//
arquivos

Múltiplos Olhares em Ciência da Informação

Esta categoria contém 97 posts

Noções de cultura, informação e rede: Museus e algumas reflexões sobre globalização

JARJOUR, Nívia Raquel; PINTO, José Augusto de Paula. Noções de cultura, informação e rede: Museus e algumas reflexões sobre globalização. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2335/1546 >. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
Segundo a Doutora Janine Rossato (2010), neurocientista do Laboratório e Centro da Memória da PUC-RS, cultura é o que diferencia o homem do primata, é a capacidade humana da memória, da aquisição, armazenamento, evocação e transmissão de ideias. Prossegue a cientista dizendo não existir uma memória única e sim um “conjunto de memórias”, assim como a cultura, que nunca é una, mas sempre multifacetada e plural, apesar de seu caráter eminentemente semelhante enquanto célula isolada.

Anúncios

Cultura, Globalização, Informação e Rede

RODRIGUES, Miguel Tadeu; REZENDE, Heloisa Guimarães Vidigal. Cultura, Globalização, Informação e Rede. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: < http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2334/1545&gt;. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
Este artigo aborda a noção de cultura, informação e rede presentes no processo de globalização com enfoque antropológico. Aborda conceitos e questionamentos de vários teóricos do século XX e primeira década do XXI. A cultura é entendida como sistema de códigos inserida num conjunto de mecanismos de controle, planos, receitas, regras e instruções que direcionam os comportamentos avaliados na ótica das relações sociais. A informação é percebida como elemento constituinte das dimensões sociais e culturais. A articulação das novas tecnologias em redes de relacionamentos participa de construções identitárias. Discute influência da globalização na formação de gostos e preferências.

Palavras-chave: Cultura. Herança cultural. Interação social. Informação e comunicação. Cultura global. Redes globais de comunicação.

As múltiplas concepções da cultura

MORGADO, Ana Cristina. As múltiplas concepções da cultura. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2333/1544 >. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
Fazendo uma enquete com um pequeno grupo de alunos do ensino fundamental da E.M.Maria Elena da Cunha Braz em Betim, sobre o que eles pensam o que é cultura observei que as expressões e palavras que mais apareciam em suas respostas eram: nossa raiz, tradição, identidade, conhecimento passado de geração em geração, modo de vida.

Patrimônio cultural do Brasil: ressonâncias literárias

BOTELHO, Soraia Oliveira de Vasconcelos. Patrimônio cultural do Brasil: ressonâncias literárias. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2331/1543 >. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
Para abordar o conceito, Gonçalves se reporta ao historiador Stephen Greenblatt. Greenblatt refere-se à ressonância como poder que um objeto exposto tem de atingir um universo amplo e de evocar no expectador “forças culturais complexas e dinâmicas das quais ele emergiu e das quais ele é, para o expectador, o representante”. Considerando que poder não é propriedade objetiva, inerente, nem prerrogativa de um objeto, sendo antes atribuição, proponho, neste ensaio, a reflexão sobre construção de sentidos que conferem ao objeto (patrimônio) o poder de evocação identificado por Greenblatt. A reflexão busca apoio na literatura, entendida aqui como mediadora de noções de patrimônio cultural. A premissa é de que a fusão do real e do imaginário, possível, pertinente e até desejável no campo literário, apresenta-se como instrumento eficaz para estabelecer ressonâncias entre a sociedade e a eleição de patrimônios e vice-versa.

Patrimônio Cultural no Brasil

MACHADO, Pollyanna Lacerda; NOGUEIRA, Thaís Kalile Zschaber. Patrimônio Cultural no Brasil. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2329/1538 >. Acesso em: 29 jul. 2015.

Resumo
Visando compreender a “imaginação museal” de Gustavo Barroso, Gilberto Freyre e Darcy Ribeiro – examinada com carinho e cuidado pelo museólogo (e poeta) Mário de Souza Chagas em sua tese defendida em 2003; assim como a relação do patrimônio cultural no cenário museológico brasileiro, defrontamo-nos com várias questões importantes para o entendimento da construção do significado dos museus e dos bens culturais em meados do século XIX. De início destacamos: “- a tradição museal brasileira pode ser inteiramente compreendida como parte de um processo civilizador de modernidade com raízes fincadas no solo do século XVIII.” (CHAGAS, 2009, p. 64). A partir deste trecho é possível perceber uma parcela do que seria a função dos museus e mais adiante discutiremos como os três intelectuais escolhidos para análise pensaram a preservação do patrimônio cultural e qual era o significado dos museus para eles.

Patrimônio cultural como categoria de pensamento e categoria de ação: notas sobre o trânsito de práticas e conceitos e um esboço de reflexão sobre a cultura indígena em museus

CARVALHO, Carolina Vaz de. Patrimônio cultural como categoria de pensamento e categoria de ação: notas sobre o trânsito de práticas e conceitos e um esboço de reflexão sobre a cultura indígena em museus. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2330/1542 >. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
O antropólogo José Reginaldo Santos Gonçalves, em alguns textos reunidos na coletânea Antropologia dos objetos: coleções, museus e patrimônio (GONÇALVES, 2007), propõe o uso de “patrimônio cultural” como uma categoria de pensamento que poderia contribuir para o entendimento da vida social e cultural. Em sua exploração da presença dessa categoria e seus contornos semânticos em sistemas de pensamento e contextos históricos e culturais distintos da tradição ocidental, Gonçalves argumenta pela universalidade de categorias como “patrimônio cultural” e outras intimamente a ela relacionadas.

A institucionalização do patrimônio cultural

VIEIRA, Márcia Polignano; DULTRA, Karyna. A institucionalização do patrimônio cultural. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2325/1530 >. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
Este artigo pretende analisar algumas mudanças ocorridas no processo de transformação da instituição SPHAN/IPHAN e quais os resultados obtidos, a partir da sua criação na preservação do patrimônio nacional. É importante que se faça saber de um breve histórico, considerando as influências do contexto político social da época da criação do órgão.

Museu de cidade: entrecruzando patrimônio e cidades

FREITAS, Moacir Fagundes de. Museu de cidade: entrecruzando patrimônio e cidades. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/1907/1535 >. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
Este artigo tem como fonte textos de dois importantes autores do pensamento museológico brasileiro: José Reginaldo Gonçalves em “Ressonância, Materialidade e Subjetividade: As Culturas como Patrimônio” (2005) e Ulpiano Toledo Bezerra de Meneses com o seu “O museu e a consciência de cidade” (2003). Proponho-me a trabalhar a partir dessas duas matrizes, desvelando seus conceitos e definições a fim de que iluminem os significados de patrimônio, de cidade e de museu de cidade. Desta forma, busco entrecruzar os caminhos propostos pelos autores, percorrendo a tríade “CidadePatrimônio-Museu”, a partir da análise e aplicação de conceitos como cidade-artefato, ressonância, materialidade e subjetividade.

Palavras-chave: Cidade. Patrimônio. Museu de Cidade. Cidade-Artefato. Ressonância. Materialidade.

A identidade brasileira: ensaio de museologia e historiografia

CUNHA, Paola Andrezza Bessa. A identidade brasileira: ensaio de museologia e historiografia. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v.4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2326/1536 >. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
A identidade brasileira é um dos temas mais analisados e debatidos, sendo discutido especialmente desde meados do século XIX e encontrando seu auge nos primeiros anos do século XX. Desde a sua formação, passando pelos elementos de composição e resultados de encontros de culturas, a essência que compõe e identifica a cultura brasileira vem sendo buscada e debatida nas mais diversas áreas de conhecimento. Muitas destas questões estão sendo articuladas principalmente desde a década de 1930, como podemos observar nas obras de Oliveira Vianna e Gilberto Freyre, entre outros, sendo sempre revisitadas de acordo com as demandas que são apresentadas à sociedade pelo tempo presente.

Patrimônio: inclusões e exclusões

OLIVEIRA, Amanda Caroline; PARANHOS, Julianne; SOARES, Marianna. Patrimônio: inclusões e exclusões. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 4, n. 1, mar. 2014. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2320/1528 >. Acesso em: 28 jul. 2015.

Resumo
Para refletir sobre a construção do patrimônio cultural no Brasil é necessário considerar que a elaboração do significado do termo patrimônio está conexa a um conjunto de valores ou conceitos-chave que moldam as práticas patrimoniais. Valores esses que são remodelados durante o tempo e, quando ganham novos significados, a ideia de patrimônio revela novas fronteiras. Analisar a edificação do corpo conceitual, político e jurídico de proteção patrimonial estabelecido no Brasil implica revisitar as práticas desenvolvidas pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o SPHAN – atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, IPHAN – e as diretrizes elegidas.

Biblioteca digital: uma evolução da biblioteca convencional

SANTOS, Carla Marques dos; ASSUNÇÃO, Suelene Santana. Biblioteca digital: uma evolução da biblioteca convencional. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2104/1304 >. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
A informação é indispensável na sociedade que vivemos em meio a mudanças e avanços tecnológicos. A biblioteca tradicional sofre um processo gradual e evolutivo acompanhada pelos suportes Tecnológicos da Informação e Comunicação, surge um novo conceito de biblioteca, chamada de Biblioteca Digital. O objetivo deste artigo consiste em contextualizar a evolução da instituição biblioteca, partindo das concepções de uma biblioteca tradicional até o advento da Biblioteca Digital. Para embasar teoricamente a pesquisa foi feito uso da pesquisa bibliográfica versando sobre o progresso da biblioteca relacionada às novas tecnologias, ressaltamos o papel da Biblioteca Digital como ferramenta na disseminação da informação à luz de duas Leis de Ranganathan, a saber: a quarta lei “Poupe o tempo do leitor” e na quinta lei “A biblioteca é um organismo em crescimento”. Espera-se com este trabalho ampliar a discussão sobre como se deu o processo de migração da instituição biblioteca de uma espacialidade física para uma espacialidade digital.

Palavras-chave: Biblioteca Tradicional. Biblioteca Digital. Tecnologia da Informação e Comunicação.

A influência dos livros digitais no acesso a informação: uma comparação entre o livro digital e o impresso

ARARUNA, Walysson Ferreira; PINHEIRO, Ana Cristina Lucio; CARNEIRO, Gracione Batista. A influência dos livros digitais no acesso a informação: uma comparação entre o livro digital e o impresso. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2100/1303 >. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Aborda uma reflexão acerca do surgimento do livro digital e sua influencia no acesso a informação, levando em consideração a origem e trajetória histórica do livro impresso. Pretende-se verificar as vantagens e desvantagens do livro digital no processo de acesso, disseminação e busca da informação, tendo como base estudos na área de sistemas de informação e biblioteconomia, fazendo uma comparação entre o livro digital e o impresso. A metodologia é desenvolvida a partir de uma pesquisa exploratória como delineamento bibliográfico, enfatizando uma abordagem teórica do assunto. Percebe-se, portanto, que os livros digitais vêm influenciando o surgimento de uma nova cultura no que tange ao acesso a informação, no entanto, o livro impresso e o mercado editorial continuaram a existir e a fazer parte desse processo.

Palavras-chave: Livros Digitais. Livros Impresso. Acesso a Informação.

Unidades de informação no século XXI: um enfoque das funções desempenhadas por web sites de bibliotecas

PAIVA, Rodrigo Oliveira de. Unidades de informação no século XXI: um enfoque das funções desempenhadas por web sites de bibliotecas. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/1986/1302 >. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Trata web sites de bibliotecas como importantes instrumentos de acesso a informação. O presente trabalho tem como objetivo mostrar como a internet e as tecnologias da informação e comunicação (TIC’s) têm se tornado relevantes mecanismos para a disseminação do conhecimento e como o desenvolvimento de sites de bibliotecas contribuiu positivamente para tal ação, por meio de funções desempenhadas por eles com o intuito de dar efetividade ao direito de acesso à informação tal como inserido no ordenamento jurídico nacional. Esses sites são utilizados para exemplificar como importantes instituições podem atuar para possibilitar o livre acesso aos conteúdos que produzem, uma vez que as informações devem ser disseminadas não só para um grupo pequeno de usuários. O percurso metodológico adotado foi realizado através de uma pesquisa exploratória de caráter bibliográfico fundamentada em ideias de autores como, Amaral e Guimarães (2002) e Dziekaniak et al (2006) sem dispensar as opiniões de outros pensadores sobre o assunto abordado no trabalho. Finaliza mostrando a relevância que a inserção de unidades de informação na web proporcionou para o próprio marketing desta, haja vista que se necessita disso para evoluir, e como a informação evolui estas organizações seguem os mesmos caminhos auxiliados pelas ferramentas das TIC’s.

Palavras-chave: Web sites. Funções desempenhadas. Século XXI.

O bibliotecário como arquiteto da informação: os desafios e as novas abordagens no hodierno Contexto

SANTOS, Raimunda Fernanda dos; SILVA, Eliane Ferreira da. O bibliotecário como arquiteto da informação: os desafios e as novas abordagens no hodierno Contexto. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2116/1316 >. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Estuda a Arquitetura da Informação e a organização da memória documental em ambiente digital. Analisa o contexto biblioteconômico e suas práticas de gestão da informação com vistas a prestar serviços de qualidade na organização de sistemas de preservação e difusão do patrimônio histórico da sociedade. Aponta algumas das relações entre memória e tecnologia ao longo da história da humanidade. Objetiva identificar a importância do profissional da informação como Arquiteto da Informação na estruturação de websites visando à qualidade da disponibilidade e encontrabilidade do patrimônio histórico em meio digital, a fim de possibilitar a garantia do acesso às gerações futuras. Utiliza como metodologia pesquisas bibliográficas e eletrônicas que subsidiaram o desenvolvimento da pesquisa. Aborda também a reflexão de que os sistemas de preservação e difusão da memória digital devem ser ergonômicos atuando através de serviços com mecanismos de descrição arquivística e interface de fácil acesso para que o usuário possa ter uma navegação estrutural com tecnologia assistiva que visa a e-acessibilidade. Menciona a importância das informações primitivas serem disponíveis em infovias a fim de reunir os acervos documentais que comprovem a veracidade dos fatos. Conclui relacionando o papel biblioteconômico em prol da boa ergonomia da Arquitetura da Informação na perspectiva de serviços intuitivos que promovam acessibilidade. Enfatiza ainda a necessidade de ampliar os estudos sobre a interação homem-computador (IHC). Dessa forma, poderá ser bem sucedido o desempenho geral de sistemas de informação de difusão da memória documental na web com vistas à prestação de serviços informacionais de qualidade.

Palavras-chave: Gestão da Informação. Memória Documental. Arquitetura da Informação.

A importância da digitalização dos documentos memoriais da Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM)

FREITAS, José Deusimar de; CRUZ, Keltom Rocha da. A importância da digitalização dos documentos memoriais da Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM). Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2099/1301 >. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Estuda o processo de digitalização dos documentos memoriais da Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM), o qual se realiza, para que as informações sejam guardadas de forma segura, e de fácil recuperação. Enfoca a preocupação de preservar os documentos memoriais em meio digital, partindo da grande necessidade de evitar a perda dos documentos úteis que estavam ou que ainda estão em papéis. O que muitas vezes ocorre por questões climáticas, ameaças biológicas, mau manuseio, etc. Objetiva saber a utilidade da digitalização destes documentos em face à disseminação e recuperação dos mesmos, já que estes são documentos de um órgão público. Teve como metodologia a pesquisa de campo e levantamento bibliográfico. Apresenta as novas tecnologias como suporte de grande eficácia na segurança dessas informações. Enfatiza que de acordo com a velocidade em que aumenta o número de informações, a tecnologia evolui e contribui para seu armazenamento. É tanto que, atualmente, a digitalização é provida de equipamentos avançados e capazes de arquivar vários documentos no meio digital em pouco tempo. Conclui que, o uso da digitalização contribui e contribuirá de forma surpreendente, tanto no arquivamento da memória da BCZM quanto no armazenamento de outras informações que venham a esta pertencer. O que dificulta o extravio destes e facilita a recuperação dos mesmos, de forma rápida e segura.

Palavras-chave: Memória – Preservação. Digitalização. Disseminação.

Possibilidades de atividades colaborativas e cooperativas entre bibliotecários e gestores da informação em práticas profissionais de armazenamento, organização, fluxo e recuperação da informação

SILVA, Valéria Bastos da; FERREIRA, Aurélio Fernando; SILVA, Sara Jordânia Reis; OLIVEIRA, Eurislândia Pereira de; SANTOS, Clodoaldo Francisco dos. Possibilidades de atividades colaborativas e cooperativas entre bibliotecários e gestores da informação em práticas profissionais de armazenamento, organização, fluxo e recuperação da informação. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2098/1300 >. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
O dinâmico cenário do mercado de trabalho atual está permeado pelas novas tecnologias da informação e comunicação (TIC’s) o que exige dos profissionais, especificamente os que têm como objeto de trabalho a informação uma crescente capacitação para entender e utilizar-se de ferramentas que visam diminuir o tempo e o gasto de recursos em suas práticas e processos, bem como aumentar a precisão de seus resultados, sobretudo no que tange a eficiência dos processos decisórios e da tomada de decisão. Este artigo propõe, através de uma revisão das disciplinas e das práticas do Bibliotecário e do Gestor da Informação, mostrar as lacunas que podem ser preenchidas de forma cooperativa e colaborativa entre esses dois profissionais. O objetivo deste artigo é mostrar que o trabalho coletivo e colaborativo pode ser uma saída viável para a precisão e redução nas atividades do profissional da informação, diante do conceito de que cada atividade pode ser desempenhada, apoiada nos conceitos e práticas comuns de cada graduação, em colaboração e complementação com as práticas multidisciplinares de outras graduações da mesma área do conhecimento e objeto de estudo, com especificidades e técnicas à primeira vista iguais, mas que têm peculiaridades implícitas, trazendo uma realidade de cooperação com ganhos reais tanto para as organizações como para a sociedade.

Palavras-chave: Profissional da informação. Trabalho colaborativo.

Os pilares da Gestão da Informação: os fundamentos da Ciência da Informação, Administração e Tecnologia no curso de Gestão da Informação da UFPE

FERREIRA, Aurélio Fernando; SILVA, Gilvan Mariano da; WANDERLEY NETA, Luiza Fagundes; BEZERRA, Márcia Patrícia; FALCÃO JUNIOR, Marcos Antônio Gomes. Os pilares da Gestão da Informação: os fundamentos da Ciência da Informação, Administração e Tecnologia no curso de Gestão da Informação da UFPE. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2097/1299 >. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Criado em 2009 o curso de Bacharelado em Gestão da Informação da Universidade Federal de Pernambuco – GIUFPE traz uma proposta interdisciplinar concebida em três pilares: Um pilar, apoiado nas teorias e práticas da Ciência da Informação, Um segundo pilar apoiado em teorias e práticas da gestão e da administração, e o terceiro pilar apoiado na tecnologia com o uso de ferramentas da informação e comunicação e informática. Essa proposta acadêmica interdisciplinar exige dos alunos uma estrutura de conhecimento que seja capaz de internalizar teorias, fundamentos, conceitos, práticas e uso de sistemas de informação. Tal configuração tem por objetivo formar um indivíduo capaz de recuperar, selecionar, organizar, usar e disseminar a informação dentro de um ambiente social e organizacional em qualquer que seja o ramo de atividades de maneira hábil, eficiente e eficaz. Esse estudo foi realizado por meio da análise da matriz curricular e de pesquisa realizada com os alunos matriculados no curso de GI. Como resultado o trabalho demonstra possíveis aspectos que podem ser acentuados, acrescentados e modificados, ajudando num posterior projeto pedagógico tornando o curso capaz de aperfeiçoar o formando como um profissional mais preparado para o mundo que o cerca.

Palavras-chave: Pilares da Gestão da Informação, Ciência, Gestão e Tecnologia da informação.

Leitura de professores e práticas pedagógicas no ensino superior

RODRIGUES, Cecília de Jesus; TEIXEIRA, Rosana Neves; FERREIRA, Maria Mary. Leitura de professores e práticas pedagógicas no ensino superior. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2096/1298 >. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Aborda o processo de construção do conhecimento levando ao estudo dos fundamentos epistemológicos das ciências e teorias que embasam o conhecimento científico para compreendermos as linhas de pensamento norteadoras das práticas pedagógicas de ensino. A pesquisa analisa o Projeto Político Pedagógico do curso de Biblioteconomia, com o objetivo de reunir disciplinas que possibilitem a reflexão entre informação, sociedade e cidadania. Nesta perspectiva, inicialmente levantamos e analisamos escritos (livros, artigos, programas de disciplinas, e o projeto político pedagógico do curso e textos acadêmicos especializados) que trazem informações relevantes na área epistemológica e biblioteconômica. Posteriormente será feito a aplicação de questionários e entrevistas com os docentes do curso de Biblioteconomia. Identificar o nível de conhecimento dos docentes do Departamento do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Maranhão acerca dos paradigmas que embasam seus processos de ensino-aprendizagem, ou seja, o que lêem para construir suas metodologias de ensino, conforme as necessidades de seus alunos e saber como o atual currículo amplia a dimensão social do curso ao público alvo articulado com as ações pedagógicas dos profissionais de Biblioteconomia. Estão sendo analisadas, as seguintes disciplinas: História do Livro e das Bibliotecas, Análise Temática da Informação, Representação Descritiva, Gestão de Bibliotecas Públicas e Escolares, Serviços de Bibliotecas Especializadas e Universitárias, que reúnem um conjunto de informações indispensáveis para compreender as mudanças que estão sendo efetivadas no Curso.

Palavras-chave: Epistemologia. Biblioteconomia. Maranhão.

Comportamento informacional na Web 2.0: caracterização dos estudantes de Biblioteconomia da UFRN

CARVALHO, Andréa Vasconcelos; PEREIRA, Edinete do Nascimento; CÂMARA, Rafael Silva da; ANDRADE, Rayssa Lara Oliveira de. Comportamento informacional na Web 2.0: caracterização dos estudantes de Biblioteconomia da UFRN. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2095/1297&gt;. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Analisa o comportamento informacional dos estudantes do curso de graduação em Biblioteconomia da UFRN em relação aos recursos da Web 2.0 por serem usuários reais ou potenciais e pela especificidade de estarem se formando para atuar como profissionais da informação, o que implica na necessidade de lidar com esses fenômenos com uma perspectiva profissional. Objetiva conhecer a familiaridade dos alunos de graduação em Biblioteconomia com a Web 2.0; identificar os recursos de informação da Web 2.0 mais utilizados; os usos que
os estudantes de Biblioteconomia fazem dos recursos e as expectativas dos estudantes em relação ao seu uso como ferramenta de trabalho. Esta análise é relevante porque esta nova fase da Web representa um conjunto de novas possibilidades e de novos comportamentos e valores relacionados ao acesso, uso, compartilhamento e produção de informação. Como procedimento metodológico de coleta de dados foi aplicado um questionário a noventa e nove alunos dos quatro períodos vigentes no semestre letivo. Com os resultados obtidos, espera-se que a pesquisa contribua para compreender como parte dos estudantes de graduação da UFRN se comportam em relação à Web 2.0, o que oferece subsídios importantes para ações educativas baseadas nestes recursos, bem como na interação professor aluno, aluno-aluno, favorecendo o processo ensino aprendizagem.

Palavras-chave: Web 2.0. Comportamento informacional. Estudantes de Biblioteconomia.

A institucionalização do curso de Biblioteconomia na Universidade Federal do Pará: sua relevância para a sociedade paraense no âmbito informacional

DANTAS, Cleide Furtado Nascimento; PIRES, Erik André de Nazaré; AMANAJÁS, Mikally Alves de Andrade. A institucionalização do curso de Biblioteconomia na Uviversidade Federal do Pará: sua relevância para a sociedade paraense no âmbito informacional. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 3, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2094/1295&gt;. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
Mostra a importância da institucionalização da graduação de Biblioteconomia na Universidade Federal do Pará (UFPA), apresentando seus apontamentos históricos quanto à questão de inserir o curso para o estado do Pará. O objetivo geral consiste em estudar o papel da instauração dessa graduação no escopo de cursos da universidade e sua contribuição em termos educacionais, científicos e culturais para a sociedade paraense, nos objetivos específicos têm-se: identificar quais os fatores que tornaram a sua inserção de supra-sumo para o estado do Pará com relação a sua contribuição educativa para os paraenses e destacar as características que tornaram essa graduação um importante aliado na conjectura proficiente no tratamento da informação no que tange aos seus usuários. Esta pesquisa foi motivada pelo anseio de contribuir e resgatar a história do referido curso na UFPA mostrando a sua relevância educacional na formação de indivíduos na sociedade do Pará, trazendo assim inúmeros benefícios a quem necessita utilizar informações para a sua qualificação profissional, cientifico e cultural. O procedimento metodológico consiste de uma pesquisa exploratória. Como resultado fica atestado que essa graduação em Belém veio com uma responsabilidade muito grande para o profissional bibliotecário ser agente transformador social no que diz respeito na responsabilidade de gerenciar os aspectos de tratamento, organização, disseminação e gerenciamento informacional aos seus usuários de maneira perspicaz no tocante na educação belenense.

Palavras-chave: Biblioteconomia – Pará. Universidade Federal do Pará. Institucionalização.

Biblioterapia: o bibliotecário como agente integrador e socializador da informação

ALMEIDA, Edson Marques; GOMES, Micarla do Nascimento; SILVA, Diego Maradona Souza da; SILVA, Mona Lisa. Biblioterapia: o bibliotecário como agente integrador e socializador da informação. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2092/1294&gt;. Acesso em: 19 fev. 2015.

Resumo
A Pesquisa aborda questões entre as relações estabelecidas entre a biblioterapia e a biblioteconomia na ação do profissional bibliotecário como agente promotor da socialização e de integração. Apresenta o conceito, etimologia e suas características bem como seu histórico e tipologia. Explica a origem da biblioterapia e a sua relação com a área da saúde. Apresenta os primeiros experimentos das relações estabelecidas da biblioterapia com a biblioteconomia. Analisa as divisões da biblioterapia em desenvolvimental, clínica e institucional e exemplifica esta última, com a participação do profissional bibliotecário nos serviços de biblioterapia e atendimento ao idoso institucionalizado. Enfoca a importância da leitura como complemento no processo de tratamento terapêutico. Utiliza como referencial metodológico a observância dos princípios teóricos da biblioterapia em um ambiente institucional com idosos, apenas para fins ilustrativos da prática biblioterapêutica. Conclui demonstrando o bibliotecário como um intermediador entre o paciente e o mundo da leitura através do serviço de biblioterapia.

Palavras-chave: Biblioterapia. Bibliotecário socializador. Leitura Terapêutica.

Um estudo sobre a importância da educação de usuários como serviço em bibliotecas universitárias: O caso da biblioteca da UFC – Campus Cariri em Juazeiro do Norte – CE

SILVA, Cícera Ana Micaeli Gomes da; TAVARES, Maria Edna Barbosa; SILVA, Samara Matias da; SILVA, Jonathas Luiz Carvalho. Um estudo sobre a importância da educação de usuários como serviço em bibliotecas universitárias: O caso da biblioteca da UFC – Campus Cariri em Juazeiro do Norte – CE. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, out. 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2232/1426 >. Acesso em 01 dez. 2014.

Resumo
Trata acerca da educação de usuários em bibliotecas universitárias, enfocando a importância desse serviço no âmbito acadêmico, levando em consideração suas questões conceituais e características. O presente estudo foi realizado com o objetivo geral de analisar o planejamento e a aplicação da educação de usuários na biblioteca da Universidade Federal do Ceará – Campus Cariri em Juazeiro do Norte. Apresenta como objetivos específicos: Refletir sobre o papel da biblioteca universitária a partir dos seus serviços de informação; Discutir sobre a importância da educação de usuários em bibliotecas universitárias. A metodologia concebida constituiuse a partir de uma pesquisa descritiva com delineamento bibliográfico. Para tanto, utilizou entrevista semi – estruturada, de caráter qualitativo, realizada com a bibliotecária da referida Instituição. Constata-se uma necessidade da educação de usuários na biblioteca da UFC Cariri em Juazeiro do Norte-CE, como também as dificuldades de sua implantação, tendo em vista que esse serviço ainda apresenta algumas limitações estruturais, técnicas pedagógicas na realidade pesquisada.

Palavras-chave: Educação de usuários. Biblioteca universitária. Necessidades de informação.

A importância da biblioteca universitária como mediadora do processo de ensino-aprendizagem na educação superior: um estudo de caso da Biblioteca Paulo Freire da UEPA

GIRARD, Cara Daniella Teixeira; GIRARD, Cristiane Marina Teixeira. A importância da biblioteca universitária como mediadora do processo de ensino-aprendizagem na educação superior: um estudo de caso da Biblioteca Paulo Freire da UEPA. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, out. 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/1996/1420 >. Acesso em 01 dez. 2014.

Resumo
Evidencia a respeito da importância da Biblioteca Universitária na educação superior no processo de ensino-aprendizagem, tendo como estudo de caso a Biblioteca Paulo Freire. Mostrar o cenário da Biblioteca Paulo Freire enquanto mediadora do processo de ensino-aprendizagem da educação superior nos Cursos de Graduação em Pedagogia, Letras e Secretariado Trilingue. Realizar um estudo comparativo frente ao PDI, PPI e as normas estabelecidas pelo MEC com o intuito de expor o dia-a-dia da biblioteca aqui estudada. Identificar as necessidades da Biblioteca Paulo Freire colocadas pelos sujeitos-usuários através da pesquisa de campo realizada nos Cursos de Graduação em Pedagogia, Letras e Secretariado Trilingue. Adota como metodologia a realização de pesquisa bibliográfica, documental e de campo, como forma de analisar o material, contextualizar e apontar a realidade da biblioteca posta em lócus observacional. A expectativa é que os resultados desta pesquisa sirvam para subsidiar propostas de ações pedagógicas que utilizem as Bibliotecas Universitárias como ferramenta de apoio na educação superior e, ao mesmo tempo aprofunde o debate teórico sobre a relevância das mesmas no processo de melhorias da qualidade dos seus serviços oferecidos a comunidade acadêmica e também a comunidade em geral.

Palavras-chave: Biblioteca universitária. Educação superior. Processo ensino-aprendizagem.

Biblioteca comunitária “O Fantástico Mundo da Leitura”: uma alternativa para a socialização do conhecimento na comunidade do Coroadinho em São Luís- MA

MORAES, Janielle de Oliveira; FURTADO, Luciana Nathalia Morais; MORAES, Luan Carlos de Oliveira. Biblioteca comunitária “O Fantástico Mundo da Leitura”: uma alternativa para a socialização do conhecimento na comunidade do Coroadinho em São Luís- MA. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, out. 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2005/1293 >. Acesso em 01 dez. 2014.

Resumo
Apresenta-se neste artigo a Biblioteca Comunitária, como um espaço cultural onde são desenvolvidas as atividades para formação educacional, socializando o conhecimento na comunidade. Objetiva-se compreender o processo de inserção na sociedade, destacando como são desempenhados os projetos desta instituição, na medida em que o objetivo principal é o de democratização do saber. Descrevem-se suas rotinas, bem como as atividades desenvolvidas, que surgem dos planejamentos e das políticas da Unidade da Informação em questão. Utilizam-se como suporte teórico-metodológico a pesquisa bibliográfica baseada em autores que tratam da temática proposta como: Almeida Júnior (1997), Andrade; Vergueiro (1996), Badke (1984), Faccion Júnior (2011), Demo (1994), entre outros que nos auxiliarão a realizar a pesquisa na biblioteca. Nesse sentido, estudar a biblioteca comunitária é de grande relevância, pois, torna-se uma alternativa para disseminação da informação no espaço educacional, servindo como formação intelectual, contribuindo com a diminuição das desigualdades sociais. Com isso, este estudo servirá de base para futuras investigações ao tratar da temática referente a bibliotecas comunitárias como espaço socializador e produtor de conhecimento.

Palavras-chave: Biblioteca Comunitária. Democratização da Informação. Maranhão.

Usuários das informações licitatórias: avaliação do serviço online prestado pelo setor de licitação da prefeitura municipal de Juazeiro do Norte- CE

DINIZ, Joaquim Alves; SUDÁRIO, Marth Neiva Nogueira. Usuários das informações licitatórias: avaliação do serviço online prestado pelo setor de licitação da prefeitura municipal de Juazeiro do Norte- CE. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, v. 3, n. 2, out. 2013. Disponível em: <http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2020/1291 >. Acesso em 01 dez. 2014.

Resumo
A disponibilidade de acesso a informações em ambientes virtuais, por meio das tecnologias da informação e comunicação estão presente cada vez mais na prestação de serviços de diversas instituições e em conseqüência causando mudanças no perfil dos seus usuários. O objetivo desta pesquisa foi avaliar o serviço online das informações licitatórias disponibilizadas pelo setor de licitação da prefeitura municipal de Juazeiro do Norte-CE, sob a ótica do usuário. Para a realização desta pesquisa, como em qualquer outra, foi feito um levantamento bibliográfico a fim de identificar estudos relacionados a usuários de informação e usuários e a busca online. A análise dos resultados foi realizada mediante dados coletados de questionário auto-aplicável, com questões abertas e fechadas, elaborado especificamente para o estudo e aplicado aos usuários em questão. De acordo com o estudo pode-se concluir que a falta de avaliação e estudo de satisfação por parte dos usuários ainda é um problema bastante comum nas instituições. Ou seja, disponibilizam sistemas de informações mais não se preocupam em avaliar a satisfação dos usuários quanto à utilização do mesmo, nem se as necessidades informacionais são satisfeitas pelo serviço prestado.

Palavras- chave: Estudo de Usuários. Licitação. Serviço de Informação online. Direito a informação.

Artigos separados por assunto

Aplicações de informação Arquitetura de informação Automação de bibliotecas Bases de dados Bibliometria / Informetria/ Cientometria / Webmetria Biblioteca escolar Bibliotecas Virtuais e Digitais Biblioteconomia Biblioterapia Catalogação Classificação Competência informacional Comportamento informacional Comunicação científica Comunicação mediada por computador Desenvolvimento de coleções Disseminação da informação Divulgação científica Economia da informação Educação à distância Epistemologia da Ciência da Informação Estudos de necessidades e usos de informação Estudos de usuários Estudos Interdisciplinares Fontes de informação Formação Profissional Fundamentos da Ciência da Informação Gestão da Informação Gestão de Qualidade de Informação Gestão do Conhecimento História da Ciência da Informação Inclusão digital Indexação Informação científica Informação em arquivos Informação em Arte Informação em bibliotecas Informação em museus Informação industrial Informação tecnológica Inteligência Competitiva Internet Internet/Web Leitura Marketing de informação Mediação da informação Metadados Metodologias da Ciência da Informação Mineração de dados Obras Raras Ontologia Organização do Conhecimento Organização e Processamento da Informação Políticas de informação Preservação e Segurança digital Processamento automático de linguagem Redes e Sistemas de informação Repositórios institucionais Representação da Informação Sistemas de recuperação da informação Tecnologias da Informação Teoria da Informação Tesauros Transferência de Informação Visualização da informação Vocabulários controlados Ética da informação Ética na informação

Arquivos