//
arquivos

Redes e Sistemas de informação

Esta tag está associada a 51 posts

Analise da adesão às tendências da Ciência pelos repositórios institucionais brasileiros

SHINTAKU, Milton; DUQUE, Claudio; SUAIDEN, Emir José. Analise da adesão às tendências da Ciência pelos repositórios institucionais brasileiros. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 6, n. 2, p. 148-16, set. 2015/fev. 2016. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v6i2p148-16>. Acesso em: 08 out. 2015.

Resumo:
Repositórios institucionais tem se tornado o locus para depósito da produção acadêmica das universidades e institutos de pesquisa, tornando-se um instrumento valioso para a disseminação da informação científica. Entretanto, como ferramentas informatizadas, requerem constante atualização, vistos ao dinamismo tecnológico. Da mesma forma, por servir a disseminação da informação  científica, deve estar em consonância com as tendências da ciência. Nesse sentido, o presente estudo visa levantar e analisar a adesão dos repositórios brasileiros em relação a: Dados Abertos; Arquivos Abertos; Acesso Aberto; Ciência Aberta; Curadoria Digital e e-science. Para tanto, faz uso de uma abordagem quantitativa, utilizando um survey com os gestores dos repositórios institucionais brasileiros. Revelou-se, assim, um cenário ainda incipiente, mas promissor na adesão às tendências da Ciência, em que a maior adesão dá-se ao Acesso Aberto. Assim, o presente estudo contribui para a discussão sobre os repositórios institucionais brasileiros.

Palavras-chave: Repositórios Institucionais; Tendências da Ciência; Dados Abertos; Arquivos Abertos; Acesso Aberto; Ciência Aberta; Curadoria Digital; e-science.

Explorando o Design Participativo como Prática de Desenvolvimento de Sistemas de Informação

CAMARGO, Liriane Soares de Araújo; FAZANI, Alex Jose. Explorando o Design Participativo como Prática de Desenvolvimento de Sistemas de Informação. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 5, n. 1, p. 138-150, mar./ago. 2014. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v5i1p138-150>. Acesso em: 04 ago. 2014.

Resumo:
O processo de desenvolvimento de sistemas de informação deve enfocar as necessidades  dos usuários finais, garantindo uma satisfação efetiva por meio do alto grau de usabilidade, acessibilidade e qualidade do mesmo. Uma prática que pode ser utilizada para coletar, analisar e projetar informações neste processo é o Design Participativo (DP), que abrange a participação de todos os interessados no processo de desenvolvimento do sistema como desenvolvedores, usuários, funcionários e parceiros. A participação dessas pessoas pode contribuir de forma relevante no desenvolvimento do sistema, já que elas possuem vivência real do trabalho, podendo destacar com propriedades os aspectos mais cruciais e importantes a serem considerados. A partir deste contexto, este artigo objetiva explorar essa prática, que ainda é pouco difundida na Engenharia de Software e em outras áreas correlatas, trazendo princípios para auxiliar na identificação de problemas e de possíveis soluções de sistemas de informação. A metodologia de pesquisa utilizada consiste na realização de análise descritiva e exploratória, bem como procedimentos técnicos de pesquisas bibliográfica e documental.

Palavras-chave: Design participativo; Desenvolvimento; Sistemas de Informação; Coleta de requisitos.

Análise de diferentes conceitos de educação por meio das redes semânticas

SANTOS JÚNIOR, Reginaldo Pereira dos; RODRIGUES, Ana Áurea Alécio de Oliveira; LOPES, Cláudia Ribeiro; DÉJARDIN, Isabelle Pedreira; PEIXOTO, Jurema Lindote Botelho; CUNHA, Marcelo do Vale. Análise de diferentes conceitos de educação por meio das redes semânticas. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, jun. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/jun14/Art_03.htm>. Acesso em: 21 jul. 2014.

Resumo
Conceitos, a partir de suas posições e relacionamentos nas redes de palavras, têm sido objeto de estudo nos últimos anos. Buscam-se comparar métodos de análise de redes com outros consolidados na literatura. As redes semânticas são utilizadas para análise de artigos científicos relacionados com a educação. O objetivo deste artigo é explicitar as relações entre uma forma de análise quantitativa, com um estudo qualitativo baseado na abordagem da análise de discurso francesa. Neste texto, cognição e linguagem interagem como sistemas complexos, possibilitando a compreensão dos conceitos abordados nas redes, por meio de análise das redes complexas. Os resultados sugerem que os discursos empresariais sobre a educação corporativa são fortemente alinhados e doutrinários, apresentando muitos conceitos e valores consonantes que divergem da abordagem dos discursos acadêmicos. A utilização das redes semânticas – quando conjugada com outras metodologias – auxilia na percepção das relações de sentido nos processos de construção e difusão do conhecimento.

Palavras-chave: Análise de redes; Redes semânticas; Educação corporativa; Redes sociais; Redes complexas.

Atores e ações de informação em redes sociais na internet: pensando os regimes de informação em ambientes digitais

ARAÚJO, Ronaldo Ferreira de. Atores e ações de informação em redes sociais na internet: pensando os regimes de informação em ambientes digitais. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15, n. 3, abr. 2014. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/jun14/Art_04.htm>. Acesso em: 21 jul. 2014.

Resumo
Discorre sobre as redes sociais na internet e a disseminação da informação e apresenta breve reflexão sobre a cibercultura à luz da teoria ator-rede como possibilidade de conceber os regimes de informação em ambientes digitais. Visualiza a possibilidade de diferenciar atores e ações de informação do regime no emprego da pirâmide de engajamento.

Palavras-chave: Redes sociais na internet; Regime de informação; Pirâmide de engajamento.

Práticas informacionais dos dirigentes do sindicato dos bancários de BH e região

OLIVEIRA, Dalgiza Andrade; MOURA, Maria Aparecida. Práticas informacionais dos dirigentes do sindicato dos bancários de BH e região. Informação & Informação, Londrina, v. 18, n. 1, p. 127-141, jan./abr. 2013. Disponível em: <>. Acesso em: 21 dez. 2013.

Resumo:
Introdução: Os sindicatos são espaços em que a informação parece adquirir relevância a fim de municiar seus dirigentes, ativistas e militantes na defesa dos interesses dos trabalhadores por eles representados.
Objetivo: Caracterizar e analisar as práticas informacionais dos dirigentes do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e Região.
Metodologia: O estudo apoiou-se em abordagens teóricas que analisam a informação como um fenômeno social, a prática informacional e as transformações do mundo do trabalho. Para alcançar os objetivos propostos foi utilizada a técnica do grupo focal e entrevistas com os membros da diretoria do Sindicato.
Resultados: O estudo apontou para um alto índice de uso e preferência pelos recursos digitais e constatou também que o fato da entidade ter um Serviço de Informação Especializado contribui para a preparação dos dirigentes. Indicou ainda que a informação possui valor estratégico para os dirigentes e que a prática informacional é essencial à prática sindical.
Conclusões: os dirigentes bancários no contexto do SEEB-BH são sindicalistas que possuem facilidade na relação com a informação e com as novas tecnologias. Compreendem a informação como necessária, indispensável e estratégica a sua prática  sindical. Utilizam as ferramentas disponíveis e acessíveis a partir dos meios eletrônicos com facilidade e assiduidade.

Palavras-chave: Informação. Prática informacional. Prática sindical. Bancários. Sindicatos. Mundo do trabalho. Processo de trabalho bancário.

O paradigma da orientação a objetos, a linguagem unificada de modelagem (UML) e a organização e representação do conhecimento: um estudo de caso de um sistema para bibliotecas

CASTRO, Fernanda Regebe; CRUZ, Fábio Marques da; ODDONE, Nanci Elizabeth. O paradigma da orientação a objetos, a linguagem unificada de modelagem (UML) e a organização e representação do conhecimento: um estudo de caso de um sistema para bibliotecas. Informação & Informação, Londrina, v. 18, n. 1, p. 82-105, jan./abr. 2013. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/9547/pdf>. Acesso em: 21 dez. 2013.

Resumo:
Introdução: A orientação a objetos trabalha com uma notação própria e possui alguns conceitos centrais. Dentre os mais importantes estão as classes, os atributos, os relacionamentos e a herança. Já a linguagem UML possui diagramas próprios.
Objetivo: Demonstrar a metodologia da orientação a objetos e a linguagem de modelagem UML, com seus diversos diagramas.
Metodologia: Para ilustrar o funcionamento dos diagramas desenvolve-se um estudo de caso envolvendo um sistema de empréstimo de livros em biblioteca.
Resultados: Constatou-se que há influências das teorias da classificação, especialmente a de Ranganathan, na área de modelagem de sistemas de informação, demonstrando que tudo o que hoje se desenvolve na informática, mais precisamente na área de desenvolvimento de sistemas, já foi realizado antes, de forma manual.
Conclusões: Nesse trabalho foi confirmado que para entender o complexo, antes de tudo é preciso dividi-lo em partes e classificá-lo.

Palavras-chave: Modelagem de sistemas. Orientação a objetos, UML. Classificação facetada. Ranganathan.

A Web 2.0 no Serviço de Referência: análise do uso nas bibliotecas das universidades federais do Nordeste brasileiro

PEREIRA, Edinete Nascimento; CARVALHO, Andréa Vasconcelos. A Web 2.0 no Serviço de Referência: análise do uso nas bibliotecas das universidades federais do Nordeste brasileiro. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 3, p. 102-124, set./dez., 2012. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/13000/pdf>. Acesso em: 13 jul., 2013.

Resumo
Introdução: Os recursos que compõem a Web 2.0, em conjunto com suas características como a interatividade e o dinamismo podem ser utilizados no Serviço de Referência das bibliotecas, ampliando as possibilidades de interação e estreitando o relacionamento entre o bibliotecário e o usuário, permitindo o compartilhamento de informações, esclarecimento de dúvidas, a troca de ideias e facilitando o processo de disseminação da informação.
Objetivos: Analisar a aplicabilidade e o impacto da Web 2.0 no Serviço de Referência de bibliotecas das universidades federais do Nordeste do Brasil.
Metodologia: Os procedimentos metodológicos incluem pesquisas bibliográficas pertinentes ao tema e pesquisa de campo. Para a coleta de dados foi aplicado um questionário a bibliotecas de nove universidades federais do Nordeste, obtendo-se retorno de cinco delas. Os dados obtidos foram analisados de forma qualitativa e quantitativa.
Resultados: Os resultados revelam, por um lado, que a maioria das bibliotecas pesquisadas sabe da importância e utiliza recursos da Web 2.0 no Serviço de Referência, especialmente, para atender os usuários. Por outro lado, observa-se que os recursos da Web 2.0 utilizados se limitam a uns poucos tipos, não incluindo recursos que poderiam ter impacto positivo no atendimento e fortalecimento do relacionamento com os usuários.
Conclusões: As bibliotecas pesquisadas se encontram num estágio inicial em relação ao uso dos recursos da Web 2.0 no Serviço de Referência. É importante salientar a necessidade de que haja ações de gestão no uso dos recursos 2.0 e que o bibliotecário faça um plano de gestão definindo quais recursos utilizar, que informação disseminar e que objetivos se pretende atingir.

Palavras-chave: Web 2.0. Serviço de Referência. Recursos da Web 2.0. Universidades Federais do Nordeste.

Biblioteca escolar e interculturalidade: rede social em países lusófonos Portal Biblon

FURTADO, Cassia; OLIVEIRA, Lídia. Biblioteca escolar e interculturalidade: rede social em países lusófonos Portal Biblon. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 155-169, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/23936/19798>.  Acesso em: 18 maio 2013.

Resumo

Este artigo visa apresentar a Plataforma Biblon, constituída no âmbito da pesquisa Rede Social de Leitores-Escritores Juniores, do Programa Doutoral em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais, da Universidade de Aveiro e Universidade do Porto. O objetivo da investigação consiste na formação de rede social, em torno da literatura infanto-juvenil, na comunidade lusófona, tendo como instrumento a referida plataforma.  A fase empírica, do estudo de caso, está sendo realizada nas escolas do 1º ciclo, da educação básica, do Agrupamento de Escolas de Aveiro, em Portugal. Espera-se contribuir na disseminação e preservação da língua e da literatura, na criação, articulação e circulação de bens culturais na comunidade escolar de língua portuguesa. Assim, o Portal Biblon estará fomentando a interculturalidade de pessoas que usam a língua portuguesa, como sua língua nata ou como sua segunda língua, pois, mesmo que geograficamente dispersas, tem em comum, além da língua, o repertório histórico e a raiz cultural.

Palavras-chave: Biblioteca escolar. Rede social. Biblon. Interculturalidade.Leitura.

Uma reflexão sobre a construção de identidades e a comunicação no contexto das organizações em rede

GOMES, Victor Márcio Laus Reis. Uma reflexão sobre a construção de identidades e a comunicação no contexto das organizações em rede. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 209-224, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/21608/14308>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

Este artigo é desenvolvido a partir de uma reflexão teórica sobre a divisão do trabalho na sociedade em rede, a construção de identidades e a comunicação organizacional. O objetivo é identificar possíveis abordagens para o estudo da construção de identidades no contexto das organizações em rede e sua relação com a comunicação organizacional, mais especificamente a comunicação interna. No ambiente de descontinuidades das organizações em rede, as interações e a comunicação assumem um papel central para a compreensão da construção das identidades. Com isso, a noção da identificação, e não a de identidades baseadas na continuidade das histórias de vida, parece a mais adequada para compreensão desse fenômeno.

Palavras-chave: Organizações em rede. Identidade. Comunicação organizacional.

O objeto museal em diferentes contextos e mídias

PORTO, Renata Maria Abrantes Baracho; BARBOSA, Cátia Rodrigues. O objeto museal em diferentes contextos e mídias. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 195-208, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22142/14316>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

O objetivo deste artigo é estudar o papel do objeto museal e sua relação com a memória, o imaginário na construção da comunicação e apropriação da informação em diferentes contextos e mídias. Argumentamos que a construção da comunicação e apropriação da informação em diferentes contextos e mídias, no que tange o objeto museal requer a organização de estratégias comunicacionais capazes não só de gerenciar e disponibilizar a informação em diferentes suportes, mas, sobretudo, de estabelecer relações entre áreas do conhecimento vinculadas à realidade virtual, espaços virtuais, banco de dados, sistemas de informação, computação gráfica e processamento digital de imagens, no sentido de disponibilizar estratégias museográficas e recontextualizar o objeto museal.  Interessa-nos mostrar como, no âmbito da comunicação do objeto musealizado, o planejamento das estratégias de apropriação da informação no contexto da mídia web depende tanto do trabalho coordenado entre os profissionais de áreas da computação, quanto da habilidade dos profissionais da museologia em contornar diferenças, discordâncias sobre o papel do objeto museal e sua relação com a memória nos processos de criação cultural. De modo a revelar como as imagens dos espaços e dos objetos museais difundidas pelos museus virtuais, pelas redes sociais podem minimizar tais discordâncias conferindo crédito à comunicação do objeto museal em ambientes virtuais.

Palavras-chave: Museu virtual. Objeto museal. Memória. Informação. Sistemas de informação. Recuperação de informação.

Redes Sociais Integradas e difusão de informações: compreendendo a circulação da informação em social games

REBS, Rebeca Recuero; ZAGO, Gabriela da Silva. Redes Sociais Integradas e difusão de informações: compreendendo a circulação da informação em social games. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 179-193, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/21910/14311>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

O trabalho busca apresentar uma reflexão de como a rede social dos social games é constituída a partir de uma discussão referente aos mecanismos de difusão de informações do jogo. Para isso, realizou-se uma observação participante e a aplicação de um questionário respondido por jogadores de social games do Facebook visando entender como as informações sobre o jogo são disseminadas no próprio jogo e na rede social que dá suporte ao social game. Ao observar esses fluxos de informações, percebemos que há uma rede social integrada (do jogo) à uma rede social maior (no caso, do site do Facebook). Em ambas as redes verificamos certas afetações com a dinâmica peculiar de cada uma. Além de constatar que a rede do jogo acaba se beneficiando do acesso fácil a ferramentas de interação, na medida em que os jogadores podem usar a rede principal para obter benefícios para a rede integrada, observamos que o mecanismo de difusão de informações dos social games parece configurar novos valores também na própria rede maior do Facebook.

Palavras-chave: Redes sociais. Difusão de informações. Social games. Redes sociais integradas

O discurso televisivo da memória: plim plim

ORICO, Evelyn. O discurso televisivo da memória: plim plim. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 61-75, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22400/14321>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

A televisão, parte integrante e fundamental de um sistema de comunicação de massa, ao mesmo tempo em que é resultado, é também fonte do universo simbólico do público a que se dirige. Sua grade de programação respeita, assim como provoca, o imaginário social de seu público, a partir do contexto histórico-social em que se manifesta. À luz de autores contemporâneos, este artigo discute aspectos da grade de programação do maior conglomerado televisivo brasileiro, como fonte de informação, especialmente voltada às atrações relativas à memória, procurando apontar para a construção de novas redes de sentido, concebidas pelo e no discurso televisivo. Reflexão eminentemente teórica, este artigo discute o impacto que tal programação provoca na construção do universo simbólico do povo brasileiro e consequentemente da memória desse grupo social na contemporaneidade.

Palavras-chave: Discurso. Memória. Informação. Comunicação de massa. Televisão.

Telejornalismo em plataformas interativas

BEZERRA, Ed Porto; ACCIOLY, Sheila Mendes. Telejornalismo em plataformas interativas. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 45-59, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/22148/14317>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

No mundo em rede, analisar possibilidades de práticas de telejornalismo digital em plataformas interativas se constitui numa tentativa de revisitar as práticas, funções e identidades profissionais em contexto de convergência midiática. No foco colaborativo da interação, emergem práticas jornalísticas com marcas open-source, demandando revisões nos modos de endereçamento a partir de novas plataformas que torna cada vez mais complexa a práxis cotidiana. Assim, o telejornalismo evolui deixando os ensaios transpositivos em função de exercícios de deslocamentos que se dão através de processos de hibridação, incorporando as características dos meios digitais interativos e da cultura das redes.

Palavras-chave: Redes sociais. Aplicativos sociais. Telejornalismo. TV digital interativa. Identidade profissional.

Analisando a dinâmica de produção e apropriação da informação em redes sociais online

MARTINS, Dalton. Analisando a dinâmica de produção e apropriação da informação em redes sociais online. Em Questão, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 27-43, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/21895/14310>.  Acesso em: 12 fev. 2013.

Resumo

O uso de sistemas de informação para promoção de redes sociais tem sido uma tendência no desenvolvimento da Internet na última década. Analisar o que acontece nesses sistemas, como os usuários se apropriam e o que produzem nem sempre é uma tarefa trivial. O artigo apresenta um conjunto de indicadores dinâmicos de fácil aplicação com o objetivo de caracterizar a dinâmica de apropriação e produção dos usuários. O conjunto de dados utilizados como caso é a rede social Conversê, ambiente criado no âmbito do Ministério da Cultura para o programa Cultura Viva, com mais de treze mil usuários espalhados por todo o país durante os anos de 2005 a 2007. Os resultados evidenciam formas e estratégias de uso da rede, permitindo identificar padrões de comportamento que ampliam a capacidade de visualização e compreensão do processo de apropriação e produção do espaço por seus usuários.

Palavras-chave: Redes sociais. Análise de redes. Webometria. Ciência da Informação. Indicadores.

Um roteiro para avaliação ontológica de modelos de sistemas de informação

OLIVEIRA, Viviane Nogueira Pinto de; ALMEIDA, Mauricio Barcellos. Um roteiro para avaliação ontológica de modelos de sistemas de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 16, n. 1, p. 165-184, jan./mar. 2011. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/983>. Acesso em: 30 jan. 2013.

Resumo
No âmbito dos sistemas de informação, uma ontologia pode ser usada tanto como um componente do sistema quanto como uma referência, ou seja, um padrão de comparação para avaliar a representatividade do modelo subjacente ao sistema. O presente artigo explora o segundo tipo de aplicação, discutindo o uso ontologias na criação de modelos conceituais. Apresentam-se
fundamentos do processo de criação de modelos para sistemas de informação e exemplos de ontologias utilizadas como referência. Propõe-se um roteiro para avaliação ontológica de modelos sob o ponto de vista da linguagem de modelagem e descreve-se um estudo de caso para testar a viabilidade da proposta. Espera-se contribuir para a pesquisa que envolve ontologias e modelagem conceitual, através de resultados empíricos.

Palavras-chave: Ontologias; Representação do conhecimento; Sistemas de informação; Modelos conceituais.

Arte e informação: a criação do Portal da Biblioteca Walter Wey da Pinacoteca do Estado de São Paulo

MARINGELLI, Isabel Cristina Ayres da Silva. Arte e informação: a criação do Portal da Biblioteca Walter Wey da Pinacoteca do Estado de São Paulo. CRB-8 Digital, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 103-108, dez., 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2013.

Resumo
Apresenta o relato de experiência do desenvolvimento do Portal de Informações da Biblioteca Walter Wey, da Pinacoteca do Estado de São Paulo, elaborado com a utilização do software Automação de Bibliotecas e Centros de Documentação (ABCD) e da metodologia BVS-Site, da Bireme. O portal, disponível para consulta na internet, é o principal meio de acesso aos recursos informacionais da Biblioteca. O artigo ressalta ainda o uso do vocabulário controlado como ferramenta para pesquisa on-line.

Palavras-chave: Bibliotecas de Arte. Sistemas de Informação. Portais web. Automação de Bibliotecas e Centros de Documentação (ABCD). Vocabulário Controlado.

O Software Público Brasileiro: novos modelos de cooperação econômica entre Estado e Sociedade Civil

FREITAS, Christiana Soares de. O Software Público Brasileiro: novos modelos de cooperação econômica entre Estado e Sociedade Civil. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.22, n.2, p.99-113, maio/ago. 2012. Disponível em: < http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/12231 >. Acesso em: 4 jan. 2013.

Resumo:
O Portal do Software Público Brasileiro é uma rede virtual de produção compartilhada de conhecimento tecnológico. Em 2010, essa rede interorganizacional agregava quarenta softwares públicos. Cada software é gerenciado por uma comunidade que adota práticas e normas democráticas de gestão. Software público é definido como um bem tecnológico, apoiado pelo Ministério do Planejamento do governo federal brasileiro e disponibilizado para a sociedade por organizações diversas. O objetivo do artigo é apresentar resultados de pesquisa quantitativa e qualitativa realizada no ano de 2009 a respeito desse projeto. Os resultados aqui apresentados foram obtidos com o intuito de verificar duas hipóteses centrais: a primeira afirma ser a rede do Portal um espaço que reforça um modelo de negócios referenciado em serviços no campo de produção de software livre e público no Brasil. A segunda hipótese afirma a tendência contemporânea à ampliação de modelos de interação e cooperação entre Estado e sociedade, tendo como referência a observação do surgimento de novas redes interorganizacionais, virtuais e públicas para o desenvolvimento de alianças estratégicas entre atores sociais.

Palavras-chave: Estado. Sociedade civil. Relações interorganizacionais. Sistemas de informação. Software público.

O uso da rede social fragmentada como fonte de referências na prática de Lifestreaming.

MAZZOCATO, Sandra Bordini. O uso da rede social fragmentada como fonte de referências na prática de Lifestreaming. Em Questão, Porto Alegre, v.15, n. 2, p. 117-134, jul./dez. 2009. Disponível em < seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/10815/7380 >  Acesso em: 20 dez. 2012.

Resumo:

O presente artigo tem como objetivo definir o termo lifestrea­ming. Processo em que ocorre combinação e compartilhamento de informações referentes a realizações pessoais periódicas na web em um espaço no qual são visualizadas em ordem crono­lógica, estando a mais recente sempre no topo da tela. Essas realizações pessoais são referentes a ações efetuadas em sites de redes sociais. No presente artigo pretende-se relacionar o compartilhamento de informações no processo de lifestreaming e as características do sujeito pós-moderno. Realiza-se um estu­do de caso do ambiente friendfeed para exemplificar como um agregador de lifestreaming pode tornar-se uma fonte alternativa de referências online.

Palavras-chave: Lifestreaming. Sujeito fragmentado. Redes sociais. Friendfeed.

Plataformas tecnológicas e a pesquisa em biomedicina – caracterização de uso local de dispositivos globais.

TEIXEIRA,  Márcia de Oliveira; MACHADO, Carlos José Saldanha; FILIPECKI, Ana Tereza P.; LANDI, Ana Carolina. Plataformas tecnológicas e a pesquisa em biomedicina – caracterização de uso local de dispositivos globais.  LIINC em Revista, Rio de Janeiro, v.8, n.1, p.222-236, março. 2012. Disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/472/368 >  Acesso em: 14 nov. 2012.

Resumo:

A pesquisa em biomedicina distingue-se pela emergência de uma lógica fabril em seu processo de produção de conhecimento científico, justificada pela constituição de um ambiente propício à aceleração da inovação industrial. Esse processo redundou na adoção, por instituições de pesquisa, de estratégias de gestão do mundo fabril. A política de C&T nacional estimula novas formas de gestão nas instituições de pesquisa, visando ao aumento da produtividade e ao desenvolvimento de áreas com maior potencial econômico. Entre outros dispositivos, as plataformas de equipamentos figuram sistematicamente nas ações de fomento a pesquisa. Entretanto, há pouco conhecimento sistematizado sobre o uso e a dinâmica local das plataformas. Partindo do estudo da experiência de uma instituição pública de pesquisa, procuramos caracterizar o modelo de plataformas que emergiu do processo de re-construção local.

Palavras-chaves: Plataformas tecnológicas. Biomedicina. Gestão. Instituições públicas. Equipamentos.

Ações para competências em informação no ciberespaço: reflexões sobre a contribuição da metacognição

FREIRE, Gustavo Henrique de Araujo;  FREIRE, Isa Maria. Ações para competências em informação no ciberespaço: reflexões sobre a contribuição da metacognição. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, v.17, n.esp. 1, p.1-23,  2012. Disponível em: < http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2012v17nesp1p1 >. Acesso em: 29 dez. 2012.

Resumo
Apresenta um quadro de referência teórico-conceitual em cujo contexto se discute a contribuição da metacognição às ações para competências em informação no ciberespaço. Discorre sobre os conceitos inter-relacionados no texto, esclarecendo a perspectiva mediante a qual a produção e compartilhamento de informação e conhecimento em redes virtuais são vistas como possibilidades de criação de novos conhecimentos. Nesse sentido, torna-se relevante, na sociedade em rede, o desenvolvimento e disponibilização de competências em informação na internet, de modo a promover o uso e apropriação de tecnologias intelectuais digitais. Destaca o valor das estratégias metacognitivas na produção de artefatos destinados ao desenvolvimento de competências em informação para veiculação na internet, em especial no que diz respeito às redes virtuais de aprendizagem.

Palavras-chave: Sociedade em rede. Ciberespaço. Redes virtuais de aprendizagem.  Competências em informação. Metacognição.

Herramientas para el análisis y seguimiento en Redes Sociales

PRIETO, Juan. Herramientas para el análisis y seguimiento en Redes Sociales. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 1, p. 120-131, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/9594/11377>. Acesso em: 20 out. 2012.

Resumo
Introdução: As redes e associações são usadas pelos seres humanos desde os primórdios da humanidade e sua análise levanta preocupações de diversos setores da sociedade. A Análise de Redes Sociais estuda a relação que existe entre uns e outros, a estrutura social, compara a presença online de um negócio com a competência, etc. É uma área que está surgindo, essencial nos processos de tomada de decisão por sua capacidade de analisar e intervir nos comportamentos das estruturas.
Objetivo: Avaliar três ferramentas de Análise de Redes Sociais para monitorar as conversas sobre a Organização “IFLA” (International Federation of Library Associations) para medir o sentimento das mesmas, gerenciar os esforços sociais e relacionar os fluxos entre as entidades e grupos.
Metodologia: Ensaio.
Resultados: A propriedade mais importante de uma ferramenta para analisar as redes sociais é o fato de serem livres e virtuais. Os resultados demonstram que o número de buscas realizado sobre a IFLA, desde 2004 é decrescente em relação com o número total de buscas que têm sido feitas no Google. Por outro lado é interessante destacar que o interesse regional não coincide plenamente entre Google Trends e Google Insight.
Conclusões: No estudo foram analisadas ferramentas especializadas no registro da atividade em mídias sociais, que têm um elevado potencial para o exercício de acompanhamento no âmbito das relações públicas e de pesquisa básica e aplicada.

Palavras-chave: Análise de Redes Sociais. Sistemas de Inteligência. Relações Sociais. Internet. Redes de Pesquisa Científica.

Redes sociais, mediação e apropriação de informações: situando campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação

MARTELETO, Regina Maria. Redes sociais, mediação e apropriação de informações: situando campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 3, n. 1, p. 27-46, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://inseer.ibict.br/ancib/index.php/tpbci/article/view/26/56>. Acesso em: 04 ago. 2012.

Resumo

Informação e redes sociais são conceitos transversais que encontram abrigo de passagem em diferentes domínios de conhecimento, mídias, campos sociais ou comunidades profissionais. O intercâmbio, o fluxo, o uso e a apropriação de informações dependem, por sua vez, da capacidade de indivíduos, grupos e organizações de se associarem para o aprendizado, o compartilhamento, a mobilização e a ação coletiva em redes sociais. Este artigo pretende, primeiramente, delinear os arcabouços teóricos e metodológicos do conceito de redes sociais para em seguida, e sem pretensão de exaustão, recuperar os caminhos dos estudos das redes sociais associados aos fenômenos da informação no Brasil, demarcando temas, objetos e conceitos. Por fim, ressalta-se o valor do emprego da teoria e da metodologia de redes sociais, de maneira a configurar “zonas de mediações” nos processos de produção, comunicação e apropriação de informações em espaços concretos ou virtuais.

Palavras-chave: Redes sociais. Mediação e apropriação de informações. Campos, objetos e conceitos na pesquisa em Ciência da Informação.

O geoparque araripe como pólo difusor do conhecimento no semi-árido nordestino

DUARTE, Francisco Ricardo; MIRANDA, José Garcia Vivas. O geoparque araripe como pólo difusor do conhecimento no semi-árido nordestino. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v. 1, n. 2, p. 249-265, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/pgc/article/view/9809/6914>. Acesso em: 2 ago. 2012.

Resumo

O presente artigo descreve o processo de constituição do Geoparque Araripe, localizado no sul do estado do Ceará. Este geoparque é o único do Brasil a fazer parte da Rede Global de Geoparques da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Assim, este artigo tem como objetivo descrever o geoparque como um território de difusão do conhecimento e, ainda, analisar as relações de cooperação entre as organizações presentes no referido território. Apresenta o conceito de geoparque, bem como a localização do Geoparque Araripe, seguida de uma breve revisão da literatura, na qual são apresentados temas como Redes Sociais e Capital Social. Utiliza como metodologia a Análise de Redes Sociais. A pesquisa de campo foi realizada com 15 instituições que atuam direta ou indiretamente no Território do Geoparque Araripe. Pode-se concluir que este território é povoado por diferentes atores e que os mesmos exercem diferentes papéis e atividades, bem como oferece diferentes tipos de apoios. Constatou-se, também, que a maioria das instituições pesquisadas tem como função produzir, preservar e difundir conhecimentos relacionados às suas respectivas áreas de atuação, sendo que o fator que as unem é a questão ambiental. Assim, defende-se no presente artigo que a Gestão em Rede, é a melhor estratégia de gerenciamento para o Geoparque Araripe, uma vez que permitirá também uma maior articulação e integração entre os diferentes parceiros presentes no seu território.

Palavras-chaves: Geoparque. Conhecimento. Redes Sociais. Território. Desenvolvimento Sustentável.

As redes: evolução, tipos e papel na sociedade contemporâea

CARPES, Gyance. As redes: evolução, tipos e papel na sociedade contemporâea. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 16, n. 1, p. 199-216, jan./jun., 2011.
Disponível em: <http://revista.acbsc.org.br/index.php/racb/article/view/743/pdf_44>. Acesso em: 21 jul. 2012.

Resumo
O artigo propõe uma reflexão sobre o papel das redes sociais na
sociedade contemporânea. Para compreender o contexto social e interativo proveniente das tecnologias de informação e comunicação na sociedade. Deste modo, tratará inicialmente do entendimento e contexto atual da sociedade. Em seguida, a compreensão do espaço virtual, o ciberespaço. Para entender este sistema interativo, foi descrito a gênese das redes, o conceito, a definição, a evolução e configuração. Menciona o papel das redes como ferramenta útil em
torno dos aspectos relacionados ao ciberespaço, sua dinâmica e os agentes “capital social” na manutenção da mesma. E por fim, a conclusão que ressalta a importância dos espaços virtuais que estão fazendo parte do cotidiano, seja na economia, na produção, na cultura. Assim, a rede ativa a comunicação entre os membros e possibilita a aprendizagem e o compartilhamento de conhecimento, por este motivo a reflexão sobre as competências informacionais tanto para o acesso como para a filtragem de informação. Este aspecto abrange a todos que necessitam desta ferramenta na prática do dia-a-dia. Outro fator importante é a mediação por um profissional da informação para resolução parcial do excesso de informação. E,
uma política que possibilite a todos o uso e acesso das ferramentas tecnológicas na construção do conhecimento.

Palavras-chave: Sociedade contemporânea. Redes – Conceitos, Evolução e Configuração. Redes sociais.

Entendimento de requisitos de sistema com abordagem orientada ao domínio

RIBEIRO, Cláudio José Silva. Entendimento de requisitos de sistema com abordagem orientada ao domínio. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 13, n. 2, abr. 2012. Disponível em: <http://www.dgz.org.br/abr12/F_I_art.htm>. Acesso em: 21 abr. 2012.

Resumo
Partindo do pressuposto que para produzir Sistemas de Informação com qualidade é fundamental compreender o ambiente de informações onde o sistema está incluído, torna-se necessário investigar os fundamentos que nos auxiliarão a realizar esta tarefa com sucesso. Dentro deste aspecto, o presente artigo apresenta abordagens para delimitação do domínio, entendimento e julgamento da relevância de informações, além do uso de técnicas para investigação dos requisitos de sistema de informação, conhecidas no campo da computação como técnicas para elicitação de requisitos. Dialogando com a Ciência da Informação e a Ciência da Computação, são apresentadas as principais definições que podem iluminar a trilha a ser percorrida por pesquisadores na direção da construção de novos trabalhos interdisciplinares, permitindo o melhor entendimento de requisitos, padrões de informação e comunicação dentro do Universo de Informações (UDI) sob análise.

Palavras-chave: Sistemas de Informação; Análise de Domínio; Requisitos; Elicitação; Relevância; Ciência da Computação.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos