//
arquivos

Políticas de informação

Esta tag está associada a 77 posts

Incentivo à cultura: experiências brasileiras de políticas públicas – interesses da área da Ciência da Informação

HOLANDA, Adriana Buarque de; OLIVEIRA, Maria Cristina Guimarães; OLIVEIRA, Simone Rosa de. Incentivo à cultura: experiências brasileiras de políticas públicas – interesses da área da Ciência da Informação. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 47-53, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1787/1703>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
O artigo objetiva apontar duas experiências de políticas públicas sociais voltadas à questão da informação. A primeira trata de uma ação legislativa do Estado que enfoca o livro e a biblioteca, e a segunda é uma iniciativa da sociedade civil organizada que objetiva minimizar o analfabetismo funcional. Com o intuito de contextualizar o interesse da Ciência da Informação como Ciência Social Aplicada, apresenta-se tal disciplina com os atributos de estimular e orientar ações políticas em prol da distribuição do acesso à informação de forma mais igualitária junto à sociedade.

 
Palavras-chave: Ciência da Informação. Cultura. Políticas públicas.

Considerações sobre a esfera pública: redes sociais na internet e participação política

MEDEIROS, Jackson da Silva. Considerações sobre a esfera pública: redes sociais na internet e participação política. Transinformação, Campinas, v. 25, n. 1, p. 27-33, jan./abr., 2013. Disponível em: <http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/transinfo/article/view/1785/1701>. Acesso em: 30 dez. 2014.

Resumo
Este trabalho aborda a questão da esfera pública proposta por Habermas a partir das redes sociais na Internet e o processo de participação política proporcionado por essa forma de comunicação e informação. Faz um traçado sobre a questão, que envolve a esfera pública e opinião pública, tratando as redes sociais na Internet como um espaço de intercâmbio entre atores. Por fim, busca mostrar que as redes sociais na Internet atuam como potencializadoras de uma participação política mais efetiva, e que isso deve ser explorado de forma mais ativa.

 
Palavras-chave: Esfera pública. Informação na web. Participação política. Redes sociais na internet.

As políticas do Programa de Apoio nos contextos históricos desenvolvimentista e neoliberal

GUGLIOTTA, Alexandre Carlos. As políticas do Programa de Apoio nos contextos históricos desenvolvimentista e neoliberal. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, ago. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago14/Art_02.htm>. Acesso em: 6 out. 2014.

Resumo
O objetivo do presente artigo é demonstrar a importância de inserir aos estudos da Ciência da Informação uma visão mais ampla do contexto histórico no qual se construíram políticas a favor da ciência e tecnologia. Tendo o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico Tecnológico como objeto de análise, procura-se demonstrar como a compreensão do cenário político-econômico-social é fundamental para o enriquecimento da Ciência da Informação. A valorização das políticas de ciência e tecnologia num cenário desenvolvimentista e sua recente inserção em políticas neoliberais representam marcos para se pensar a própria Ciência da Informação suas relações com o Estado e a iniciativa privada.

Palavras-chave: Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico Tecnológico. Intervenção Estatal. Neoliberalismo. Projetos Políticos. Ciência da Informação. Política de Informação.

Política de Informação Científica e Tecnológica no Brasil

SILVA, Edilene Maria; GARCIA, Joana Coeli Ribeiro. Política de Informação Científica e Tecnológica no Brasil. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, ago. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/ago14/Art_05.htm>. Acesso em: 8 out. 2014.

Resumo
A política que trata da informação em ciência e tecnologia brasileira tem passado por períodos permeados de avanços e retrocessos que demarcam a organização e sistematização do referido setor: reconhecimento da informação como fator estratégico e criação dos organismos para sistematizar o setor de informação científica e tecnológica (1951-1970); construção, entendida como reformulação das atribuições dos organismos (1971-1980); coordenação de planos e programas governamentais e setoriais (1981-1990); desregulamentação de atividades relacionadas à disponibilização da informação na internet (1991-2000); e finalmente a consolidação do uso da internet e o movimento de acesso livre a informação (2001-2010). Objetiva-se, pela revisão de literatura e levantamento documental, descrever tais etapas, interpretando-as e explicando-as a luz dos acontecimentos primordiais que contribuíram para a política de informação científica e tecnológica. Conclui-se que as ações governamentais para o setor de informação científica e tecnológica são marcadas pela descontinuidade, modismo e dispersão, refletindo a prática brasileira de formulação e implementação de políticas públicas, por décadas. Atualmente discute-se a política de informação digital, mas persistem questões ulteriores que não foram devidamente resolvidas e ainda merecem atenção.

Palavras-chave: Política de Informação científica e tecnológica; Informação científica e tecnológica; Programas governamentais de informação; Planos de informação no Brasil; Programas governamentais de ciência e tecnologia; Política pública de informação.

Políticas de informação nas bibliotecas universitárias: um enfoque no desenvolvimento de coleções

DIAS, Geneviane Duarte; SILVA, Terezinha Elizabeth da; CERVANTES, Brígida Maria Nogueira. Políticas de informação nas bibliotecas universitárias: um enfoque no desenvolvimento de coleções. Rev. digit. bibliotecon. cienc. Inf, Campinas, v.11, n.1, p.39-54, jan./abr. 2013. Disponível em: < http://polaris.bc.unicamp.br/seer/ojs/index.php/rbci/article/view/572 >. Acesso em: 02 jun. 2013.

Resumo:
Apresenta um recorte histórico sobre a importância da política de informação científica e tecnológica no cenário universitário, especialmente nas bibliotecas universitárias, apresentando quais os mecanismos e influências que determinaram a sua socialização durante as décadas de 1950 – 1980. Oferece uma reflexão sobre o desenvolvimento de coleções, sua importância e a necessidade de implementação nos acervos das bibliotecas universitárias, servindo de base para o planejamento das normas e diretrizes, facilitando, assim, o crescimento racional e equilibrado do acervo.

Palavras-chave: Política de informação. Desenvolvimento de coleções.

Políticas públicas para a leitura no brasil: implicações sobre a leitura infantil

SILVA, Marta Benjamim da; BERNARDINO, Maria Cleide Rodrigues; NOGUEIRA, Carine Rodrigues. Políticas públicas para a leitura no brasil: implicações sobre a leitura infantil. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n. 3, p. 20-46, dez. 2012. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/6437>. Acesso em: 31 maio 2013.

Resumo:
O presente trabalho tem por objetivo fazer uma investigação sobre a leitura infantil, refletindo sobre a importância das políticas públicas que visam o incentivo a leitura, bem como discutir sobre a importância da leitura para o processo educativo e mapear as principais pesquisas sobre leitura no Brasil, em especial a leitura infantil. Serão apresentados projetos de leitura, sob diferentes olhares, investigando a leitura como sendo um processo discursivo de apreensão de sentido e de significação, baseando-se principalmente nos diagnósticos de leitura revelados pela pesquisa Retratos do Brasil.

Palavras-chave: Leitura; Políticas Públicas de Leitura; Leitura no Brasil; Leitura Infantil.

Política de informação no Brasil: A Lei de Acesso à Informação em foco

FERREIRA, Emanuelle Geórgia Amaral Ferreira; SANTOS, Elisete Sousa; MACHADO, Miriam Novaes. Política de informação no Brasil: A Lei de Acesso à Informação em foco. Múltiplos olhares em Ciência da Informação, Minas Gerais, v. 2, n. 1, mar., 2012. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/1616/1135&gt;. Acesso em: 23 maio 2013.

Resumo:
A implementação de uma política de informação é um desafio que muitos países devem enfrentar para participarem efetivamente da sociedade da informação. As informações governamentais são de fundamental importância para o exercício da democracia. A sua disponibilização possibilita um diálogo claro e transparente entre o governo e a sociedade civil, permitindo um maior controle desta sobre a administração pública, objetivando o aprimoramento constante de suas ações. Com a criação da Lei de Acesso a Informação em 2011 no Brasil, as instituições do Governo terão que disponibilizar informações de interesse do cidadão. Pretende-se com este artigo, realizar uma breve análise sobre o importante passo que a sociedade brasileira dá com tal lei e algumas controvérsias nesse estágio inicial de sua implementação.
Palavras-chave: Políticas de informação. Lei de acesso à informação. Acesso a informação.

Biblioteca municipal de Blumenau: experiências no incentivo à leitura e na captação de recursos

SILVA, Sandra Cristina da. Biblioteca municipal de Blumenau: experiências no incentivo à leitura e na captação de recursos. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 18, n. 1, p. 658-675, jan./jun., 2013. Disponível em: <http://www.revista.acbsc.org.br/racb/article/view/873/pdf>. Acesso em: 20 mar. 2013.

Resumo
Quando existe atuação profissional em uma Biblioteca Pública, é fundamental acreditar no potencial dessa instituição em disseminar a informação na sociedade. É importante entendê-la como um dos espaços mediadores da informação pública, garantindo à população o direito ao conhecimento. É uma instituição também responsável pelo processo de educação e de formação do cidadão, especialmente àquele que já não frequenta mais a escola. Nesse sentido, busca-se divulgar as atividades de leitura e de ação cultural realizadas na Biblioteca Municipal Dr. Fritz Müller de Blumenau/SC, em especial os projetos culturais com recursos captados via Lei Rouanet (total R$283.000,00) com vistas a construir uma política pública de informação em longo prazo e a escapar de um cenário decadente em curto prazo.

Palavras-chave: Biblioteconomia. Ciência da informação. Biblioteca pública. Bibliotecário. Ação cultural. Políticas públicas de informação. Captação de recursos em bibliotecas

Política de informação nacional e assimetria de informação no setor de telecomunicações brasileiro

MARQUES, Rodrigo Moreno; PINHEIRO, Marta Macedo Kerr. Política de informação nacional e assimetria de informação no setor de telecomunicações brasileiro. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 16, n. 1, p. 65-91, jan./mar. 2011. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/1154/847>. Acesso em: 30 jan. 2013.

Resumo
Buscou-se estabelecer uma interlocução entre os temas política de informação nacional e assimetria de informação, tendo como recorte o setor de telecomunicações no Brasil. O objetivo da investigação foi apreender como a assimetria de informação se materializa no marco regulatório desse setor e as razões que levaram à sua instituição. A metodologia baseou-se na ótica da  razão jurídica e privilegiou sua perspectiva dialética. A análise permite inferir que a LGT é resultado de um conflito entre o público e o privado, travado no plano nacional, sob fortes influências internacionais. A comparação dos regimes público e privado, que regem a prestação dos serviços, demonstrou que a assimetria de informação é característica marcante do segundo. Essa arena revela um campo de domínio hegemônico dos interesses mercantis e a assimetria de informação se mostra instrumento a serviço dessa hegemonia.

Palavras-chave: Política de informação nacional; Assimetria de informação; Telecomunicações; Ótica da
razão jurídica; Método dialético.

Processo de seleção de doações em bibliotecas públicas: diretrizes básicas da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas da Cidade de São Paulo

PRAZERES, Ana Paula Pereira dos; SALGADO, Denise Mancera. Processo de seleção de doações em bibliotecas públicas: diretrizes básicas da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas da Cidade de São Paulo. CRB-8 Digital, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 88-95, dez., 2012. Disponível em: <http://revista.crb8.org.br/index.php/crb8digital/article/viewFile/93/93&gt;. Acesso em: 12 jan. 2013.

Resumo
Apresenta um breve histórico das bibliotecas públicas da cidade de São Paulo até a criação da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas – CSMB. Relata o trabalho desenvolvido pela Comissão de Estabelecimento de Diretrizes básicas de Seleção de Doações e os instrumentos criados para auxiliar os profissionais das Unidades da CSMB no desenvolvimento de coleções no que tange ao recebimento e seleção das doações recebidas. Descreve os principais critérios estabelecidos para a seleção de materiais bibliográficos.

Palavras-Chave: Desenvolvimento de Coleções. Bibliotecas Públicas. Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas.

As bibliotecas públicas municipais e a administração pública direta. O apoio legal para o suporte financeiro das bibliotecas: qual é e como conseguir

FERREIRA, Claudiomiro Machado. As bibliotecas públicas municipais e a administração pública direta. O apoio legal para o suporte financeiro das bibliotecas: qual é e como conseguir. CRB-8 Digital, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 56-62, dez., 2012. Disponível em: <http://revista.crb8.org.br/index.php/crb8digital/article/viewFile/88/88 >. Acesso em: 12 jan. 2013.

Resumo
Este trabalho tem o objetivo de apresentar e demonstrar jurídica e administrativamente como as bibliotecas públicas municipais devem se estruturar e agir para cobrar do município a aplicação do artigo 16 da Lei Federal nº 10.753, de 30 de outubro de 2003, que Institui a Política Nacional do Livro e que prevê que “os Municípios consignarão (…) verbas (…) para sua manutenção e aquisição de livros”. Sua elaboração deve-se ao fato de a Lei e o Artigo serem muito conhecidos, mas de inexistir um estudo e uma explicação clara e objetiva de como as bibliotecas devem agir para exigir um direito legal, deixar de viver de doações e começar a atuar com recursos financeiros próprios.

Políticas públicas de acesso à informação científica: Portal de Periódicos da Capes

SANTANA, Jaciane Freire; GARCIA, Joana Coeli Ribeiro; TELES, Lorena; AGUIAR, Niliane. Políticas públicas de acesso à informação científica: Portal de Periódicos da Capes. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianopólis, v.17, n.35, p.121-144, set./dez. 2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17n35p121 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Focaliza as políticas de C&T no Brasil, ressaltando o papel desempenhado pelo Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Por meio de um estudo exploratório/bibliográfico, apresenta-se o histórico e a evolução das atividades exercidas pelo Portal. O texto revisita os conceitos de políticas públicas de acesso a informação no Brasil, com ênfase para o Portal da Capes, por ser considerado a maior iniciativa de política pública de acesso a informação em C&T no Brasil, objetivando apresentar dados de acesso em termos de Brasil, Pernambuco e Nordeste. Conclui que deve existir um intenso e ininterrupto trabalho para modernização da plataforma, por meio do acréscimo de conteúdos, mas também da consonância com os requisitos de usabilidade e acessibilidade.

Palavras-chave: Políticas públicas de ICT. Portal de Periódicos Capes. Informação Científica e Tecnológica – Brasil

Reflexiones en torno al acceso abierto a la información en el contexto cubano: el caso del sector Salud

SÁNCHEZ-TARRAGÓ, Nancy; FERNÁNDEZ-MOLINA, Juan Carlos; CABALLERO-RIVERO, Alejandro. Reflexiones en torno al acceso abierto a la información en el contexto cubano: el caso del sector Salud. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.2, p.51-59, maio/ago. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10499 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Reflete sobre o acesso aberto à informação no contexto cubano, com ênfase na área de Saúde, a partir da análise retrospectiva de algumas estratégias utilizadas em Cuba para garantir o acesso eqüitativo e universal à informação e ao conhecimento, desde 1959. Complementando analisa os resultados de um estudo sobre o conhecimento e as atitudes dos pesquisadores e profissionais do setor de saúde para o Movimento de Acesso Aberto à Informação. Com base na análise, são apresentadas considerações sobre a necessidade de implementar uma política de acesso aberto à produção científica cubana no setor da saúde.

Palavras-chave: Movimiento de Acceso Abierto a la información. Cuba. Sector salud. Política de acceso abierto

Políticas de informação em tempos de governo eletrônico: um estudo preliminar sobre a governança informacional no estado de Minas Gerais

GUERRA, Fernando; MASSENSINI, Rogério Luís. Políticas de informação em tempos de governo eletrônico: um estudo preliminar sobre a governança informacional no estado de Minas Gerais. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v.3, n.1, p.105-124, jan./jun. 2012. Disponível em: < http://revistas.ffclrp.usp.br/incid/article/view/91 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Este trabalho é um estudo preliminar com foco em políticas públicas específicas, que possui como objeto a informação eletrônica disponibilizada ao cidadão, por meio de políticas de informação governamental, no Estado de Minas Gerais. Segundo Ferguson (2002, p.129), há uma estratégia, utilizada pelo governo britânico, norteada por quatro princípios: “a criação dos serviços com base nas opções dos cidadãos; tornar o governo e seus serviços mais acessíveis; inclusão social; melhoria na utilização da informação”. Deste modo, esses princípios nos servem aqui como norteadores deste estudo, que objetiva preliminarmente listar os serviços eletrônicos mais acessados do governo de Minas Gerais, como resposta ao primeiro princípio. Para tanto, o estudo pretende utilizar-se dos dados apresentados pela Superintendência Central de Governança Eletrônica. O Portal MG disponibiliza vários serviços de interesse a sociedade, mas que são desconhecidos pelos cidadãos. Estes serviços necessitam de um trabalho de divulgação entre os cidadãos para que eles possam utilizar-se dos e-gov disponíveis nos sites governamentais para minimizar ou solucionar as demandas da sociedade e tentar reverter a fama de ineficiência da organização pública. Em sua dissertação e trabalho apresentado no Enancib XI, Massensini (2010) aponta a necessidade de se investir em telecentros, como pontos de acesso público; em letramento informacional, como ensino da linguagem digital que capacita o cidadão para o uso das TICs (Tecnologia da Informação e Comunicação) e participação do governo eletrônico; e promoção de oportunidades sociais que colaborem para a construção da cidadania plena.

Palavras-chave: Políticas de Informação; Governança Informacional; Governo Eletrônico; Letramento Informacional.

Comunicação, tecnologia e interatividade: as consultas públicas no Programa de Governo Eletrônico Brasileiro

BARBOSA, Henrianne; HAYASHI, Maria Cristina Piumbato Innocentini; RIGOLIN, Camila Carneiro Dias. Comunicação, tecnologia e interatividade: as consultas públicas no Programa de Governo Eletrônico Brasileiro. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 1, p. 143-159, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/download/16388/12480>.  Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo

A demanda por transparência na esfera pública com ênfase em mecanismos de gestão compartilhada é proveniente de atores locais e internacionais, inseridos em processos de consolidação da democracia. No Brasil, a Constituição de 1988 e leis subsequentes determinam que o Estado preste informações aos cidadãos e favoreça a sua participação em questões públicas. A implementação de conquistas legais assumiu novas dimensões com as possibilidades oferecidas pela tecnologia digital, desencadeando a demanda por conhecimento de ferramentas de publicização e interação no âmbito da Comunicação Pública Digital. Esta pesquisa consiste em reflexões sobre os artefatos digitais para fins democráticos, a partir do conceito latouriano de translação tendo em vista o ideal de interatividade em consultas públicas online (CPOs) do Governo Eletrônico (E-GOV). Foram constatados importantes mecanismos de interatividade que, no entanto, ainda se demonstram insuficientes para garantir o direito à inclusão e participação em esferas decisórias destinadas à formulação de políticas públicas.

Palavras-chave: Comunicação pública digital. Interatividade. Consultas públicas online.

Estudo dos agentes externos no acervo da Biblioteca Central da Universidade Federal de Santa Maria/RS

ARABIDIAN, Lizandra Veleda. CONSTANTE, Sônia Elisabete. Estudo dos agentes externos no acervo da Biblioteca Central da Universidade Federal de Santa Maria/RS. Biblos: Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação, v. 25, n. 2, p. 91-100, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://www.seer.furg.br/biblos/article/view/2423/1494&gt&gt;. Acesso em: 30 dez 2012.

Resumo
Este trabalho apresenta um estudo dos agentes biológicos no acervo da área da saúde da Biblioteca Central da UFSM. Por meio deste, procurou-se ressaltar a importância da conservação documental, uma vez que pode ser considerada uma das funções fundamentais para a preservação dos acervos de bibliotecas e arquivos. A pesquisa partiu da realidade da Biblioteca Central, isto é, dos problemas ambientais levantados através das coletas de dados feitas através da análise da existência de micro-organismos presentes no ambiente e nos materiais, bem como as condições de umidade, ventilação e temperatura. Os resultados obtidos demonstraram a necessidade de usar recursos para a correção de índices elevados de umidade no subsolo da Biblioteca Central, de controle de temperatura e para ventilação.

Palavras-chave: Agentes Biológicos. Acervo. Biblioteca Central. UFSM.

O PCB e a modernização midiática: propostas para a análise das relações entre comunistas e a televisão nos anos 1970.

SACRAMENTO, Igor; SILVA, Marco Antonio Roxo da; RIBEIRO, Ana Paula Goulart. O PCB e a modernização midiática: propostas para a análise das relações entre comunistas e a televisão nos anos 1970. Em Questão, Porto Alegre, v.15, n. 2, p. 65-80, jul./dez. 2009. Disponível em < seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/10394/7370 >  Acesso em: 20 dez. 2012.

Resumo:

Este artigo tem o objetivo de discutir a participação do Partido Comunista Brasileiro (PCB), por meio de seus militantes, numa específica conjuntura de modernização midiática – a mudança de perfil da televisão brasileira na década de 1970 –, fato que coincidiu com a “institucionalização” de comunistas em órgãos estatais e nas organizações midiáticas. Analisaremos as relações profissionais entre intelectuais e artistas comunistas e a televisão, a fim de indagar até que ponto esse processo pode ser compre­endido em torno da dicotomia “infiltração” ou “cooptação”, destacando como foram ambíguas e mutuamente constitutivas as articulações existentes entre tais práticas políticas, ou seja, mostrando a dialética entre elas.

Palavras-chave: PCB. Mídia. Modernização. Televisão. Política.

Arquivo universitário: implantação de políticas de gestão de documentos no gabinete do vice-reitor UFSM

CISCATO, Maria Flores; CARGNELUTTI, Laís Siqueira; GARCIA, Olga Maria Corrêa; CARPES, Franciele Simon. Arquivo universitário: implantação de políticas de gestão de documentos no gabinete do vice-reitor UFSM. Biblos: Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação, v. 25, n. 2, p. 9-30, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://www.seer.furg.br/biblos/article/view/2253/1496&gt;. Acesso em: 30 dez. 2012.

Resumo

Este trabalho é resultado da pesquisa realizada no Gabinete do ViceReitor da Universidade Federal de Santa Maria – RS. Tem como finalidade apresentar as atividades de implantação de políticas de gestão documental, a fim de dar continuidade à implementação e estabelecimento de políticas adotadas pelo Departamento de Arquivo Geral. Assim, evidencia-se a importância de seguir as políticas do Sistema de Arquivos da Universidade Federal de Santa Maria (SIARQ), e também de incluir as acadêmicas responsáveis pelo projeto nas práticas teórico-científicas, a fim de aliar a teoria adquirida no decorrer do curso de Arquivologia com a prática de uma realidade institucional. Dessa maneira Para alcançar este objetivo, primeiramente foi realizado um diagnóstico do acervo documental para subsidiar a proposta de ações arquivísticas. Esta proposta, elaborada com base na revisão de literatura realizada, foi aprovada. Entre junho e novembro de 2011 esta proposta foi implementada. Neste sentido, este trabalho descreve a implementação desta política de gestão documental, ressaltando a sua relevância dentro de uma instituição, contribuindo para a eficiência na agilidade e no acesso à informação.

Palavras-chave: Arquivo universitário. Política de gestão documental. Sistema de arquivos. UFSM.

A responsabilidade social do jornalista e o pensamento de Paulo Freire.

IJUIM, Jorge Kanehïde.  A responsabilidade social do jornalista e o pensamento de Paulo Freire. Em Questão, Porto Alegre, v.15, n. 2, p. 31-41, jul./dez. 2009. Disponível em < seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/10060/7368 >  Acesso em: 15 nov. 2012.

Resumo:

Neste trabalho, de caráter ensaístico, pretendo discutir alguns aspectos sobre a responsabilidade social do jornalista a partir de algumas ideias de Paulo Freire. Tal preocupação vem de meu entendimento de que o jornalismo não é um simples conjunto de técnicas, nem tampouco aceito ao jornalista o papel de mero produtor de notícias. Para tanto, tomarei como ponto de partida um de seus textos clássicos, intitulado O compromisso do pro­fissional com a sociedade e, através do seu pensamento, refletir sobre determinados dilemas do profissional – e da profissão –, além de dialogar com outros pensadores contemporâneos que possam contribuir para a compreensão do tema.

Palavras–chave: Fundamentos do jornalismo. Ética jornalís­tica. Responsabilidade social. Paulo Freire.

Plataformas tecnológicas e a pesquisa em biomedicina – caracterização de uso local de dispositivos globais.

TEIXEIRA,  Márcia de Oliveira; MACHADO, Carlos José Saldanha; FILIPECKI, Ana Tereza P.; LANDI, Ana Carolina. Plataformas tecnológicas e a pesquisa em biomedicina – caracterização de uso local de dispositivos globais.  LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.222-236, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/472/368 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

A pesquisa em biomedicina distingue-se pela emergência de uma lógica fabril em seu processo de produção de conhecimento científico, justificada pela constituição de um ambiente propício à aceleração da inovação industrial. Esse processo redundou na adoção, por instituições de pesquisa, de estratégias de gestão do mundo fabril. A política de C&T nacional estimula novas formas de gestão nas instituições de pesquisa, visando ao aumento da produtividade e ao desenvolvimento de áreas com maior potencial econômico. Entre outros dispositivos, as plataformas de equipamentos figuram sistematicamente nas ações de fomento a pesquisa. Entretanto, há pouco conhecimento sistematizado sobre o uso e a dinâmica local das plataformas. Partindo do estudo da experiência de uma instituição pública de pesquisa, procuramos caracterizar o modelo de plataformas que emergiu do processo de re-construção local.

Palavras-chaves: Plataformas tecnológicas. Biomedicina. Gestão. Instituições públicas. Equipamentos.

Inclusão digital de jovens na microrregião de Viçosa/Minas Gerais: dimensões políticas e subjetivas.

ALVES, Daniela Alves de. Inclusão digital de jovens na microrregião de Viçosa/Minas Gerais: dimensões políticas e subjetivas. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.195-206, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/470/366 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

O presente artigo apresenta resultados de um diagnóstico das implicações das políticas públicas de inclusão digital nas escolas de ensino médio da microrregião de Viçosa. Analisamos a amplitude e os efeitos destas políticas para os jovens da referida região, explorando qualitativamente a dimensão da inclusão, especialmente através da análise dos usos da tecnologia por parte dos jovens considerados incluídos. Constatamos que a inserção dos jovens em políticas de inclusão digital através da escola é limitada e a internet tem sido usada pelos jovens entrevistados predominantemente como espaço de sociabilidade e de pesquisas escolares. O acesso à internet apresenta inúmeras desigualdades.

Palavras-chave: Inclusão digital. Internet. Rede sociotécnica. Jovens. Políticas públicas.

Serviços de difusão de políticas para o acesso aberto: Sherpa/Juliet, Melibea e ROARMAP

COSTA, Michelli; AMARO, Bianca; ASSIS,Tainá. Serviços de difusão de políticas para o acesso aberto: Sherpa/Juliet, Melibea e ROARMAP. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.17, n.esp. 2, p.36-54,  2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp2p36 >. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
Aborda os serviços de difusão de políticas para a promoção do acesso aberto à informação científica. A criação dessas políticas é fundamental para que as instituições garantam a aplicação de estratégias que objetivam tornar acessíveis publicações científicas. As instituições de pesquisa são as grandes produtoras de informação. A ampliação dos processos de socialização do conhecimento nesses ambientes colabora para a otimização da comunicação científica. Os serviços de difusão das políticas para têm como objetivo tornar conhecidas as políticas e suas iniciativas. Neste sentido, a análise desses serviços se mostra importante para ampliar o conhecimento a esse respeito, identificando seus benefícios e deficiências de forma que possam ser aprimorados e possam também fundamentar a criação de novos serviços. Foi realizado um estudo comparativo entre os serviços Sherpa/Juliet, Melibea e ROARMAP que gerou um panorama atual do que é oferecido por cada um deles, destacando as suas similaridades e especificidades. Observou-se também, que os referidos serviços cumprem com seus objetivos e oferecem subsídios para criação de novas políticas nesse contexto.

Palavras-chave: Acesso livre. Acesso livre – Região Nordeste do Brasil.

Desenvolvimento de coleções: origem dos fundamentos contemporâneos

WEITZEL, Simone da Rocha. Desenvolvimento de coleções: origem dos fundamentos contemporâneos. TransInformação, Campinas, v. 24, n. 3, p. 179-190, set./dez., 2012. Disponível em: <http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=34&gt>. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
O artigo apresenta o resultado de uma pesquisa cujo objetivo foi identificar as correspondências entre os fundamentos da área hoje denominada de desenvolvimento de coleções e aqueles estabelecidos no século XIX, a fim de reconstruir os principais conceitos, métodos e práticas da área. Propõe um estudo exploratório para viabilizar essa correspondência a partir de oito obras escolhidas de autores europeus do século XIX, a maioria bibliófilos reconhecidos, a saber: Peignot (1823), Namur (1834), Hesse (1841), Rouveyre (1878), Richard (1883), Gräsel (1893), Petzholdt (1894) e Maire (1896). Essas obras serão analisadas a partir de três categorias contemporâneas da área: desenvolvimento de coleções, seleção e aquisição, por meio do método de revisão de literatura. Conclui-se, por fim, que o fenômeno da explosão da informação afeta o processo de desenvolvimento de coleções como um todo desde o século XVIII. Os autores do século XIX selecionados para o estudo apresentaram várias soluções – as quais fortaleceram o que hoje é denominado de abordagem baseada no acesso à informação – para lidar com a complexidade gerada pelo fenômeno da explosão da informação.

Palavras-chave: Aquisição. Desenvolvimento de coleções. Seleção.

A virada deliberativa nos estudos sociais da ciência e tecnologia e seus reflexos para novos regimes de inovação.

FONSECA, Paulo. A virada deliberativa nos estudos sociais da ciência e tecnologia e seus reflexos para novos regimes de inovação. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.151-164, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/467/362 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

A partir da constatação de uma virada deliberativa nos Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia (ESCT) são identificados reflexos dentro dos estudos e práticas de Inovação. Propõem-se duas categorias de participação pública: uma primeira, oriunda dos ESCT, cujo enfoque está nos produtores de tecnologia e uma segunda, cuja centralidade se encontra nos próprios usuários das inovações. Ainda que divergentes sobre arranjos institucionais e propósitos, são estruturas conceituais complementares que podem ser particularmente utilizadas para a elaboração de políticas para o desenvolvimento de tecnologias e inovações sociais.

Palavras-chave: Democracia. Participação. Avaliação de tecnologias. Inovação. Tecnologias sociais.

Participação da sociedade civil na IV Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

PEREIRA, Guilherme Reis; ESCADA, Paulo Augusto Sobral. Participação da sociedade civil na IV Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.52-67, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/462/337  >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

Este artigo tem por objetivo analisar a participação da sociedade civil no processo de elaboração e implementação da Política de Ciência,Tecnologia e Inovação (CTI) no Brasil tendo em vista uma estratégia de desenvolvimento sustentável. O artigo apresenta o argumento que a realização das Conferências de CTI tem permitido uma ampliação da percepção da importância da CTI para o desenvolvimento do país e facilitado a participação de novos atores da sociedade civil nas discussões em torno das tecnologias sociais. Desse modo, tem contribuído para o tratamento da questão social na agenda da PCTI. Contudo, as Conferências de CTI têm seguido mais o modelo tradicional de alfabetização científica dos cidadãos do que criado uma abertura para colher opiniões e demandas dos participantes para a definição da política.

Palavras-chave: Política de CTI. Participação. Sociedade civil. Desenvolvimento.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos