//
arquivos

Repositórios institucionais

Esta tag está associada a 6 posts

Análise das políticas de autoarquivamento nos repositórios institucionais brasileiros e portugueses

ASSIS, Tainá Batista de. Análise das políticas de autoarquivamento nos repositórios institucionais brasileiros e portugueses. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 2, p. 212-227, jul./dez. 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v4i2p212-227>. Acesso em: 04 ago. 2014.

Resumo:
Os repositórios institucionais são bases de dados que têm por objetivo armazenar a produção científica de uma instituição. Neste contexto, o autoarquivamento é o mecanismo de depósito em repositórios institucionais recomendado pelo movimento de acesso aberto à informação científica, seguindo as estratégias da Via Verde. O autoarquivamento é aquele realizado pelo próprio autor. A adoção do autoarquivamento por parte das instituições tem como objetivo garantir os depósitos nos repositórios institucionais, maximizando assim, a sua quantidade de documentos. Motivos que podem impedir o autoarquivamento: desconhecimento por parte dos autores sobre o movimento de acesso aberto; sobre as questões relacionadas aos direitos autorais; o processo de avaliação por pares; sobre o impacto do trabalho em acesso aberto, entre outros fatores. Com esta pesquisa pretende-se verificar a existência de políticas de autoarquivamento nos repositórios institucionais brasileiros e portugueses, bem como a identificação de materiais de apoio ao autor para a realização de tal atividade. Para o estudo foram considerados os repositórios brasileiros e portugueses registrados no Directory of Open Access Repositories – OpenDoar.

Palavras-chave: Autoarquivamento; Repositórios institucionais; OpenDOAR; Acesso Aberto.

Anúncios

Integração de informação e interoperabilidade: o Repositório Institucional como suporte à gestão da investigação na Universidade de Aveiro

MARTINS, Ana Bela; NOLASCO, Bella; SILVA, Diana. Integração de informação e interoperabilidade: o Repositório Institucional como suporte à gestão da investigação na Universidade de Aveiro. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 2, p. 202-211, jul./dez. 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v4i2p202-211>. Acesso em: 04 ago. 2014.

Resumo:
A estratégia global de gestão de informação da Universidade de Aveiro prevê um conjunto de sistemas interoperáveis entre si e com outros sistemas externos, de forma a permitir uma racionalização de processos, a assegurar uma adequada gestão de informação e a promover a visibilidade da investigação produzida na instituição. O Repositório Institucional da Universidade de Aveiro (RIA) é uma peça central neste âmbito, tendo sido identificados, no decorrer do desenvolvimento do sistema, um conjunto de funcionalidades fundamentais para tornar ágil o processo de auto depósito de publicações por parte dos autores e para permitir a integração de informação com outros sistemas. São descritas algumas destas funcionalidades e destacados os desafios.

Palavras-chave: Repositórios; Auto arquivo; Interoperabilidade; Informação científica.

Panorama atual dos Repositórios Institucionais das Instituições de Ensino Superior no Brasil

MURAKAMI, Tiago Rodrigo Marçal; FAUSTO, Sibele. Panorama atual dos Repositórios Institucionais das Instituições de Ensino Superior no Brasil. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 2, p. 185-201, jul./dez. 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v4i2p185-201>. Acesso em: 04 ago. 2014.

Resumo:
O cenário atual de repositórios digitais mundialmente distribuídos estimula estudos diversificados com os quais esse trabalho visa contribuir, objetivando um levantamento dos repositórios de instituições de ensino superior no Brasil, verificando a eficácia de uma ferramenta experimental no tratamento e análise dos dados e usando como fontes os diretórios Registry of Open Access Repositories (ROAR), Directory of Open Access Repositories (OpenDOAR), Diretório Luso-Brasileiro de Periódicos e Repositórios de Acesso Livre e a lista L_repositories. A ferramenta experimental Google Fusion Tables foi aplicada nos dados dos repositórios institucionais pesquisados, categorizando suas principais características: Instituição mantenedora, Natureza da instituição, Local, Região geográfica, Software adotado e sua versão, adoção do padrão Dublin Core e quantidade de trabalhos disponibilizados na data do estudo. Foram identificados 49 repositórios que em agosto de 2013 disponibilizavam 396.881 itens, sendo as instituições federais as com maior povoamento e o repositório LUME o primeiro em volume de itens; a região Sudeste com o maior número de repositórios e volume de itens disponibilizados; o DSpace o software predominante, com maior utilização da versão 1.6.2 e o padrão de metadados Dublin Core em todas as aplicações desse software. Este estudo comprovou a eficácia e utilidade do Fusion Tables, permitindo caracterizar o panorama atual de repositórios de instituições de ensino superior no Brasil. Os resultados foram disponibilizados em um Catálogo de Repositórios de Instituições de Ensino Superior no Brasil e um Mapa interativo dos Repositórios de Instituições de Ensino Superior no Brasil.

Palavras-chave: Repositórios Institucionais; Instituições de Ensino Superior; Brasil.

A presença das editoras universitárias nos acervos dos repositórios institucionais

ROSA, Flávia; SHINTAKU, Milton; MEIRELLES, Rodrigo França; BARROS, Susane; HOFFMANN, Caio Schwarcz. A presença das editoras universitárias nos acervos dos repositórios institucionais. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 2, p. 152-164, jul./dez. 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v4i2p152-164>. Acesso em: 04 ago. 2014.

Resumo:
Os repositórios institucionais têm exercido importante papel na disseminação da produção científica das instituições de ensino e pesquisa ampliando a visibilidade tanto do autor quanto da instituição. Na atualidade, os avanços tecnológicos tanto possibilitaram a inserção das editoras universitárias no uso dos processos editoriais digitais quanto o aumento de visibilidade, acessibilidade, uso e impacto dos livros. As editoras universitárias têm um papel fundamental de promover a difusão da produção científica e caracterizam-se por abranger todas as áreas do conhecimento, publicando textos de qualidade, avaliados por pares e de autoria de pesquisadores com filiações institucionais diversas. O presente estudo tem por finalidade verificar a adesão de editoras ao movimento de acesso aberto à informação científica através da presença de títulos publicados em acervos dos RI. Busca-se, também, conhecer a política das editoras e das instituições voltadas ao depósito de livros e capítulos nesses repositórios. Para tanto foram selecionados para compor a amostra 31 repositórios de universidades e instituições de pesquisa tendo como critério a disponibilização em suas coleções de livros e capítulos de livros. O repositório da Universidade Federal da Bahia destaca-se por disponibilizar o maior número de livros e capítulos 307 itens seguido da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária com 120. Conclui-se que ainda é tímida a participação da produção das editoras universitárias nos acervos dos RI e, na maioria das instituições, não há uma política formal de disponibilização de conteúdos em acesso aberto.

Palavras-chave: Repositórios institucionais; Editoras universitárias; Políticas – Acesso aberto.

A perspectiva dos bibliotecários da quanto à implantação de ferramentas de acesso aberto na Universidade Tecnológica Federal do Paraná

TORINO, Emanuelle; TORINO, Lígia Patrícia; MELZER, Felipe Matheus. A perspectiva dos bibliotecários da quanto à implantação de ferramentas de acesso aberto na Universidade Tecnológica Federal do Paraná. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 2, p. 54-74, jul./dez. 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v4i2p54-74>. Acesso em: 04 ago. 2014.

Resumo:
O presente estudo consiste em um relato de experiência quanto à implantação e avaliação dos bibliotecários da UTFPR nas atividades pertinentes aos repositórios institucionais. Para subsidiar as discussões, recorreu-se à literatura científica de forma a apresentar uma revisão bibliográfica sobre repositórios institucionais, a experiência na implantação de repositórios na UTFPR e na seqüência o resultado da análise dos sujeitos que compõe esta pesquisa. Como metodologia foi utilizada a pesquisa exploratória que envolve levantamento bibliográfico e análise de exemplos que estimulam a compreensão (GIL, 2008). Os sujeitos que compõem a pesquisa são os bibliotecários que atuam na submissão e revisão de itens aos dois repositórios da Instituição. Dentre principais resultados observou-se que os bibliotecários avaliaram positivamente o uso do software Dspace e o conhecimento que detém dos documentos que regem a atividade. Outro dado relevante identificado foi que embora a divulgação do Portal de Informação em Acesso Aberto da UTFPR tenha sido realizada por inúmeros mecanismos, percebe-se que ainda é pequena a procura por parte dos servidores para disponibilizar seus materiais no repositório, fato que tende a mudar em função da nova política de capacitação cuja proposta é o depósito obrigatório da produção científica no repositório institucional.

Palavras-chave: Iniciativas de Acesso Aberto; Repositórios de informação; Repositório Institucional.

Os critérios para cadastramento no OpenDOAR e os repositórios institucionais luso-brasileiros

MELIS, Maria Fernanda Mascarenhas. Os critérios para cadastramento no OpenDOAR e os repositórios institucionais luso-brasileiros. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 2, p. 20-33, jul./dez. 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v4i2p20-33>. Acesso em: 04 ago. 2014.

Resumo:
Com o crescimento significativo do número de repositórios em todo o mundo os diretórios internacionais, como, o OpenDOAR, tornam-se importantes mecanismos para potencializar a disseminação e a visibilidade dos conteúdos armazenados. O presente trabalho teve por objetivo analisar o emprego dos critérios adotados pelo diretório OpenDOAR em relação aos repositórios institucionais luso-brasileiros. A coleta de dados ocorreu no período de janeiro a abril de 2013 e se deu por meio de observações no site do OpenDOAR e também por troca de e-mails com a equipe responsável pelo diretório. Cada um dos 91 repositórios institucionais luso-brasileiros que compõem a amostra foi checado manualmente a fim de se descobrir se cumpriam aos critérios estabelecidos para o cadastramento no diretório. Para este estudo não foi questionado se o emprego da tipologia utilizada para classificação dos repositórios estava correta ou se concordava com a literatura especializada da área. A pesquisa detectou que alguns dos critérios são desrespeitados, podendo ser a falta de informações necessárias a sua compreensão um dos motivos. Os diretórios, como o OpenDOAR são responsáveis pela reunião das iniciativas de acesso aberto e se fazem importantes visto que comprovam empiricamente o crescimento do movimento de acesso aberto à informação científica no mundo.

Palavras-chave: Repositórios institucionais luso-brasileiros; Diretórios internacionais; OpenDOAR.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos