
Neste trabalho é apresentada uma ontologia para modelar o domínio da Arquitetura da Informação para  Web (AI para  web), de acordo com os preceitos definidos por Morville e Rosenfeld no livro  Information Architecture for the Word Wide Web, versão 2006. Objetiva-se estruturar o conhecimento relacionado ao domínio de AI para Web, formalizando o mesmo, bem como auxiliar o ensino dos conceitos e relacionamentos do domínio da área de AI para Web. A pesquisa realizada é de caráter teórico e qualitativo, e classifica-se como descritiva e exploratória. A modelagem foi realizada mediante a  utilização da linguagem  Ontology Web Language (OWL) e do framework Protégé 3.4.1, seguindo os passos da metodologia 101. Os resultados mostram a InfoArch, uma ontologia que representa os conceitos e relacionamentos, além de possibilitar responder a questionamentos sobre o domínio. Considera-se que InfoArch traz contribuições principalmente relativas as questões de ensino, pesquisa e extensão, pois servirá como fonte de informação para pesquisadores, professores e equipes de desenvolvimento de sites que trabalhem com Arquitetura da Informação para Web.
Palavras-chave: Arquitetura da Informação para Web. Ontologia. Desenvolvimento de site. Web semântica

Avaliação do espectro semântico de instrumentos para organização da informação

ALMEIDA, Maurício Barcellos; SOUZA, Renato Rocha. Avaliação do espectro semântico de instrumentos para organização da informação. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v. 16, n. 31, p. 25-50, 2011. Disponível em: <http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2011v16n31p25/17755>. Acesso em: 29 maio 2011.

Resumo
O termo “semântica” tem sido amplamente utilizado nos últimos anos em diversas áreas de pesquisa e, em particular, em áreas relacionadas à tecnologia da informação. Um dos motivadores de tal apropriação é a visão da Web Semântica, originada na expansão da web e nas limitações dos instrumentos de busca baseados em sintaxe. Cabe questionar, entretanto, qual é esta “semântica” de que trata a Web Semântica, uma vez que o estudo do assunto é complexo e controverso. O presente artigo se insere nesse contexto, analisando o que é semântica, discutindo-a no âmbito da tecnologia da informação e propondo alternativas interpretativas. Avalia-se criticamente um espectro, o qual propõe a ordenação de instrumentos (modelos, linguagens, estruturas taxonômicas, etc.) de acordo com uma escala semântica. Espera-se tornar claro o uso do termo em contextos diversos, bem como propor um novo espectro a partir das considerações do presente artigo.

Palavras-chave: Web Semântica. Ontologias. Semântica. Representação do conhecimento.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos