//
arquivos

Preservação e Segurança digital

Esta tag está associada a 32 posts

Preservação digital: entre a memória e a história

RABELLO, Rodrigo; CASTRO, Virgínia Ferreira da Silva. Preservação digital: entre a memória e a história. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 9-21, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2119/1807>. Acesso em: 31 dez. 2015.

Resumo
A temática da preservação digital emerge da própria dominância do meio eletrônico e de sua transversalidade nas práticas cotidianas e em todas as dimensões da vida. Atualmente, e diferente das demais políticas de preservação da memória, a ênfase é colocada nas tecnologias de suporte e nas suas possiblidades de reprodução indiferenciada. Duas vertentes de preservação estão em debate, a que remete ao uso das tecnologias digitais para preservar e disseminar conteúdos originariamente contidos em suportes materiais, portanto tratados como documentos, e a segunda que se reporta
à profusa produção de informação digital elaborada em sistemas informatizados, em computadores pessoais ou dispositivos móveis, que será irrecuperável no futuro diante da própria obsolescência tecnológica dos meios em que a informação foi gerada. Nos dois enfoques, ressalta-se o papel das instituições públicas e privadas assegurando a preservação da memória em meios digitais, em um contexto de apropriação dispersa dos conteúdos localmente produzidos e de redefinição dos padrões, valores e ordenamentos socioculturais que no passado vinculavam memória e identidade. Observamos que os usos possíveis de informações depositadas em bases de dados de instituições de memória extrapolam as perspectivas de sua utilização restrita como documentos pertencentes ao passado, já que podem dar margem a novas interpretações e, por vezes, redirecionar processos no longo prazo.

Palavras-chave: Preservação digital. Memória. História. Tempo presente. Tecnologias digitais.

Intermediação da informação e preservação da memória digital

RABELLO, Rodrigo; CASTRO, Virgínia Ferreira da Silva. Intermediação da informação e preservação da memória digital. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 22-35, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2113/1789>. Acesso em: 31 dez. 2015.

Resumo
O presente texto propõe elementos para uma reflexão acerca de demandas institucionais que, diante do contexto perturbador de excessos de produção e reprodução de conteúdos em meio digital, ainda trazem para si a responsabilidade de preservação da memória. A dimensão fluida que as novas mídias têm apresentado diante da facilidade de gravar ou perder dados num instante tem despertado para a relevância de se pensar ou valorizar novos espaços orientados por políticas públicas direcionadas à preservação da memória digital. Nesse contexto, o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) será analisado segundo seu papel de instituição intermediadora de informação, que lida diretamente com memórias institucionais diversas e que atua com a promoção da preservação digital.

Palavras-chave: Intermediação de informação. Memória. Preservação digital. Ibict.

O Dilemma do Pharmacon

GALINDO, Marcos. O Dilemma do Pharmacon. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 36-50, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2111/1790>. Acesso em: 31 dez. 2015.

Resumo
O texto explora problemas teóricos e metodológicos relativos à aplicação de estratégias de preservação digital. A análise tomou como base dados oriundos da investigação científica de âmbito nacional Preservação da memória digital: um panorama brasileiro, iniciativa que se propunha a desenvolver um mapa-diagnóstico das práticas
laborativas de preservação digital nos Repositórios Institucionais gerenciados por universidades e centros de pesquisa brasileiros. Em 2010, como uma extensão desta iniciativa foi aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o projeto de pesquisa Patrimônio Digital Ameaçado, que pretendia desenvolver um modelo teórico para análise do risco associado à gestão, manuseio e preservação de ativos digitais. O texto foca no estudo das metodologias de Análise de Risco e sua adaptação para a análise de estoques de informação em meio digital e promove uma discussão teórica sobre princípios epistemológicos que ajudaram a fundamentar a pesquisa.

Palvras-chave: Patrimônio Digital. Análise de risco. Gestão da Informação. Preservação Digital. Dilema do Pharmacon.

Políticas de preservação digital no Brasil: características e implementações

SILVA JUNIOR, Laerte Pereira da; MOTA, Valéria Gameleira da. Políticas de preservação digital no Brasil: características e implementações. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 51-64, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2123/1806>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
Uma política de preservação digital serve como orientação legal para a gestão da preservação e para o acesso permanente aos objetos digitais produzidos, selecionados e armazenados por suas respectivas empresas ou instituições, e visa à superação da obsolescência tecnológica tanto dos objetos como dos seus próprios suportes. Uma política dessa natureza é elaborada com base em resoluções, normas, atos administrativos, leis, modelos e padrões. Pode ser analisada sob o aspecto organizacional, legal e técnico. Além disso, pode estar inserida em um programa mais amplo de preservação, conforme caracterização atribuída pela Carta para a Preservação do Patrimônio Digital elaborada pela Biblioteca Nacional da Austrália e publicada pela Unesco em 2003. A carta serve de base conceitual para as principais iniciativas e projetos internacionais em preservação digital. No Brasil, poucas instituições e empresas estabeleceram alguma política de preservação digital. Dentre elas, apenas a Câmara dos Deputados e a Universidade Estadual de Campinas elaboraram uma política completa e publicaram-na em seus respectivos portais.

Palavras-chave: Preservação digital. Política de preservação digital. Aspectos da preservação digital.

 

O modelo de referência OAIS e a preservação digital distribuída

SOUZA, Arthur Heleno Lima Rodrigues de et al. O modelo de referência OAIS e a preservação digital distribuída. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 65-73, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2118/1792>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
Este trabalho apresenta o modelo de referência OAIS (Open Archival Information System) e sua relação com
a preservação digital distribuída. Para tanto, tomou-se por base dados obtidos mediante revisão de literatura
e utilizando o exemplo de ferramenta de preservação digital distribuída LOCKSS, em analogia aos preceitos
observados pelo OAIS. Conclui-se que a ferramenta contempla os requisitos principais descritos no modelo
de referência, e que a adoção da preservação de forma descentralizada pode ser vista como uma alternativa
viável para a preservação dos documentos técnico-científicos, patrimoniais e culturais.

Palavras-chave: Preservação Digital. Preservação Digital Distribuída. Open Archival Information System (OAIS). LOCKSS.

LOCKSS: ensuring access through time

REICH, Victoria Ann. LOCKSS: ensuring access through time. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 74-82, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2125/1793>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Abstract
Some experts portray digital preservation as very expensive and too complicated for communities to do for
themselves. They have a lot to gain by perpetrating this message and communities have a lot to lose by taking
them at their word. Communities want to ensure postcancellation access to content they have purchased; they
want to ensure that a copy of the intellectual assets (fee and open access) in which they have invested through
time resides in their own jurisdiction. The Stanford University LOCKSS Program (Lots Of Copies Keep Stuff
Safe) helps communities build and preserve their own digital collections, an essential step to ensuring access
over time.

Keywords
LOCKSS. Stanford University. Digital Preservation. Post Cancellation Access. Perpetual Access.

Cariniana: uma rede nacional de preservação digital

ARELLANO, Miguel Ángel Márdero. Cariniana: uma rede nacional de preservação digital. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 83-91, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2127/1794>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
A preservação do registro eletrônico dos resultados da ciência e do patrimônio histórico e cultural em documentos digitais adquire novas práticas dentro de um contexto de rede de computadores. A informação não está mais em um só local e a gestão desses acervos encontra novos desafios. O tratamento e a organização de bases de dados, repositórios e bibliotecas digitais precisam incorporar estratégias de preservação relacionadas com a sua dependência tecnológica: custos, políticas, acesso e critérios técnicos. A Rede de Serviços de Preservação Digital Cariniana, do Ibict, é uma alternativa para organizações que desejam colecionar, armazenar, preservar e oferecer acesso a seus acervos mais importantes em cópias digitais autorizadas no Brasil. Para promover esse arquivamento digital, o Ibict aderiu à Aliança LOCKSS, da Stanford University, porque ela está de acordo com as normas internacionais já aplicadas. Periódicos, livros, teses e dissertações eletrônicas são os alvos da primeira etapa do projeto, e a capacitação de profissionais dedicados ao registro de acervos em formato digital também foi incorporada ao conjunto de primeiras ações da rede. O presente trabalho apresenta o projeto da Rede Cariniana como um sistema de preservação digital baseado no modelo de rede distribuída, que acompanha e provê subsídios a outros projetos brasileiros que precisam preservar materiais autênticos e certificados por instituições reconhecidas.

Palavras-chave: Preservação digital distribuída. LOCKSS. Cariniana. Rede colaborativa. IBICT. Brasil.

Direito autoral e preservação digital: considerações pertinentes a periódicos científicos eletrônicos mantidos no sistema LOCKSS

DIAS, Guilherme Ataíde; SOUSA, Rosilene Paiva Marinho de; PAIVA, Maria José Rodrigues. Direito autoral e preservação digital: considerações pertinentes a periódicos científicos eletrônicos
mantidos no sistema LOCKSS. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.92-102, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2117/1795>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
O trabalho discute a questão da preservação de periódicos científicos eletrônicos no sistema Lots of Copies Keep Stuff Safre (LOCKSS) à luz da legislação brasileira dos direitos autorais. Propõe analisar se as cessões de direito patrimonial do autor, em periódicos científicos, contemplam a replicação de conteúdos no referido sistema, para que suas obras sejam preservadas digitalmente. A pesquisa caracteriza-se como uma investigação de cunho bibliográfico e exploratório. O universo da pesquisa é constituído por periódicos científicos eletrônicos de instituições que fazem uso do sistema LOCKSS através da Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital (Cariniana).

Palavras-chave: Propriedade Intelectual. Direitos do Autor. Preservação Digital. Periódicos Científicos Eletrônicos. LOCKSS.

Competências básicas para os gestores de preservação digital

BOERES, Sonia Araújo de Assis; CUNHA, Murilo Bastos da. Competências básicas para os gestores de preservação digital . Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.103-113, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2115/1796>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
O trabalho teve como objetivo identificar as competências profissionais de gestores para trabalhar com preservação
digital. Verificou-se na literatura técnica o papel do profissional da informação no que concerne à sua atuação
tecnológica, identificar as competências profissionais dos gestores de serviços de informação que trabalham na
área de preservação digital e, finalmente, identificar as competências tecnológicas dos gestores de serviços de
informação para trabalhar com preservação digital.

Palavras-chave: Biblioteca digital. Competência profissional. Gestão de biblioteca. Preservação digital. Profissional da informação.

Preservação de documentos arquivísticos digitais

SANTOS, Vanderlei Batista dos. Preservação de documentos arquivísticos digitais. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.114-126, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2110/1797>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
A preservação digital é um dos grandes problemas que precisam ser enfrentados pelos profissionais da informação. Não há dúvida que muitos registros documentais importantes se perderam, e muitos ainda se perderão enquanto as instituições estiverem aprendendo a implementar políticas e práticas de preservação que contemplem a transição da documentação em papel para a documentação digital. Felizmente, na atualidade, diversos estudos nacionais e internacionais sobre gestão e preservação de documentos digitais têm divulgado suas conclusões, oferecendo orientações mais claras aos profissionais que, por força de suas atribuições, lidam com a necessidade de gerenciar e preservar adequadamente documentos digitais como registro das ações realizadas pelas instituições às quais estão vinculados. Esses documentos arquivísticos possuem “características” específicas que os profissionais devem proteger no mundo digital, quais sejam: fixidez, organicidade, naturalidade, unicidade, autenticidade e imparcialidade. Este artigo discute os aspectos a serem observados para que a preservação digital contemple essas características no sentido de garantir, além da acessibilidade, a confiabilidade dos documentos arquivísticos digitais pelo tempo que se fizer necessário.

Palavras-chave: Arquivologia. Arquivística. Documento arquivístico digital. Preservação digital.

D4SiMem: uma proposta de modelo de digitalização para sistemas memoriais

ARAÚJO, Francisco de Assis Noberto Galdino de; PINTO, Manuel. D4SiMem: uma proposta de modelo de digitalização para sistemas memoriais. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.127-139, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2124/1798>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumo
Apresenta considerações acerca da digitalização como processo integrante da preservação da informação, variável indissociável da gestão da informação nas instituições de memória. Propõe um modelo de digitalização para sistemas memoriais (D4SiMem), sustentado pelo planejamento, captura, tratamento e preservação, contribuindo para a normalização dos processos e atividades a serem executados em nível local e cooperativo. Define os conceitos de Sistemas de Informação, Sistemas Tecnológicos de Informação e Sistema Memorial. Assim, ressalta a digitalização como um processo cuja finalidade é converter o documento físico numa unidade informacional em meio digital.
Para sua execução, aplicou o método quadripolar para observar o processo de digitalização realizado no acervo
memorial do Núcleo Temático da Seca e do Semiárido (NUT Seca, Universidade Federal do Rio Grande do Norte) e no Laboratório de Tecnologia da Informação (Liber, Universidade Federal de Pernambuco). Conclui destacando a própria implementação do modelo, fruto do reuso dinâmico da informação pelas Instituições de Memória que, através do trabalho colaborativo, ultrapassará os limites do território nacional, integrando redes memoriais em estruturação a nível internacional.

Palavras-chave: Digitalização. Preservação da Informação. Gestão da Informação. Instituições de Memória. D4SiMem.

Las auditorías, una metodología para planificar la preservación digital. Experiencias en España

TÉRMENS, Miquel. Las auditorías, una metodología para planificar la preservación digital. Experiencias en España. Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p.140-142, jan./abr. 2012. Disponível em: <http://revista.ibict.br/cienciadainformacao/index.php/ciinf/article/view/2143/1799>. Acesso em: 1 jan. 2016.

Resumen
Se presentan los resultados obtenidos en la aplicación de diversas metodologías de auditoría para comprobar el
estado de la preservación digital en distintas instituciones de España. Se concluye que las auditorías también se
pueden usar como herramienta de ayuda a la planificación de sistemas de preservación digital.

Palabras clave: Preservación digital. Auditoría. Repositorios confiables. Seguridad informática. ISO 27000. ISO 16363

A preservação da informação em relação ao patrimônio cultural na atualidade

RIBEIRO, Célia Pereira; PIRES, Erik André de Nazaré. A preservação da informação em relação ao patrimônio cultural na atualidade. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, fev. 2015. Disponível em: <http://dgz.org.br/fev15/Art_03.htm>. Acesso em: 17 jun. 2015.

Resumo
Aborda a preservação da informação no tocante ao patrimônio cultural, mostrando quais são os elementos constituintes na contemporaneidade que estão presentes quando se fala em preservação informacional. O estudo tem o fito de mostrar aspectos que norteiam a preservação da informação e dão suporte para se realizar essa atividade com aparato tecnológico na contemporaneidade. Fundamenta-se no transcurso do desenvolvimento, quanto a sua natureza por meio da pesquisa bibliográfica e no seu objetivo pela pesquisa exploratória. Por fim, entende-se que preservar compete em atividade que necessita de destreza e proficiência, e hoje as tecnologias vem a facilitar esse procedimento fundamental para salvaguardar as tipologias informacionais, independente do suporte que estão armazenadas.

Palavras-chave: Documentação. Preservação. Disseminação.

Documentos digitais editáveis, padrões abertos e interoperabilidade de dados: um levantamento nos sítios de universidades públicas em Santa Catarina

JOSÉ, Ivan Paes; DUTRA, Moisés Lima. Documentos digitais editáveis, padrões abertos e interoperabilidade de dados: um levantamento nos sítios de universidades públicas em Santa Catarina. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v.19, n.1, p. 52-60, jan./jun., 2014. Disponível em: < http://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/948/pdf_95 >. Acesso em: 12 maio 2014.

Resumo
Este trabalho faz uma análise dos documentos digitais editáveis disponíveis nos sítios da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), com o objetivo de verificar se estes estão em conformidade com as orientações do Governo Brasileiro, que sugere o uso do formato aberto Open Documento Format (ODF) para a criação de documentos digitais editáveis em toda a esfera pública nacional. Realizou-se igualmente uma avaliação de interoperabilidade, que consistiu em se analisar se as informações contidas nos documentos coletados dos referidos sítios foram recuperadas sem nenhum tipo de perda, independentemente de extensão e softwares de escritório utilizados para acessar os documentos. Ao final, a pesquisa constatou que nenhuma das instituições está adotando as orientações propostas pelo Governo Brasileiro. Quanto à interoperabilidade dos dados, verificou-se que ocorreram perdas significativas nas informações dos documentos, com alguns deles, inclusive, tendo a sua leitura completamente impossibilitada.

Palavras-chave: Preservação Digital; Padrões Abertos; Interoperabilidade.

 

Comunicação e a prevenção de danos no uso da internet

MACHADO, Antonio Carlos; GIACOMINI-FILHO, Gino. Comunicação e a prevenção de danos no uso da internet. Informação & Informação, Londrina, v. 18, n. 1, p. 17-32, jan./abr. 2013. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/8827/pdf>. Acesso em: 21 dez. 2013.

Resumo:
Introdução: A comunicação bancária tem registrado uso intenso de novas tecnologias e conteúdos, caso do net banking, o que gera novas possibilidades e relações com cliente bancário. Trata-se de um consumidor que é incentivado a conhecer os serviços oferecidos por meio de novos canais, a visualizar esses atributos, mas se ele detectar restrições informativas ou falhas na comunicação, irá se manifestar de alguma forma. Muitos consumidores lidam com fraudes ou danos causados pelo sistema de acesso virtual disponibilizado pelos bancos. Tal contexto apresenta inovações no sistema de comunicação protagonizado pelos bancos e consumidores midiatizados pela internet.
Objetivo: Descrever a comunicação bancária voltada para a prevenção de danos quando do uso de seus websites pelos consumidores.
Metodologia: Foram pesquisados os websites dos bancos Bradesco, Itaú e Banco do Brasil, além de pesquisa de opinião com 130 usuários do net banking desses bancos.
Resultados: Os bancos reservam em seus websites espaços específicos e não padronizados para a prevenção de danos ao consumidor no uso do net banking, enquanto os clientes usam tais serviços de forma parcial.
Conclusões: Os resultados encontrados não podem ser generalizados, servindo o presente estudo como degrau para que outros trabalhos possam aprofundar o objeto de estudo apresentado a fim de dimensionar com maior amplitude e representatividade a gestão da prevenção de danos ao consumidor no contexto do net banking.
Palavras chave: Comunicação. Consumidor. Prevenção de danos. Internet. Bancos.

Taxonomía de Metadatos de Preservación

CABERO, Manuela Moro. Taxonomía de Metadatos de Preservación. Ponto de Acesso, Salvador, v. 7, n. 1, p. 132-153, abr. 2013. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/8142>. Acesso em: 1 jul. 2013.

Resumo:
El ensayo tiene por objetivo reflexionar sobre los metadatos específicos para la preservación digital. Se inicia el estudio analizando las categorías que identifican los diferentes modelos conceptuales de metadatos considerando sus objetivos y utilidades. Partiendo de la identificación de los principales metadatos vinculados a dichas categorías, se pretende presentar un set de metadatos comunes para la preservación digital. El trabajo desvela las analogías y divergencias mediante la comparativa de las propuestas de metadatos de preservación en diferentes modelos. Se ha optado por incluir el análisis considerando iniciativas relevantes, tales como: OAIS, PREMIS, ISO 23081, y contrastando su información con las propuestas en lengua portuguesa (Brasil y Portugal).

Palavras-chave: Preservación digital; Metadatos; Metadatos de preservación.

Políticas e estratégias para a preservação da informação digital

SCHÄFER, Murilo Billig; CONSTANTE, Sônia Elisabete. Políticas e estratégias para a preservação da informação digital. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n. 3, p. 108-140, dez. 2012. Disponível em: <http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/6449>. Acesso em: 31 maio 2013.

Resumo:
Este artigo tem por objetivo discorrer sobre a preservação da informação arquivística digital produzida e custodiada pelas instituições públicas brasileiras. Com base na revisão da literatura, abordam-se os temas do impacto das tecnologias da informação no trabalho dos arquivistas e as principais estratégias de preservação digital (migração, emulação, encapsulamento, preservação da tecnologia, Pedra de Rossetta digital, transferência para meio analógicos e adoção de padrões). Descreve-se sobre os principais projetos voltados à preservação digital desenvolvidos atualmente, como o InterPares, OAIS, DIRKS, PREMIS, MOREQ, além dos estudos desenvolvidos pela Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos/CTDE. Além disso, destaca-se a importância de governos, instituições de pesquisa e profissionais da informação buscarem ações que conciliem a gestão e preservação da informação em uma sociedade cada vez mais tecnológica.

Palavras-chave: Gestão da Informação; Preservação Digital; Instituições Públicas.

Curadoria digital: um novo patamar para preservação de dados digitais de pesquisa

SAYÃO, Luis Fernando; SALES, Luana Farias. Curadoria digital: um novo patamar para preservação de dados digitais de pesquisa. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.3, p.179-191, set./dez.. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/12224 >. Acesso em: 27 maio 2013.

Resumo:
Uma parte considerável dos resultados das atividades de pesquisa está sendo criada em formatos digitais. Embora de grande valor, esses dados estão sob o risco de serem perdidos pela obsolescência tecnológica e pela fragilidade inerente das mídias digitais. Dessa forma, a gestão de dados de pesquisa num ambiente distribuído e em rede se torna um desafio crescente para o mundo da pesquisa e para a ciência da informação. Como resposta a esse desafio surge o conceito de curadoria digital, que envolve a gestão de dados de pesquisa desde o seu planejamento, assegurando a sua preservação por longo prazo, descoberta, interpretação e reuso. Nessa direção, o presente estudo analisa brevemente a importância dos dados de pesquisa e a idéia de curadoria digital e seus impactos na formulação de novos documentos e na comunicação científica.

Palavras-chave: Curadoria Digital; Dados de Pesquisa; Preservação Digital; Novos Documentos; Comunicação Científica; eScience

Informação arqueológica de Ingá: preservação, acesso e uso a partir de um ambiente virtual

MACHADO, Liliane S. et al. Informação arqueológica de Ingá: preservação, acesso e uso a partir de um ambiente virtual. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.esp, p.175-188, . 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/13777 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
A preservação do patrimônio histórico está associada a um conjunto de ações que envolvem governo e sociedade. Por meio do uso das tecnologias da informação e comunicação tornou-se possível reconstruir, registrar, divulgar e informar sobre sítios arqueológicos espalhados pelo mundo. Neste contexto, a distância deixou de ser um aspecto impeditivo e sistemas computacionais conectados à rede mundial de computadores permitem estender o acesso a sítios arqueológicos para difundir conceitos de sustentabilidade, preservação e valor histórico, dentre outros. Neste artigo é apresentado um trabalho realizado com o sítio arqueológico Itacoatiaras do Ingá, localizado na cidade de Ingá, no estado da Paraíba, Brasil. A partir da coleta de informações, foi realizado um estudo para categorizar tais informações e compor um ambiente tridimensional multimídia voltado à visitação virtual. Para isto foi reunida uma equipe multidisciplinar para desenvolver um sítio virtual voltado à divulgação do sítio arqueológico Itacoatiaras do Ingá por meio de um cenário tridimensional composto por imagens, textos e entrevistas sobre o local, sua história e suas estórias.

Palavras-chave: Informação arqueológica. Sítio arqueológico. Sítio virtual. Itacoatiaras do Ingá. Patrimônio cultural.

Preservação digital: a gestão e a preservação do conhecimento explícito digital em instituições arquivísticas

INNARELLI, Humberto Celeste. Preservação digital: a gestão e a preservação do conhecimento explícito digital em instituições arquivísticas. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v.3, n.2, p.48-63, jul./dez. 2012. Disponível em: < http://revistas.ffclrp.usp.br/incid/article/view/129 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Tendo como pano de fundo a gestão e preservação do conhecimento explícito digital nas instituições no âmbito da gestão do conhecimento e da arquivologia, este artigo pretende estabelecer um vínculo entre a gestão arquivística de documentos digitais e a gestão e preservação do conhecimento explícito na era digital. Para esta abordagem, considera-se a problematização do assunto, o conhecimento explícito registrado em documentos arquivísticos, a gestão arquivística como forma de gestão do conhecimento explícito, as ferramentas tecnológicas e a preservação do conhecimento explícito, tendo em vista a vantagem competitiva, a inovação e a preservação do conhecimento explícito para a manutenção da cultura institucional e social. O estudo das relações dos diversos pontos apresentados estabeleceu uma conexão entre o olhar arquivístico e os documentos arquivísticos digitais como fontes primárias do conhecimento.

Palavras-chave: Preservação digital. Gestão do conhecimento. Gestão arquivística de documentos. Conhecimento explícito.

Acesso às publicações eletrônicas e seu impacto na biblioteca

COUTINHO, Eliana; MACHADO, Rejane. Acesso às publicações eletrônicas e seu impacto na biblioteca. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v.2, n.2, p.178-188, jul./dez. 2011. Disponível em: < http://revistas.ffclrp.usp.br/incid/article/view/42 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
Este trabalho tem como premissa identificar a coexistência no mesmo domínio dos dois formatos – eletrônico e impresso – de periódicos científicos correntes da Biblioteca de Ciências Biomédicas da FIOCRUZ, a partir das constatações resultantes da análise de uso desses periódicos no período de 2009 e 2010. Além de conhecer as questões que perpassam pela aquisição e formatos dos periódicos da Biblioteca, procurou-se identificar as políticas dos editores em relação ao conteúdo do material, ao período permitido de acesso às coleções eletrônicas e ao direito de acesso e preservação digital. Como conclusão, apresentam-se pontos a serem analisados em relação à manutenção das coleções das bibliotecas tendo em vista o crescente aumento dos periódicos eletrônicos.

Palavras-chave: Periódico eletrônico; Assinatura de periódico; Acesso online; Preservação digital de repositório informacional.

SEER e PDF/A na preservação do periódico Archivos Rio-Grandenses de Medicina: relato de experiência

SILVA, Ana Paula Araújo Cabral da. SEER e PDF/A na preservação do periódico Archivos Rio-Grandenses de Medicina: relato de experiência. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.17, n.esp. 2, p.227-237,  2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp2p227 >. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
O artigo narra o processo de digitalização de um periódico do acervo histórico, da Biblioteca FAMED/HCPA (Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS e Hospital de Clínicas de Porto Alegre), chamado “Archivos Rio-grandenses de Medicina”. Este relato inclui breve revisão teórica acerca das mudanças no processo de editoração e divulgação das publicações periódicas científicas, bem como do desenvolvimento das tecnologias de preservação e acesso. Também descreve a conversão dos representantes digitais dos artigos para o formato PDF/A e a disponibilização online, através do Portal SEER UFRGS, dos fascículos da revista. Por fim, destaca a importância dos metadados na indexação e recuperação da informação.

Palavras-chave: Revista científica. Preservação digital. Indexação. Metadado.

Ontologia de dependência tecnológica de documentos digitais: instrumento de apoio à preservação digital

YAMAOKA, Eloi Juniti; GAUTHIER, Fernando Ostuni. Ontologia de dependência tecnológica de documentos digitais: instrumento de apoio à preservação digital. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.17, n.esp. 2, p.211-226,  2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp2p211 >. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
Este artigo apresenta o uso da ontologia para modelar a dependência tecnológica de objetos digitais. Na computação e na ciência da informação, ontologia é um artefato que permite a modelagem de conhecimento em algum domínio e possibilitaespecificar um vocabulário para fazer asserções que podem ser utilizadas por software. Para a que possa ser compreensível por humanos, o documento digital exige o uso detecnologia. Essa dependência tecnológica requer um cuidadosoacompanhamentoda obsolescência dessas tecnologias utilizadas para a criação e visualização do documento digital. O ambiente tecnológico de uma organização que faz uso intensivo da tecnologia da informação e comunicação pode ser constituído de milhares de componentes inter-relacionados e a tarefa de verificar o impacto da desativação de determinada tecnologia é muito trabalhosa. Visando reduzir os efeitos desse problema, foi desenvolvida a ontologia DeTec, com o uso da Web OntologyLanguage (OWL). Para a modelagem foi utilizada a plataforma Protégé da Stanford University). A ontologia DeTecé constituída de oito classes principais que permite a identificação de quais tecnologias um objeto digital tem dependência. Essa funcionalidade possibilita evitar a desativação equivocada de uma tecnologia e a consequente perda dos objetos dela dependente.

Palavras-chave: Preservação Digital. Ontologia. Formatos de Arquivos. Dependência Tecnológica.

Preservação digital à longo prazo e comunicação científica

MACEVICIUTE, Elena. Preservação digital à longo prazo e comunicação científica. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.17, n.esp. 2, p.1-18,  2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp2p1 >. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
Não possui resumo

Palavras-chave: Não possui palavras-chave

Metodologia para implantação de programas de preservação de documentos digitais a longo prazo

ALMEIDA, Maurício Barcellos; CENDÓN, Beatriz Valadares; SOUZA, Renato Rocha. Metodologia para implantação de programas de preservação de documentos digitais a longo prazo. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.17, n.34, p.103-130, maio./ago. 2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17n34p103 >. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
Um documento em papel se mantém por dezenas de anos mesmo sem cuidados especiais. Documentos criados por computador não possuem tal longevidade e evidências documentais essenciais para o funcionamento das instituições – legais, culturais ou históricas – registrados em mídias digitais, podem desaparecer. A questão da preservação digital se apresenta como um problema real a ser solucionado pelas instituições, principalmente aquelas que têm por obrigação legal a manutenção de documentos em longo prazo, seja para atendimento a demandas do cidadão, seja para preservação da história institucional. O presente artigo se insere nesse contexto como uma iniciativa para orientar sobre a preservação digital em instituições públicas. Apresenta-se metodologia para criação de programas de preservação de documentos de arquivos em formato digital em longo prazo, bem como um exemplo de sua aplicação no âmbito do programa de estadual. Espera-se contribuir para o sucesso de iniciativas de preservação digital com a divulgação de princípios e fundamentos básicos.

Palavras-chave: Preservação digital. Arquivística. Documentos digitais

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos